Tripulação gaúcha é vice-campeã mundial da classe Soling

Mundial Soling final.jpg

A tripulação Equilibrium com Nelson Ilha, Manfredo Flöricke e Carlo De Leo terminou em segundo lugar no Mundial da classe Soling encerrado nesta sexta em Muiden, Holanda. O trio do Veleiros do Sul lutou pelo título mundial, mas não conseguiu superar os húngaros Farkas Litkey, Karoly Vezer e Gabor Oroszlan. O comandante Nelson Ilha comentou o resultado ao final do mundial.

“O vice-campeonato foi gratificante, apesar de não alcançarmos o título mundial. O fato de estarmos entre os top três nos últimos três anos, faz com que nos respeitem muito na classe Soling internacional. Isso é o reflexo da flotilha do Veleiros. Nosso objetivo foi parcialmente alcançado que era estar no pódio, mas seguimos buscando o título mundial”.

O outro time representante do VDS, o El Demolidor, com Kadu Berghental, Eduardo Cavalli e Renan Abraham terminou em 8º lugar. Comandante Kadu também falou sobre o desempenho da sua tripulação.

“Conseguimos melhorar nosso resultado com relação aos nossos últimos mundiais, semana com vento fracos e bem rondados, conseguimos ganhar uma regata durante o campeonato, que era um dos nossos objetivos”.

O Brasil ainda contou com uma terceira equipe, representante do Rio Grande Yacht Club, com Henrique Ilha, Fernando Ilha e Marcelo Azevedo que ficou em 11º. O Mundial teve a participação de 34 barcos de 13 países.

Bossa Nova é campeã brasileira de soling

IMG_0594.JPG

A equipe do barco Bossa Nova formada por George Nehm, Marcos Pintos Ribeiro e Alexandre Mueller venceu o Campeonato Brasileiro da classe Soling que encerrou neste domingo no Veleiros do Sul. Na vice colocação ficou o Don’t Let Me Down, de Cícero Hartmann, Flávio Quevedo e André Renard. E em terceiro lugar o Equilibrium, de Nelson Ilha, e os filhos Gustavo e Felipe.

Ao ter confirmado o título já na penúltima regata, o Bossa Nova voltou mais cedo para terra com a vitória antecipada. Depois de ter ficado em quarto lugar em 2016, o time do Bossa Nova fez nesse ano um campeonato sem chance para as outras equipes. Em cinco regatas eles venceram quatro e descartaram um segundo lugar. Veja a súmula final

“Foi uma soma de acertos essa conquista. Nós tivemos mais velocidade que nossos adversários durante as regatas, o barco estava bem ajustado e a nossa equipe é composta por velejadores de muita experiência. Velejar com o Caco e o Creusão é tranquilo”, comentou George Nehm, o Dodão. O líder do Don’t Let Me Down, de Cícero Hartmann elogiou a atuação dos campeões e destacou o timoneiro. “O velho Dodão está de volta”.

O Brasileiro de Soling teve seis regatas no total em três dias de competição com a participação de nove barcos. O vento no último dia foi de direção leste na intensidade média de 13 nós na raia de Ipanema no Guaíba. No final da tarde de domingo houve a entrega de prêmios na churrasqueira Vento Sul.

Gaúchos são vice-campeões mundiais de Soling

14292457_10154049444129895_2537845545976660663_n

O Mundial da classe Soling encerrou neste sábado em Kingston com a equipe Equilibrium do Veleiros do Sul formada Nelson Ilha, Manfredo Flöricke e Gustavo Ilha em segundo lugar. O título ficou com os velejadores locais, os canadenses William Abbott, Joanne Abbott e Scott McNeill. Esse foi o melhor resultado alcançado pelo comandante Nelson Ilha na sua décima participação em Mundiais da classe Soling.

A outra equipe brasileira presente no Canadá composta pelos irmãos Henrique, Fernando e Pedro Horn Ilha do Rio Grande Yacht Club, terminaram em 12º lugar na geral. A organização conseguiu terminar o campeonato com a disputa de nove regatas conforme o programa, depois de um dia sem vento. Veja a súmula final.

O Mundial de Soling foi realizado no Kingston Yacht Club no Canadá com a participação de 24 equipes de cinco países.

Don’t Let Me Down é campeão Sul-brasileiro da classe Soling em Porto Alegre

 

IMG_6783.JPG

A tripulação do Don’t Let Me Down com Cícero Hartmann, Flávio Quevedo e André Renard foi a vencedora do Campeonato Sul-brasileiro da classe Soling encerrado neste domingo (22) no Veleiros do Sul. Em segundo lugar ficou o El Demolidor com Kadu Bergenthal, Eduardo Cavalli e Renan Oliveira, e em terceiro o Coringa, de Lucas Ostergren, Beto Trein e Roger Lamb.

A melhor regularidade de resultados entre as sete equipes do campeonato fez o trio do Don’t Let Me Down ser campeão. Eles repetiram o segundo lugar nas quatro regatas disputadas na raia do Cristal no Guaíba, próximo ao Veleiros do Sul.

“Foi difícil para todas tripulações. Vento fraco no sábado e no domingo pegamos um buraco de vento na raia. Essa foi a primeira vez que ganhamos um campeonato com a mesma colocação em todas as regatas. Foi divertido e é legal velejar na frente do Clube”, disse Cícero Hartmann.

O Sul-brasileiro foi quase uma repetição de 2015, quando a equipe do El Demolidor foi a vencedora e Don’t Let Me Down a vice. Dessa vez se inverteram as posições. Foi igual somente para o Coringa que repetiu a terceira colocação.

No sábado apenas uma prova foi disputada devido à falta de vento e neste domingo os velejadores padeceram com o vento gelado que soprou de direção sul na intensidade média de 9 nós. No término do campeonato teve a premiação na churrasqueira Vento Sul com a presença da comodoria do VDS.

Fonte: VDS

Gaúchos do Don’t Let Me Down são tetracampeões Sul-americanos de Soling

IMG_5219

A equipe do barco Don’t Let Me Down, com Cícero Hartmann, Flávio Quevedo e André Renard, do Veleiros do Sul, venceu o Campeonato Sul-americano de Soling encerrado neste domingo em Porto Alegre. Pela diferença de apenas um ponto, a El Demolidor, de Kadu Bergenthal, Eduardo Cavalli e Renan Oliveira terminou em segundo lugar. Na terceira posição ficou a Equilibrium, de Nelson Ilha, Gustavo Ilha e Felipe Ilha.

O campeonato teve apenas quatro regatas realizadas no Guaíba, das nove previstas na programação. A falta de vento no sábado e um temporal com chuva e ventos fortes neste domingo impediram a disputa das demais regatas. Cícero Hartmann, líder do time Don’t Let Me Down, disse que eles estavam contentes pelo tetracampeonato (2010, 2014, 2015 e 2016), mas lamentaram pelas condições do tempo que atrapalharam o andamento do campeonato.

Os dois dias de regatas também não foram fáceis para os velejadores. O vento muito variado aumentou o grau de dificuldade para todos na raia. “Tínhamos plena confiança na CR, porque pela experiência do Odécio Adam, sabíamos que o melhor estava sendo feito”, comentou Cícero. A estratégia do time campeão iniciou bem antes com o acompanhamento das previsões meteorológicas.

“Nós fomos conscientes que seria fundamental começarmos bem no campeonato porque a chance de não sair nada no final era grande, o que acabou se confirmando. O El Demolidor é um forte adversário e, assim como a nossa tripulação, velejam juntos há alguns anos e isso também faz diferença nas regatas. Outro fator competitivo é termos uma flotilha muita parelha tecnicamente”, comentou Cícero.

O Sul-americano de Soling realizado pelo Veleiros do Sul teve a participação de 11 barcos do Brasil, Argentina e Estados Unidos.

Classificação até 5º lugar
1º Don’t Let Me Down – Cícero Hartmann, Flávio Quevedo e André Renard (VDS)
2º El Demolidor – Kadu Bergenthal, Eduardo Cavalli e Renan Oliveira (VDS)
3º Equilibrium – Nelson Ilha, Gustavo Ilha e Felipe Ilha (VDS)
4º Coringa – Lucas Ostergren, Carlos Trein e Roger Lamb (VDS)
5º Gustavo Thiesen, Alexandre Mueller e Carlo De Leo (VDS)

Por categorias

Campeão Classic: Coringa – Lucas Ostergren, Carlos Trein e Roger Lamb (VDS)
Campeão Master: Vento e Alma – José Horávio Ortega, Vilnei Goldmeier e Regis Silva (VDS)

Fonte: VDS

Equipe do Don’t Let Me Down começa na frente no Sul-americano de Soling

IMG_4677.JPG

O dia não foi dos melhores, mas permitiu a disputa da primeira regata do Campeonato Sul-americano da classe Soling que iniciou nesta quinta-feira no Veleiros do Sul. A programação prevista para iniciar às 13 horas sofreu atraso. No Guaíba teve vento forte, chuva e durante a regata a intensidade diminuiu variando de 5 a 8 nós. A tripulação do barco Don’t Let Me Down com Cícero Hartmann, Flávio Quevedo e André Renard, atual campeã sul-americana, começou velejando bem e cruzou a linha de chegada por primeira, seguida pelo El Demolidor, de Kadu Bergenthal, Eduardo Cavalli e Renan Oliveira. Os dois barcos tiveram uma disputa parelha no final da regata. E em terceiro a Equilibrium, de Nelson Ilha, Gustavo Ilha e Felipe Ilha.

As 11 tripulações do Brasil, Argentina e EUA tiveram que esperar em terra cerca de duas horas além do previsto para que até as condições do tempo melhorassem. A tarde começou com vento de até 37 nós e diminuiu de intensidade após a chegada de uma chuva passageira. Os barcos foram para raia e a CR largou a primeira regata. No entanto, o vento rondou bastante de noroeste para oeste deixando mais sofrida a regata para os velejadores.

O Sul-americano continua com a previsão de três regatas para esta sexta-feira a partir das 13 horas. A final será no domingo.

Fonte: VDS

Veleiros do Sul sedia Sul-Americano de Soling

SuLAchamada

A classe Soling reunirá brasileiros e argentinos no Campeonato Sul-americano que começará no dia 21 (feriado) e seguirá até domingo (24) no Veleiros do Sul. O programa da competição prevê a realização de 9 regatas e um descarte. As largadas serão a partir das 13 horas.

Confira o AR clicando aqui.

Confira a lista parcial de inscritos clicando aqui.