Regata dos Arvoredos agita vela oceânica santista

22548966_1964261797165696_7418678250179982842_o.jpg
No último sábado, o Iate Clube de Santos promoveu mais uma edição da tradicional Regata Volta da Ilha dos Arvoredos-Suunto que, pela primeira vez, trouxe a categoria de veleiros Clássicos para a raia sob a chancela da La Belle Classe, a mais famosa regata de clássicos do mundo e que tem o Comodoro Berardino Antonio Fanganiello como o primeiro e único Embaixador do país.
A competição com percurso de 17 milhas náuticas reuniu 27 barcos das classes IRC e RGS. A velejada foi marcada por ventos sudoeste na casa dos 11 nós. Primeiro a contornar a Ilha, o veleiro Sessentão foi destaque e liderou a disputa. No entanto, pelo tempo corrigido, a tripulação comandada por Alain Simon fechou na 7ª colocação pela classe IRC. Os veleiros Rudá (IRC), Turuna (Clássicos) e Bravo (RGS) fizeram os melhores tempos, com aproximadamente 3h50m, e conquistaram o primeiro lugar de suas respectivas classes.
Confira o resultado no site www.icsantos.com.br

ABVO promove eleição online para nova diretoria

logo_alta_fundo transparente.png

No próximo dia 3 de novembro uma nova diretoria assumirá a ABVO e, pela primeira vez na história, as eleições poderão ser feitas via internet, o que possibilitará uma maior participação dos associados, uma vez que a entidade está sediada no Rio de Janeiro.

As inscrições das chapas/candidatos já podem ser feitas por escrito ao Comodoro ou à Secretaria da ABVO até o dia 26/10, na forma do art. 30, inciso VII, parágrafo 1º, do Estatuto. Na inscrição deverá constar:

  1. Nome da chapa;
  2. Nomes completos, endereço, contato (e-mail e telefones), e qualificação dos sócios candidatos aos seguintes cargos eletivos: Comodoro, 1º Vice-Comodoro, 2º Vice-Comodoro, 03 (três) Membros efetivos para o Conselho Fiscal e 02 (dois) Membros suplentes para o Conselho Fiscal;
  3. Carta de anuência aos cargos pleiteados, assinada por todos os integrantes da chapa.

A votação eletrônica terá início às 12h dia 27/10, ficando aberta até às 10h do dia 3/11. Só poderão participar os associados que estejam quites com a tesouraria. As instruções serão enviadas por e-mail para estes associados.

Também no dia 3/11 haverá uma Assembleia Geral Ordinária na sede da ABVO, a partir das 19h. Quem não participar da votação eletrônica poderá votar presencialmente nesta data.

Confira a convocação clicando aqui.

Definidos os campeões do Catarinense de Oceano

unnamed-18.jpg

O Itajaí Sailing Team fez história nesse sábado ao quebrar o recorde de percurso na 14ª Regata Marejada, válida como sétima etapa da Copa Veleiros de Oceano, e conquistar o troféu Fita Azul, premiação concedida a primeira embarcação a cruzar a linha de chegada. Confirmando todas as previsões, o vento sul soprou com força, passando dos 20 nós, e a tripulação itajaiense completou o percurso de 32 milhas náuticas em 2h52m29s, mais de 20 minutos mais rápido do que a marca anterior, de 3h13m feita em 2016.

“O velejo foi incrível. Foi muito especial poder quebrar o recorde em uma competição que chega em Itajaí comandando a embarcação que leva o nome da cidade. Nunca baixamos de 16, 17 nós e nossa maior velocidade foi de 23. Bater esse recorde foi muito gratificante”, comemorou o comandante Marcelo Gusmão. “Metade da nossa tripulação é formada pelo projeto do Itajaí Sailing Team e posso dizer que a cada regata temos evolução. Nossa tripulação conhece muito bem o barco”, completou Gusmão. Continuar lendo “Definidos os campeões do Catarinense de Oceano”

Cabanga faz balanço e divulga resultados da REFENO

O Cabanga Iate Clube de Pernambuco apresentou, na manhã da última quarta-feira (04), no Cine Mabya, em Fernando de Noronha, o balanço da 29ª edição da Regata Internacional Recife – Fernando de Noronha.

Ao todo, 47 embarcações participaram da edição 2017 da Regata. A Refeno reuniu 353 tripulantes de 11 estados do Brasil e dois países – Argentina e Reino Unido. Pernambuco foi o estado com o maior número de participantes este ano, com 14 barcos inscritos. O Rio de Janeiro ficou logo atrás, com 10, seguido pela Bahia, com 7 barcos. Completam a lista São Paulo (4), Argentina (2), Alagoas (2), Rio Grande do Sul (2), Distrito Federal (1), Sergipe (1), Paraná (1), Rio Grande do Norte (1), Santa Catarina (1) e Reino Unido (1).

“Tivemos uma regata excelente. Um mar tranquilo. Tivemos um fato extremamente positivo que todas as embarcações que saíram do Recife chegaram a Fernando de Noronha. Tivemos só três problemas durante o percurso. Mas foram problemas solucionados no próprio barco, pela tripulação, e todos chegaram a Ilha. Então, este é um fato extremamente positivo nesta 29ª Refeno”, comemorou Sérgio Avellar, diretor de Vela do Cabanga.

Administrador da Ilha de Fernando de Noronha, Luís Eduardo Antunes não escondeu a alegria em receber a Refeno no arquipélago. “Para Noronha é uma enorme satisfação receber a Refeno e participar como apoiadora deste evento internacional. Temos o maior prazer em estar ajudando e patrocinando o Cabanga na realização deste evento”, disse.

O Comodoro do clube, Jaime Monteiro Jr., destacou a importância da festa ser realizada de velejador para velejador e agradeceu o apoio da Marinha e da Administração da Ilha na realização de mais uma edição da maior regata oceânica do Brasil. “É uma alegria saber que estamos trazendo mais gente à Ilha, o que é bastante positivo para Noronha. Ano passado tivemos algo em torno de 300 tripulantes, e este ano chegamos próximo dos 370 velejadores na regata”, complementou.

Este ano, a embarcação Camiranga, do Rio Grande do Sul, escreveu, mais uma vez, o seu nome na história da Regata Internacional Recife- Fernando de Noronha (Refeno). No último domingo (1º de outubro), o veleiro conquistou o Troféu Fita Azul pelo quarto ano consecutivo, com direito a quebra do próprio recorde entre os barcos monocascos. Do Marco Zero do Recife até a praia do Boldró, o barco comandado por Samuel Albrecht completou a travessia de 292 milhas náuticas (545 quilômetros) em 19h03min18s.

Para ver os resultados completos, por categoria, clique aqui.

Terceiro dia do Brasileiro de ORC e IRC tem regata de percurso e paulistas na liderança da IRC

 

Quem foi para a Vila do Abraão, na Ilha Grande, em Angra, para o Brasileiro de ORC e IRC não se arrependeu. A sexta-feira foi mais um dia lindo, com sol e vento na casa dos 10 nós. A Comissão de Regatas realizou duas regatas para ambas as classes. A primeira barla-sota e a segunda, de percurso médio, com 11 milhas de comprimento, entre boias.

Os paulistas dominaram as três primeiras colocações da classe IRC, com Rudá novamente em primeiro, Asbar IV em segundo e Orson Czechvar em terceiro. Na ORC o Pajero segue na liderança, apesar de não ter tido um dia tão bom.

“O campeonato tem sido muito bom, em um lugar que não estamos acostumados a velejar, em uma raia que a gente não sabe muito bem o que vai acontecer. A disputa com o Crioula tem sido mais acirrada, os dois barcos evoluíram muito nos últimos tempos. Acredito que fazer um campeonato brasileiro separado, apenas com os barcos de rating pode se tornar uma tendência. Tivemos vento bom e dias lindos e acho que para um próximo ano mais barcos deverão participar”, disse André Fonseca, o Bochecha, tático do Pajero.

Resultados:
ORC
IRC

O Brasileiro de ORC e IRC é organizado pela ABVO, com patrocínio da Mitsubishi e apoio da CBVela, Marinha do Brasil, ICRJ, Quantum Sails, North Sails, B&G, Harken, Nautisport, Riostar

 

 

Segundo dia do Brasileiro de ORC e IRC tem duas regatas barla-sota com vento fraco

A quinta-feira começou bastante nublada na Ilha Grande, em Angra dos Reis, onde está sendo disputado até o próximo sábado (09) o Brasileiro de ORC e IRC. A primeira regata do dia teve a largada pontualmente às 12h para a classe ORC e às 12h05 para a IRC, porém o vento rondou mais do que o previsto e a prova foi cancelada.

No final do dia, duas regatas com vento máximo de dez nós foram realizadas, totalizando três até agora. O Pajero fez a melhor média do dia na classe ORC, somando um primeiro e um segundo lugares, o que os deixa na liderança da competição. Na IRC o Asbar IV também somou um primeiro e um segundo lugares, assumindo a liderança.

“Conseguimos dar duas boas largadas. Na segunda regata achávamos que íamos chegar atrás do Rudá, por que velejamos mal no contra-vento, mas recuperamos bem no popa. Estamos muito rápidos e conseguimos fechar o dia com um primeiro e um segundo lugar. Passamos a regata toda pensando o que o Jonas faria em cada situação”, disse Dancini, tripulante do Asbar. O comandante Jonas de Barros Penteado se machucou nesta quarta-feira após a regata e não pôde velejar nesta quinta.

Para esta sexta-feira estão previstas duas regatas, sendo uma barla-sota e uma de percurso médio.

Resultados:
ORC
IRC

O Brasileiro de ORC e IRC é organizado pela ABVO, com patrocínio da Mitsubishi e apoio da CBVela, Marinha do Brasil, ICRJ, Quantum Sails, North Sails, B&G, Harken, Nautisport, Riostar

 

Organização divulga o AR do Brasileiro de MOCRA

Cartaz

Entre os dias 12 e 14 de outubro a FOCA (Flotilha de Oceano de Cabedelo) vai promover o Campeonato Brasileiro da classe MOCRA. Estão convidados todos os veleiros multicascos que estejam com o certificado em dia e que tenham pago a anuidade da ABVO. As inscrições podem ser feitas no Iate Clube da Paraíba e têm os seguintes valores:
Até dia 30 de agosto: R$ 100,00 por tripulante
Até dia 31 de setembro: R$ 120,00 por tripulante
Até dia 10 de outubro: R$ 150,00 por tripulante.

Três regatas estão programadas, com nenhum descarte. São elas:
1ª Regata – Iate Clube Jacaré – Boia 2 Porto de Cabedelo –Boia de contra vento e retorno.
2ª.Regata –  Iate Jacaré- Iate –Bessa-Iate Jacaré
3ª Regata – Iate Jacaré, boia nas proximidades de  Areia Vermelha-Iate Jacaré

Para mais informações, confira o Aviso de Regatas.

Mundial de ORC terá representantes de 19 países em Trieste, na Itália

mundial de orc 2017.jpg

Entre os dias 30 de junho e 8 de julho mais de 1500 velejadores estarão reunidos em Trieste, na Itália, para a disputa do Mundial de ORC. Ao todo 19 países estarão representados: Grã Bretanha, Alemanha, Ucrânia, Finlândia, Turquia. Noruega, Dinamarca, Holanda, Espanha, Estônia, República Tcheca, Malta, Croácia, Chipre, Áustria, Eslovênia e Itália.

Para este ano os critérios de quem poderia participar foram revisados, garantindo um nível de competidores mais alto. As classe B e C terão, juntas, 55 participantes, enquanto a A terá 17. As regatas serão disputadas em duas áreas diferentes no Golfo de Trieste e terão como sede o Porto San Rocco.

Para mais informações e resultados, acesse www.orcworlds2017.com

Torben Grael é campeão do Ubatuba Sailing Festival

A 8ª edição do Ubatuba Sailing Festival chegou ao fim nesta segunda-feira no Ubatuba Iate Clube após três dias de competição. E com apenas uma regata realizada com vento fraco os favoritos confirmaram o título. Na IRC o Argos, de Jaime Cupertino venceu a terceira regata consecutiva e levou o título para casa. Na RGS, Torben Grael, que contou com o reforço de sua esposa Andrea, levou a melhor sobre seu irmão Lars e ficou com o ouro. Na Bico de Proa o Sous Le Vent, do comandante Paulo Fonseca, também venceu as três e conformou o primeiro lugar. O evento também foi válido como primeira etapa do Campeonato Paulista de Oceano.

“O clube recebe a gente sempre muito bem. O lugar é muito bonito, as regatas são boas e bem organizadas e tudo isso faz com que a gente volte todo ano. Esta edição começou com um susto no primeiro dia com a ressaca e parecia que seria difícil fazer as regatas, mas no final deu tudo certo”, disse Torben Grael.

“Este foi o primeiro campeonato oficial do nosso barco. Fizemos uma clínica há uns dias atrás com o André Fonseca, o Bochecha, e estreamos em regata agora. O campeonato foi muito bom. Achamos que o vento ia estar mais fraco, mas felizmente deu para todo mundo participar e se divertir bastante”, disse José Antônio Bispo dos Reis, o Zequinha, timoneiro do Argos.

A previsão do tempo para esta segunda-feira (1) indicava ventos na casa dos 10 nós, porém, ao meio dia, horário que estava programada a largada da primeira regata, ele apareceu bem mais fraco. Com isso a CR comandada por Cuca Sodré conseguiu realizar apenas uma das duas regatas previstas para o dia. O campeonato terminou com três das cinco regatas previstas e sem nenhum descarte. Já em terra, os velejadores foram recebidos com um almoço de confraternização oferecido pelo clube durante a festa de premiação.

“O Ubatuba Sailing Festival está se firmando cada vez mais no cenário da vela oceânica brasileira. Estiveram presentes equipes de Ubatuba, Santos, Ilhabela, Angra dos Reis e Rio de Janeiro. Este ano o evento também foi válido como primeira etapa do Paulista de Oceano, que terá ainda etapas em Ilhabela, em setembro, e terminará em Santos com a tradicional Volta a Ilha dos Arvoredos em novembro”, disse Cuca.

“Esta edição do Ubatuba Sailing Festival foi muito boa. Tivemos diferentes barcos vencendo em cada categoria por conta do regime de vento, que foi um pouco mais fraco. Trinta barcos vieram até aqui nos prestigiar e outros tantos que não puderam vir nos ligaram pedindo desculpas, ou seja, este já é um evento que as pessoas já se preparam para participar durante o ano”, disse Julio Cechetto, Comodoro do Ubatuba Iate Clube.

Resultado final após três regatas:

IRC:
1. Argos
2. Rudá
3. Asbar

RGS:
1. Lady Lou
2. Nativo
3. Aries III

Bico de Proa
A:
1. Sous Le Vent
2. Futuro
3. Kakalê

B:
1. Sete
2. Coração
3. Folgado

O Ubatuba Sailing Festival é organizado pelo Ubatuba Iate Clube e conta com o apoio de V.Bros, Renew Boats, RBM Corretora de Seguros, Tintas International, Quantum Sails, Rádio Vozes.com, Revista Mariner, Farol das Tintas, Hotel Solar das Águas e Postos Flutuantes BR Mônaco e Ímola.

 

Ubatuba Sailing Festival começa com falta de vento e regata de percurso médio

 

O primeiro dia de regatas do Ubatuba Sailing Festival começou com chuva e sem vento algum. Os trinta barcos que disputam a competição realizada pelo Ubatuba Iate Clube esperaram quase uma hora até a largada da única regata do dia. As classes IRC e RGS contornaram a ilha do Mar Virado, enquanto a classe Bico de Proa fez um percurso menor, de 9,4 milhas náuticas (17 km). Depois de 2h40 de regata, o Argos, de Jaime Cupertino, foi o primeiro a cruzar a linha de chegada do percurso mais longo. O Smart, de André Brumer, foi o primeiro entre os barcos mais lentos. Continuar lendo “Ubatuba Sailing Festival começa com falta de vento e regata de percurso médio”