Manoel Piçarrinha leva Brasil ao pódio no Mundial Jovem, no Piauí

Pódio_Manoel Picarrinha 01_Crédito André Hanni.JPG

A competição era no quintal de casa. E Manoel Piçarrinha, natural de Barra Grande, no Piauí, confirmou o grande momento vivido na jovem carreira dentro do kitesurf. O velejador de 17 anos conquistou a medalha de prata no Campeonato Mundial Jovem de Kiteboarding, encerrado no fim da tarde desta sexta-feira, dia 1º.

Piçarrinha terminou o evento com 12 pontos perdidos, levando a vela brasileira a mais um pódio em 2017. O americano Cameron Maramenides, com 9 pontos perdidos, ficou com o ouro. O francês Victor Bachichet completou o pódio (26 p.p.).

Outro grande resultado do Brasil foi na disputa feminina, com Maria Beatriz, também de Barra Grande. Com apenas 13 anos, a brasileira terminou na nona colocação com 59 pontos perdidos. A italiana Sofia Tomasoni venceu a competição com 9 pontos perdidos, com Lola Ulrich, da França, e Nina Castlles, da Espanha, completando o pódio. Continuar lendo “Manoel Piçarrinha leva Brasil ao pódio no Mundial Jovem, no Piauí”

Brasileiros estreiam no Mundial da Juventude nesta segunda-feira

Embarque da delegação_Crédito Divulgação CBVela.jpeg

O futuro da vela brasileira começa a sair do papel e entrar na água. Com 14 jovens velejadores, a delegação do país disputa o Mundial da Juventude, em Sanya, na China, em competição marcada para o período de 10 a 15 de dezembro, nas classes RS:X (masc. e fem.), 420 (masc. e fem.), Laser Radial (masc. e fem.), 29er (masc. e fem.) e Nacra 15 (aberta para duplas masculinas, femininas ou mistas). As primeiras regatas estão previstas para a próxima segunda-feira, dia 11 — por causa do fuso, no horário de Brasília a competição começa na madrugada de domingo para segunda-feira.

O Brasil estará representado em todas as classes, com oito velejadores e seis velejadoras. A vela brasileira tem uma história de conquistas no Mundial da Juventude, incluindo os ouros de Robert Scheidt (1991), Martine Grael e Kahena Kunze (2009), atletas que depois se tornariam medalhistas em Jogos Olímpicos. Continuar lendo “Brasileiros estreiam no Mundial da Juventude nesta segunda-feira”

Scheidt / Boening conquistam a prata na final da Star Sailors League

328343_756634_ssl_gmo_20171208_scheidt_2___release_web_

Robert Scheidt e Henry Boening, o Maguila, viveram uma final de campeonato repleta de emoções em Nassau, nas Bahamas. Exatamente como propõe o regulamento da Star Sailors League Finals, com regatas eliminatórias no dia decisivo. Após 45 minutos de prova, a dupla brasileira cruzou a linha de chegada apenas um segundo depois dos campeões Goodison (GBR) e Kleen (GER).

“Queríamos muito a medalha de ouro, mas uma surfada na última onda, em cima da linha, fez com que eles chegassem um instante à frente. Faltou muito pouco, mas o importante é que lutamos até o fim. Estávamos em quarto e ultrapassamos dois barcos, o que não é fácil. O Henry está de parabéns, fez um ótimo trabalho na proa”, analisou o bicampeão olímpico Scheidt. Continuar lendo “Scheidt / Boening conquistam a prata na final da Star Sailors League”

Volvo Ocean Race larga da Cidade do Cabo rumo à Austrália

m108228_13-03-171210-asv-01650-1450.jpg

A terceira etapa da Volvo Ocean Race começou neste domingo (10) na Cidade do Cabo, na África do Sul. A perna deve ter duração de 15 dias e terá como destino final Melbourne, na Austrália. Os sete barcos na disputa, incluindo o team AkzoNobel, da brasileira Martine Grael, terão 6.500 milhas náuticas pelos mares do sul, famosos pelos ventos fortes, ondas gigantes e o frio. Logo de cara, os tripulantes pegaram rajadas de até 25 nós.

A previsão é de ventos muito fortes até segunda-feira (11), depois deve diminuir um pouco até voltar a soprar com intensidade novamente já no Oceano Antártico (mares do sul).

”Estou tentando me preparar psicologicamente antes de sair da Cidade do Cabo. Será uma etapa muito dura e difícil. Nós do team AkzoNobel estamos com pensamento positivo para conseguir andar bem e chegar mais perto dos líderes da Volvo Ocean Race”, disse a campeã olímpica Martine Grael. Continuar lendo “Volvo Ocean Race larga da Cidade do Cabo rumo à Austrália”

Volvo Ocean Race: Dongfeng vence regata inport na Cidade do Cabo

m108074_13-03-171208-pma-01110-0259.jpg

O Dongfeng Race Team venceu, nesta sexta-feira (8), a regata In-Port Race da Cidade do Cabo, a terceira do campeonato. Mesmo não valendo pontos para a Volvo Ocean Race, a prova teve emoção do começo ao fim entre os sete times que disputam a competição. O barco chinês Dongfeng protagonizou uma disputa milha a milha com Vestas 11th Hour Racing, que perdeu velocidade e acabou em quarto. Um problema em uma das velas tirou um lugar entre os três primeiros do veleiro, que defende as bandeiras da Dinamarca e dos Estados Unidos. O pódio teve MAPFRE, que ficou em segundo lugar, e o team AkzoNobel, em terceiro. O barco contou com a brasileira campeã olímpica Martine Grael.

As condições foram espetaculares nas águas da Cidade do Cabo, com ventos de quase 20 nós e céu ensolarado.

“A nossa equipe fez um trabalho fantástico, com um bom manejo do barco e boa velocidade”, disse o comandante do Dongfeng, Charles Caudrelier, após a regata.

“Não largamos bem, mas depois conseguimos atacar e pressionar o Vestas. Esse foi o fator decisivo”.

O resultado coloca a equipe do francês Charles Caudrelier em segundo lugar no geral da série In-Port, logo atrás da MAPFRE, que manteve a liderança após o segundo lugar na Cidade do Cabo. Ao todo somam 19 pontos contra 18 do Dongfeng. Os espanhóis também estão em primeiro na Volta ao Mundo.

A equipe espanhola largou mal, com direito à penalidade (foram obrigados a pagar um 360). Do último, o MAPFRE pulou pra segundo após as seis bóias contornadas .

”Tivemos um pequeno incidente no início com o Vestas, o que nos atrasou muito. Depois subimos e lutamos com AkzoNobel e Vestas, que teve um problema com o spi no final”, disse o comandante Xabi Fernandez.

“Começamos bem”, disse o navegador do Vestas, Simon Fisher. “No segundo barlavento, o Dongfeng fez um ótimo trabalho, nos empurrou para o lado menos favorecido da raia, e isso dói … Em uma flotilha tão igual, um pequeno erro pode ser transformado em uma bola de neve que leva você do primeiro lugar para o último”.

A In-Port teve ainda Team Brunel e Scallywag participaando de uma batalha particular desde o início. Os árbitros penalizaram Scallywag por uma infração e depois de serem penalizados, o time de David Witt permaneceu atrás.

No final, o Brunel quase roubou uma posição do Turn the Tide on Plastic, mas a equipe de Dee Caffari, que teve um ótimo começo, ficou em quinto lugar. O Team Brunel ganhou a segunda In-Port Race em Lisboa.

Agora os barcos se preparam para a largada da terceira etapa da Volvo Ocean Race, que será disputada entre a cidade sul-africana e Melbourne, na Austrália.

Resultados

1. Dongfeng Race Team

2. MAPFRE

3. team AkzoNobel

4. Vestas 11th Hour Racing

5. Turn the Tide on Plastic

6. Team Brunel

7. Sun Hung Kai / Scallywag

 

Classificação geral

1. MAPFRE – 19 pontos

2. Dongfeng Race Team – 18 pontos

3. Team Brunel – 13 pontos

4. Vestas 11th Hour Racing – 12 pontos

5. team AkzoNobel – 11 pontos

6. Sun Hung Kai / Scallywag – 6 pontos

7. Turn the Tide on Plastic – 5 pontos

Brasileiros seguem na liderança da final da Star Sailors League 

Robert Scheidt segue velejando de forma consistente nas Bahamas. Em busca do segundo título da SSL Finals, o bicampeão olímpico mantém a liderança da competição após quatro regatas disputadas nesta quarta-feira (6), no Nassau Yacht Club. Ao lado do proeiro Henry Boenning, o Maguila, conseguiu um 11º, 4º, 3º e 6º lugares e, com essa regularidade, segurou a ponta na classificação geral, agora com 18 pontos perdidos (contando o descarte do pior resultado). Nesta quinta-feira (7), a fase decisiva da Star Sailors League prossegue com mais quatro corridas.


A regularidade para velejar sempre entre os líderes é a maior arma de Scheidt na SSL Finals, que reúne alguns dos melhores iatistas do planeta em uma disputa acirrada e de alto nível. Mesmo sem cruzar em primeiro em nenhuma das seis regatas disputadas até agora (no primeiro dia fez um 2º e um 3º lugares), o brasileiro mantém uma diferença de dois pontos para a dupla segunda colocada, formada pelos norte-americanos Mark Mendelblatt e Brian Fatih (18 a 20). Na terceira posição aparece Paul Cayard/Phil Trinter, também dos Estados Unidos, com 25 pontos perdidos.

Mesmo com o bom desempenho, Scheidt revele não ter tido um dia de facilidades em Nassau nesta quarta-feira, especialmente com a queda na velocidade do vento. “O mais importante foi termos conseguido evitar erros mais graves. Mantive-nos entre os primeiros, velejando sempre ao lado dos italianos e dos norte-americanos, mas foi difícil manter a concentração durante quatro regatas e com o vento perdendo intensidade. Superamos as dificuldades com o nosso entrosamento. A quinta-feira será um dia importantíssimo”, explicou o bicampeão olímpico de 44 anos, que tem patrocínio do Banco do Brasil e Rolex e apoio do COB e CBVela.

Campeão no ano de estreia da SSL Finals, em 2013, Scheidt disputa a primeira competição internacional após anunciar o encerramento do ciclo visando os Jogos de Tóquio, em 2020, na classe 49er. Ao lado de Henry Boenning, ganhou a medalha de bronze da competição no ano passado. Do total de quatro edições disputadas até agora, o bicampeão olímpico participou de três. Além do título em 2013, conquistado ao lado de Bruno Prada, e o bronze no ano passado com Maguila, Robert foi quinto colocado em 2014, também com Prada.

Além de Scheidt e Boenning, o Brasil conta com mais seis velejadores na SSL Finals. Além das duplas Torben Grael/Guilherme Almeida e Lars Grael/Samuel Gonçalves, os proeiros Bruno Prada (velejando com o suíço Freddy Loof) e Arthur Lopes (formando dupla com o alemão Hubert Merkelbach) completam a lista.

Da assessoria / foto SSL

Scheidt e Maguila lideram a final da Star Sailors League em Nassau

327995_755365_ssl_2017_d1___robert_2_web_

O dia de abertura da quinta edição da Star Sailors League Finals em Nassau atingiu a expectativa de pelo menos duas duplas entre os oito brasileiros que competem nas Bahamas. Os 25 barcos foram para a raia da Baía de Montagu com o propósito de ficar entre as dez melhores, nota de corte para se passar às quartas de final. Após duas regatas de uma série de 11, Robert Scheidt e Henry Boening (Maguila) lideram. Lars Grael e Samuel Gonçalves estão em décimo lugar.

Scheidt e Boening obtiveram um segundo e um terceiro lugares e somam cinco pontos perdidos contra seis dos poloneses Kusznierewicz e Zick, e seis dos norte-americanos Mendelblatt e Fatih, ganhadores da primeira regata e bicampeões nas Bahamas.  A segunda prova do dia teve vitória dos franceses Xavier Rohart e Pierre-Alexis Ponsot, líderes do ranking da SSL. Predominou o vento de leste a sueste entre 9 e 13 nós. Continuar lendo “Scheidt e Maguila lideram a final da Star Sailors League em Nassau”

Copa Brasil de Vela começa neste final de semana em Ilhabela

IV Copa Brasil de Vela
A Escola de Vela de Ilhabela abre suas portas a partir do próximo domingo para a V Copa Brasil de Vela. O principal campeonato da modalidade no país terá sua cerimônia de abertura no dia 10 e regatas a partir da próxima terça-feira, dia 12. A competição é organizada pela Confederação Brasileira de Vela, em parceria com a Prefeitura de Ilhabela, a Federação de Vela do Estado de São Paulo e o Bradesco, patrocinador oficial da vela brasileira e do evento desde a primeira edição.

Assim como nos últimos anos, a Copa Brasil de Vela 2017 acontece paralelamente à Copa Brasil de Vela Jovem. Porém, desta vez, a competição será ainda mais abrangente, com a inclusão das classes Snipe e Optimist. O objetivo é oferecer aos velejadores que estão começando no esporte a oportunidade de ter um contato próximo com os atletas que estão em campanha olímpica.

Alguns dos principais nomes da vela brasileira são esperados na Copa Brasil, como:

  • Kahena Kunze, campeã olímpica da classe 49er FX nos Jogos Rio 2016;
  • Fernanda Oliveira, medalhista olímpica na classe 470 em Pequim-2008;
  • Jorge Zarif, quarto colocado nos Jogos Rio 2016;
  • Patrícia Freitas, campeã da Copa do Mundo da World Sailing 2017 na classe RS:X
  • Torben Grael, coordenador técnico da Equipe Brasileira de Vela, dono de cinco medalhas em Jogos Olímpicos, vice-presidente da Federação Internacional de Vela e membro do Hall da Fama da modalidade.

A Copa Brasil serve de seletiva para a formação da Equipe Brasileira de Vela em 2018 e terá disputa nas seguintes classes: RS:X (Masc e Fem.), Laser Standard, Laser Radial (Fem.), Finn, 470 (Masc e Fem.), 49er, 49er FX, Nacra 17 (Misto), Kitesurf Hidrofoil e Kite Race (Masc e Fem). A disputa vai até o dia 16 de dezembro.

Caruru é campeão brasileiro de j/70

Neste final de semana rolou em Búzios o Brasileiro de J/70, com a presença de 5 tripulações. Após nove regatas o título ficou com o Caruru. A competicão começou sexta com vento fraco de leste e apenas uma regata. Sábado o vento entrou mais forte de sul e quatro regatas foram disputadas. Domingo ele chegou a 12 nós e também foram disputadas quatro regatas.

Confira os resultados

Com informações de Ricardo Lobato