Paralimpíadas: Austrália garante dois ouros por antecipação na Skud 18 e na Sonar

14324689_10154678738035757_7370268334293282879_o

A vela nas Paralimpíadas do Rio 2016 chegam ao fim neste sábado porém os australianos Daniel Fitzgibbon e Liesl Tesch já nem precisam mais competir. A dupla conquistou a medalha de ouro na classe Skud pela segunda vez com duas regatas de antecipação e termina o dia com 31 pontos de vantagem sobre John McRoberts e Jackie Gay, do Canadá, segundos colocados. Colin Harrison, Russell Boaden e Jonathan Harris, também da Austrália, na classe Sonar, estão na mesma situação. O trio abriu 24 pontos sobre os americanos Alphonsus Doerr, Hugh Freund e Bradley Kendell, segundos colocados, e já garantiu o lugar mais alto no pódio. O país ainda pode ganhar mais um ouro na classe 2.4 com Matthew Bugg, primeiro colocado, com quatro pontos de vantagem.

O Brasil não tem mais chance de medalha, mas estará na água nas três classes neste sábado a partir das 12h. Quem quiser assistir de perto as competições e as cerimônias de medalha, pode garantir o ingresso clicando aqui.

Para ver o resultado completo após 10 regatas, clique aqui.

Especial Velejadores Paralímpicos: Bruno Landgraf e Marinalva de Almeida

12038797_953202474721069_3921967406774628756_o

Fé e determinação. É assim que Marinalva de Almeida e Bruno Landgraf definem um ao outro. Os dois serão os representantes brasileiros na classe Skud 18 nos Jogos Paralímpicos Rio 2016 e esperam poder contar com a torcida para concluir a competição no top cinco.

Ex-goleiro do São Paulo Futebol Clube, Bruno está indo para a sua segunda Paralimpíada. Em Londres 2012 disputou a mesma classe ao lado de Elaine Cunha. Por indicação de uma amiga, a doutora Linamara Riso, do Time São Paulo (uma parceria do Governo do Estado, com o Comitê Paralímpico Brasileiro e a Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência), em 2013 ele e Marinalva acabaram se conhecendo e, por se darem muito bem a bordo, ela acabou virando a nova parceira paralímpica. Marinalva também é amante dos esportes e, dentre outras atividades, gosta de correr e disputou, de muletas, a São Silvestre e é detentora do recorde de salto em distância.

Para ambos a sensação quando subiram em um barco pela primeira vez foi a mesma: de liberdade. “Para fazer a maioria das coisas eu preciso de ajuda. Quando estamos no barco, somos nós que tomamos as decisões, não precisamos da ajuda de ninguém. É uma sensação incrível de liberdade. Quem nunca velejou e sobe em um barco pela primeira vez, não quer parar mais. É muito gostoso”, disse Bruno.

Além do amor pelo mar, os dois dividem uma triste estatística: a dos brasileiros que adquiriram algum tipo de deficiência por conta de acidentes de trânsito. Estima-se que hoje mais de 24 milhões de pessoas no país sejam deficientes e que 30% delas tenham adquirido a deficiência em acidentes automobilísticos. Continuar lendo “Especial Velejadores Paralímpicos: Bruno Landgraf e Marinalva de Almeida”

Faltam 7 dias para o início dos Jogos Paralímpicos do Rio 2016

13510910_1126943054013676_5100661618329918918_n

Falta uma semana para o início dos Jogos Paralímpicos e 12 dias para o início das competições de vela. Os primeiros times já começaram a chegar na Marina da Glória e se preparam para as regatas, que serão disputadas nas raias do Pão de Açúcar e Escola Naval. No total, oitenta atletas disputarão três medalhas, nas classes Skud, 2.4 e Sonar. Os representantes brasileiros são Nuno Rosa na 2.4, Bruno Landgraf e Marinalva Almeida na Skud, e Antonio Marcos do Carmo, Herivelton Ferreira e José Matias Gonçalves de Abreu na Sonar. A cerimônia de medalhas será realizada no dia 17 e poderá ser vista de pertinho pelo público que estiver presente na Marina. Para garantir o seu ingresso, acesse: http://bit.ly/2bDT3Ux. Os valores variam de R$ 10 a R$ 20,00. Para ver o calendário completo de competições, clique aqui.

Paralimpíada terá três times brasileiros

13507152_1126943437346971_2068901506947105192_n

Entre os dias 7 e 18 de setembro o Rio de Janeiro será palco da mais linda Paralimpíada da história. Especialmente para a vela, que terá como fundo o Pão de Açúcar e o Cristo Redentor. Três classes estarão em disputa entre os dias 12 e 17 de setembro nas raias do Pão de Açúcar e Escola Naval:

2.4 Metros: Barco projetado em 1982 para uma pessoa, que vai sentada dentro.

Skud18: Barco de quilha para duas pessoas, com balão.

Sonar: Barco para três pessoas, também de quilha 

O Brasil será representado por Nuno Rosa na 2.4, Bruno Landgraf e Marinalva Almeida na Skud, e Antonio Marcos do Carmo, Herivelton Ferreira e José Matias Gonçalves de Abreu na Sonar. A vela é o único esporte na Paralimpíada que permite que pessoas com diferentes graus de deficiência compitam de igual para igual.

Para assistir as competições de pertinho em uma arena super animada, basta garantir o seu ingresso aqui. Os valores variam de R$ 10 a R$ 20,00.

 

Divulgado o AR dos Jogos Paralímpicos

AR Paralimpiada

Já está no ar o Aviso de Regatas dos Jogos Paralímpicos. A competição começa no dia 7 de setembro e vai até o dia 18. Assim como nas Olimpíadas a sede será a Marina da Glória. Oitenta velejadores participarão da competição, que tem três classes: 2.4 mR Norlin One design (para uma pessoa, com quilha) com 16 inscritos, SKUD 18 (para duas pessoas, com quilha) com 11 inscritos e Sonar (para três pessoas, com quilha) com 14 inscritos. Serão usadas três raias: Pão de Açúcar, Escola Naval e Copacabana. Duas regatas estão programadas por dia, começando no dia 12. Para conferir o AR completo clique aqui.