Volvo Ocean Race: Mapfre vence primeira in-port; Akzo Nobel demite skipper

m46047_13-01-171014-pma-02084--720.jpg

A Volvo Ocean Race começou oficialmente neste final de semana em Alicante, na Espanha, com a disputa da primeira in-port race. Com os sete barcos na água, o Mapfre provou mais uma vez que experiência e entrosamento são a chave do sucesso na regata, garantindo a primeira vitória oficial na competição. O time de Xabi Fernandez montou todas as boias na primeira colocação e só teve que administrar a liderança para garantir os 7 primeiros pontos da volta ao mundo.

“A nossa intenção era largar do lado esquerdo, mas o Pablo (Arrarte) viu o espaço, depois de uma manobra ruim do Team Brunel. Aproveitamos para ir para a direita e tudo correu bem. A verdade é que não foi fácil, mas arriscamos na largada”, disse Fernandez.

Em segundo ficou o Dongfeng Race Team, seguido pelo Vestas 11th Hour Racing.

Já o Akzo Nobel, time de Martine Grael e Joca Signorini enfrentou uma crise a bordo, que acabou com a demissão do skipper  Simeon Tienpont. Continuar lendo “Volvo Ocean Race: Mapfre vence primeira in-port; Akzo Nobel demite skipper”

Mapfre vence prólogo da Volvo Ocean Race

38f8f27c-433e-4812-938c-7ff411a7a0fb.jpg

Falta pouco para o início da Volvo Ocean Race. A flotilha disputou até esta quarta-feira o prólogo da competição, que tinha como objetivo levar os barcos de Lisboa até Alicante, de onde eles largarão no próximo dia 22, mas que ainda não conta pontos para a volta ao mundo. A falta de vento no Mar Mediterrâneo obrigou a organização a encurtar o percurso, terminando em Cabo de Gata. Dois dias e 18 horas depois, o Mapfre cruzou a linha, seguido do Team Brunel. As demais equipes ainda estão sendo esperadas.

Volvo Ocean Race: Mapfre vence a Leg Zero e quer brigar pelo título

Após quase 70 horas de navegação, o quarto e último teste da Leg Zero terminou nesta manhã de quuarta-feira, nas proximidades La Coruña, na Espanha. Com a flotilha praticamente em frente à costa galega e com uma previsão de ventos ruins para os próximos dois dias, a organização tomou, na terça-feira (15), a decisão de encurtar a rota e colocar ponto final na disputa. O Vestas 11th Hour Racing estava na frente e, por isso, ficou com a vitória na etapa. O time comandado por Charlie Enright acabou a competição na quinta colocação geral. Com os resultados acumulados, o vencedor foi o Mapfre, de Xabi Fernández. As quatro etapas da Leg Zero não contam ponto para a volta ao mundo, porém deixaram claro que, com treino e entrosamento qualquer uma das sete equipes poderá andar na frente.

Nas quatro etapas, que incluíram a temida Fastnet Race, os times puderam enfrentar diversas condições de vento e mar, que a skipper do Turn The Tide on Plastic Dee Caffari classificou como “tão duras como velejar nos mares do Sul”. Continuar lendo “Volvo Ocean Race: Mapfre vence a Leg Zero e quer brigar pelo título”

Volvo Ocean Race: Mapfre vence terceira etapa da Leg Zero

Os espanhóis do Mapfre venceram a terceira etapa da Leg Zero da Volvo Ocean Race, que pariu de Plymouth, na Inglaterra, rumo a St. Malo, na França. O time comandado por Xabi Fernandez cruzou a linha de chegada às 6h29, horário local, seguido por Team Brunel, às 7h10, e Dongfeng Race Team, às 7h19. O Team Akzo Nobel, que contou com o reforço apenas de Joca Signorini (Martine ficou em Plymouth), foi o quinto a cruzar a linha, às 7h32.

“Foi um excelente resultado e uma excelente regata para nós, do começo ao final. Fizemos boas escolhas indo mais para o mar aberto, pegando mais vento e vencendo a corrente, enquanto víamos os outros times caírem nela. Estou muito satisfeito com o resultado”, disse Xabi.

Martine Grael não participou da etapa:
A velejadora brasileira Martine Grael, que compete pelo Team Akzo Nobel, não participou desta etapa. Após a regata Fastnet Race ela ficou em Plymouth, na Inglaterra, para fazer dois treinamentos obrigatórios para a Volvo Ocean Race: um de rádio vhf e outro médico. De lá ela segue para Barcelona, onde pegará seu 49erFX e seguirá para o Porto, em Portugal, onde disputará o Mundial da classe ao lado de Kahena Kunze.

Leg Zero, Terceira etapa, de Plymouth a Saint-Malo:

  1. MAPFRE elapsed time 0629 UTC
  2. Team Brunel 0710
  3. Dongfeng Race Team 0719
  4. Vestas 11th Hour Racing 0728
  5. Team AkzoNobel 0732
  6. Turn the Tide on Plastic 0835
  7. Sun Hung Kai/Scallywag 0908

Resultado acumulado da Leg Zero após três etapas:

  1. MAPFRE 23 points
  2. Team Brunel 20
  3. Dongfeng Race Team 19
  4. Team AkzoNobel 15
  5. Vestas 11th Hour Racing 12
  6. Turn the Tide on Plastic 9
  7. Sun Hung Kai/Scallywag 7

Volvo Ocean Race: Dongfeng vence Fastnet Race entre os VO65

m45411_13-00-170808-dfg-jrl-00368.jpg

Uma batalha épica. Assim foi a Fastnet Race entre as sete equipes que disputarão a próxima edição da Volvo Ocean Race. Depois de 600 milhas náuticas, o Dongfeng venceu a regata com apenas 56 segundos de vantagem sobre o Mapfre, segundo colocado. O Akzo Nobel, de Martine Grael e Joca Signorini, ficou na quarta colocação, 14 minutos atrás dos vencedores.

Ainda em Cowes, largada do Dongfeng e do Mapfre foi melhor que a dos outros barcos e os dois permaneceram juntos, no visual um do outro, até o final. A regata faz parte da Leg Zero, uma série de quatro provas que não conta ponto para a Volvo Ocean Race, mas que tem extrema importância para que a flotilha possa testar seus barcos e tripulantes e conhecer seus adversários.

Resultados:

1. Dongfeng Race Team: 2 dias 15 horas 38 minutos 10 segundos
2. MAPFRE: 2 dias 15 horas 39 minutos 06 segundos
3. Team Brunel: 2 dias 15 horas 45 minutos 47 segundos
4. team AkzoNobel: 2 dias 15 horas 52 minutos 40 segundos
5. Vestas 11th Hour Racing: 2 dias 16 horas 09 minutos 11 segundos
6. Sun Hung Kai/Scallywag: 2 dias 16 horas 13 minutos 53 segundos
7. Turn the Tide on Plastic: 2 dias 16 horas 17 minutos 32 segundos

Nesta quinta-feira a flotilha parte de Plymouth para Saind-Malo, na França, na disputa da terceira perna da Leg Zero. No sábado haverá uma regata pro-am e a partida para Lisboa na última perna da competição. A largada da VOR será dada em Alicante no dia 22 de outubro.

Volvo Ocean Race: Mapfre vence primeira etapa da Leg Zero e bate recorde

Para os velejadores que irão disputar a Volvo Ocean Race a competição começou hoje com a disputa da primeira etapa da Leg Zero, uma série de quatro regatas que ainda não contam ponto, mas que tem todos os inscritos na competição. E o mais rápido a completar o percurso de 50 milhas ao redor da ilha de Wight, na Inglaterra, foi o espanhol Mapfre. Com 3 horas 13 minutos e 11 segundos, o time de Xabi Fernández também estabeleceu um novo recorde de monocasco para a regata, que era de 3h20. Apenas cinco minutos separaram os quatro primeiros colocados, sendo que o AkzoNobel, time dos brasileiros Martine e Joca, ficou com a terceira posição, a apenas dois minutos do líder. O vento estava variando entre 15 e 20 nós, com rajadas que chegaram a 35 nós, o que exigiu bastante dos velejadores novatos, que ainda não conhecem os barcos muito bem.  “Sentimos que fizemos uma regata sólida e foi bom estar no topo da flotilha. Nos deu confiança. Claro que tem algumas coisas que poderemos melhorar, mas também tiramos muitas coisas positivas da regata”, disse Simeon Tienpont, slipper do AkzoNobel:

Resultados:
1. MAPFRE: 3 horas 13 minutos 11 segundos
2. Team Brunel: 3 horas 14 minutos 55 segundos
3. team AkzoNobel: 3 horas 15 minutos 16 segundos
4. Dongfeng Race Team: 3 horas 18 minutos 26 segundos
5. Turn the Tide on Plastic: 3 horas 24 minutos 16 segundos
6. Vestas 11th Hour Racing: 3 horas 25 minutos 10 segundos
7. Sun Hung Kai/Scallywag: 3 horas 29 minutos 53 segundos

O próximo desafio da flotilha será a tradicional e temida Fastnet Race, que larga no próximo dia 6 de

Tamara Echegoyen e Sophie Ciszek disputarão a Volvo a bordo do Mapfre

d3ea6732-1312-48fd-910e-af72d520bda4.jpg

Pouco a pouco as equipes da Volvo Ocean Race vão divulgando os seus tripulantes e, se no início da semana o Notícias Náuticas foi citado como fonte pelo conceituado site de notícias Sailing Scuttlebutt por conta do anúncio da participação de Martine Grael como tripulante do Akzo Nobel, nesta quinta-feira foi a vez do Mapfre anunciar as suas tripulantes femininas. A espanhola Tamara Echegoyen, campeã olímpica de Match Race e cinco vezes campeã mundial em diversas classes, e a australiana/americana Sophie Ciszek, que disputou a última VOR a bordo do Team SCA, se juntam ao comandante Xabi Fernández na busca pelo título da regata de volta ao mundo.

O barco partiu da base de Sanxenxo, na Espanha, nesta quarta-feira rumo à Inglaterra, onde disputarão a lendária Rolex Fastnet Race. “Será um bom teste para saber até onde eu posso ir e quais habilidade preciso melhorar para ser uma peça forte no time”, disse Tamara.

A equipe Mapfre é formada por:

  1. Xabi Fernández (ESP), Skipper
  2. Joan Vila (ESP), Navegador
  3. Pablo Arrarte (ESP), Watch Captain
  4. Rob Greenhalgh (GBR), Watch Captain
  5. Ñeti Cuervas-Mons (ESP), proeiro e Boat Captain
  6. Willy Altadill* (ESP)
  7. Blair Tuke* (NZL)
  8. Sophie Ciszek (USA/AUS)
  9. Támara Echegoyen (ESP)

Mapfre volta a velejar na Espanha após mastro quebrado

unnamed (36).jpg

Duas semanas atrás, o MAPFRE  teve um problema durante treinamento na região espanhola da Galícia, que acabou danificando seu mastro, uma das peças principais de um barco. Neste sábado (15), 16 dias depois do ocorrido, o veleiro já está de volta à água. Os trabalhos de reparo foram realizados no estaleiro naval da Volvo Ocean Race, em Lisboa, Portugal. O VO65 MAPFRE já está pronto para todas as condições climáticas.

“O mastro é novo e, depois de sete dias de montagem, está pronto e aparentando estar bom” – afirmou Antonio “Talpi” Piris, chefe da equipe de terra do MAPFRE. A peça foi encomendada da Nova Zelândia. Em Lisboa, além da montagem do novo mastro, os trabalhos de reparo foram feitos no casco, quilha e lemes. Essas partes importantes de um veleiro foram prejudicas pela quebra do mastro. “O barco foi levado à Lisboa para reparar partes afetadas também, como bulbo e lemes. Revisamos o fundo do veleiro e até refizemos parte da pintura. A colaboração entre a nossa equipe de terra e do estaleiro da Volvo Ocean Race foi importante, deu bons frutos”.

Lembrando que o problema ocorreu na ilha de Ons (Pontevedra) com 25 nós (46,3 km/h) de vento e ondas de 4 metros de altura. O mastro foi o mesmo usado na edição 2014-15 da Volvo Ocean Race e o dano foi constatado na parte inferior da primeira cruzeta. Ninguém sofreu danos no incidente. A equipe agiu rápido e logo levou a embarcação para o estaleiro oficial da regata.

A tripulação fez oito horas de treino neste sábado para testar o barco e ver se tudo estava funcionando perfeitamente. “Hoje navegamos pela primeira vez e usamos as velas. O trabalho das equipes foi impecável, incrível e muito rápido”, disse o velejador Pablo Arrarte. “Tivemos sorte pelo ocorrido, pois foi agora e não atrapalhou muito o calendário, além de estar perto. Perdemos três dias de testes offshore. Isso se recupera na segunda fase de treinamento e tenho certeza de que estaremos 100% para a regata”.

Os próximos passos do MAPFRE incluem os treinos mais longos a partir do dia 18 com parte da tripulação e a seleção dos outros velejadores que farão parte do time.

Mapfre perde o mastro durante treino para a VOR

phoca_thumb_l_march31_mapfre.jpg

Na última quinta-feira o mastro do VO65 Mapfre veio abaixo enquanto a equipe treinava para a Volvo Ocean Race na ilha de Ons, na Espanha. O vento estava na casa dos 25 nós e o mar tinha aproximadamente 4 metros de onda. “Ouvimos um barulho e o rig começou a cair para boreste”, disse Pablo Arrarte, wacht captain da equipe, que estava como skipper neste período de treino. O mastro quebrou abaixo da primeira cruzeta e ninguém se machucou. O time levou cerca de duas horas para garantir que o barco não tinha sofrido nenhum dano maior e para recolher as partes quebradas e as velas. “Temos que analisar os dados e as partes quebradas para chegar a uma conclusão”, completou. O barco já foi usado na última volta ao mundo e foi reformulado pelo estaleiro da Volvo Ocean Race. O mastro também era usado.

Veja o vídeo do incidente:

Continuar lendo “Mapfre perde o mastro durante treino para a VOR”