Após dois dias sem vento, Mundial de 49er começa em Portugal

320508_727830_roberto_mundial_porto_web_.jpg

Após dois dias à espera do vento, o Campeonato Mundial de 49er finalmente começou nesta quarta-feira (30), na cidade do Porto, em Portugal. As campeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze, são as melhores do time brasileiro e ocupam a 4ª colocação no 49erFX. Na 49er, Robert Scheidt e o proeiro Gabriel Borges são os melhores brasileiros na disputa. Com 8º, 24º e 9º lugares, aparecem na 37ª posição no geral. Os líderes são os alemães Tim Fischer e Fabian Graf, com 3 pontos perdidos. Os demais brasileiros em Portugal, Dante Bianchi/Thomas Low-Beer e Carlos Robles/Marco Grael aparecem em 50º e 66º lugares, respectivamente.  O Mundial segue nesta quinta-feira (31), com expectativa de vento forte.

“Finalmente o campeonato começou. Após uma longa espera de dois dias e do período da manhã desta quarta, fomos para a água por volta das 14h. Começou com vento fraco, entre 5 e 6 nós, e terminou, na última regata, por volta dos 10 nós. Largamos bem nas três provas. Na primeira chegamos a estar em terceiro, mas cometemos alguns erros e terminamos em oitavo. Na segunda também tivemos boas chances, contudo não soubemos ler bem o vento e tomamos decisões equivocadas. Na última corrida novamente conseguimos velejar bem. Estamos felizes e vamos com tudo”, disse o bicampeão olímpico.

Resultados

Da assessoria 

Abertura do Mundial de 49er é adiada em mais um dia

21167263_10156596914564972_4989145514703517528_o.jpg

Os barcos continuam em terra na cidade do Porto, em Portugal, à espera de vento para iniciar a disputa do Campeonato Mundial da Classe 49er. Assim como na segunda-feira, neste terça (29) as condições meteorológicas não permitiram a largada das regatas. Para esta quarta-feira (30), a situação deve mudar e apresentar desafios para as quatro duplas brasileiras que participam da comperição: Carlos Robles/Marco Grael, Robert Scheidt/ Gabriel Borges, Dante Bianchi/Thomas Lowbeer e as campeãs olímpicas Marine Grael/Kahena Kuze. Uma frente fria está sendo esperada e deve provocar ventos fortes e ondas grandes.

Scheidt faz sua estreia na maior e mais importante competição na nova classe e está ansioso para colocar seu 49er na água. “Estamos há três dias parados, um de descanso, domingo, e dois por falta de tempo favorável. Nesta terça, não tinha vento nenhum e choveu pela manhã. Mas a expectativa é para a entrada da frente amanhã (quarta), com muito vento e ondas grandes, o que será um desafio para nós. Mas espero mesmo que possamos estrear logo no Mundial”, disse o velejador.

As regatas serão disputadas diariamente e têm início previsto para 6h55 (horário de Brasília). A competição este ano conta com 84 tripulações na 49er. O campeonato vai até este sábado, dia 2 de setembro, data da regata da medalha.

Com informações da assessoria de Scheidt

Falta de vento adia início do Mundial de 49er

320280_726631_robert_porto_web_

A falta de vento impediu a largada das regatas no primeiro dia do Campeonato Mundial de 49er, na cidade do Porto, em Portugal. Participam da competição os brasileiros Carlos Robles/Marco Grael, Robert Scheidt/Gabriel Borges, Dante Bianchi/Thomas Low-beer e Martine Grael/Kahena Kunze. “Ficamos o dia todo na expectativa, mas só tivemos vento girando entre dois a quatro nós, insuficiente para começar a disputa. Com isso, a programação foi cancelada e passa para amanhã(terça)”, Scheidt.

As regatas serão disputadas diariamente e têm início previsto para 6h55 (horário de Brasília). A competição este ano conta com 84 tripulações na 49er. O campeonato vai até o dia 2 de setembro, data da regata da medalha.

Com informações da assessoria de Scheidt

Mundial de 49er terá quatro duplas brasileiras

170331_Carlos Robles e Marco Grael_Credito Jesus Martinez.jpg

O Campeonato Mundial das classes 49er e 49er FX terá suas primeiras regatas nesta segunda-feira, dia 28, na cidade do Porto, em Portugal. E o Brasil estará na água com nomes de peso. Após uma breve parada para se dedicar à preparação para a Regata de Volta ao Mundo, Martine Grael retoma com Kahena Kunze a dupla que foi campeã olímpica nos Jogos Rio 2016. Na disputa masculina, Carlos Robles e Marco Grael, vencedores da última Copa Brasil, chegam como titulares da Equipe Brasileira de Vela. Mas o país também terá como representante o maior medalhista olímpico do esporte nacional, Robert Scheidt, que participa da competição pela primeira vez, ao lado de Gabriel Borges. Completando a delegação, Dante Bianchi e Thomas Lowbeer também estarão na raia. Continuar lendo “Mundial de 49er terá quatro duplas brasileiras”

Robles/Grael são os melhores brasileiros no Europeu de 49er

20615820_10156511521859972_7722893409197789487_o.jpg

O Europeu de 49er termina nesta sexta-feira em Kiel, na Alemanha, com a disputa da medal race, mas, para as três duplas brasileiras o evento terminou na quinta-feira, com a realização da última regata da fase final. Carlos Robles e Marco Grael foram os melhores brasileiros na competição, terminando em 23º geral. Os dois tiveram alguns excelentes resultados, com um segundo lugar na quinta regata da série, e dois quintos lugares, sendo um na última regata da competição.

Robert Scheidt e Gabriel Borges, que estão estreando o barco novo, voltam para casa como 32º colocados. A dupla chegou a vencer duas regatas e a conquistar mais um segundo e um terceiro lugares, porém os outros resultados foram bem mais altos.

Dante Bianchi e Thomas Low-beer acabaram na 39ª posição, fazendo a melhor estreia brasileira no evento, com um quarto, um oitavo e um quinto lugar no primeiro dia de regatas.

Para ver os resultados completos, clique aqui.

 

Europeu de 49er: Robles/Grael são os melhores brasileiros início da fase final

20543932_10156508120944972_8200111651205826940_o

Nesta quarta-feira começou em Kiel, na Alemanha, a fase final do Europeu de 49er. Três regatas foram realizadas, das nove que estão programadas para esta etapa. Carlos Robles e Marco Grael são os melhores brasileiros, na 26ª colocação. Schedit e Borges, que chegaram a tirar um segundo lugar na primeira regata do dia, aparecem em 37º e Dante Bianchi e Thomas Lowbeer, em 40º, dentre 94 inscritos. Para ver os resultados completos, clique aqui.

Europeu de 49er: Bianchi/Lowbeer são os melhores brasileiros após dois dias

49er.jpg

O Europeu de 49er começou neste domingo em Kiel, na Alemanha, com três duplas brasileiras na água. Após sete regatas e dois dias de competição, Dante Bianchi e Thomas Lowbeer são os melhores, na 27ª colocação. Carlos Robles e Marco Grael aparecem em 36º, enquanto Robert Scheidt e Gabriel Borges estão em 50º. Estão previstas 19 regatas até o dia 4 de agosto.

Para ver os resultados completos, clique aqui.

Scheidt supera problemas no segundo dia em Miami; Martine e Kahena continuam na liderança

Scheidt e Gabriel Foto: Divulgação
Scheidt e Gabriel Foto: Divulgação

Após um sábado marcado por sucessivas quebras no barco, Robert Scheidt considera que sua estreia na classe 49er aconteceu realmente neste domingo (15), no segundo dia do Miami Mid Winters, quando conseguiu completar todas as regatas. O bicampeão olímpico veleja ao lado do proeiro Gabriel Borges e usa a competição disputada no City of Miami Regatta Park, nos Estados Unidos, como preparação para a etapa de Miami da Copa do Mundo, de 22 a 29 de janeiro.

Sem enfrentar problemas com o equipamento, Scheidt e Borges começam a demonstrar entrosamento e evolução. O melhor resultado da dupla foi um 4º lugar, na segunda corrida do dia. Nas demais, cruzaram a linha de chegada em 9º, 7º e 12º. Com os resultados, os brasileiros ocupam a 12º colocação na classificação geral, com 97 pontos perdidos. A liderança é de Diego Botin/Santi López, com 24 pontos. No total, 17 barcos estão na disputa da classe 49er no Miami Mid Winters.

“O domingo foi um dia um pouco melhor, pelo menos conseguimos velejar sem nenhuma quebra no barco. Estamos evoluindo aos poucos e a participação no Mid Winters está sendo bem produtiva. Na verdade, o primeiro dia foi hoje (domingo), porque as quebras nos prejudicaram muito na estreia. Hoje teremos mais duas regatas, depois vamos descansar dois dias para recuperar as energias e recomeçar os treinos para a World Cup”, disse Robert, que é patrocinado pelo Banco do Brasil e Rolex, com os apoios de COB e CBVela.

Mesmo sem quebras no barco inteiro, o segundo dia de competição em Miami não passou sem problemas. “Como tenho dito, estamos em fase de adaptação, especialmente para mim, que nunca havia corrido de 49er. Um exemplo disso aconteceu na quarta e última regata de domingo, quando viramos e acabamos perdendo algumas posições. Mas acredito que isso está dentro da curva de aprendizado”, completou o maior medalhista olímpico do Brasil, com cinco pódios em seis participações nos Jogos.

Já Martine Grael e Kahena Kunze, atuais campeãs olímpicas da 49erFX, continuam liderando a competição com 10 pontos perdidos. Oito regatas já foram disputadas na classe feminina e o pior resultados das brasileiros foi um 3º lugar que já entrou como descarte da dupla. A classe está reunindo 10 duplas femininas no City of Miami Regatta Park.

Em entrevista, Scheidt cofirma que poderá mudar de classe para Olimpíada de Tóquio. Gabriel Borges deverá ser seu proeiro na classe 49er

14721757_592180794300496_7804051296684622584_n
O Notícias Náuticas foi o primeiro a divulgar o treino de Scheidt e Gabriel na Guanabara no dia 23 de outubro

Em uma recente entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o multimedalhista Robert Scheidt confirmou o que o Notícias Náuticas já havia sugerido há algumas semanas: a mudança para a classe 49er.

Robert, que foi visto treinando na Guanabara ao lado de Gabriel Borges, também conhecido como Coveiro, deverá disputar a primeira etapa da Copa do Mundo de Vela, em Miami, EUA, em Janeiro, já na nova classe. “[o 49er] é um barco que tem muita velocidade, mas para isso virar uma campanha olímpica dependo de algumas coisas. Tenho acordos com parceiros que terminam no fim do ano e em janeiro. Preciso conversar com eles para ver se sigo em frente para mais um ciclo olímpico. Se virar campanha olímpica, vou sentar na mesa e conversar com ele sobre muitas coisas. O Gabriel seria o nome para ser meu parceiro”, disse Scheidt ao jornalista Paulo Favero.

O velejador de 43 anos possui em seu currículo nada menos que cinco medalhas olímpicas (duas de ouro na Laser em 1996 e 2004; duas de prata na Laser em 2000 e na Star em 2008; e uma de bronze  naStar em 2012), enquanto Gabriel, de apenas 24 anos, acaba de participar da sua primeira Olimpíada, ao lado de Marco Grael, tendo terminado na 11ª colocação na classe 49er.

“O lado da idade eu sempre tenho de cuidar, de lesões e recuperação. Tenho chance de velejar bem na 49er. Claro que tem uma montanha para aprender e evoluir. Acredito que em quatro anos dá para fazer um bom papel. Eu tenho uma família de esportistas, sempre me cuidei na parte de alimentação e nesses últimos anos dosei os treinamentos, fazendo com mais qualidade do que com quantidade. A vela é um esporte que depende da experiência, pois é necessário saber ler o vento e tomar decisões. O lado físico é importante, mas é só um dos aspectos”, disse Scheidt.

A matéria completa do jornal O Estado de S. Paulo pode ser vista aqui.

 

Um dia para ser lembrado: Brasil é ouro na 49erFX com Martine Grael e Kahena Kunze

49erfxfinal1

Prata e bronze que nos perdoem, mas o Brasil é ouro na 49erFX. A conquista, que só veio na última perna da medal race, tirou o grito entalado, dos quartos lugares de Robert Scheidt e Jorginho Zarif, da garganta dos torcedores e um sonoro “É campeão!” foi ouvido por toda a praia do Flamengo. As donas do feito foram Martine Grael e Kahena Kunze velejadoras da 49erFX campeãs mundiais da classe em 2014. A dupla estava em briga direta pelo ouro com as neozelandesas Alexandra Maloney e Molly Meech (prata) após erros que tiraram as espanholas da corrida pelo ouro.

A medal race entregou o que prometeu, emoção. As brasileiras foram melhores, Martine mostrou que herdou a frieza de decisões de Torben e decidiu marcar as neozelandesas na perna final após uma aposta arriscada na perna anterior pelo lado oposto da raia. Martine e Kahena correram com tática e venceram a regata com louvor. Foi um ouro digno dos grandes campeões e as meninas de 25 anos ainda marcaram o nome da história olímpica brasileira com a primeira medalha de ouro da vela feminina.

As dinamarquesas Jena Hansen e Katja Salskov-Iversen ficaram com o bronze da classe.

Na 49er, que também correu sua medal race hoje, Peter Burling e Blair Tuke, da Nova Zelândia, venceram a medal race mesmo com o ouro garantido, os australianos Nathan Outteridge e Iain Jensen, ficaram com a prata, e os alemães Erik Heil e Thomas Ploessel, com o bronze.

18/08/2016, o último dia da vela na Rio 2016, é um dia para ser lembrado para sempre!

medalha49erfx

Fotos World Sailing