Coordenador da classe em SP, Alonso Lopez faz balanço do Paulista de Snipe

Que o Campeonato Paulista da classe Snipe foi um sucesso, ninguém vai descordar. Quarenta e nove duplas da capital, Ilhabela, Santos, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro estiveram presentes, fazendo um reconhecimento na raia do Brasileiro de 2019.

As regatas tiveram um alto nível técnico, com vento de todas as intensidades e bastante rondado, como costuma ser na Guarapiranga. No final, Alexandre Paradeda provou que não é o maior campeão brasileiro da história da classe à toa e levou o título para Ilhabela, onde está residindo, ao lado da jovem velejadora Anna Julia Tenório.

Confira abaixo o relato de Alonso Lopez, coordenador da classe Snipe de São Paulo:

“Há uns quatro meses começamos a trabalhar na organização do campeonato e, junto com os capitães de flotilha, chegamos à conclusão de que deixar o domingo livre, sem regatas, seria a melhor opção para que todos pudessem velejar e ainda dar atenção às famílias em um feriado prolongado com quatro dias de ‘folga’. Acredito que este formato tenha sido um dos pontos positivos para atrair tantos barcos para o evento. Também divulgamos o AR com bastante antecedência e assim o pessoal de fora pôde se programar bem antes de vir para São Paulo. Continuar lendo “Coordenador da classe em SP, Alonso Lopez faz balanço do Paulista de Snipe”

Eleição para melhores do ano é aberta ao público; Martine e Kahena concorrem

13996126_1379329832097130_2277955038524882216_o

A votação para velejador do ano da World Sailing está aberta ao público e mais uma vez o Brasil está concorrendo com as meninas de ouro Martine Grael e Kahena Kunze.

Para votar, basta clicar aqui.

Também estão na disputa:

Feminino:
Marit Bouwmeester (NED) – Campeã Mundial de Laser 2017
Sarah-Quita Offringa (ARU) – Campeã do Mundial Pro Windsurfers Association World Tour Freestyle 2017
Tara Pacheco (proeira de Fernando Echavarri) (ESP) – Campeã da Nacra 17 World Cup Series

Masculino:
Glenn Ashby (AUS) – Skipper vencedor da America’s Cup
Peter Burling (NZL) – Timoneiro vencedor da America’s Cup
Thomas Coville (FRA) – Detentor do recorde de volta ao mundo em solitário
Armel Le Cleac’h (FRA) – Vencedor da Vendée Globe 2016-2017

O Brasil já ganhou o prêmio quatro vezes:

2014 James Spithill (AUS), Martine Grael & Kahena Kunze (BRA)
2009 Torben Grael (BRA), Anna Tunnicliffe (USA)
2004 Robert Scheidt (BRA), Sofia Bekatorou & Emilia Tsoulfa (GRE)
2001 Robert Scheidt (BRA), Ellen MacArthur (GBR)

Françoise Gabbart parte em busca do recorde de volta ao mundo em solitário

macif

François Gabbart, que estava de standby desde o último dia 22 de outubro, finalmente partiu para a tentativa de quebra de recorde de volta ao mundo em solitário. O Francês cruzou no último sábado, a bordo do maxitrimarã Macif, a linha imaginária entre o farol de Creac’h, em Ushant, na França, e o farol de Lizard Point, na Inglaterra. O recorde a ser batido é de 49 dias, 3 horas, 4 minutos e 28 segundos e foi estabelecido em 25 de dezembro de 2016 por Thomas Coville. Na manhã desta segunda-feira ele velejava 251 milhas à frente do recorde.

Para acompanhar a velejada de Gabbart, clique aqui. 

 

Segunda perna da Volvo Ocean Race larga com ventos de 30 nós

Domingo também foi dia da largada da segunda perna da Volvo Ocean Race. Desta vez o desafio para as sete equipes é maior e eles terão que chegar na Cidade do Cabo, em um percurso de 7 mil milhas a partir de Lisboa. Única representante do Brasil, Martine Grael segue a bordo do Team AkzoNobel.

Mas, logo na largada, os velejadores puderam sentir que de tranquila a velejada não vai ter nada. Foi só sair da costa de Cascais que o vento passou a soprar na casa dos 30 nós e o mar cresceu, ficando com ondas de mais de 4 metros. O Dongfeng Race Team assumiu a liderança e o recorde de velocidade desta edição com 33 nós.

“Para ser honesto, está muito difícil. Das três pernas que corri na última edição, não vimos nada perto do que estamos vivendo hoje. Uma onda jogou a Bianca [Cook] longe enquanto ela estava amarrada ao cinto de segurança. Ela ficou presa de costas no cockpit enquanto levava centenas de litros de água na cara. Foi assustador de assistir. A Liz [Wardley] chegou rapidamente nela e conseguiu resolver”, contou Sam Greenfield, On Board Reporter do Turn the Tide on Plastic.

Na manhã desta segunda-feira o Team AkzoNobel liderava a flotilha, com um bordo mais ao sul, a uma velocidade de 20,7 nós, com vento de 19,5 nós. Confira o andamento da flotilha clicando aqui.

Fotos Ainhoa Zanchez/VOR

 

Transat Jacques Vabre larga com dupla luso-brasileira

23275489_1486417594760362_1384839821479935463_o.jpg

A Transat Jacques Vabre largou neste domingo de Le Havre, na França, com destino a Salvador. Dos 34 barcos, um é especial: o Mussulo 40 Team Angola Cables, que leva a bordo o baiano Leonardo Chicourel e o português radicado em São Paulo José Guilherme Caldas. Na manhã desta segunda-feira os dois apareciam na 14ª colocação, a 45 milhas dos líderes Louis Duc e Alexis Loison. O líder da competição é o Maxi Edmond de Rothschield, de Seb Josse e Thomas Rouxle.

Acompanhe (e torça!) clicando aqui: http://bit.ly/2zkdZrO

 

Xandi Paradeda e Anna Julia Tenório são campeões paulistas de Snipe

WhatsApp Image 2017-11-04 at 8.41.17 PM

Terminou neste sábado no Yacht Club Santo Amaro o Campeonato Paulista da classe Snipe. Se a sexta-feira foi marcada por vento fraco e apenas uma regata foi disputada, no sábado o vento entrou bastante forte, com rajadas que passaram dos 25 nós, e a flotilha de 49 barcos pode disputar três regatas. Com o vento mais forte, aumentou também a dificuldade da velejada e, no final do dia, o saldo foi de oito mastros quebrados e duas bolinas perdidas.

Xandi Paradeda e Anna Julia Tenório, de Ilhabela, mostraram que estão velejando bem em qualquer condição de vento e levaram para casa o troféu da competição. Rafa Gagliotti e Henrique Gomes, de Santos, ficaram com o segundo lugar e Rique Wanderley e Richard ‘Alemão’ Zietman, de São Paulo, ficaram com o terceiro lugar.

Apesar dos estragos, quem participou do campeonato saiu contente com o alto nível de competição dentro d’água e da festa e da confraternização em terra. O próximo compromisso da classe Snipe de São Paulo será a penúltima etapa da Copa Paulista, nos dias 18, 19 e 20 de novembro, com sede também no YCSA.

Ilhabela receberá o Campeonato Mundial:

Dando continuidade ao bom trabalho que a cidade vem fazendo no esporte, em especial na vela, Ilhabela, no litoral norte de São Paulo, acaba de ser confirmada como sede dos Mundiais Junior e Sênior de 2019. Em 2018, Buenos Aires vai receber o Hemisfério Ocidental. Os dois eventos são realizados a cada dois anos, intercalados.

RESULTADO FINAL

Paulista de Snipe terá presença de velejadores gaúchos e cariocas

310993_700837_ycp_enrico_2_web_
Enrico e Fre Francavilla, uma das duplas favoritas ao título

Na próxima quinta-feira vai começar no Yacht Club Santo Amaro o Campeonato Paulista da classe Snipe. São esperadas 40 duplas e até o momento, além de velejadores de São Paulo, também confirmaram a participação velejadores de Ilhabela, Santos, Porto Alegre e Rio de Janeiro.

A competição tem início às 13h da quinta-feira, com a disputa da Regata de Abertura Flavio Cayubi. Sexta e sábado as regatas têm início às 12h. Oito regatas estão programadas, sendo no máximo três por dia. Todos os dias haverá confraternização no clube. O domingo será dia reserva para caso três regatas não tenham sido realizadas e, por tanto, a série ainda não tenha sido validada.

As inscrições seguem abertas na secretaria do clube e custam R$ 250,00 por barco. Confira o Aviso de Regatas

 

Camiranga é fita-azul da Santos – Rio

22814355_827433884104318_2592198977205202812_n

O veleiro Camiranga (Soto 65) mais uma vez conquistou a fita-azul da regata Santos – Rio. Foram necessárias 24h 57 minutos e 9 segundos para que a equipe de Eduardo Plass completasse o percurso e levasse também o título na classe ORC.

“Foi uma regata um pouco difícil, com as condições mudando bastante. Até Ilhabela o vento foi bastante instável, com algumas variações. Sempre conseguimos avançar um pouco mais que a flotilha, o que nos deu bons ganhos. De Ilhabela para frente conectamos em um vento e conseguimos ganhar bastante terreno com relação à flotilha. Chegamos no Rio no amanhecer e conseguimos aproveitar o terral, até cruzar a linha de chegada, perto do meio dia. O barco aguentou bem, fizemos um contravento duro, chegando a pegar 25-26 nós, em um contra-vento de um bordo só. Agora vamos focar no Circuito Rio, que vamos navegar com o Crioula (S40)”, disse Samuel Albrecht, skipper do barco.

Na classe IRC o vencedor foi o Cherne, enquanto na RGS o título ficou com o Grug.

Confira abaixo os resultados:

ORC
IRC
RGS

Foto: Geison Mendes/Instagram

 

Torben Grael e Tutu Lopes são campeões europeus de Star; Bruno Prada é bronze

WhatsApp Image 2017-10-29 at 2.46.04 PM

Os brasileiros mais uma vez mostraram que, quando se trata da classe Star, eles não estão para brincadeira. Torben Grael e Tutu Lopes conquistaram neste domingo o título do Campeonato Europeu, que foi disputado em Sanremo, na Itália. Bruno Prada, que correu na proa de Augie Diaz, ficou com a terceira colocação, com a mesma quantidade de pontos de Lars Grael e Samuca Gonçalves.

O campeonato começou com vento fraco no primeiro dia. No segundo ele aumentou muito, causando quebras e desistências. No terceiro dia, apenas uma regata foi realizada por conta do vento fraco novamente. No último dia, das duas que estavam programadas, apenas uma foi disputada. Na largada, Prada e Diaz acabaram escapando com bandeira preta e foram desclassificados.

Confira a súmula final aqui.