Camiranga é fita-azul da Santos – Rio

22814355_827433884104318_2592198977205202812_n

O veleiro Camiranga (Soto 65) mais uma vez conquistou a fita-azul da regata Santos – Rio. Foram necessárias 24h 57 minutos e 9 segundos para que a equipe de Eduardo Plass completasse o percurso e levasse também o título na classe ORC.

“Foi uma regata um pouco difícil, com as condições mudando bastante. Até Ilhabela o vento foi bastante instável, com algumas variações. Sempre conseguimos avançar um pouco mais que a flotilha, o que nos deu bons ganhos. De Ilhabela para frente conectamos em um vento e conseguimos ganhar bastante terreno com relação à flotilha. Chegamos no Rio no amanhecer e conseguimos aproveitar o terral, até cruzar a linha de chegada, perto do meio dia. O barco aguentou bem, fizemos um contravento duro, chegando a pegar 25-26 nós, em um contra-vento de um bordo só. Agora vamos focar no Circuito Rio, que vamos navegar com o Crioula (S40)”, disse Samuel Albrecht, skipper do barco.

Na classe IRC o vencedor foi o Cherne, enquanto na RGS o título ficou com o Grug.

Confira abaixo os resultados:

ORC
IRC
RGS

Foto: Geison Mendes/Instagram

 

Tira-teima: o que pode na VOR que não pode na Santos – Rio?

No dia 28 de outubro de 2017, além da chegada da primeira perna da Volvo, chegou a nossa tradicional regata Santos-Rio. Vendo as imagens da Volvo, é possível ver várias coisas que são proibidas pelas regras de regata, mas permitidas Volvo Ocean Race.

Você sabe o que é permitido na Volvo, mas não é permitido na Santos-Rio? Confira!

Mais um artigo da coluna Tira- Teima em conjunto com Ricardo Lobato, o Blu, do site regras.com.br.

1. Suspender a regata. É como “pedir altos” no pique pega. O barco com a regata suspensa, depois de informar o comando da regata, pode ligar o motor, atracar e içar o barco. Antes de voltar a regata, deve retomar exatamente ao ponto onde a regata foi suspensa. Se a parada for antes das 12 primeiras horas, o barco não pode retomar a regata em menos de 2 horas. Depois de 12 horas de regata a suspensão deve durar ao menos 12 horas. Próximo a chegada ou na última perna, não é permitido suspender a regata.

2. Uso de outriggers. Conhecidas como “muleta”, elas não podem ser usadas se passarem para fora da borda do barco nas regatas normais (regra 50.3). Mas na Volvo, as muletas são permitidas, desde que colocadas num ponto específico na popa para ajudar a dar ponto nas velas code 0.


As muletas para fora do barco a sotavento não são permitidas nas regatas, somente o pau de spi, mas sempre para barlavento.
Foto: Ainhonha Sanchez / Volvo Ocean Race

3. Lastro móvel. A regra 51 é alterada na Volvo para permitir a movimentação do equipamento não lacrado para melhorar a estabilidade do barco. Na Santos-Rio, por exemplo, não é permitido movimentar as velas não utilizadas para barlavento do barco. Esta manobra é conhecida na gíria da Volvo como sail stack. É umas das tarefas mais desgastantes da regata e as mulheres não são dispensadas desta função. O Volvo 65 também tem dois tanques de agua (um na frente e outro atrás) que podem ser utilizados para equilibrar o barco.


Mulheres do Akzo Nobel fazendo força para posicionar as velas a barlavento!
Foto: Conrad Frost / Volvo Ocean Race

4. Abandonar o barco. Calma! Ninguém será deixado para trás. A regra 47.2 é alterada para permitir que os convidados (também conhecido como “jumpers”) possam saltar do barco um pouco depois da largada. Mas, tanto na Santos- Rio quanto na Volvo, não é permitido deixar nenhum tripulante para trás. Mesmo em situações extremas, onde é difícil resgatar alguém com vida, não vale falar coisas do tipo “ele preferiria que continuássemos a regata!”. Nunca um barco pode seguir a regata sem um de seus tripulantes.


Foto: @Turn the tide on Plastic

5. Lixo na água. Esta parece até piada, mas a regra 55 é alterada na Volvo para permitir que as lanzinhas que amarram o balão para facilitar a sua subida possam cair na água. Restos de comida também podem ser jogados no mar. Quero saber se o barco ecológicoTurn the Plastic On está jogando os elásticos e lanzinhas no oceano!

Será que algumas destas inovações não seriam também bem-vindas nas nossas regatas oceânicas como Recife-Fernando de Noronha ou Santos-Rio?

Regata Santos Rio larga nesta sexta em Santos

324711_742997__w2a6540_web_

Em 4 de janeiro de 1947, foi disputada a primeira regata Buenos Aires-Rio, uma promoção conjunta do Yacht Club Argentino e do Iate Clube do Rio de Janeiro, representado por José Candido Pimentel Duarte. Quatro anos depois, surgia a Regata Santos-Rio, uma realização conjunta do Iate Clube de Santos e do Iate Clube do Rio de Janeiro. A proximidade das datas não era coincidência.

Para muitos os que viveram a vela no período, a regata nacional tinha como principal objetivo “treinar” as tripulações para enfrentar a competição mais importante. Não é de admirar, portanto, que os vencedores das primeiras Santos-Rio tenham sido exatamente os veleiros da Classe Brasil, encomendados por Pimentel Duarte à americana Sparkman & Stephens, para “derrotar os argentinos”. É claro que logo em seguida a regata adquiriu importância própria. Continuar lendo “Regata Santos Rio larga nesta sexta em Santos”

Primeiros resultados da Regata Santos – Rio já estão no ar

A edição 2016 da tradicional regata Santos – Rio não foi fácil. Ventos fortes, vindo de proa, e mar revolto fizeram parte do cenário encontrado pelos 24 veleiros que partiram do litoral paulista no último domingo. Pelo segundo ano consecutivo o fita-azul, primeiro barco a cruzar a linha de chegada, foi o gaúcho Camiranga. O time liderado por Eduardo Plass levou 28 horas, 14 minutos e 51 segundos para completar o percurso de pouco mais de 200 milhas.

A quantidade de barcos que desistiu foi maior do que a quantidade que concluiu a prova, porém a disputa entre os que chegaram ao Rio de Janeiro foi acirradíssima, com apenas 30 segundos de diferença entre o Ventaneiro (Dufour 500) e o Maximus (IMX45) e apenas 11 minutos entre o Itajaí Sailing Team e Vesper IV, dois barcos da classe S40.

A ordem de chegada até o momento é a seguinte:

Camiranga
Itajaí
Vesper
Maximus
Ventaneiro
Saravah
Rudá

Ainda estão em regata:

Dona Bola
Maestrale
My boy

Desistiram:

Jacaré
Avanti
BL3 Urca
Born Free
Crystal
Grug
H2Orça
Inaê Transbrasa
Iron Maiden
Jacaré II
Katana
Lady Milla
Miragem
Nativo
Sessentão
Sexta-feira

Confira os resultados parciais até o momento:

ORC
IRC
RGS
Bico de Proa

Novidade no acompanhamento da regata:
A ABVO, em parceria com a empresa Spotwalla, disponibilizou o acompanhamento dos barcos pela web em tempo real. Com isto foi possível torcer, além de tornar a competição mais segura, uma vez que a organização acompanhou cada passo de todos os barcos que possuíam o Spot (aparelho de localização). Durante os três dias de regata mais de 1600 acessos foram feitos no site oficial de países como Brasil, Portugal e Estados Unidos.

Camiranga é fita-azul da Regata Santos – Rio; mais da metade da flotilha desiste

O Camiranga, um Soto 65 comandado por Eduardo Plass, foi o fita-azul da Regata Santos – Rio. A equipe cruzou a linha de chegada pouco depois das 16h desta segunda-feira. Dos 25 veleiros que largaram, até a tarde desta segunda-feira apenas 11 ainda continuavam na competição. As duras condições de mar e vento obrigaram mais da metade dos barcos a parar em Ilhabela ou a retornar para Santos.

O veleiro Inaê Transbrasa foi um dos que desistiu e o Notícias Náuticas conversou com o comandante Paulo Neto pouco antes de eles partirem de Ilhabela rumo ao Rio de Janeiro no motor.

 

Camiranga lidera Regata Santos Rio

santos rio mapa.jpg

A tradicional Regata Santos Rio largou neste domingo de Santos com ventos fortes e mar agitado. Até a manhã desta segunda-feira, ao menos seis barcos haviam desistido da competição por problemas no equipamento ou com a tripulação. O líder absoluto, desde o início, é o gaúcho Camiranga, que tem o velejador olímpico Samuel Albrecht no comando.

A regata tem 220 milhas náuticas e está na sua 66ª edição. O recorde atual pertence ao Camiranga e foi quebrado ano passado, quando o time completou a prova em 18h9min3seg.

Para acompanhar a competição em tempo real, acesse o link

Lista de inscritos:

BARCO CLASSE NUMERAL MODELO
854 JACARÉ mini – transat / BP Mini Transat
AVANTI IRC 2062 Carabelli 32
BL3 URCA IRC 2482 Wind 34
BORN FREE BP 3504 Paterson 36
CAMIRANGA ORC 2484 Soto 65
DONA BOLA RGS 2600 Benetteau Oceanis 41
GRUG RGS 1170 Brasilia 32
INAE TRANSBRASA RGS 2442 Jeanneau 50DS Perf
IRON MAIDEN RGS 2819 Romanee 34
ITAJAI SAILING TEAM ORC 2433 Soto 40
JACARÉ BP Delta 41
KATANA ORC 2756 C30
LADY MILLA ORC 2401 Skipper 30
MAESTRALLE ORC 2405 Skipper 30
MAXIMUS ORC 2165 IMX 45
MIRAGEM ORC 2305 BB 40
MY BOY RGS 1995 Multimar 32
NATIVO RGS 2561 Skipper 31
RUDÁ IRC 2490 First 40
SARAVAH IRC 2275 Carabelli 54
SESSENTÃO RGS 2356 Nacira 60
SEXTA FEIRA ORC 2130 Benetteau 40.7
VENTANEIRO 3 IRC 2505 Dufour 500
VESPER ORC 2447 Soto 40