Brasil conquista dois sextos lugares no Mundial da Juventude na Nova Zelândia

Gustavo Abdulklech e Pietro Geronimi_Credito Pedro Martinez_Sailing Energy_World Sailing.jpg

A Equipe Brasileira de Vela Jovem encerrou nesta terça-feira, dia 20, sua participação no Mundial da Juventude 2016, em Auckland, Nova Zelândia. Após cinco dias de disputa, o país saiu do evento tendo seus resultados mais expressivos na classe 420. Na disputa feminina, Olivia Belda e Marina Arndt terminaram na sexta colocação, com 48 pontos perdidos, a apenas quatro pontos de um lugar no pódio. Na disputa masculina, Gustavo Abdulklech e Pietro Geronimi também ficaram em sexto lugar, com 60 pontos perdidos.

“A experiência que a gente ganhou aqui foi incrível. A gente aprendeu bastante, melhorou bastante ao longo do campeonato. Dá para ver pelos resultados. Mesmo não tendo chegado aonde a gente queria no final, foi bom”, disse Olivia Belda, de apenas 16 anos, timoneira da embarcação, para a equipe de comunicação da Federação Internacional de Vela (World Sailing).

Continuar lendo “Brasil conquista dois sextos lugares no Mundial da Juventude na Nova Zelândia”

Delegação brasileira embarca para a disputa do Mundial da Juventude na NZ

Gustavo Abdulklech e Pietro Geromini (1).jpg

Com 14 jovens velejadores, a delegação brasileira disputa o Mundial da Juventude, em Auckland, na Nova Zelândia, em competição marcada para o período de 14 a 20 de dezembro, nas classes RS:X (masc. e fem.), 420 (masc. e fem.), Laser Radial (masc. e fem.), 29er (masc. e fem.) e Nacra 15 (aberta para duplas masculinas, femininas ou mistas). As primeiras regatas estão previstas para o próximo dia 16 — por causa do fuso horário, no horário de Brasília a competição começa na madrugada de quinta para sexta-feira.

“Vamos para o campeonato com uma equipe cheia de gás. A vela é um esporte de carreira longa para o atleta. Então, nosso foco principal, mais do que o resultado em si, é dar a esses velejadores experiência com barcos que servem de base para as classes olímpicas, num ambiente de competição internacional de alto nível”, diz Alexandre Saldanha, o Spanto, que chefiará a delegação brasileira e foi técnico de Robert Scheidt nos Jogos Rio 2016.

O Brasil estará representado em todas as classes, com oito velejadores e seis velejadoras. No Mundial da Juventude de 2015, o país conquistou duas medalhas: prata, com Leonardo Lombardi e Rodrigo Luz (420 masculino); e bronze com Brenno Francioli (RS:X masculino). A vela brasileira tem um histórico de sucesso no Mundial da Juventude, incluindo os ouros de Robert Scheidt (1991), Martine Grael e Kahena Kunze (2009), atletas que depois se tornariam medalhistas em Jogos Olímpicos.

Os velejadores do Brasil no Mundial da Juventude 2016

Nome Idade Classe
Lucas Cazale Bonioli Cardoso 16 29er
Lucas Bethlem Mirow 17 29er
Gustavo Luis Ribeiro Abdulklech 17 420
Pietro Motta Geronimi 17 420
Natascha dos Santos Böddener 18 Laser Radial
Daniel Rocha Pereira 17 RSX
Carlos Eduardo Lins Monteiro Lopes 15 Nacra
Rafael Melo Rizzato 17 Nacra
Joao Emilio Mendes de Vasconcellos 16 Laser Radial
Helena Van Swaay De Marchi 17 29er
Nicole Schiavo Buuck 16 29er
Olivia Belda 16 420
Marina Mariutti Carioba Arndt 15 420
Larissa Ricci Schenker 16 RSX

 

Tiago Monteiro conquista Regional Nordeste de Laser 4.7

tiago-monteiro-1

Recém-saído do Optimist, o velejador do Cabanga Iate Clube de Pernambuco, Tiago Monteiro (TimePE), conquistou, neste domingo (4 de dezembro), o seu primeiro título na classe Laser. O jovem atleta ficou com o título na categoria 4.7 do 39º Regional Nordeste da classe, realizado na sub-sede do Cabanga, em Maria Farinha, Litoral Norte de Pernambuco. (confira o resultado completo)

As condições do vento durante os três dias de competição foram bastante favoráveis à prática de uma boa velejada. De acordo com os membros da Comissão de Regata, a velocidade do vento variou entre 12 e 8 nós.

A superioridade de Tiago Monteiro na competição foi visível desde as primeiras regatas. Das sete disputadas nos três dias de campeonato, ele venceu seis, tirou um segundo lugar terminando o Regional com apenas seis pontos perdidos (PPs). O também velejador do Cabanga, Vinicius Gondim, foi o segundo melhor. Felepe Almeida, do Yacht Clube da Bahia (YCB) fechou o pódio na terceira posição.

Radial

A definição do campeão regional de laser na categoria Radial só foi definida nos critérios de desempate. Os três primeiros colocados terminaram a competição com o mesmo número de pontos perdidos – 12. Melhor para Geraldo Wicks, do Yacht Clube da Bahia, que somou mais segundos lugares e levou o troféu de campeão. O baiano Antônio Lopes Neto, também do YCB, ficou em segundo e Yuri Reithler, do Cabanga, em terceiro.

Standard

O YCB também garantiu o primeiro lugar na categoria Laser Standard, com Alberto Vita. O baiano liderou todo o Regional e mesmo não participando da sétima e última regata por conta de uma contusão garantiu o título por conta do descarte do seu pior resultado.

2017

O próximo Regional Nordeste de Laser, que em 2017 chegará a sua 40ª edição, será realizado no Iate Clube da Paraíba.

 

 

​​Tiago Monteiro é tetracampeão do N.NE de Optimist​​

tiago-monteiro-n-ne-op-2016

A Flotilha de Optimist do Cabanga Iate Clube de Pernambuco deu um show na disputa do 43º Campeonato Norte-Nordeste de Optimist, que terminou nesta terça-feira (15), em Fortaleza. Na disputa Regional, Tiago Monteiro, 15 anos, escreveu, mais uma vez, seu nome na história da vela e conquistou o quarto título consecutivo da competição. No Feminino, a pernambucana Letícia Lira garantiu o primeiro lugar. Para completar de vez a festa do Cabanga em águas cearenses, Marcelo Gabriel Souza, foi campeão Norte-Nordeste Estreante.

O Norte-Nordeste de Optimist foi a última competição de Tiago Monteiro na classe. Os resultados expressivos da carreira do velejador do Cabanga começaram em 2013, quando o velejador terminou o Campeonato Brasileiro de Optimist na quinta colocação. De lá pra cá, o atleta melhorou cada vez mais seu desempenho. Seu maior feito, sem dúvida alguma, foi ter conquistado em janeiro de 2016 o título geral de Campeão Brasileiro da classe em Jurerê/SC. Até então, nenhum outro pernambucano havia conseguido tal feito. Para completar, ele é o único nordestino a disputar o Mundial de Optimist por três vezes (2014, 2015 e 2016). Continuar lendo “​​Tiago Monteiro é tetracampeão do N.NE de Optimist​​”

Após 18 regatas, Pernambucano de Optimist chega ao fim

Optimist.jpg

A flotilha do Cabanga Iate Clube de Pernambuco entra na água neste final de semana – sábado (5) e domingo (6) – para a disputa da quarta e última etapa do Campeonato Pernambucano de Optimist, na praia de Maria Farinha, Litoral Norte de Pernambuco. A competição é preparatória para o Norte-Nordeste da classe, qu será disputada de 11 a 15 de novembro no Iate Clube de Fortaleza.

Ao todo, já foram realizadas 18 regatas no certame. Com o acumulado de 20 pontos perdidos (PPs), o líder do Estadual é o atual tricampeão estadual da classe, Tiago Monteiro. Apesar do primeiro lugar de Tiago, a etapa anterior da competição, realizada nos dias 22 e 23 de outubro, deixou a classificação ainda equilibrada.

Estão diretamente na briga pelo título geral deste ano, Marina da Fonte (33 PPs), Roberto Cardoso (43 PPs) e Ludmila Lira (44 PPs). Os três ocupam, respectivamente, a segunda, terceira e quarta posição do certame. No estreante, o destaque é para Gabriel, que permanece na frente.

YCSA promove Copa Energisa da classe 29er

14716052_1218642341536438_4714853574391283201_n

Entre os dias 12 e 15 de novembro o Yacht Club Santo Amaro vai sediar a Copa Energisa da classe 29er. Serão quatro dias de regatas, palestras e apoio de um técnico dentro e fora d´água, que ajudará nas regulagens e táticas de regata, por exemplo. O evento também servirá como treino para o Mundial da Juventude, que será disputado em dezembro na Nova Zelândia. Não serão cobradas taxas de inscrição e haverá alojamento no clube para quem precisar ao custo de R$ 25,00 por dia. Confira o AR completo aqui. Para mais informações entre em contato com o atendimento@ycsa.com.br ou através do telefone (11)5687 8847.

Cabanga Iate Clube, de Pernambuco, será sede da Copa da Juventude 2017

O Cabanga Iate Clube de Pernambuco sediará a Copa da Juventude de 2017, considerada a maior competição de Vela Jovem do Brasil. O torneio é seletiva para o Mundial da Juventude. A previsão do atual comodoro do Cabanga, Jaime Monteiro Jr., é realizar o evento entre os dias 9 e 16 de abril na sub-sede em Maria Farinha, Litoral Norte de Pernambuco.

“O investimento na Vela Jovem é um dos grandes pilares do Cabanga. Nosso objetivo é incentivar a participação de um número recorde de jovens velejadores do nosso clube na Copa da Juventude”, comentou Jaime Monteiro Jr, destacando o ano vitorioso da vela do Cabanga em 2016. “Tivemos o campeão brasileiro geral de Optimist, Tiago Monteiro; a campeã brasileira feminino, Marina da Fonte; a dupla campeã do Brasileiro de Dingue, Leonardo Almeida e Miguel Andrade. Sem contar com o excelente desempenho da Flotilha de Optimist na Semana de Vela de Bueno Aires e das embarcações na classe Oceano com Patoruzu e Jahú 2 chegando na segunda posição das duas últimas edições da Refeno”, destacou o comodoro.

A realização da Copa da Juventude vem em um excelente momento para o Cabanga, que hoje possui um número grande de velejadores que estão deixando o Optimist por conta da idade. “Vários atletas nosso estão estourando idade do Optimist (até 15 anos) e migrando para as classes da Vela Jovem. Realizar uma competição desse porte em casa é um incentivo para essa garotada e projetará o Cabanga para o cenário nacional da vela jovem”, destacou o treinador de vela do Cabanga, Edival Júnior.

“A flotilha da Vela Jovem do Cabanga, seguindo os passos da flotilha de Optmist, começa a despontar no cenário nacional. Apesar da tímida participação na competição deste ano, realizada no Rio de Janeiro, nossos três representantes – Helena Granja, Marina Hutzler e Vinicius Gondin – marcaram oficialmente o início de uma grande flotilha que se forma. Mais de 15 atletas estão em preparação para reapresentar o Clube na Copa da Juventude do próximo ano. A comodoria do Cabanga segue investindo pesado na compra de barcos e na disponibilização de técnicos qualificados para oferecer o suporte necessário à formação desses atletas”, disse Rosana Gondin, capitã da Flotilha de Vela Jovem do Cabanga.

A Copa da Juventude reúne velejadores brasileiros abaixo de 19 anos nas classes Laser Radial; 420; RS:X; 29er e Hobie Cat 16. Os vencedores em cada classe na Copa da Juventude formam a Equipe Brasileira de Vela Jovem que irá representar o país no Mundial da Juventude. A competição é a porta de entrada para o velejador que sonha em representar o Brasil nos Jogos Olímpicos, caminho das campeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze, que, antes de conquistarem a medalha de ouro na classe 49er FX nos Jogos do Rio 2016, disputaram e conquistaram a Copa Brasil e o Mundial da Juventude.

Experiências:
Além da competição dentro da água, a Copa da Juventude tem como objetivo a realização de uma verdadeira imersão no mundo da vela. Ao longo de toda competição, nomes importantes da vela nacional ministram clínicas e palestras para os jovens velejadores. O evento no Rio de Janeiro contou com a participação do medalhista olímpico, Robert Scheidt; da dupla Martine Grael e Kahena Kunze, campeãs olímpicas nos Jogos Rio 2016 na classe 49erFX, do seu técnico, Javier Torres, entre outros nomes de peso da vela nacional. “Nós queremos sempre revelar novos nomes, descobrir novos talentos. Queremos sempre incentivar a participação dos jovens nas competições”, afirmou o diretor executivo da CBVela, Daniel Santiago.

Seletiva para Mundial da Juventude, Copa da Juventude chega ao fim no Rio de Janeiro

Terminou nesta sexta-feira (dia 14) a edição 2016 da Copa da Juventude, competição importante no calendário da Vela Jovem, iniciativa da Confederação Brasileira de Vela (CBVela) para o desenvolvimento do esporte entre os jovens. Realizada na Baía de Guanabara após os Jogos Rio-2016, e com sede no Iate Clube do Rio de Janeiro, a competição foi seletiva para o Mundial da Juventude, que será disputado em Auckland, na Nova Zelândia, em dezembro. Além disso, a entidade organizou diversas palestras ao longo da semana com a participação de nomes como Martine Grael e Robert Scheidt.

“Estamos sempre buscando a evolução e não fazer apenas do campeonato uma eliminatória para o Mundial da Juventude. Buscamos trazer mais conhecimento técnico e inspiração para estes jovens velejadores. Para isso, trouxemos este ano alguns dos nossos medalhistas olímpicos e treinadores para conversarem com a garotada. Também contamos com o apoio dos clubes para ajudar neste momento de transição entre a vela de iniciação e o alto rendimento”, afirmou o Secretário Geral da CBVela, Ricardo Lobato.

A edição 2016 da Copa da Juventude contou com 95 velejadores de 7 estados. Na classe 29er, os vencedores foram Lucas Cazale/Lucas Mirow e Helena De Marchi/Nicole Buuck; na classe 420, os campeões foram Gustavo Abdulklech/Pietro Geromini e Olivia Belda/Marina Arndt; na Hobie Cat 16 a dupla Carlos Eduardo Monteiro Lopes e Rafael Rizzato terminou em primeiro; na Laser Radial os vencedores foram João Emilio Vasconcellos e Natascha Boddener; e na RS:X os campeões foram Daniel Pereira e Larissa Schenker.

Os vencedores em cada classe na Copa da Juventude ingressam no Programa de Desenvolvimento Individual de Atletas da CBVela. Nele, o Conselho Técnico de Vela Jovem e a diretoria da entidade avaliam os atletas para a formação da Equipe Brasileira de Vela Jovem que irá representar o país no Mundial da Juventude.

Na edição 2015 do Mundial da Juventude, em Langkawi, na Malásia, o Brasil conquistou duas medalhas. Na classe 420 masculina, Leonardo Lombardi e Rodrigo Luz faturaram a prata. Na RS:X masculina, Brenno Francioli ficou com o bronze.

Palestras

Ao longo dos cinco dias de competição, os jovens velejadores assistiram à palestras diariamente no fim do dia. Foram palestrantes a campeã olímpica Martine Grael, o bicampeão olímpico Robert Scheidt além dos atletas olímpicos Gabriel Borges e Patricia Freitas. Também conversaram com a garotada os técnicos Javier Torres, Alexandre Saldanha e Bruno Di Bernardi. O treinador espanhol também ministrou clínicas para técnicos da Vela Jovem.

Para ver o resultado completo da competição, clique aqui.

Para mais fotos de Fred Hoffmann, clique aqui.

Duas duplas da vela jovem recebem barco das mãos de medalhistas olímpicos Scheidt, Grael e Kunze

Duas duplas da Vela Jovem brasileira receberam, na manhã desta sexta-feira (dia 14), dois barcos da classe 470 das mãos de quatro campeões olímpicos. Na cerimônia de entrega realizada no Iate Clube do Rio de Janeiro, no último dia de disputa da Copa da Juventude, Martine Grael, Kahena Kunze, Robert Scheidt e Torben Grael entregaram as embarcações para a parceria feminina Juliana Duque e Amanda Sento-Sé e para a dupla masculina Leonardo Lombardi e Rodrigo Luz.

Campeãs mundiais na classe Snipe este ano, as baianas Juliana, de 21 anos, e Amanda, de 15, receberam o 470 medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Pequim-2008 com Fernanda Oliveira e Isabel Swan. As duas jovens atletas receberam o barco das mãos de Martine Grael, ouro na 49erFX na Rio-2016, e Robert Scheidt, campeão olímpico na Laser em Atlanta-1996 e Atenas-2004.

“É muito emocionante, um bom incentivo para podermos fazer a campanha olímpica. É o barco das medalhistas de bronze em Pequim-2008. Vamos fazer de tudo, treinar muito, dobrado, para aproveitar esta oportunidade que nos foi dada”, disse Juliana.

Medalhistas de prata no último Mundial da Juventude na classe 420, os velejadores do Rio de Janeiro Leonardo e Rodrigo, ambos de 19 anos, ficaram com outro 470. Os jovens atletas receberam o barco das mãos de Kahena Kunze, ouro na 49erFX na Rio-2016, e Torben Grael, campeão olímpico na Star ao lado de Marcelo Ferreira, em Atlanta-1996 e Atenas-2004.

“É uma honra muito grande. Velejo desde os 7 anos e sonho em poder ir para os Jogos Olímpicos. Isso sempre foi algo distante, mas temos conseguido bons resultados e isso nos motiva. Conseguir esse barco é um primeiro passo para realizar um sonho de vida”, afirmou Leonardo.

A solenidade de assinatura do convênio contou com a participação do Secretário-Geral da Confederação Brasileira de Vela (CBVela), Ricardo Lobato; do Diretor de Vela do Yatch Clube da Bahia e presidente eleito da Federação de Esportes Náuticos do Estado da Bahia (Feneb), Marcio Cruz; do Vice-Presidente Técnico da Federação de Vela do Estado do Rio de Janeiro (Feverj), Flavio Gama; do Contra-Comodoro do Iate Clube do Rio de Janeiro, Vicente Arruda; do Presidente do Grupo Energisa, Ricardo Botelho; e do Gerente Geral de Performance Esportiva do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Jorge Bichara.

“Desde que assumimos a CBVela temos o compromisso de investir na Vela Jovem. Fazer a transição do período de aprendizado para o alto nível é algo bem difícil. Nós queremos sempre ajudar ao máximo nessa transição”, disse Ricardo Lobato. “A Energisa é privilegiada em apoiar a Vela Jovem brasileira. Temos um histórico de presença na vela e estamos satisfeitos em poder contribuir para o desenvolvimento desse grande projeto da CBVela”, afirmou Ricardo Botelho

Coordenador Técnico da Equipe Brasileira de Vela, Torben Grael falou da importância de se disponibilizar estes barcos para os jovens velejadores. “Na vela olímpica hoje em dia temos uma renovação constante do equipamento. Alguns barcos estão em ótimo estado, mas não para competir no top da vela olímpica. Porém, para quem está começando, são perfeitos. Entregar estes barcos dá aos jovens atletas uma grande oportunidade de aperfeiçoamento e treinamento”.

Tiago Monteiro é medalha de prata na Semana de Buenos Aires

12961381_1094474933958329_4008316298761341170_o.jpg

Terminou nesta segunda-feira a tradicional Semana de Vela de Buenos Aires. Tiago Monteiro, do Cabanga Iate Clube, foi o melhor brasileiro, ficando com a medalha de prata na categoria Optimist Timoneles. Na mesma classe, Nicolas Bernal, do YCSA, e Marina Fonte, também do Cabanga, ficaram em 11º e 12º. Ludimila Lira (26), Diogo Petersen (29), Mathias Reimer (49), Ricardo Coutinho (53), Erick Carpes (59), Lars Kunath (61), Lucas Stolf (65), Letícia Lira (71), Leonardo Caminha (76), Germano Santos (79), Gabriel Carvalho (80), Antonio Fonte (124), Pedro Amine (127), João Salles (143), Bernardo Bulcao (153), Anita Zirpoli (178), Pedro Madureira (186), Pedro Onias (194), Lucas Silveira (209) e Laercio Pachelli (221), completaram a delegação brasileira. Leticia Santos, do VD, em 75º, foi a representante brasileira na classe Optimist Principiantes.  Na classe Laser 4.7, Felipe Fonseca, do YCSA, ficou com a 11ª colocação, enquanto Cristine Reimer ficou em 20º.

Para ver o resultado completo, clique aqui.