Hans e Karina Hutzler vencem o Brasileiro de Dingue em Ilhabela

WhatsApp Image 2017-11-06 at 10.13.32 AM.jpeg

Terminou em Ilhabela no último domingo o Campeonato Brasileiro da classe Dingue. O evento reuniu 47 duplas em três dias com sete regatas disputadas. Hans e Karina Hutzler, do Cabanga Iate Clube, souberam ler melhor as duas raias usadas na competição (no baixio do canal de São Sebastião e próximo à ponta das Canas) e levou o troféu para casa. Bruno dos Reis e Ana Carolina Varoni, de Ilhabela, ficaram em segundo, enquanto Leonardo Almeida e Sofia Hutzler completaram o pódio na terceira colocação.

“Foi um campeonato bem difícil, com vento forte no primeiro dia, chegando a 25 nós, no segundo ele diminuiu um pouco e no terceiro e último dia ele ficou bem fraco e rondado. Tivemos velejadores vindo de outras classes, como Star, Laser, Hobie Cat, o que elevou o nível da classe. No último dia os sete primeiros chegaram com chance e tivemos muitas trocas de posições na água. A classe Dingue é uma classe que agrega famílias, casais e isso é muito legal”, disse Hans.

Resultados:

  1. Hans e Karina Hutzler
  2. Bruno dos Reis e Ana Carolina Varoni
  3. Leonardo Almeida e Sofia Hutzler
  4. David Backer e Lucas Miranda
  5. Luis Otávio Correia e Isaias Menezes
  6. Luis José Correia Jr e Anisio Correia
  7. Alvaro Bastos e Guilherme de Souza
  8. Eugênio e Regina Gerth
  9. Giancarlo Canalli e Patreze Luan
  10. Fabio e Luca Bruggioni

Site dá informações sobre o vento nas duas pontas do canal de São Sebastião

anemometro ikha

Quem veleja em Ilhabela agora tem mais um ponto de marcação do vento em tempo real. Foi instalado na laje dos Moleques um anemômetro que passar as mesmas informações do equipamento já existente na BL3/Iso. Agora é possível conferir o vento nas duas pontas do canal de São Sebastião.

O site para acompanhamento das informações é o http://bit.ly/2vSNoSs

 

 

Semana de Monotipo reúne quase 150 barcos em Ilhabela

19477324_1727397940622564_1956123084555407781_o.jpg

Julho começou quente em Ilhabela com a realização da Semana de Vela de Monotipos. Sete classes estiveram na água, somando quase 150 barcos, além dos kites. Na sexta foram realizadas as regatas para os multicascos e sábado e domingo para as classes Laser, Snipe, Open Bic, Holder, Byte, Dingue e Optimist, a mais numerosa, com 60 inscritos. Na sexta-feira entrou uma frente fria, que fez com que a temperatura baixasse e o vento rondasse para sudoeste. Por isso as pranchas Slalom acabaram não velejando, já que o vento não chegou na Ponta das Canas com a intensidade mínima de 15 nós exigida pela regra.

Confira os resultados:

Snipe
Dingue
Open Bic/Holder/Byte
Multicascos
Optimist
Kite
Laser

Foto Marco Yamin

Segunda etapa da Copa Suzuki será ‘esquenta’ para a SVI

15203400_1254070324616300_4944057823997688896_n

Nos dias 27 e 28 de maio, 3 e 4 de junho o YCI vai realizar a segunda etapa da Copa Suzuki. O evento, que é aberto às classes ORC, IRC, C30, HPE-25, BRA-RGS, Clássicos e Bico de Proa servirá como warm up para a Semana de Vela de Ilhabela, que acontece de 7 a 15 de julho. Para os veleiros Clássicos, a competição contará também como 1ª etapa da Copa Fernando Pimentel Duarte. As inscrições podem ser feitas direto no clube e custam R$ 100,00 por tripulante, exceto tripulante mirim, que é isento. As regatas têm largada prevista para às 12h todos os dias.

Para mais informações, leia o Aviso de Regatas.

 

 

Nicholas Grael vence a regata de abertura do Campeonato Brasileiro de Snipe em Ilhabela

A chuva não para em Ilhabela, mas ao menos o vento, ainda que fraco, resolveu dar as caras neste domingo na Capital da Vela. Com rajadas de até 12 nós, foi disputada a primeira regata do 68º Campeonato Brasileiro da Classe Snipe. A regata de abertura não conta pontos para a série, mas serve como treino para as 67 duplas que disputam a competição na Escola de Vela Lars Grael.

Às 14h em ponto a Comissão de Regatas comandada por Cuca Sodré deu a partida da prova que teve cinco pernas. Nicholas Grael, filho de Lars, e João Pedro Moreira foram os primeiros a cruzar a linha de chegada, ignorando a lenda que diz que o velejador que ganha a regata de abertura vai mal no resto da competição. 

“Estávamos há cinco dias esperando para velejar por conta da falta de vento e chuva. Descemos para a água um pouco mais cedo e testamos a raia. Largamos bem e aí foi só administrar. Não acredito muito nesta superstição e espero ir bem no campeonato”, disse Nicholas, atual campeão brasileiro Jr.

Esta é a primeira vez que Ilhabela sedia um Brasileiro de Snipe e o número de inscritos ultrapassou as expectativas. “Trazer um campeonato como este para Ilhabela faz com que a cidade volte a ser a Capital da Vela. Estamos começando a nossa administração com o pé direito”, disse Beto de Jesus, secretário de esportes de Ilhabela. 

O nível do campeonato também surpreendeu, por ser um dos mais altos do último tempo. Ao todo estão na água 16 títulos mundiais, três pan-americanos, 16 sul-americanos e 20 brasileiros. A disputa começa para valer nesta segunda-feira, com até três regatas por dia, com largadas sempre previstas para às 13h.

O 68º Campeonato Brasileiro de Snipe tem a organização da Flotilha 455 Ilhabela, E-ventos e CBVela e conta com o apoio da Prefeitura de Ilhabela, Fevesp, Coordenação Classe Snipe SP, PecciCom, Quantum Sails e North Sails.

 

Olivia Belda e Fernanda Blyth lideram o Brasileiro de 420 em Ilhabela

A Comissão de Regatas liderada por Cuca Sodré bem que tentou, mas o vento está custando a aparecer em Ilhabela. Os dois primeiros dias do Campeonato Brasileiro de 420, que está sendo disputado na Escola de Vela Lars Grael até este sábado, foram de espera e regatas canceladas. Nesta sexta-feira, no entanto, finalmente foram realizadas as três primeiras regatas da competição, suficientes para validar o campeonato. Olivia Belda e Fernanda Blyth, do YCSA e do ICRJ lideram a competição com cinco pontos perdidos.

O dia foi longo, com mais de sete horas na água e a largada da primeira regata só foi dada pouco antes das 17h. A última regata terminou quase no escuro, depois das 19h, na Ponta das Canas, norte da Ilha.

A ideia é fazer mais três regatas neste sábado, porém, o dia amanheceu chuvoso novamente e sem vento. Para ver a súmula completa clique aquiclique aqui.

 

 

BL3 sedia Royal Pyceta Series da classe Star a partir do dia 26

15844393_1337545312953244_6958037017093507270_o.jpg

Entre os dias 26 e 29 de janeiro a BL3 será sede do Royal Pyceta Series – First Round 2017. Todos os velejadores da classe Star estão convidados a participarem do evento. As inscrições podem ser feitas na secretaria da BL3, na praia da Armação, em Ilhabela. Oito regatas estão programadas, sendo no máximo três por dia. Após as regatas haverá confraternização no bar do Dani.

Capital da Vela, Ilhabela sedia pela primeira vez o Brasileiro de Snipe

snipe-ilhabela_silasazocar
Foto: Silas Azocar

Pela primeira vez na história a classe Snipe vai disputar um Campeonato Brasileiro em Ilhabela. Conhecida como a Capital da Vela, a cidade do litoral norte paulista está acostumada a receber velejadores de todos os cantos do mundo e agora receberá a flotilha mais eclética do país, em um evento que certamente ficará na memória dos participantes. A competição tem início no dia 20 de janeiro de 2017 e término no dia 27.

Além da água limpa e do vento sempre presente, a organização prepara diversos eventos para depois das disputas, sempre com o pé na areia. A sede da competição será a Escola de Vela Lars Grael, localizada no final do Campo de Aviação, na beira d’água. Estão previstos happy hours e, claro, a tradicional canoa de cerveja.

Dez regatas estão programadas, sendo duas por dia a partir do dia 23. Uma terceira regata poderá ocorrer caso o programa esteja atrasado. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas pela internet neste link: https://goo.gl/forms/HYKr5HMV8qjzPcYA3.

Nomes como Felipe Rondina, vice-campeão mundial jr em 2015, Nicholas Grael, filho de Lars Grael e campeão brasileiro jr em 2016, e o espanhol Juan Cajade, que correrá com o campeão pan-americano de 2011 Alexandre Tinoco na proa, já confirmaram a participação.

O 67º Campeonato Brasileiro de Snipe tem a organização da Flotilha 455 Ilhabela, E-ventos e CBVela e conta com o apoio da Prefeitura de Ilhabela, Fevesp, Coordenação Classe Snipe SP, PecciCom, Quantum Sails e North Sails.

Serviço:

Campeonato Brasileiro de Snipe
Onde: Escola de Vela Lars Grael, Ilhabela
Quando: De 20 a 27 de janeiro de 2017
Fanpage: https://www.facebook.com/Brasileiro-de-Snipe-252686995150586/?ref=ts&fref=ts

Em janeiro, em Ilhabela, Escola de Vela Lars Grael sedia os Brasileiros de 420 e Snipe

 

Em janeiro a cidade de Ilhabela, no litoral norte paulista, vai mesmo se tornar a capital da vela com as disputas dos Campeonatos Brasileiros de 420 e Snipe.

As competições começam com o 420 entre os dias 16 e 21. As inscrições por barco custam R$ 230,00 até o dia 20/12 e R$ 330,00 após esta data. Estão programadas dez regatas, sendo no máximo três por dia.

A partir do dia 20 é a vez do Snipe ir para a água. As inscrições custam R$ 250,00 por barco até o dia 20/12 e após esta data sobem para R$ 300,00. Também estão programadas 10 regatas, sendo no máximo três por dia.

Para conferir os AR completos, clique nos links abaixo:

Snipe

420

Classe C30 se prepara para a disputa do Warm Up da SVI

284193_606959_img_1240_web_

A maratona de regatas para a competitiva classe C30 terá início nos próximas dias com a segunda etapa do Circuito Ilhabela de vela oceânica, tradicionalmente considerada como Warm Up para a Semana de Vela de Ilhabela que neste ano chega à 43ª edição. Paralelamente, será disputado o Campeonato Brasileiro de C30, com expectativa da flotilha nacional completa, com os nove barcos na raia.

As regatas do Warm Up serão distribuídas em dois finais de semana (3 e 4, 10 e 11/6) no Canal de São Sebastião. Entre os dia 1º e 9 de julho as competições da C30 chegam ao ápice com regatas simultaneamente válidas, tanto pela Semana de Vela de Ilhabela quanto pelo Campeonato Brasileiro da classe. Na abertura do circuito de 2016, em março, a C30 foi emoção até o final. O barco Caballo Loco venceu a etapa com apenas um ponto de vantagem sobre o Caiçara, que também ficou um ponto à frente do terceiro colocado Barracuda.

“Para a próxima etapa da Copa Suzuki (Circuito Ilhabela) esperamos contar com seis barcos na raia, e para a Semana de Vela estamos considerando a participação dos nove barcos que compõem a flotilha de C30”, projeta o comandante do Caiçara, Marcos de Oliveira César. “Tenho observado a maioria dos comandantes reforçando suas equipes e mantendo segredo sobre novos tripulantes. Não será surpresa se os barcos se atracarem em match race (duelo barco a barco) durante as regatas em Ilhabela”, considera Marcos.

A flotilha da C30 é composta pelas seguintes embarcações: Caballo Loco (Mauro Dottori), Caiçara (Marcos de Oliveira César), Loyal (Marcelo Massa), Kaikias (Felipe Echenique), Barracuda (Humberto Diniz) e +Realizado (José Luis Apud), todos de São Paulo, além das três embarcações de Florianópolis: Zeus (Inácio Vandersen), Corta Vento (Gustavo Marcos) e Katana (César Gomes). O Loyal defende os títulos, Brasileiro e da Semana de Vela, enquanto o Caiçara é o atual campeão do Circuito Ilhabela.

Tripulação internacional – O barco de Florianópolis, Katana, correrá o Campeonato Brasileiro de C30 e a Semana de Vela de Ilhabela com uma equipe mesclada por norte-americanos e catarinenses. O comandante César Gomes Neto, recém-chegado de Miami onde residiu nos últimos nove anos, esteve no Brasil em meados de 2015 e disputou a Semana de Ilhabela como tático do Zeus, do Iate Clube de Santa Catarina, chegando em terceiro lugar na C30.

“Retornei ao Brasil em novembro de 2015 e terei de me adaptar ao barco. Velejei muito nos Estados Unidos, mas em outra classe, a Melges 20, tripulada por três velejadores. É bem diferente. Será um desafio divertido formar tripulação binacional com amigos que me sempre me acompanham na vela, nos dois países”, assegura o timoneiro César, do Katana.

Fonte: assessoria