Velocidade versus algas na oitava etapa da Volvo Ocean Race

unnamed (15)

As equipes que disputam a oitava etapa da Volvo Ocean Race 2017-18 têm mais um desafio no Oceano Atlântico, além de encontrar as melhores rajadas: desviar das algas marinhas. O chamado Mar de Sargaços por conter espécies Sargassum impõe dificuldades aos barcos, que perdem velocidade. Essa faixa vai do Caribe à costa sul dos Estados Unidos.

Os sargaços tem criado problemas para os marinheiros desde os tempos de Cristóvão Colombo e agora, mais de 500 anos depois, continua atrapalhando os melhores velejadores do mundo na Volvo Ocean Race. A alga pode grudar na quilha ou no leme e reduzir a velocidade da embarcação.

“É muito chato, porque podemos ver como a velocidade do barco diminui, e às vezes até perde a direção. O leme está cheio de algas e não permite que navegue normalmente”, explicou o espanhol Pablo Arrarte, do MAPFRE. Continuar lendo “Velocidade versus algas na oitava etapa da Volvo Ocean Race”

Campeões do USF são definidos em dia de sol e vento médio

Chegou ao fim nesta segunda-feira o Ubatuba Sailing Festival. E o dia não poderia ter sido melhor. Com sol forte e vento médio, a Comissão de Regatas presidida por Cuca Sodré realizou uma regata de percurso médio para os 38 inscritos na competição. O evento é promovido pelo Ubatuba Iate Clube e este ano chega a sua nona edição.

Os barcos maiores, das classes IRC, ORC fizeram uma regata de 10 milhas, contornando a ilha das Cabras por Boreste, enquanto os outros barcos contornaram uma boia, em um percurso um pouco mais curto, com sete milhas. Na classe IRC, o título veio no desempate. O Asbar IV (Beneteau 35), de Jonas de Barros Penteado, não velejou tão bem na regata do dia, terminando na 5ª colocação, mas duas vitórias nas outras duas regatas garantiram o primeiro lugar na competição. A disputa foi acirrada com o Rudá (First 40), de Mario Martinez, terceiro na regata e segundo colocado geral com a mesma pontuação.

“As regatas foram muito disputadas, pena que faltaram alguns barcos de Ilhabela. Mas no geral o campeonato foi um sucesso, com nível muito alto! Esta regata de hoje foi muito técnica, o Cuca acertou a raia, com uma raia difícil. O Ubatuba Iate Clube está de parabéns por mais um campeonato muito bom!”, disse Jonas. Continuar lendo “Campeões do USF são definidos em dia de sol e vento médio”

Jorge Zarif vence Copa do Mundo da França

WhatsApp Image 2018-04-29 at 9.05.32 AM.jpeg

Com um desempenho brilhante na regata da medalha, Jorge Zarif conquistou neste domingo, dia 29, o ouro na etapa de Hyères (França) da Copa do Mundo da World Sailing (Federação Internacional de Vela). O brasileiro venceu a prova decisiva da classe Finn de ponta a ponta, com grande vantagem sobre os adversários. Com esse resultado, terminou o campeonato com 38 pontos perdidos, deixando o holandês Nicholas Heiner (46 p.p.) com a prata e o turco Alican Kaynar com o bronze (50 p.p.).

O triunfo de Jorge Zarif pode ser visto na íntegra, em alta definição, no link abaixo, que começa na marca de 1h39min20s da transmissão em vídeo feita pelo canal da World Sailing no YouTube:

https://youtu.be/wPJ4KJQKCC0?t=1h39m20s

“Foi muito bom. É a terceira etapa de Copa do Mundo que eu ganho. É a oitava vez que venho para a Hyères e a primeira que consigo medalhar aqui. Logo de cara conseguir o ouro me deixa muito feliz. É muito importante para o resto da campanha este ano”, afirmou Jorginho, que já havia sido campeão duas vezes da etapa de Miami da Copa do Mundo (2016 e 2017). Continuar lendo “Jorge Zarif vence Copa do Mundo da França”

Recorde marca segundo dia do Ubatuba Sailing Festival

marcos méndez (8).jpeg

O domingo começou cedo no Ubatuba Iate Clube com a preparação para um dia longo de mar. Seguindo o programa do Ubatuba Sailing Festival, os 38 barcos inscritos no campeonato disputaram duas regatas de percurso longo. As classes ORC, IRC e BRA-RGS A, os maiores, contornaram a ilha Vitória por Boreste, enquanto as classes BRA-RGS B e Bico de Proa contornaram a ilha Anchieta. O vento na casa dos 12 nós, no entanto, ajudou as duas flotilhas e fez da edição 2018 a mais rápida destes nove anos de USF.

O Sous Le Vent (Bahamas 40), de Paulo Fonseca, primeiro barco a cruzar a linha de chegada no percurso menor, demorou apenas 49 minutos para navegar as 7 milhas náuticas (aproximadamente 14 km) da volta a ilha. Com duas vitórias, a equipe lidera a classe Bico de Proa. “Foi uma regata muito boa, com vento muito gostoso. Apesar de não termos largado muito bem, conseguimos ir recuperando, recuperando… Durante a regata toda o Kamaiurá estava na nossa frente, mas conseguimos passá-lo pouco antes da chegada, quando ele escolheu ir por fora do ilhote Sul e nós fomos por dentro. A comemoração com o apito na linha de chegada foi muito boa”, disse o comandante.

Já o Dynos, o maior barco da raia com 60 pés, levou 2h57 para completar o percurso de aproximadamente 30 milhas (60 km) e estabeleceu uma nova marca para a regata. “Foi uma velejada muito gostosa, com vendo bom, nas condições ideais para este barco. Foi uma regata muito rápida, com menos de 3 horas e é isso o que vale para nós, o tempo real de regata”, disse Lineu Leite, responsável pela vela mestra.

Após a regata, os velejadores mais uma vez se reuniram na sede social do UIC para saborear um cachorro quente com a tradicional canoa de cerveja. O Ubatuba Sailing Festival termina nesta segunda-feira com a previsão da realização de duas regatas barla-sota. Com quatro regatas realizadas, o pior resultado poderá ser descartado.

O resultado corrigido foi o seguinte:

Volta a Ilha Vitória:
IRC: 

1. Asbar IV, Jonas de Barros Penteado
2. Rudá, Mario Martinez
3. Orson II, Carlos Eduardo Souza e Silva

ORC:
1. Dourado, Arthur Silveira
2. Marlim, José Santos
3. Bijupirá, Mauricio Mello

RGS-A:
1. Bravo 1, Jorge Martinez
2. Chrispin, José Chrispin
3. Suduca, Marcelo Claro

Volta a Ilha Anchieta
RGS-B:

1. Kamaiurá, Francisco Miranda
2. Calamar Rio 2, Pedro Santos
3. Cinco, Carsten Wegener

RGS-C:
1. Cação, Vitor Freitas
2. Beiramar, Marco Aleixo
3. Ubá, Maurilio Santos

Bico de Proa
1. Sous Le Vent, Paulo Fonseca
2. Cisco Kid, José Ortega
3. Magaratz, Claudio birolini

Líderes do acumulado após duas regatas:

IRC:
1. Asbar IV, Jonas de Barros Penteado, 2 pontos perdidos

ORC:
1. Dourado, Arthur Silveira, 2 pontos perdidos

BRA-RGS:
A

1. Bravo 1, Jorge Martinez, 2 pontos perdidos

B
1. Kamaiurá, Francisco Miranda, 3 pontos perdidos

C
1.Cação, Vitor Freitas, 2 pontos perdidos

Bico de Proa:
1. Sous Le Vent, Paulo Fonseca, 2 pontos perdidos
Os resultados completos podem ser vistos no aplicativo APVela (disponível para Android e iOS).

O Ubatuba Sailing Festival é organizado pelo Ubatuba Iate Clube e conta com o apoio de V.Bros, Renew Boats, Tintas International, Quantum Sails, Rádio Vozes.com, Revista Mariner, Fidelis Seguros, Farol das Tintas, Hotel Solar das Águas e Postos Flutuantes BR Mônaco e Ímola.

Asbar IV, Dourado, Bravo1 e Sous Le Vent lideram primeiro dia do Ubatuba Sailing Festival

Marcos Méndez (1)

O feriado do Trabalho começou em Ubatuba com muito sol e vento fraco, de apenas seis nós, e, por isso, a Comissão de Regatas do Ubatuba Sailing Festival, comandada por Cuca Sodré, só conseguiu realizar apenas uma das duas regatas barla-sota programadas para este primeiro dia, com quatro pernas. A competição conta com 38 veleiros de Ubatuba, Ilhabela, Santos e Rio de Janeiro e segue até a próxima segunda-feira no Ubatuba Iate Clube.

A classe IRC, com nove inscritos, foi a mais disputada. O Asbar IV (Beneteau 35), de Jonas Penteado, venceu a regata por apenas um segundo de diferença do Rudá (First 40), de Mario Martinez, segundo colocado. O terceiro lugar ficou com o Argos (Soto 40), de Jaime Cupertino, fita-azul da regata e vencedor do ano passado.

“Eu já perdi regata por dois segundos, então é um detalhe. A regata foi difícil, com vento fraco e bastante rondado. Tivemos a felicidade de não cometer muitos erros. Ganha quem erra menos”, disse Jonas. Continuar lendo “Asbar IV, Dourado, Bravo1 e Sous Le Vent lideram primeiro dia do Ubatuba Sailing Festival”

Três barcos disputam a liderança da oitava etapa da Volvo Ocean Race

A disputa pela vitória da oitava etapa da Volvo Ocean Race 2017-18 ficou mais clara depois que os barcos Turn The Tide On Plastic, Vestas 11th Hour Racing e Dongfeng Race Team mostraram suas estratégias no Oceano Atlântico.

As equipes estão liderando a perna neste sábado (28), com diferença menor do que 12 milhas náuticas entre eles. Todos agora caçam o Turn the Tide On Plastic, que é comandado pela britânica Dee Caffari.

“Ainda somos os caçados! Conseguimos ver o Vestas desde as primeiras horas da manhã no visual. Eles estão um pouco à margem de nós em uma corrente mais favorável. Ontem à noite os ventos deram uma trégua e conseguimos descansar um pouco”, disse Dee Caffari. Continuar lendo “Três barcos disputam a liderança da oitava etapa da Volvo Ocean Race”

Na França, Zarif disputa pódio na Copa do Mundo de Vela neste domingo

Jorge Zarif 01_Credito Jesus Renedo_Sailing Energy.jpg

Jorge Zarif vai em busca de um lugar no pódio neste domingo, dia 29, na etapa de Hyères (França) da Copa do Mundo da World Sailing (Federação Internacional de Vela). Após passar a semana toda no pelotão da frente da classe Finn, o velejador brasileiro chega à disputa em segundo lugar, com 36 pontos perdidos, quatro atrás do holandês Nicholas Heiner, líder da classificação (32 p.p.), e dois à frente do turco Alican Kaynar, terceiro colocado (38 p.p.). Com uma diferença tão pequena, a regata de medalha, prevista para 7h48 de Brasília, será praticamente um confronto direto para definir ouro, prata e bronze, com pouca margem de erro.

“Hoje (sábado) chegamos a largar para uma regata da fase de classificação, mas não tinha condição nenhuma. Então está tudo bem parelho, do primeiro ao quarto lugares. Vamos com tudo para brigar por uma medalha”, disse Jorge Zarif, lembrando que o tcheco Ondrej Teply (48 p.p.) também corre por fora na briga pelo pódio. Continuar lendo “Na França, Zarif disputa pódio na Copa do Mundo de Vela neste domingo”

250 velejadores são esperados na Semana de Vela de São Paulo

WhatsApp Image 2018-04-24 at 3.56.34 PM
Entre os dias 31 de maio e 3 de junho a Represa de Guarapiranga vai receber o maior evento náutico da capital: a Semana de Vela de São Paulo. A competição será organizada por todos os clubes da represa e, conforme rodízio estabelecido pela Fevesp, o Yacht Club Paulista será a sede de 2018. A competição é aberta a todas as classes e as regatas serão disputadas nas três raias. São esperados mais de 250 velejadores, que, em breve, poderão fazer a inscrição através do app APVela (disponível para Android e iOS).

Zarif vence regata e é destaque no primeiro dia em Hyères

No primeiro dia de competição na etapa de Hyères da Copa do Mundo da World Sailing (Federação Internacional de Vela), Jorge Zarif foi o principal destaque da delegação brasileira. Após um quinto lugar na regata de abertura, o velejador paulista venceu a segunda prova desta terça-feira, dia 24. Com seis pontos perdidos, aparece em segundo lugar na tabela da classe Finn, atrás apenas do francês Jonathan Lobert (5 p.p.).

A disputa continua até o próximo fim de semana, com as regatas da medalha do campeonato marcadas para sábado (28) e domingo (29).

“Não queria que tivesse a segunda regata, mas deu certo e consegui ganhar. É só o começo, tem muito campeonato pela frente. Mas foi um bom primeiro dia”, afirmou Jorginho, depois de uma tarde de ventos inconstantes na cidade francesa.

O Brasil tem ao todo 13 velejadores competindo em Hyères, em seis classes diferentes. Na Nacra 17, Samuel Albrecht/Bruna Martinelli e João Bulhões/Gabriela Nicolino terminaram o dia no top 20, em 12º e 17º lugares, respectivamente, à frente dos campeões olímpicos Santiago Lange/ Cecilia Carranza, da Argentina, que não completaram a prova.

Um dos palcos mais tradicionais das classes olímpicas, Hyères este ano recebe cerca de 670 atletas de 46 países em mais de 400 barcos. Será a última etapa antes da Final da Copa do Mundo, que reunirá os melhores velejadores da temporada em Marselha (França), de 3 a 10 de junho.

Resultados completos: http://sailing.org/worldcup/results/index.php

Mais informações sobre a Copa do Mundo de Hyères:
http://swc.ffvoile.fr/

Volvo Ocean Race: Tudo embolado na subida para a Bahia

vor

A oitava etapa da Volvo Ocean Race segue equilibrada em seu terceiro dia de regata pelo Oceano Atlântico. Os sete barcos, que saíram no domingo (22) de Itajaí (SC), estão espalhados, mas a diferença entre eles em relação à liderança é pequena.

No relatório enviado pela organização na tarde desta quarta-feira (25), o Vestas 11th Hour Racing tinha vantagem de apenas 10 milhas náuticas para o team AkzoNobel, o sétimo colocado. A etapa tem como destino Newport (Estados Unidos) e tem ao todo 5.700 milhas náuticas.

Os barcos passam pelas refinarias de petróleo na costa brasileira, principalmente entre São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Há uma zona de exclusão nesse trecho e por isso os times estão mais a leste do Atlântico. Apenas o Sun Hung Kai | Scallywag está apontado para norte.

“É muito importante conseguir uma boa posição nas próximas 24 horas antes de entrarmos nos ventos alísios. A partir daí será mais lento”, disse Kyle Langford, do Team Brunel.

Nesta quinta-feira (26), os barcos devem entrar nos chamados ventos alísios, já na costa nordestina.

”Estamos navegando pelo lado de fora de uma área de exclusão, outro campo de petróleo. Os ventos são leves e o estado do mar é plano. Ainda estamos com o Vestas no visor e os outros parecem estar atrás de nós. Tenho que estar feliz com isso”, disse Dee Caffari, da Turn on Tide on Plastic.

A competição tem o Dongfeng Race Team como líder da classificação geral, um ponto de vantagem para o MAPFRE. Faltam ainda mais quatro etapas para o fim do campeonato.