Lars Grael e Samuel Gonçalves são campeões brasileiros de Star em Brasília

Terminou neste domingo no Iate Clube de Brasília o Brasileiro da classe Star. E mais uma vez a dupla Lars Grael e Samuel Gonçalves sagrou-se campeã. Os dois venceram cinco das seis regatas que disputaram e nem precisaram correr a última. Completaram o pódio Marcelo Bellotti e Maurício Bueno em segundo e Admar Gonzaga e Alexandre Freitas em terceiro.

O campeonato foi marcado por ventos fortes, que por vezes passaram dos 25 nós, algo que não é comum para o lago Paranoá, onde geralmente venta fraco.

“Foi um campeonato super disputado. Quatro dias de regatas e sete regatas realizadas. Estiveram presentes grandes nomes da classe Star como Alessandro Pascolato, que velejou com o Maguila, Reinaldo Conrad, Marcelo Fuchs dentre outros. O que mais nos espantou esse ano, e muitos velejadores nunca viram, foi excesso o de vento em  Brasília. Todos os quatro dias de regata a comissão subiu a bandeira Recom pela manhã, pois o vento estava acima dos 25 nós! Impressionante! Todos os dias! No segundo dia a Recom ficou no alto até as 15h quando realizados apenas uma regata.  Estamos contentes com o resultado, pois vemos que o nosso entrosamento melhora muito após a participação em um campeonato internacional. Viemos do Mundial, no qual fomos segundos colocados e, por conta disso, ficamos mais atentos a todos os detalhes do barco, regulagem, raia, etc. Outro exemplo disso foi a dupla que ficou em terceiro lugar geral. O Admar e o Xandi também participaram do Campeonato Mundial junto com a gente no início do mês, ficando em terceiro no Brasileiro. A dupla que ficou em segundo, não  participou do campeonato mundial, mas no último final de semana ganhou o campeonato que teve na Ilhabela. Isso demonstra que a prática e dedicação com a mesma dupla e na mesma classe trazem resultados!”, disse Samuel.

Confira o resultado completo aqui.

Lars Grael e Samuel Gonçalves são vice-campeões mundiais de Star

WhatsApp Image 2017-07-09 at 17.36.43.jpeg

Terminou no último sábado em Troense, na Dinamarca, o Mundial da classe Star. Neste último dia de competição cinco duplas poderiam vencer, incluindo Lars Grael e Samuel Gonçalves. Os brasileiros estavam garantindo a vitória até a última perna, quando o vento rondou e o bi-campeonato escapou por apenas dois pontos. “Infelizmente não deu. Lutamos até o final. Largada olímpica na boia. Estivemos em 1º ou 2º em todas 4 montagens de boia e éramos campeões provisórios em todas as montagens. O Norueguês seguia em 10º ou pior. No último contravento deu tudo pela direita e caímos pra 5º. Eles subiram pra 8º nesta rondada. Fomos vice por 2 pontos e no desempate do 3º e a 1 ponto do 4º. Que sufoco!!!”, disse Lars. Os campeões foram Eividin Meleby (NOR) e Joshua Revkin (EUA).

O evento começou com vento muito forte, com mais de dez barcos avariados no primeiro dia e vitória da dupla brasileira. Nos três últimos dias, no entanto, o vento diminuiu muito, dificultando a vida dos velejadores. Além de Lars e Samuca, representaram o Brasil Bruno Prada, que correu na proa do americano Augie Diaz, terminando em 7º, Arthur Lopes, que correu com um timoneiro finlandês, terminando em 14º e Admar Gonzada e Alexandre Freitas, que ficaram em 20º.

Vento fraco atrapalha brasileiros no Mundial de Star; Lars e Samuca seguem em segundo

WhatsApp Image 2017-07-06 at 06.43.54.jpeg

A quinta-feira foi completamente o oposto dos últimos dias no Mundial de Star, que está sendo disputado em Troense, na Dinamarca. Se as regatas estavam sendo cancelas por conta do vento que passava dos 25 nós, hoje ele apareceu bem fraquinho, dificultando a vida dos velejadores. Lars Grael e Samuel Gonçalves não velejaram tão bem e somaram um 14º lugar. Ainda assim a dupla segue na segunda colocação geral. Bruno Prada, que veleja na proa do americano Augie Diaz caiu para o sexto lugar na súmula e Arthur Lopes, que está na proa do sueco Tom Lohnedt, aparece em 17º.

O site do evento está fora do ar, mas, assim que voltar, postaremos a súmula completa.

 

Lars Grael e Samuca sobem para segundo no Mundial de Star

19679454_1089065144559304_2884476226970191021_o

Mais um dia difícil em Troense, na Dinamarca, onde está sendo disputado o Mundial de Star. Os brasileiros Lars Grael e Samuca Gonçalves conseguiram melhorar em relação ao último dia de regata e, com um terceiro e um segundo nesta quarta-feira, ocupam a segunda colocação geral da competição. Os líderes são os noruegueses Eividin Melleby e Joshua Kevin. Bruno Prada, que veleja na proa de Augie Diaz, aparece em quarto lugar geral, enquanto Admar Gonzaga e Xandi Freitas estão em 20º. Sessenta e nove duplas participam da competição.

Confira os resultados em: http://bit.ly/2sMRx5R

Foto: Anders Lund

Lars Grael e Samuel Gonçalves lideram o Mundial de Star na Dinamarca

19665650_1411535328896348_6355307672733718352_n.png

Começou neste domingo em Troense, na Dinamarca, o Mundial da classe Star. E o Brasil teve uma boa estreia com Lars Grael e Samuel Gonçalves (Marinha do Brasil) na primeira colocação. Apenas uma regata foi disputada até o momento, devido aos fortes ventos que sopram por lá. No domingo o vento passou dos 25 nós, em uma regata que durou mais de 2h30 e sete barcos acabaram quebrando o mastro e um foi parar nas pedras. Nesta segunda a única regata do dia foi cancelada. A previsão é que duas regatas sejam disputadas nesta terça. Além de Lars e Samuca, representam o Brasil Admar Gonzaga e Alexandre Freitas (26) e Bruno Prada, que veleja na proa do americano Augie Diaz (10).

Os resultados completos podem ser vistos aqui: http://bit.ly/2siU2wZ

Fabio Bruggioni e Marcelo Sansone vencem a 1ª etapa da Royal Pycetas Series na BL3

Terminou no último domingo na BL3 em Ilhabela a 1ª etapa da Royal Pyceta Series da classe Star. Oito tripulações participaram da competição, que teve oito regatas disputadas. Com dois pontos de vantagem a dupla Fabio Bruggioni e Marcelo Sansone levou a medalha dourada para casa. Em segundo lugar ficaram Marcelo Bellotti e Mauricio Bueno, seguidos por Victor Demaison e Tutu Lopes.

Confira a súmula completa aqui.

BL3 sedia Royal Pyceta Series da classe Star a partir do dia 26

15844393_1337545312953244_6958037017093507270_o.jpg

Entre os dias 26 e 29 de janeiro a BL3 será sede do Royal Pyceta Series – First Round 2017. Todos os velejadores da classe Star estão convidados a participarem do evento. As inscrições podem ser feitas na secretaria da BL3, na praia da Armação, em Ilhabela. Oito regatas estão programadas, sendo no máximo três por dia. Após as regatas haverá confraternização no bar do Dani.

Scheidt e Maguila conquistam o bronze na final da Star Sailors League

15259528_1189968167719733_5360260371216533583_o.jpg

Scheidt e Maguila venceram a regata das quartas de final, chegaram em segundo na semi e conquistaram o bronze na prova decisiva, garantindo assim, o pódio na Star Sailors League Finals (SSL) nas Bahamas. Mendelblat e Fatih (EUA) sagraram-se bicampeões (2014 e 2016), enquanto os franceses Rohart e Ponsot ficaram com a medalha de prata. As regatas deste sábado (3) foram disputadas com vento nordeste entre 12 e 14 nós na Baía de Montagu.

A eliminação de três tripulações a cada regata garantiu a emoção nas quartas de final e semifinal disputadas respectivamente por oito e seis barcos. A final reuniu quatro duplas: os vencedores da primeira fase, Negri e Lambertenghi (ITA), juntaram-se aos três primeiros da semifinal, os timoneiros Scheidt, Rohart e Mendelblat. Os italianos dominaram a fase de classificação e mais uma vez acabaram em quarto lugar, a exemplo de 2013 em Nassau e do SSL City Grand Slam de Hamburgo (ALE) deste ano. Continuar lendo “Scheidt e Maguila conquistam o bronze na final da Star Sailors League”

Scheidt e Maguila lideram a final da Star Sailors League

300849_663849_161130_nm_sslfinals_2223_web_

Robert Scheidt e Henry Boening lideram a fase de qualificação da SSL Finais 2016 depois de uma quarta-feira quase perfeita na Baía de Montagu nas Bahamas. Após seis regatas a dupla assume e primeira colocação à frente de Negri e Lambertenghi (ITA) e de Mendelblat e Fatih (EUA). Os brasileiros obtiveram um primeiro, um segundo e dois terceiros lugares entre 25 tripulações. Torben e Madá estão em 15º, enquanto Zarif e Prada ocupam a 16ª colocação. Depois das 11 regatas (um descarte), previstas até sexta-feira, dez barcos seguirão às quartas de final.

Apenas quatro pontos separam os três primeiros: 10, 12 e 14 pontos perdidos. Apesar do bom desempenho, Diego Negri e Sergio Lambertenghi caíram para o segundo lugar, ao mesmo tempo em que Mark Mendelblatt e Brian Fatih caíram para terceiro. Quatro regatas, sete horas de disputas intensas e o calor tropical do Caribe testaram a determinação física e mental das tripulações. Cinco entre as dez equipes mais bem classificadas são VIPs, ou seja, convidadas pela Star Sailors League.

O campeão da SSL Finals em 2014, Mark Mendelblatt retornou otimista ao Nassau Yacht Club. “Em apenas uma das regatas não chegamos entre os cinco primeiros. Foi um grande dia para nós, com uma brisa agradável para se velejar. Estamos navegando de forma conservadora administrando o caminho da classificação. Eu adoro esse formato, apesar de ser extremamente difícil correr quatro regatas no mesmo dia”.

Três equipes vips aparecem após os três primeiros colocados, embora 20 pontos atrás. Jonas Høgh-Christensen (DEN) e Stevie Milne (GBR) em quarto lugar, Facundo Olezza (ARG) e Federico Melo (POR) em quinto, e Tonci Stipanovic e Ante Sitic (CRO) na sexta posição. A ascensão dos croatas foi meteórica. Começando o dia na indesejada 21ª colocação, o medalhista de bronze na Laser nos Jogos Rio 2016, Stipanovic, orientou a equipe e obteve quatro resultados entre segundo e sétimo lugares.

Vela ao vivo na internet – As regatas desta quinta começam às 14h de Brasília, com transmissão ao vivo no finals.starsailors.com . A Comissão de Regatas irá optar por três ou quatro largadas. Mais cinco regatas estão previstas entre quinta e sexta-feira (1º e 02/12). Sábado é dia de decisão para dez barcos, com quartas de final, seminal e final em sequência. A premiação geral do campeonato é de 200 mil dólares.

A SSL Finals transmite as regatas ao vivo, na íntegra, pela Internet com comentários de especialistas e de convidados especiais, incluindo Dennis Conner, quatro vezes vencedor da America’s Cup. Na água, a mais recente tecnologia em câmera de alta definição, bem como o Virtual Eye 3D, garantem emoção e completa visualização da raia aos fãs da vela. Em 2015, as transmissões diretamente de Nassau atingiram 100 mil acessos de audiência.

Classificação após seis regatas (um descarte)

1. Scheidt/Maguila (BRA) – 10 pp
2. Negri/Lambertenghi (ITA) – 12 pontos perdidos
3. Mendelblat/Fatih (USA) – 14 pp
4. Christensen/Milrie (DEN) – 34 pp
5. Olezza/Melo (ARG/POR) – 35 pp
6. Stipanovic/Sitic (CRO) – 37 pp
7. Rohart/Ponsot (FRA) – 41 pp
8. Zbogar/Bercz (SLO) – 45 pp
9. Kuznierewicz/Zycki (POL) – 45 pp
10. Fantela/Arapovic (CRO) – 53 pp

Lars Grael e Samuel Gonçalves conquistam o Carioca de Star

Durante o feriado prolongado a Marina da Glória recebeu sua primeira competição pós Rio 2016. Dezoito barcos da classe Star disputaram o Campeonato Carioca, que teve seis regatas no total. Lars Grael e Samuel Gonçalves ficaram com o título, seguidos por Jorge Zarif e Bruno Prada, atual campeão mundial da classe. Completaram o pódio Alan Adler e Arthur Lopes.

Confira a súmula completa em: http://bit.ly/2gihw43

Histórico e Curiosidades do Campeonato Estadual RJ da Classe Star:

Continuar lendo “Lars Grael e Samuel Gonçalves conquistam o Carioca de Star”