Coordenador da classe em SP, Alonso Lopez faz balanço do Paulista de Snipe

Que o Campeonato Paulista da classe Snipe foi um sucesso, ninguém vai descordar. Quarenta e nove duplas da capital, Ilhabela, Santos, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro estiveram presentes, fazendo um reconhecimento na raia do Brasileiro de 2019.

As regatas tiveram um alto nível técnico, com vento de todas as intensidades e bastante rondado, como costuma ser na Guarapiranga. No final, Alexandre Paradeda provou que não é o maior campeão brasileiro da história da classe à toa e levou o título para Ilhabela, onde está residindo, ao lado da jovem velejadora Anna Julia Tenório.

Confira abaixo o relato de Alonso Lopez, coordenador da classe Snipe de São Paulo:

“Há uns quatro meses começamos a trabalhar na organização do campeonato e, junto com os capitães de flotilha, chegamos à conclusão de que deixar o domingo livre, sem regatas, seria a melhor opção para que todos pudessem velejar e ainda dar atenção às famílias em um feriado prolongado com quatro dias de ‘folga’. Acredito que este formato tenha sido um dos pontos positivos para atrair tantos barcos para o evento. Também divulgamos o AR com bastante antecedência e assim o pessoal de fora pôde se programar bem antes de vir para São Paulo. Continuar lendo “Coordenador da classe em SP, Alonso Lopez faz balanço do Paulista de Snipe”

Brasil é top 5 no Europeu de Laser Standard Sub 21

20424052_1817339428596283_8348445940944110381_o

O paulista Stephan Kunath, atleta do YCSA, teve um excelente resultado no Europeu de Laser Standard sub 21, que terminou nesta quarta-feira em Douarnenez, na França. Após 10 regatas ele termina a competição na 20ª posição geral e 4º entre os sub 19. Participaram da competição 71 velejadores. O campeão foi o espanhol Joel Rodriguez Perez, seguido por Jonathan Vadnai, da Hungria, e Daniel Whiteley, da Inglaterra.

Para ver a súmula completa, clique aqui.

Semana de Vela de São Paulo reúne 12 classes na Guarapiranga

18058222_10212856177263200_5490069447689001253_n

O feriado prolongado foi marcado por ventos fortes e muita regata na disputa da Semana de Vela de São Paulo. O evento, promovido pelo Yacht Club Santo Amaro, foi aberto para 12 classes e teve o Snipe como mais concorrida, com 24 inscritos.

As regatas foram disputadas nas três raias, com vento forte nos três dias. Na sexta, antes da entrada da frente-fria, as rajadas passaram dos 25 nós e os velejadores ficaram em terra esperando baixar para poderem ir para suas raias. Já no sábado e no domingo, o tempo ficou mais frio e o vento um pouco mais ameno, vindo do sul.

Para o Snipe o evento serviu como treinamento para o Sudeste Brasileiro, que vai ser disputado no próximo final de semana. Os vencedores foram Caio Prado e Carlos Ney, seguidos por Ricardo Canepa e Gustavo Barbosa em segundo e Enrico e Frederico Francavilla. Continuar lendo “Semana de Vela de São Paulo reúne 12 classes na Guarapiranga”

Com dois dias perfeitos, YCSA realiza a 1ª etapa da Taça Carlos Alberto Wanderley

WhatsApp Image 2017-04-02 at 20.58.40

O YCSA sediou neste final de semana a primeira etapa da Taça Carlos Alberto Wanderley, evento que acontecerá o ano todo para as classes Laser e Snipe. Foram disputadas três regatas no sábado, com vento que chegou na casa dos 25 nós, e duas no domingo, com vento mais ameno. Na Laser o vencedor foi Nicholas Garcia, presidente da ABCL, seguido por Adriana Kostiw, que há muito tempo não participava de uma regata na Guarapiranga.  Já na Snipe, com disputas bastante acirradas, o título ficou com Enrico Francavilla e Mariana Peccicacco.

Confira os resultados:

SNIPE:

snipe
LASER:

laser

Sol e vento rondado marcam segundo dia do 43º Campeonato Brasileiro de Laser

bralaserday1_3
Cerca de 60 barcos participaram da regata de abertura da competição

A tradicional regata de abertura do 43º Campeonato Brasileiro de Laser contou com a participação de cerca de 60 atletas que enfeitaram a raia da Represa de Guarapiranga com suas velas radiais. A corrida não conta pontos para o campeonato e serve de aquecimentos para os atletas que começam a disputa para valer amanhã, dia 11. A represa presenteou os velejadores com ventos que variaram entre 5 e 8 nós e sol entre muitas nuvens. Ir para a água foi um alívio para os competidores que estão enfrentando altas temperaturas na Capital Paulista.

Por não contar pontos, muitos velejadores largaram, mas não chegaram a completar o percurso. Não cruzar a linha também faz parte da superstição de que o vencedor da regata de abertura não ganha o campeonato. Caso da francesa Marie Bolou, que está Brasil para estudar e aproveitou o ano de transição para velejar por aqui. Marie vai disputar a Semana de Miami, mas não perdeu a oportunidade de correr o Brasileiro antes da viagem. “Gosto da represa porque os ventos são mais fracos e consigo relaxar mais no barco”, conta a velejadora que mora no Rio de Janeiro e vai fazer campanha olímpica na classe Laser Radial.

O dia também foi marcado pela cerimônia oficial de abertura da competição que teve a presença de todos os velejadores da classe Laser Radial. Antes do Hino Nacional e o hasteamento das bandeiras, os atletas e organizadores prestaram uma bonita homenagem, com um minuto de silêncio, ao velejador mineiro Pedro Basílio, ativo na classe ele perdeu a vida em um acidente de carro no ano passado.

Com o pontapé inicial dado nesta terça-feira de sol, calor e vento na Represa de Guarapiranga, o organizador da competição Nicolas Garcia, que estava na raia competindo, exaltou a oportunidade de reunir todos os velejadores antes das regatas oficiais. “Foi uma regata muito divertida, fiquei muito satisfeito e feliz em ver tantos barcos na represa”, comentou.

Entenda a classe

A classe Laser é dividida em três, Radial, 4.7 e Standard, com mesmo casco, o que muda é o tamanho das velas. A Radial usa vela de 5.76 m² e para os velejadores participarem de uma competição oficial precisam pesar até 65 quilos. Apesar de ser o barco olímpico oficial para as mulheres da classe Laser, o barco admite tanto homens como mulheres nas demais competições.

O 43º Campeonato Brasileiro da Classe Laser é organizado pelo Yacht Club Santo Amaro e pela Classe Laser SP, tem a chancela da CBVela e da Fevesp e conta com o apoio da Vcat, Notícias Náuticas e Sailstation.

Programação do 43º Brasileiro de Laser: 

Laser Radial: 

09/01 e 10/01 – Confirmação de inscrição / credenciamento / medição.

11/01 a 15/01 – REGATAS

Laser Standard e 4.7: 

16/01 – Confirmação de inscrição / credenciamento / medição.

17/01 a 21/01 – REGATAS

Site oficial: http://laser2017.sailstation.com/

Fanpage oficial: https://www.facebook.com/BrasileiroDeLaser

Sobre o Yacht Club Santo Amaro: 

O YCSA, como é conhecido o Yacht Club Santo Amaro, foi fundado em 1930 às margens da Guarapiranga por velejadores alemães. Ao longo destes mais de 80 anos de história, revelou grandes nomes do iatismo nacional, como Robert Scheidt, Alex Welter, Cláudio Biekarck, Reinaldo Conrad, Peter Ficker, Gunar Ficker e Marcelo Batista. No seu quadro de medalhas estão diversos títulos mundiais, pan-americanos, sul-americanos e, claro olímpicos.

Campeonato Brasileiro da Classe Laser começa na Capital Paulista

Disputa terá como sede o Yacht Clube de Santo Amaro, o YCSA
Disputa terá como sede o Yacht Clube de Santo Amaro, o YCSA

O ano de 2017 começou, oficialmente, para a classe Laser com a abertura do Campeonato Brasileiro, que tem como sede o Yacht Clube de Santo Amaro, o YCSA, clube que revelou Robert Scheidt. A competição começa amanhã com a cerimônia e a regata de abertura para os atletas da Laser Radial. Cerca de 150 velejadores já confirmaram a participação na competição que conta com atletas da Laser Radial, 4.7 e Standard.  

A flotilha paulista conta com grandes velejadores como Carlos Eduardo Wanderley, bi-campeão mundial máster de Laser Standard em 2016; Martin Lowy, campeão brasileiro de 4.7 em 2014 e de Radial em 2016 e campeão mundial da juventude em 2011; Manfred Kauffmann, representante brasileiro nas Olimpíadas de 1980 na classe Flying Dutchman e medalha de prata no Pan de 1979 na classe Soling e Maria Hackerott, medalha de bronze no Pan de 2015 na classe Lighting. Novas promessas da classe também estarão na raia, é o caso de Tiago Monteiro, de 15 anos, tetracampeão do Norte-Nordeste e campeão brasileiro da Optimist de 2016. 

Os velejadores de fora de São Paulo começaram a chegar no YCSA, que recebe a competição pela primeira vez, neste fim de semana e já lotaram o alojamento do clube. Os estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Distrito Federal, Bahia e Pernambuco têm representantes lutando pelo título brasileiro. O Cabanga Iate Clube, de Pernambuco, enviou quatro velejadores, entre eles, Edvaldo Barbosa, o Vavá. Do alto de seus 73 anos, Vavá compete na categoria Great Gran Master da Laser Radial e Laser 4.7. Oriundo das classes oceânicas, o velejador conta com o apoio dos atletas mais jovens da equipe pernambucana para continuar conquistados bons resultados na classe. “Eu velejo de Laser desde 2005 e não tenho planos para parar. Já corri alguns campeonatos aqui na represa e espero ter bons resultados neste brasileiro“, comenta o atleta. 

O 43º Campeonato Brasileiro da Classe Laser é organizado pelo Yacht Club Santo Amaro e pela Classe Laser SP, tem a chancela da CBVela e da Fevesp e conta com o apoio da Vcat, Notícias Náuticas e Sailstation 

 

Programação do 43º Brasileiro de Laser: 

Laser Radial: 

09/01 e 10/01 – Confirmação de inscrição / credenciamento / medição. 

11/01 a 15/01 – REGATAS 

Laser Standard e 4.7: 

16/01 – Confirmação de inscrição / credenciamento / medição. 

17/01 a 21/01 – REGATAS 

 

Site oficial: http://bit.ly/bralaser  

  

Sobre o Yacht Club Santo Amaro: 

O YCSA, como é conhecido o Yacht Club Santo Amaro, foi fundado em 1930 às margens da Guarapiranga por velejadores alemães. Ao longo destes mais de 80 anos de história, revelou grandes nomes do iatismo nacional, como Robert Scheidt, Alex Welter, Cláudio Biekarck, Reinaldo Conrad, Peter FickerGunar Ficker e Marcelo Batista. No seu quadro de medalhas estão diversos títulos mundiais, pan-americanos, sul-americanos e, claro olímpicos.

Bicampeão Mundial Master da Laser confirma participação no Campeonato Brasileiro

whatsapp-image-2016-12-28-at-11-46-39

Com 54 anos, Carlos Eduardo Wanderley, o Nem, do YCSA, chega ao 43º Campeonato Brasileiro de Laser como favorito na Radial Master, mas seus objetivos vão muito além da categoria que lhe rendeu dois títulos mundiais e o velejador espera estar entre os cinco melhores laseristas do País. Paulista, filho de carioca, Nem começou na classe Pinguim, ao lado no pai, aos 9 anos de idade na represa de Guarapiranga, palco da disputa nacional.

“Eu comprei meu primeiro Laser em 1980 do Jorge Zarif (Guga), lenda da Finn, e nunca larguei a classe apesar de não competir em alto rendimento por causa do trabalho. Foi só depois dos 40 anos que comecei a velejar em campeonatos internacionais e, a partir daí, comecei a me dedicar mais ao Laser, um barco muito prático e que rende muitas emoções na raia”, comenta Nem.

Foi com esta agenda mais flexível que Nem conseguiu classificação para campeonatos mundiais da Laser na categoria Radial Master, sendo campeão em duas ocasiões (Canadá/2009 e México/2016). “Os campeonatos mundiais da Master são tão disputados quanto da categoria regular, para os mais jovens. Com muitos atletas no mesmo nível nunca é fácil vencer e ninguém chega como favorito”, explica Nem.

Nem começou a velejar na represa, mas não leva o conhecimento da raia como uma grande vantagem. “A represa é uma raia com ventos rondados e muitas rajadas, por isso é sempre preciso estar atento aos outros barcos para não ser ultrapassado”, completa Nem.

O 43º Campeonato Brasileiro da Classe Laser é organizado pelo Yacht Club Santo Amaro e pela Classe Laser SP, tem a chancela da CBVela e da Fevesp e conta com o apoio da Vcat, Notícias Náuticas e Sailstation.

Programação do 43º Brasileiro de Laser: 

Laser Radial: 

09/01 e 10/01 – Confirmação de inscrição / credenciamento / medição.

11/01 a 15/01 – REGATAS

Laser Standard e 4.7: 

16/01 – Confirmação de inscrição / credenciamento / medição.

17/01 a 21/01 – REGATAS

Site oficial: http://laser2017.sailstation.com/

Fanpage oficial: https://www.facebook.com/BrasileiroDeLaser

Sobre o Yacht Club Santo Amaro: 

O YCSA, como é conhecido o Yacht Club Santo Amaro, foi fundado em 1930 às margens da Guarapiranga por velejadores alemães. Ao longo destes mais de 80 anos de história, revelou grandes nomes do iatismo nacional, como Robert Scheidt, Alex Welter, Cláudio Biekarck, Reinaldo Conrad, Peter Ficker, Gunar Ficker e Marcelo Batista. No seu quadro de medalhas estão diversos títulos mundiais, pan-americanos, sul-americanos e, claro olímpicos.

Taça dos Lagos tem recorde de participantes

13151876_522155171303059_3942775819065424397_n

A Taça dos Lagos, regata promovida pelo Yacht Clube Santo Amaro há 77 anos na Guarapiranga, teve recorde de inscritos com 113 barcos, o maior número dos últimos cinco anos. O vento contou com a participação de grandes nomes da vela, como Alex Welter, primeiro medalhista olímpico do Brasil, Marcelo Fuchs, vice-campeão mundial de Star, Maria Hackerott, campeã pan-americana, dentre outros. O fita-azul foi o tornado comandado por Thomas Hofmeister, que travou uma batalha no final com um Nacra 17. O YCSA ficou com o título de melhor clube, pois levou mais participantes para a água e colocou mais velejadores no pódio, e manteve o troféu Ernesto Reibel em casa.

Como já é tradição o vento estava bastante fraco, o que fez com que alguns percursos fossem encurtados, mas ainda assim quem participou se divertiu, em especial a molecada da escola de vela do YCSA. O clube quis que estas crianças interagissem com os velejadores mais experientes e cerca de 30 delas puderam participar pela primeira vez na vida de uma regata.

A CR foi comandada pelo o experiente juiz Claudio Buckup, auxiliado por Marco del Porto, Geraldo Peixoto,Leonardo Santos e Cícero Gaudino, e a organização geral da prova ficou por conta de Marcos Biekarck. A inscrição foi 2kg de alimento por barco, que serão doados a uma instituição do bairro do Jaguaré.

 

 

YCSA divulga AR da 77ª Taça dos Lagos

Está chegando a hora da Taça dos Lagos, uma das regatas mais tradicionais da Guarapiranga, que este acho chega a sua 77ª edição. A regata será disputada neste sábado, dia 7, e terá como sede o Yacht Club Santo Amaro. Estão convidadas as classes Optmist, Open Bic, Laser Radial, Laser Std, HC-14, HC-16, HC-21, A-Class, Nacra, Tornado, Supercat 17, 29er, 420, 470, Day Sailer, Dingue, Flash 165, Lightining, Marreco, POLI 19, Snipe, Star, Microtoner, Skipper 21, Techno, Raceboard, FAST 230, Mini-Oceano G1 e G3, Olimpico, Finn, FD e HPE25.

As inscrições devem ser feitas no próprio YCSA e “custam” 2kg de arroz, feijão ou macarrão, que serão doados posteriormente.

A largada está prevista para as 12h e haverá três percursos:

Pequeno: (Optimist e Open Bic) marca 1 no meio da baia do CCSP e chegada em frente ao YCSA.

Médio: (Marreco, 29er, 420, 470, Dingue, Snipe, Poli 19, Day Sailer, Raceboard, Techno, Laser Radial e Standard, HC14, Olímpico, MO G1, Flash 165m Finn e demais classes não relacionadas nos outros percursos) marca 1 no meio da baia do CCSP, marca 3 no meio do 2o lago e chegada em frente ao YCSA.

Grande: (Lightining, Star, MT19, Skipper 21, MOg3, Fast 230, HC16, HC21, Supercat 17, A-Class, FD, Nacra, Tornado e HPE25) marca 1 no meio da baia do CCSP, marca 2 no meio do 3o lago, marca 3 no meio do 2o lago e chegada em frente ao YCSA.

Serão entregues os seguintes prêmios:

  • Troféu Ernesto Reibel para o clube com melhor resultado acumulado entre os três primeiros colocados da classificação geral de cada classe.
  • Troféu Clube Campeão: Clube com maior número de participantes inscritos.
  • Troféu Fita Azul: barco que cruzar em primeiro lugar a linha de chegada dentre todos os inscritos.
  • 1º a 3º lugares: Optimist Geral
  • 1º a 10º lugares: Optimist Principiante
  • 1º a 3º geral: Demais classes

Clique aqui e confira o AR completo

Yacht Cub Santo Amaro tem sábado agitado para seus sócios

 

O Yacht Club Santo Amaro é um clube super tradicional da vela brasileira e para incentivar ainda mais os seus sócios está organizando desde fevereiro o FestVela. O evento tem um formato diferenciado, com rating que pontua os velejadores, ou seja, é possível mudar de classe sem sair do ranking anual.

Nesta segunda edição, disputada no sábado, foi realizada uma regata barla-sota, com largada em frente ao clube e montagem da ilha dos Amores. Ao todo 28 embarcações, de nove classes diferentes, participaram da regata.

Até o final do ano ainda serão realizadas mais dez etapas, sempre com largada às 11h, permitindo assim que os velejadores possam participar de outros eventos na represa.

Ainda no sábado, os atletas da escola de vela e equipe de vela jovem do YCSA tiveram a oportunidade de conhecer detalhes de duas classes de vela jovem. A prancha à vela foi apresentada pelos instrutores da Team Brazil e da Tempo Wind Club, enquanto a Laser foi apresentada por Nicolas Garcia, coordenador da classe em São Paulo.

“Eventos como este são de extrema importância para nortear os velejadores e auxiliar na escolha da próxima classe. Assim as crianças não precisam esperar sair do Optmist para testar as opções de classes disponíveis”, disse Marco del Porto, coordenador náutico do clube.

O evento, que inicialmente estava programado para sábado domingo, teve sua data alterada por conta das manifestações. Com isso, as classes 29er e 420 ficaram para a próxima edição, no final de semana de 18 e 19 de junho.