Cabanga faz balanço e divulga resultados da REFENO

O Cabanga Iate Clube de Pernambuco apresentou, na manhã da última quarta-feira (04), no Cine Mabya, em Fernando de Noronha, o balanço da 29ª edição da Regata Internacional Recife – Fernando de Noronha.

Ao todo, 47 embarcações participaram da edição 2017 da Regata. A Refeno reuniu 353 tripulantes de 11 estados do Brasil e dois países – Argentina e Reino Unido. Pernambuco foi o estado com o maior número de participantes este ano, com 14 barcos inscritos. O Rio de Janeiro ficou logo atrás, com 10, seguido pela Bahia, com 7 barcos. Completam a lista São Paulo (4), Argentina (2), Alagoas (2), Rio Grande do Sul (2), Distrito Federal (1), Sergipe (1), Paraná (1), Rio Grande do Norte (1), Santa Catarina (1) e Reino Unido (1).

“Tivemos uma regata excelente. Um mar tranquilo. Tivemos um fato extremamente positivo que todas as embarcações que saíram do Recife chegaram a Fernando de Noronha. Tivemos só três problemas durante o percurso. Mas foram problemas solucionados no próprio barco, pela tripulação, e todos chegaram a Ilha. Então, este é um fato extremamente positivo nesta 29ª Refeno”, comemorou Sérgio Avellar, diretor de Vela do Cabanga.

Administrador da Ilha de Fernando de Noronha, Luís Eduardo Antunes não escondeu a alegria em receber a Refeno no arquipélago. “Para Noronha é uma enorme satisfação receber a Refeno e participar como apoiadora deste evento internacional. Temos o maior prazer em estar ajudando e patrocinando o Cabanga na realização deste evento”, disse.

O Comodoro do clube, Jaime Monteiro Jr., destacou a importância da festa ser realizada de velejador para velejador e agradeceu o apoio da Marinha e da Administração da Ilha na realização de mais uma edição da maior regata oceânica do Brasil. “É uma alegria saber que estamos trazendo mais gente à Ilha, o que é bastante positivo para Noronha. Ano passado tivemos algo em torno de 300 tripulantes, e este ano chegamos próximo dos 370 velejadores na regata”, complementou.

Este ano, a embarcação Camiranga, do Rio Grande do Sul, escreveu, mais uma vez, o seu nome na história da Regata Internacional Recife- Fernando de Noronha (Refeno). No último domingo (1º de outubro), o veleiro conquistou o Troféu Fita Azul pelo quarto ano consecutivo, com direito a quebra do próprio recorde entre os barcos monocascos. Do Marco Zero do Recife até a praia do Boldró, o barco comandado por Samuel Albrecht completou a travessia de 292 milhas náuticas (545 quilômetros) em 19h03min18s.

Para ver os resultados completos, por categoria, clique aqui.

Camiranga quebra mais uma vez o recorde da REFENO

A embarcação Camiranga escreveu, mais uma vez, o seu nome na historia da Regata Internacional Recife/Fernando de Noronha (Refeno). Neste domingo (1º de outubro), o veleiro do Rio Grande do Sul conquistou o Troféu Fita Azul da Refeno pelo quarto ano consecutivo, com direito a quebra do próprio recorde entre os barcos monocasco. Do Marco Zero do Recife até a praia do Boldró, o barco comandado por Samuel Albrecht completou a travessia de 292 milhas náuticas  em 19h03min18s.

Assim como previsto, o barco do Rio Grande do Sul liderou a prova de ponta a ponta. A travessia até Noronha foi com ventos variando de 15 a 20 nós e ondas de até 2,5 metros. O Patoruzu,  embarcação que compete na classe Mocra, encerrou o percurso entre o Marco Zero do Recife até a Praia de Boldró, em Noronha, em 25h45min05s e foi o segundo barco a cruzar a linha e primeiro da classe MOCRA. Comandado por Higinio Luis Marinsalta, o trimarã repetiu a colocação de 2015, mas concluiu o percurso em um tempo bem menor, já que quando foi segundo lugar geral da prova, naquela ocasião, o período de travessia durou 29h0min25s. Continuar lendo “Camiranga quebra mais uma vez o recorde da REFENO”

Recordista, Camiranga confirma participação na REFENO 2017

Camiranga-Foto-Veleiros-do-Sul

A embarcação Camiranga, grande recordista da Regata Internacional Recife/Fernando de Noronha entre os monocascos, confirmou presença em mais um ano da Refeno. A embarcação gaúcha realizou sua inscrição nesta quinta-feira (14 de setembro), e estará presente na 29ª edição do evento, marcada para o próximo dia 30 de setembro.

Dono do troféu Fita Azul nos três últimos anos, os velejadores do Rio Grande do Sul vêm de uma crescente impressionante na competição. Anteriormente, o recorde de chegada em Fernando de Noronha após a largada no Recife protagonizada pelo barco era de 21 horas. Após concluírem o percurso em 20 horas em 2015, no ano passado, a embarcação foi ainda mais veloz, encerrando a travessia em apenas 19h56min40s.

Na edição 2017 da Refeno, que terá sua largada dada no dia 30 de setembro, ao meio dia, no Marco Zero do Recife, a Camiranga estará mais uma vez brigando pela quebra de recorde e por mais um troféu para a coleção já recheada dos gaúchos. Eles serão os principais adversários do barco pernambucano Patoruzú, que este ano está ainda mais equipado e preparado para brigar diretamente pelo título da regata. Os velejadores prometem uma disputa emblemática até a Ilha.

Os interessados em participar da Regta Internacional Recife/Fernando de Noronha terão até o dia 28 de setembro para realizar o cadastro através do site www.refeno.com.br. Estão aptas para participar as embarcações das classes ORC, RGS, Mocra, Multicasco, Catamarã, Multicasco Trimarã, Aço, Bico-de-Proa, Aberta e Turismo.

Barco Talismann é o primeiro a chegar para a Refeno

Refeno Elvis Boaventura

Faltando exatamente um mês para a 29ª edição da Regata Internacional Recife – Fernando de Noronha, marcada para o dia 30 de setembro, com largada no Marco Zero do Recife, a primeira embarcação já chegou ao Cabanga Iate Clube de Pernambuco.

O barco Talismann, do modelo Jeanneau 42 DS, veio de Alagoas e é comandado por Antônio Carlos Kotovicz. A tripulação é composta por Antônio Fernando M. B. Costa, Luiz Phillipe Malta Buyers e Marcel Pontes de Miranda.

No ano passado, velejando pela Classe RGS B, a embarcação alagoana, que já participou mais de 20 vezes da Refeno, foi a segunda colocada, chegando ao Arquipélago de Fernando de Noronha em 37h53min29s.

Até o momento, a Refeno, conhecida como a maior regata oceânica do Brasil, conta com 42 barcos inscritos e mais 19 pré-inscritos. Pernambuco é o Estado, até agora, com o maior número de embarcações, sendo 14 barcos, seguido de perto pelo Rio de Janeiro, que até o momento conta com 13.

As inscrições para a 29ª Refeno seguem abertas e podem ser feitas através do sitewww.refeno.com.br. Estão aptas para participar da Regata Recife – Fernando de Noronha as embarcações das classes ORC, RGS, Mocra, Multucasco, Catamarã, Multicasco Trimarã, Aço, Bico-de-Proa, Aberta e Turismo.

A Refeno 2017 conta com o patrocínio da Empetur, além dos apoios da Administração de Fernando de Noronha, Prefeitura do Recife, Capitania dos Portos de Pernambuco, 3º Distrito Naval, Parque Marinho de Fernando de Noronha, ICMBio, Armazéns do Porto, Porto Novo, Spot, Agemar e Hotel Luzeiros.

Fundador da Refeno, Maurício Castro vira troféu transitório

mauricio castro refeno

A partir deste ano, o idealizador da Regata Internacional Recife – Fernando de Noronha Maurício Castro passa a ter seu nome como um dos troféus da competição. A decisão da criação, que será uma das principais premiações da disputa, foi tomada através de uma parceria da Associação Brasileira de Velejadores de Cruzeiro (ABVC) com o Cabanga Iate Clube de Pernambuco.

Maurício Castro acabou virando um ícone da modalidade na Região após a criação da Refeno. A ideia surgiu após o, até então, diretor de Vela do Cabanga, montar uma tripulação para ver se era possível chegar a Fernando de Noronha a vela em um 24 pés.

A tripulação, batizada de “Pé na Cova”, chegou ao Arquipélago após uma semana de mar. Passada a experiência, Maurício decidiu juntar o maior número possível de embarcações e, a partir daí, ‘deu vida’ a Refeno.

Dada a necessidade de homenagear uma figura tão importante para a competição – assim como o Troféu Fita Azul, Tartaruga Marinha, Barco Feminino, entre outros – a ideia é entregar o “Troféu Maurício Castro” ao primeiro veleiro oriundo do Cruzeiro Costa Leste, independente da classe ou característica de casco, que chegue a Fernando de Noronha competindo pela Refeno. Vale lembrar que o troféu será rotativo.

Cabanga inicia inscrições para 29ª edição da Refeno

Refeno

O Cabanga Iate Clube de Pernambuco iniciou, nesta segunda-feira (24 de abril), as inscrições para a 29ª edição da Regata Internacional Recife-Fernando de Noronha 2017 marcada para o dia 30 de setembro.

Os velejadores terão até o dia 28 de setembro para confirmar participação através do site www.refeno.com.br. Estão aptas para participar da Refeno as embarcações das classes ORC, RGS, Mocra, Multicasco, Catamarã, Multicasco Trimarã, Aço, Bico-de-Proa, Aberta e Turismo. Continuar lendo “Cabanga inicia inscrições para 29ª edição da Refeno”

Cabanga divulga resultado final da REFENO

O Cabanga Iate Clube de Pernambuco divulgou, nesta quarta-feira (28), o resultado final das 14 classes participantes da edição 2016 da Regata Internacional Recife/Fernando de Noronha. “A Refeno, mais uma vez, cumpriu com o seu objetivo”. Foram essas as palavras que o comodoro do Cabanga Iate Clube de Pernambuco, Jaime Monteiro Jr., avaliou como positiva a 28ª edição da Regata Internacional Recife/Fernando de Noronha, realizada de 24 a 28 de setembro. Durante a coletiva de Imprensa, no Museu do Tubarão, o comodoro do Cabanga elogiou a integração dos participantes.

“Uma festa da vela brasileira. Uma confraternização dos velejadores. É com esse propósito que organizamos todos os anos da Refeno, considerada hoje uma das cinco maiores regatas oceânicas do Brasil e da América do Sul. Mais do que uma simples Regata, a Refeno é a grande vitrine do nosso clube”, disse o comodoro.

O Capitão dos Portos de Pernambuco, Petrile, afirmou que não foi contabilizado nenhum incidente grave na Refeno deste ano. “Não tivemos alteração e ocorrência. A Marinha do Brasil aproveita essas oportunidades para mostrar a todos a importância do mar e da salvaguarda da vida humana”, explicou o capitão de mar e guerra da Marinha do Brasil.

 Para Sérgio Avellar, diretor de Vela do Cabanga, a edição 2016 foi bastante tranquila, sem nenhuma alteração e ocorrência e que o próximo passo é iniciar as discussões para a e Refeno 2017 “A partir de agora iniciaremos os preparativos para a organização da Refeno 2017, que será realizada dia 30 de setembro de 2017. Agradecemos a todos a acolhida dos velejadores aqui na Ilha”, disse Avellar.
O Superintendente de Finanças e Tecnologia da Ilha de Fernando de Noronha, Rodrigo Valença, que representou Luis Eduardo Antunes, administrador do Arquipélago, informou que durante o período da Refeno houve um aumento de 30% de visitantes na Ilha. Atrelado à isso, temos que ressaltar o incremento financeiro que a Regata proporciona para o comércio da Ilha”, disse Rodrigo Valença. “Não podemos deixar de agradecer ao Cabanga por toda ajuda social à nossa escola, o Centro de Integração de Educação Infantil Bem-Me-Quer. Somos muito gratos ao Cabanga e a Refeno”, complementou o superintendente.
A embarcação Camiranga, do Rio Grande do Sul, conquistou o Troféu Fita Azul da edição 2016. O veleiro garantiu o título geral pelo terceiro ano consecutivo. A embarcação pernambucana Jahú 2 e o Parati 2, do Rio de Janeiro, ficaram na segunda e terceira colocação geral respectivamente.

Itajaí Sailing Team vence a REFENO na RGS

IMG_2555.jpg

Para a equipe do Itajaí Sailing Team – time de vela que representa a cidade em competições oficiais – a Regata Internacional Recife-Noronha (Rereno) 2016, não poderia ter melhor resultado. A equipe comandada pelo velejador Marcelo Gusmão e pelo coordenador do projeto, Gastão Furlin Filho, foi a primeira a cruzar a linha de chegada na classe RGS na madrugada do dia 26 de setembro e vencedor no tempo corrigido, cumprindo o percurso de 292 milhas náuticas em 33h23min31s. A equipe também distribuirá nesta terça, dia 29, kits escolares em uma ação social em escola pública de Fernando de Noronha.

Para Marcelo Gusmão, a regata foi muito boa, com ventos constantes entre 15 e 18 nós e mar em boas condições, o que favoreceu o desempenho do veleiro Moleque. “Quero agradecer a organização da prova e o empenho da tripulação que foi incansável”, acrescenta Gusmão. Criada em 1986, a Refeno é considerada a primeira regata oceânica do País.

Cinquenta e duas embarcações de 11 estados do Brasil e de três países partiram no último sábado do Marco Zero do Recife, em Pernambuco, com destino a Fernando de Noronha. O percurso total é de 292 milhas náuticas, o equivalente a 545 quilômetros de distância. O atual recorde geral da Refeno é do veleiro Adrenalina Pura, da Bahia, com a marca de 14h34min54, em 2007. O Itajaí Sailing Team tem o patrocínio da APM Terminals Itajaí, Multilog, JBS, Brasfrigo, e Poly Terminais, e apoio da Anasol,  Molim e Clindex.

Com novo recorde, Camiranga é fita-azul da REFENO mais uma vez

Camiranga - Xirumba.JPG

Deu, mais uma vez, o Camiranga. A embarcação do Rio Grande do Sul conquistou, neste domingo (25), o Troféu Fita Azul da 28ª edição da Regata Recife/Fernando de Noronha. O veleiro cruzou a boia de chegada, na praia do Boldró, no Arquipélago, com o tempo de 19h56min40, quebrando o recorde entre os barcos monocasco da regata, que já era seu desde 2015, quando completou a travessia entre Recife/Noronha, 545 quilômetros, com o tempo de 20h26min37.

“Foi uma boa regata, a tripulação velejou forte sempre buscando melhorar nosso tempo. Fizemos manobras boas e o barco sempre esteve trabalhando perto do seu máximo”, comemorou o comandante do Camiranga, Samuel Albrecht.

O desempenho da embarcação pertencente ao Veleiros do Sul/RS, vem chamando atenção nos últimos três anos. Em 2014, o barco, um Soto 65, com 20 metros de cumprimento, completou a travessia em 22h40min43. No ano seguinte, baixou o tempo em duas horas, fechando em 20h26min37. Agora, em 2016, diminuiu para 19h56min40.

Agora, após a premiação em Fernando de Noronha, marcada para a próxima quarta-feira (28), no Museu do Tubarão, o Camiranga retorna para o Rio de Janeiro onde disputará no final de outubro a regata Santos/Rio.“Desde o início nosso objetivo era melhorar o tempo. As condições da regata não foi a melhor para se fazer um tempo ideal. A cada ano que passa a gente vai aprendendo a velejar um pouco mais com o barco. Essa regata mostrou que a gente teve uma pequena evolução em relação aos últimos dois anos”, complementou Samuel Albrecht, que acredita no título da categoria, ORC, no tempo corrigido.

PERNAMBUCO

A boa notícia para Pernambuco foi a chegada, em segundo lugar, da embarcação Jahú 2, do comandante Luis Moriel. O barco realizou a travessia das 292 milhas náuticas em 24h52min13. O veleiro conseguiu diminuir seu tempo em relação a sua primeira participação na Refeno, em 2014, em quase dez horas.

O Jahú 2, catamarã Manelis de 40 pés, com 12 metros de cumprimento que compete na classe Mocra, contou com oito tripulantes. “Viemos com o intuito de chegar a Ilha. Não tínhamos e não viemos com a intenção de ganhar do Camiranga. Para o Jahú 2 foi uma conquista muito grande ter terminado a Refeno 2016 na segunda colocação geral com o tempo na casa das 24 horas”, comemorou Moriel.

Em 2014, na primeira participação do Jahú 2, a embarcação concluiu o trejeto entre Recife e Fernando de Noronha em 35h22min36. “Baixamos o nosso tempo em mais de dez horas. Isso é uma grande conquista”, lembrou o comandante.

“A conquista superou nossas expectativas. A regata foi muito boa, ventos constantes, entre 15 e 18 nós, mar relativamente tranquilo, ondas pequenas e para o barco isso favoreceu muito. Conseguimos ganhar altura para chegar a Noronha andando bem. A tripulação está de parabéns. Todos amigos e família”, finalizou Moriel.

PROBLEMAS

Segundo a Comissão de Regata da Refeno 2016, até o momento duas embarcações tiveram problemas e tiveram que abandonar a competição. O trimarã Travessia, da Paraíba, quebrou o mastro e teve que ser rebocado para Natal. O veleiro Avoador, de Pernambuco, quebrou o leme e retornou para o Cabanga Iate Clube de Pernambuco.

REFENO 2016

Cinquenta e duas embarcações de 11 estados do Brasil e de três países partiram no último sábado (25) do Marco Zero do Recife com destino a Fernando de Noronha. O percurso total é de 292 milhas náuticas, o equivalente a 545 quilômetros de distância. O atual recorde geral da Refeno é do veleiro Adrenalina Pura, da Bahia, com a marca de 14h34min54 em 2007.

 

Amyr Klink confirma participação na REFENO

AMYR KLINK1.jpg
O renomado velejador Amyr Khan Klink, 61 anos, confirmou sua participação na 28° edição da Refeno, com partida marcada para o dia 24 de setembro, a bordo da embarcação Paratii 2, de 96 pés. Conhecido por sua originalidade no design, o veleiro pesa entre 75 toneladas a 110 toneladas (cheio). Nenhum peso na embarcação é “morto”, ou seja, não há chumbo para o seu equilíbrio e nenhum tipo de cabo. A estabilidade fica por conta dos dois mastros de fibra de carbono e da hidrodinâmica do casco, que é como o resto do barco que é de alumínio.

A estrutura do Paratii 2 foi feita com alumínio aeronáutico, enquanto a área externa do barco leva um alumínio naval especialmente desenvolvido para a embarcação, bem como a solda. Essa liga leva magnésio na composição. Isso o protege da corrosão e dispensa pintura, evitando, portanto, a poluição do mar.

Além de velejar, em seu currículo, Amyr Klink carrega a realização de mais de 2,5 mil palestras no Brasil e no exterior e tem mais de 30 anos de experiência neste setor. Em suas palestras, alguns assuntos abordados são inovação, liderança, motivação, criatividade e estratégia.

Além disso, Klink é autor de cinco livros. O primeiro deles, lançado em 1985, é denominado de “Cem dias entre Céu e Mar”. Parati entre dois pólos (1992); As Janelas do Paratii (1993); Mar Sem Fim (2000); e Linha D’Água (2006), completam as publicações de sua autoria.

REFENO 2016

Este ano, a Refeno chegará a sua 28ª edição. A partida do Recife até o paradisíaco Arquipélago de Fernando de Noronha será dia 24 de setembro, do Marco Zero. Até o momento, 49 embarcações estão confirmadas na prova. A inscrição pode ser realizada clicando aqui.