Patrícia Freitas relata experiência na raia olímpica de 2020

Patricia Freitas foi a primeira velejadora do Brasil a competir na raia olímpica de 2020. Ela esteve no Japão onde disputou o Mundial de RS:X entre os dias 16 e 23 deste mês. Depois de dez regatas em meio a muita onda por conta de um terremoto, ela ficou com a 22ª colocação e fez um relato da experiência em seu blog pessoal. A campeã foi a chinesa Peina Chen. Confira os resultados aqui: http://bit.ly/2xwkskS

Confira o relato da Patricia que foi postado no blog dela: http://bit.ly/2yHuSMj

O Japão é um país pequeno. Deve servir de pré-requisito para tudo que nele existe.

As pessoas, os quartos, os banheiros, as porções de comida são pequenas. As mesas, cadeiras e degraus são baixos. O espaço designado para cada passageiro nos bancos longitudinais do bonde são microscópicos. Claro que no caso do bonde há uma grande vantagem pois no ombro do estranho encontra-se o aconchego de uma breve cochilada. Os gestos são reservados, o contato humano é restrito. Deve ser o único lugar do mundo onde o pudor do olhar vence a curiosidade. Existe um embaraço da parte das mulheres no que diz respeito à quantidade de pele à mostra. Não estou em Tóquio, pode ser que lá seja diferente. Por trás desse embaraço porém o desejo da provocação sobrevive, derivando soluções estranhas como blusinhas decotadas usadas sobre camisetas de manga comprida. Parece que o monstro da padronização fashion europeia se adaptou para sobreviver no Japão, trocou o sex-appeal escancarado por um faz de conta que não ofende a ninguém. Continuar lendo “Patrícia Freitas relata experiência na raia olímpica de 2020”

RS:X: Patricia Freitas é 5ª no Evento Teste do Mundial de Classes Olímpicas

Patrícia Freitas_Crédito Jesus Renedo_Sailing Energy_Aarhus Sailing Week

O ano de 2017 tem sido de resultados muito consistentes para a velejadora Patrícia Freitas da classe RS:X Feminina. E o mais recente veio neste sábado, dia 12, com a quarta colocação na Semana de Aarhus, na Dinamarca, que serviu como evento-teste para o Campeonato Mundial de Classes Olímpicas de 2018. Em três competições do circuito da World Sailing (Federação Internacional de Vela) nesta temporada, a brasileira obteve três resultados de top 5.

“Foi uma semana de condições variadas. Esse campeonato foi um teste para o Mundial que acontecerá aqui no ano que vem, até lá eu subo mais um pouco”, afirmou Patrícia.

A velejadora brasileira terminou a Semana de Aarhus com 53 pontos perdidos, empatada com a italiana Flavia Tartaglini, que conquistou o bronze por ter vencido neste sábado a regata de medalha, que era critério de desempate. Patrícia acabou na quarta posição na regata decisiva e ficou apenas um ponto atrás de outra italiana, Marta Maggetti, que levou a prata (52 p.p.). O ouro foi para a holandesa Lilian de Geus (19 pontos perdidos).

Este ano, Patrícia Freitas competiu três vezes em competições da World Sailing, sempre ficando no top 5:

  1. Copa do Mundo de Hyères (França): 5° lugar
  2. Final da Copa do Mundo em Santander (Espanha): medalha de ouro
  3. Evento-Teste do Mundial de Aarhus: 4° lugar

O próximo compromisso na agenda é o Campeonato Mundial de RS:X, marcado para começar no dia 16 de setembro. A competição vai ter um sabor de prévia dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, já que será realizada em Enoshima, a sede das regatas olímpicas daqui a três anos.

Na classe Finn, Jorge Zarif encerrou sua participação neste sábado, ficando em 19° lugar, com 149 pontos perdidos. Jorginho agora volta o foco para o Campeonato Mundial de Finn, que tem início previsto para 1° de setembro, em Balatonfoldvar, na Hungria.

Na RS:X masculina, o brasileiro Gabriel Bastos acabou na 42ª colocação, com 273 pontos perdidos.

Para ver os resultados completos, clique aqui.

Meninas do Brasil conquistam dois ouros na Copa do Mundo de Vela

Cem por cento de aproveitamento e duas medalhas de ouro na bagagem. É assim que a Equipe Brasileira de Vela volta de Santander, na Espanha, onde acontece até domingo a etapa final da Copa do Mundo da World Sailing. Nas regatas da medalha deste sábado, dia 10, Martine Grael e Kahena Kunze garantiram o terceiro título em três etapas internacionais este ano na classe 49er FX. E Patrícia Freitas conquistou o ouro garantido antecipadamente na RS:X feminina.

“Estamos muito felizes por vencer esta etapa final da Copa do Mundo. Foi uma competição difícil, com todo mudo andando muito próximo. A gente teve um começo difícil na medal race, pois sofremos uma penalidade e tivemos de nos recuperar. A única coisa em que pensávamos é que ainda tínhamos três voltas pela frente e que poderíamos nos recuperar. E foi o que fizemos”, afirmou Martine Grael.

O lindo sábado na baía de Santander coroou um ano até aqui perfeito para Martine e Kahena, que também foram campeãs das duas outras etapas da Copa do Mundo da World Sailing, em Miami (EUA) e Hyères (FRA). As brasileiras chegaram à regata da medalha na primeira colocação geral, mas apenas três pontos à frente das britânicas Charlotte Dobson e Saskia Tidey. As campeãs olímpicas terminaram a prova em quarto lugar, duas posições à frente das adversárias, e conquistaram o ouro com 43 pontos perdidos.

Na RS:X Feminina, Patrícia Freitas disputou a regata da medalha precisando apenas evitar uma desqualificação para conquistar o ouro. Chamada de “imparável” pela mídia local após acumular cinco vitórias em 12 regatas na fase de classificação, velejou com tranquilidade. Chegou em oitavo lugar e assegurou o título com 39 pontos perdidos.

“Um ouro numa final de Copa do Mundo é um resultado excelente, e estou muito feliz! Foi ótimo velejar aqui, as condições do mar estavam incríveis, e foi também um prazer velejar com essas meninas. As regatas tiveram um nível altíssimo, com três medalhistas olímpicas. É muito legal poder vencer em uma flotilha tão competitiva”, avaliou Patrícia, referindo-se à chinesa Chen Peina e à russa Stefania Elfutina (prata e bronze nos Jogos Rio 2016), além da polonesa Zofia Noceti-Klepacka (bronze em Londres 2012).

Classificação Final 49erFX

1º Martine Grael e Kahena Kunze (BRA) – 43 p.p.
2º Charlotte Dobson e Saskia Tidey (GBR) – 50 p.p.
3º Lili Sebesi e Albani Dubois (FRA) – 57 p.p.

Classificação Final RS:X Feminina

1º Patrícia Freitas (BRA) – 39 p.p.
2º Lu Yunxiu (CHI) – 47 p.p.
3º Stefania Elfutina (RUS) – 67 p.p.

Fonte: assessoria

Meninas do Brasil seguem na ponta da Final da Copa do Mundo de Vela

18920855_1723228331040610_8376685944672103902_o.jpg

Mais dois dias regatas em Santander, na Espanha, e mais dois dias de Brasil na liderança. Patrícia Freitas, da classe RS:X, abriu seis pontos de vantagem sobre a chinesa Lijia Xu, velejadora chinesa campeã olímpica em Londres e bronze em Pequim. Nove regatas já foram disputadas e ainda restam três para a fase classificatória, mais a medal race.

Na 49er FX, Martine Grael e Kahena Kunze também lideram, mas com apenas um ponto de vantagem. As campeãs olímpicas na Rio 2016 foram obrigadas a descartar um 16º lugar, após uma largada escapada na sexta regata da série. Ainda faltam três para o final da fase classificatória, mais a medal race.

Para ver os resultados completos, clique aqui.

Brasileiras lideram Copa do Mundo de Vela após dois dias

 

Começou nesta terça-feira em Santander, na Espanha, a última etapa da Copa do Mundo de Vela. Representado apenas por mulheres, o Brasil fez uma excelente estreia na busca de mais um título e lidera em duas classes após dois dias. Depois de seis regatas, Patricia Freitas é a líder na classe RS:X. Martine Grael e Kahena Kunze, que começaram na terceira colocação, já se recuperaram e aparecem no topo da súmula na 49erFX após quatro regatas.

O resultado completo pode ser visto aqui: http://bit.ly/2s3MnX5

Na Espanha, meninas do Brasil disputam final da Copa do Mundo de Vela

Martine Grael e Kahena Kunze (1).jpg

Com as campeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze vivendo um ano até aqui perfeito na classe 49er FX, e Patrícia Freitas em alta na RS:X, a Equipe Brasileira de Vela está em Santander, na Espanha, para a disputa da Final da Copa do Mundo da World Sailing. A abertura do evento será neste domingo, dia 4, com medições dos barcos. As primeiras regatas estão marcadas para terça-feira, dia 6, a partir de 7h (de Brasília).

Martine e Kahena chegam à Espanha no embalo de dois ouros nas duas etapas que disputaram da Copa do Mundo em 2017. As campeãs olímpicas venceram em Miami (EUA) e Hyères (França).  A regata de medalha da classe 49er FX está prevista para o sábado, dia 10.

Já Patrícia Freitas vem numa sequência de duas campanhas sólidas, sempre no top 5. Na etapa anterior da Copa do Mundo, na França, venceu a regata de medalha, ficando com a quinta colocação geral. No Campeonato Europeu, realizado também na França, repetiu a quinta posição. A disputa decisiva da RS:X em Santander também está prevista para o sábado, dia 10.

“Minha expectativa é fazer um bom campeonato na sequência dos que fiz recentemente. Fiquei feliz com meus resultados no Europeu e na Copa do Mundo da França, espero evoluir em Santander”, afirma Patrícia.

A Final da Copa do Mundo contará com mais de 250 velejadores de 43 países, com disputas nas dez classes olímpicas, além do kitesurfe.

Copa do Mundo de vela: Brasileiros fazem bonito no vento forte de Hyères

18077161_1706401132720068_2130799044386861949_o.jpg

Mais um excelente dia de regatas em Hyères, na França. Os mais de 500 velejadores que participam da competição enfrentaram ventos fortes e muito frio e as brasileiras seguem fazendo bonito. Martine Grael e Kahena Kunze têm como pior resultado até agora, após seis regatas na 49erFX, um quarto lugar, que já entrou como descarte. Elas somam 11 pontos contra 17 das inglesas Charlote Dobson e Saskia Tidey, segundas colocadas.

Patrícia Freitas também está velejando bem e aparece na quinta colocação da RS:X. Ela venceu a última regata do dia e aparece com 18 pontos após quatro regatas e um descarte. A líder é a israelense Noga Geler.

Na Finn, Jorginho Zarif também venceu uma regata e subiu para a 11ª colocação. André Mirsky aparece em 32º. O líder é o inglês Bem Cornish.

Para ver os resultados completos, clique aqui.

Brasileiros da RS:X terminam o dia na 8ª colocação após momentos de glória e problemas na raia

13906874_10154560894240757_950841540642320979_n

Patricia Freitas e Ricardo Winicki, o Bimba, passaram por grandes emoções na raia hoje. Com o ótimo resultado da primeira regata, um segundo lugar, Patricia Freitas começou mal a segunda regata perdendo o controle da vela, mas fez uma bela regata de recuperação terminando a regata em 14º. Já na terceira regata, a brasileira largou mal e o vento fraco, abaixo dos 5 nós, não favoreceu a brasileira que terminou em 16º. Os bons resultados de ontem e da primeira regata de hoje manteve a brasileira no Top 10 da classe.

Bimba, da RS:X Masculina, viveu momentos parecidos. Na primeira regata, Bimba, fez um excelente terceiro lugar vibrando muito com o resultado. A segunda regata foi bem complicada e Bimba terminou em 16º, mas o pior resultado foi um 31º da última regata que teve pouquíssimo vento. Nas redes sociais Bimba declarou: “o dia começou excelente e terminou um desastre. Descansar, colocar a cabeça no lugar e seguir adiante que estamos apenas na metade!”.

Os velejadores da RS:X tem a quarta-feira de folga e só voltam à raia na quinta-feira. Bimba e Patricia devem aproveitar o dia de folga para descansar e rever suas táticas de regata para a continuação da disputa.

Foto World Sailing

Brasil termina o Mundial de RS:X no top 20

12764572_10156641626505694_6382740628375724137_o
Foto de JP Tobin

Neste sábado foram realizadas em Eilat, Israel, as medal races do Mundial de RS:X. Depois de uma semana difícil, em uma raia com vento muito rondado, o Brasil não se classificou para esta regata final, porém encerrou sua participação entre os 20 melhores do mundo.

Classificada para os Jogos Olímpicos, Patricia Freitas encerrou a competição na 17ª posição, com 124 pontos perdidos. Bruna Martinelli foi a 31ª. A medalha de ouro foi para a polonesa Malgorzata Bialecka; a prata para a britânica Bryony Shaw, agora três vezes vice-campeã mundial; e o bronze para a holandesa Lilian de Geus.

Entre os homens, Ricardo Winicki, o Bimba, também classificado para os Jogos Olímpicos, ficou em 28º, com 158 pontos perdidos. Gabriel Bastos foi o 72º. Assim como no feminino, a disputa masculina também teve a Polônia no topo do pódio, com Piotr Myszka. Campeão olímpico em Londres-2012, o holandês Dorian Van Rijsselberge ficou com a prata. O bronze foi para o também holandês Kiran Badloe.

Os resultados completos estão aqui.

Patrícia Freitas e Bimba se classificam para a flotilha ouro no Mundial de RS:X

rsx worlds

O segundo dia do Mundial de RS:X que está sendo disputado em Eilat, Israel, também foi de vento fraco. Os homens foram os primeiros a irem para a água, quase uma hora depois do previsto. Para eles foi possível realizar três regatas. As mulheres velejaram depois das regatas deles e fizeram apenas duas. Com isso a fase classificatória chega ao fim e tanto Patrícia Freitas, quanto Bimba estão na flotilha ouro após quatro regatas. Gabriel Bastos e Bruna Martinelli ficaram na prata. Bimba é o melhor brasileiro, em 29º, enquanto Patrícia aparece em 21º.

Nesta quarta-feira não haverá regatas e os velejadores voltam para a água na quinta-feira para a disputa da fase final.

Confira os resultados completos aqui.