Martine Grael e Kahena Kunze são indicadas novamente ao prêmio de melhores do ano

Martine Grael e Kahena Kunze 01_Credito Jesus Renedo_Sailing Energy (1).jpg

Campeãs da temporada 2017 da Copa do Mundo com 100% de aproveitamento e vice-campeãs mundiais da classe 49er FX, Martine Grael e Kahena Kunze foram indicadas mais uma vez pela Federação Internacional de Vela (World Sailing) ao Prêmio de Melhores Velejadoras do Ano. Esta é a terceira vez que as brasileiras concorrem ao troféu. Elas venceram a disputa em 2014, quando ganharam o ouro no Mundial de Classes Olímpicas, uma conquista que completa três anos exatamente nesta quinta-feira, dia 21.

O anúncio dos vencedores nas categorias masculina e feminina será feito no dia 7 de novembro, em Puerto Vallarta, no México, sede da Conferência Anual da World Sailing. Os detalhes sobre a votação que definirá os vencedores ainda serão divulgados pela Federação Internacional de Vela.

“Estamos muito felizes com essa indicação. Temos velejadoras incríveis no mundo todo e é uma honra estar entre as quatro melhores. É o reconhecimento do nosso trabalho e isso nos dá ainda mais certeza de que estamos no caminho certo”, afirma Kahena Kunze.

A dupla brasileira teve um desempenho brilhante na temporada 2017. Conquistou de forma incontestável a Copa do Mundo da World Sailing, com três ouros nas três etapas disputadas: Miami, nos Estados Unidos; Hyères, na França; e Santander, na Espanha. Elas também ganharam a medalha de prata no Mundial disputado na cidade do Porto (Portugal), em agosto. Para completar, Martine se prepara agora para tornar-se a primeira velejadora do Brasil a participar da Regata de Volta ao Mundo (Volvo Ocean Race), a partir de outubro.

Na disputa pelo Prêmio de Melhores do Ano, as brasileiras terão como concorrentes na categoria feminina a holandesa Marit Bouwmeester, tricampeã mundial de Laser Radial; Sarah-Quitta Offringa, de Aruba, windsurfista campeã mundial no freestyle e no slalom; e a espanhola Tara Pacheco, vice-campeã mundial da Nacra 17 ao lado de Fernando Echavarri.

No masculino, concorrem ao prêmio o neozelandês Peter Burling, campeão na America’s Cup pelo Emirates Team New Zealand; o australiano Glenn Ashby, velejador que teve papel-chave no desenvolvimento do barco campeão da America’s Cup; o francês Thomas Coville, que estabeleceu o novo recorde para o desafio de dar a volta ao mundo velejando sozinho (em apenas 49 dias, 3 horas, 4 minutos e 28 segundos); e o francês Armel Le Cleac’h, vencedor da icônica regata Vendée Globe.

O Prêmio de Melhor Velejador do Ano é um dos troféus de maior prestígio no mundo da vela. Criado pela Federação Internacional em 1994, já foi conquistado quatro vezes por velejadores brasileiros: Robert Scheidt (2001 e 2004), Torben Grael (2009) e Martine Grael e Kahena Kunze (2014).

Da assessoria

Mundial de 49er terá quatro duplas brasileiras

170331_Carlos Robles e Marco Grael_Credito Jesus Martinez.jpg

O Campeonato Mundial das classes 49er e 49er FX terá suas primeiras regatas nesta segunda-feira, dia 28, na cidade do Porto, em Portugal. E o Brasil estará na água com nomes de peso. Após uma breve parada para se dedicar à preparação para a Regata de Volta ao Mundo, Martine Grael retoma com Kahena Kunze a dupla que foi campeã olímpica nos Jogos Rio 2016. Na disputa masculina, Carlos Robles e Marco Grael, vencedores da última Copa Brasil, chegam como titulares da Equipe Brasileira de Vela. Mas o país também terá como representante o maior medalhista olímpico do esporte nacional, Robert Scheidt, que participa da competição pela primeira vez, ao lado de Gabriel Borges. Completando a delegação, Dante Bianchi e Thomas Lowbeer também estarão na raia. Continuar lendo “Mundial de 49er terá quatro duplas brasileiras”

Volvo Ocean Race: Mapfre vence terceira etapa da Leg Zero

Os espanhóis do Mapfre venceram a terceira etapa da Leg Zero da Volvo Ocean Race, que pariu de Plymouth, na Inglaterra, rumo a St. Malo, na França. O time comandado por Xabi Fernandez cruzou a linha de chegada às 6h29, horário local, seguido por Team Brunel, às 7h10, e Dongfeng Race Team, às 7h19. O Team Akzo Nobel, que contou com o reforço apenas de Joca Signorini (Martine ficou em Plymouth), foi o quinto a cruzar a linha, às 7h32.

“Foi um excelente resultado e uma excelente regata para nós, do começo ao final. Fizemos boas escolhas indo mais para o mar aberto, pegando mais vento e vencendo a corrente, enquanto víamos os outros times caírem nela. Estou muito satisfeito com o resultado”, disse Xabi.

Martine Grael não participou da etapa:
A velejadora brasileira Martine Grael, que compete pelo Team Akzo Nobel, não participou desta etapa. Após a regata Fastnet Race ela ficou em Plymouth, na Inglaterra, para fazer dois treinamentos obrigatórios para a Volvo Ocean Race: um de rádio vhf e outro médico. De lá ela segue para Barcelona, onde pegará seu 49erFX e seguirá para o Porto, em Portugal, onde disputará o Mundial da classe ao lado de Kahena Kunze.

Leg Zero, Terceira etapa, de Plymouth a Saint-Malo:

  1. MAPFRE elapsed time 0629 UTC
  2. Team Brunel 0710
  3. Dongfeng Race Team 0719
  4. Vestas 11th Hour Racing 0728
  5. Team AkzoNobel 0732
  6. Turn the Tide on Plastic 0835
  7. Sun Hung Kai/Scallywag 0908

Resultado acumulado da Leg Zero após três etapas:

  1. MAPFRE 23 points
  2. Team Brunel 20
  3. Dongfeng Race Team 19
  4. Team AkzoNobel 15
  5. Vestas 11th Hour Racing 12
  6. Turn the Tide on Plastic 9
  7. Sun Hung Kai/Scallywag 7

Meninas do Brasil conquistam dois ouros na Copa do Mundo de Vela

Cem por cento de aproveitamento e duas medalhas de ouro na bagagem. É assim que a Equipe Brasileira de Vela volta de Santander, na Espanha, onde acontece até domingo a etapa final da Copa do Mundo da World Sailing. Nas regatas da medalha deste sábado, dia 10, Martine Grael e Kahena Kunze garantiram o terceiro título em três etapas internacionais este ano na classe 49er FX. E Patrícia Freitas conquistou o ouro garantido antecipadamente na RS:X feminina.

“Estamos muito felizes por vencer esta etapa final da Copa do Mundo. Foi uma competição difícil, com todo mudo andando muito próximo. A gente teve um começo difícil na medal race, pois sofremos uma penalidade e tivemos de nos recuperar. A única coisa em que pensávamos é que ainda tínhamos três voltas pela frente e que poderíamos nos recuperar. E foi o que fizemos”, afirmou Martine Grael.

O lindo sábado na baía de Santander coroou um ano até aqui perfeito para Martine e Kahena, que também foram campeãs das duas outras etapas da Copa do Mundo da World Sailing, em Miami (EUA) e Hyères (FRA). As brasileiras chegaram à regata da medalha na primeira colocação geral, mas apenas três pontos à frente das britânicas Charlotte Dobson e Saskia Tidey. As campeãs olímpicas terminaram a prova em quarto lugar, duas posições à frente das adversárias, e conquistaram o ouro com 43 pontos perdidos.

Na RS:X Feminina, Patrícia Freitas disputou a regata da medalha precisando apenas evitar uma desqualificação para conquistar o ouro. Chamada de “imparável” pela mídia local após acumular cinco vitórias em 12 regatas na fase de classificação, velejou com tranquilidade. Chegou em oitavo lugar e assegurou o título com 39 pontos perdidos.

“Um ouro numa final de Copa do Mundo é um resultado excelente, e estou muito feliz! Foi ótimo velejar aqui, as condições do mar estavam incríveis, e foi também um prazer velejar com essas meninas. As regatas tiveram um nível altíssimo, com três medalhistas olímpicas. É muito legal poder vencer em uma flotilha tão competitiva”, avaliou Patrícia, referindo-se à chinesa Chen Peina e à russa Stefania Elfutina (prata e bronze nos Jogos Rio 2016), além da polonesa Zofia Noceti-Klepacka (bronze em Londres 2012).

Classificação Final 49erFX

1º Martine Grael e Kahena Kunze (BRA) – 43 p.p.
2º Charlotte Dobson e Saskia Tidey (GBR) – 50 p.p.
3º Lili Sebesi e Albani Dubois (FRA) – 57 p.p.

Classificação Final RS:X Feminina

1º Patrícia Freitas (BRA) – 39 p.p.
2º Lu Yunxiu (CHI) – 47 p.p.
3º Stefania Elfutina (RUS) – 67 p.p.

Fonte: assessoria

Meninas do Brasil seguem na ponta da Final da Copa do Mundo de Vela

18920855_1723228331040610_8376685944672103902_o.jpg

Mais dois dias regatas em Santander, na Espanha, e mais dois dias de Brasil na liderança. Patrícia Freitas, da classe RS:X, abriu seis pontos de vantagem sobre a chinesa Lijia Xu, velejadora chinesa campeã olímpica em Londres e bronze em Pequim. Nove regatas já foram disputadas e ainda restam três para a fase classificatória, mais a medal race.

Na 49er FX, Martine Grael e Kahena Kunze também lideram, mas com apenas um ponto de vantagem. As campeãs olímpicas na Rio 2016 foram obrigadas a descartar um 16º lugar, após uma largada escapada na sexta regata da série. Ainda faltam três para o final da fase classificatória, mais a medal race.

Para ver os resultados completos, clique aqui.

Brasileiras lideram Copa do Mundo de Vela após dois dias

 

Começou nesta terça-feira em Santander, na Espanha, a última etapa da Copa do Mundo de Vela. Representado apenas por mulheres, o Brasil fez uma excelente estreia na busca de mais um título e lidera em duas classes após dois dias. Depois de seis regatas, Patricia Freitas é a líder na classe RS:X. Martine Grael e Kahena Kunze, que começaram na terceira colocação, já se recuperaram e aparecem no topo da súmula na 49erFX após quatro regatas.

O resultado completo pode ser visto aqui: http://bit.ly/2s3MnX5

Na Espanha, meninas do Brasil disputam final da Copa do Mundo de Vela

Martine Grael e Kahena Kunze (1).jpg

Com as campeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze vivendo um ano até aqui perfeito na classe 49er FX, e Patrícia Freitas em alta na RS:X, a Equipe Brasileira de Vela está em Santander, na Espanha, para a disputa da Final da Copa do Mundo da World Sailing. A abertura do evento será neste domingo, dia 4, com medições dos barcos. As primeiras regatas estão marcadas para terça-feira, dia 6, a partir de 7h (de Brasília).

Martine e Kahena chegam à Espanha no embalo de dois ouros nas duas etapas que disputaram da Copa do Mundo em 2017. As campeãs olímpicas venceram em Miami (EUA) e Hyères (França).  A regata de medalha da classe 49er FX está prevista para o sábado, dia 10.

Já Patrícia Freitas vem numa sequência de duas campanhas sólidas, sempre no top 5. Na etapa anterior da Copa do Mundo, na França, venceu a regata de medalha, ficando com a quinta colocação geral. No Campeonato Europeu, realizado também na França, repetiu a quinta posição. A disputa decisiva da RS:X em Santander também está prevista para o sábado, dia 10.

“Minha expectativa é fazer um bom campeonato na sequência dos que fiz recentemente. Fiquei feliz com meus resultados no Europeu e na Copa do Mundo da França, espero evoluir em Santander”, afirma Patrícia.

A Final da Copa do Mundo contará com mais de 250 velejadores de 43 países, com disputas nas dez classes olímpicas, além do kitesurfe.

Brasil encerra participação em Hyères com um ouro e dois top 5

Jorge Zarif_Credito Pedro Martinez_Sailing Energy.jpg

A vela brasileira conquistou mais um resultado de top 5 para encerrar uma campanha de resultados positivos na Copa do Mundo de Hyères, na França. Na regata de medalha disputada neste domingo, dia 30, Jorge Zarif terminou na quarta colocação na classe Finn, fechando a competição em quinto lugar no geral, com 78 pontos perdidos.

“A regata começou bem para mim, montei em primeiro lugar na primeira boia. Mas no segundo contravento o francês (Jonathan Lobert), que também estava brigando pela medalha de bronze, tomou a frente”, disse Zarif. O ouro na Finn foi para o turco Alican Kaynar (52 p.p.).

Ao todo, a Equipe Brasileira de Vela conseguiu colocar três tripulações no top 5 em Hyères, um dos eventos mais importantes do calendário da World Sailing (Federação Internacional de Vela).

Na classe 49er FX, as campeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze lideraram a classificação de ponta a ponta e conquistaram o título da competição no sábado. A dupla está com 100% de aproveitamento em 2017: duas participações em etapas da Copa do Mundo (Miami e Hyères) e dois ouros conquistados.

“Por enquanto este é um ano muito bom para a gente, apesar de termos vindo com pouco treino para cá. Estamos muito felizes, nossos técnicos também. Agora é treinar para o Campeonato Mundial, que vai ser a competição mais difícil do ano”, afirmou Martine.

Na RS:X feminina, Patrícia Freitas venceu a regata de medalha de sábado e terminou a Copa do Mundo de Hyères na quinta colocação.

A próxima grande competição de classes olímpicas no calendário é a etapa final da Copa do Mundo, marcada para Santander (Espanha), em junho.

Resultados do Brasil em Hyères

49er FX
Martine Grael e Kahena Kunze, medalha de ouro (34 pontos perdidos)

RS:X Feminino
Patrícia Freitas, 5ª colocação (89 pontos perdidos)
Bruna Martinelli, 25ª colocação (196 pontos perdidos)

Finn
Jorge Zarif, 5ª colocação (78 pontos perdidos)
André Mirsky, 34ª colocação (279 pontos perdidos)

Copa do Mundo de vela: Brasileiros fazem bonito no vento forte de Hyères

18077161_1706401132720068_2130799044386861949_o.jpg

Mais um excelente dia de regatas em Hyères, na França. Os mais de 500 velejadores que participam da competição enfrentaram ventos fortes e muito frio e as brasileiras seguem fazendo bonito. Martine Grael e Kahena Kunze têm como pior resultado até agora, após seis regatas na 49erFX, um quarto lugar, que já entrou como descarte. Elas somam 11 pontos contra 17 das inglesas Charlote Dobson e Saskia Tidey, segundas colocadas.

Patrícia Freitas também está velejando bem e aparece na quinta colocação da RS:X. Ela venceu a última regata do dia e aparece com 18 pontos após quatro regatas e um descarte. A líder é a israelense Noga Geler.

Na Finn, Jorginho Zarif também venceu uma regata e subiu para a 11ª colocação. André Mirsky aparece em 32º. O líder é o inglês Bem Cornish.

Para ver os resultados completos, clique aqui.

Grael/Kunze estreiam na liderança da etapa francesa da Copa do Mundo de vela

18121852_10155416447710757_2661798387416649359_o

Começou! A terça-feira foi o primeiro dia de regatas da etapa francesa da Copa do Mundo de Vela que está sendo disputada em Hyères. E o Brasil largou na frente com Martine Grael e Kahena Kunze na 49er FX. Jorge Zarif levou uma bandeira preta na segunda regata e acabou na 27ª colocação da Finn. André Mirsky, na mesma classe, aparece em 31º. Para ver os resultados completos, acesse: http://bit.ly/2q3CJ5p.