World Sailing confirma barco offshore misto para Paris 2024

18839786_10155562322530757_7642181670893026497_o

A reunião anual da World Sailing que terminou neste final de semana definiu mudanças importantes nas classes que disputarão os Jogos Olímpicos de Paris 2024. A maior delas é a saída do Finn e entrada de uma classe mista de barcos offshore. Este barco deverá ter entre 4 e 6 metros e deverá ser capaz de velejar em condições que variem de 4 a 40 nós de vento. Além do barco offshore, também foi confirmada a entrada do Kite Foil.

O programa olímpico de Paris 2024 será o seguinte:

Men’s Windsurfer – RS:X*

Women’s Windsurfer – RS:X*

Men’s One Person Dinghy – Laser*

Women’s One Person Dinghy – Laser Radial*

Mixed Kite – A ser confirmado

Mixed Two Person Dinghy – A ser confirmado

Women’s Skiff – 49erFX

Men’s Skiff – 49er

Mixed Two Person Multihull – Nacra 17

Mixed Two Person Keelboat Offshore – A ser confirmado

*sujeito a nova avaliação de equipamento.

Foto: Pedro Martinez / Sailing Energy

 

Precisamos de tantas mudanças na vela? Texto de Ricardo Lobato

A Federação Internacional de Vela está reunida para definir o futuro da vela olímpica mundial e algumas mudanças estão sendo propostas. A pergunta é: será que precisamos de tantas mudanças? O velejador e juiz de regatas Ricardo Lobato fez uma análise muito boa (em inglês. Matéria original aqui).

By Ricardo Lobato: Former Brazilian Sailing MNA Executive Secretary and former Snipe Class Commodore.

Many years have passed since I learned how to sail. But, I still remember two sailing lessons. Our first class was at the Iate Clube do Rio de Janeiro swimming pool. We learned how to right the boat and how to bail water out. In fact, Bibi Juetz, our instructor, wanted to make sure we were able to swim with our sailing gear on, before sending us to the Guanabara Bay. I also remember the last sailing class of this year. It was about racing. We learned that a regatta had seven races and one discard. The course was known as “Olympic Course” and we sailed all wind angles (three up wind legs, two reaches and one downwind). We also had a sticker showing all flags we needed to know. That was all the information I needed for the next 20 years and we had great races. Continuar lendo “Precisamos de tantas mudanças na vela? Texto de Ricardo Lobato”

Veleiros de Oceano disputam 36ª Regata Atapuz/Recife no próximo domingo

Circuito-Recifense-Oceano-21-out-18-Fotos-Tsuey-Lan-Bizzocchi-38-800x534.jpg
A tradicional Regata João Batista de Queiroz – Atapuz/Recife chega à 36ª edição e, neste ano, será realizada no próximo domingo (4). O evento, que conta com o apoio do Cabanga Iate Clube de Pernambuco, leva o nome do grande homenageado, João Batista, ex-sócio e velejador do nosso clube. A competição reúne as classes Monocasco RGS A, RGS B e Multicascos Mocra Regata e Mocra Cruzeiro.
As festividades da regata começam já na sexta-feira (2), a partir das 8h30, com a saída das embarcações do Marco Zero do Recife. Na chegada a Atapuz, na cidade de Goiana, haverá o Churrascão Coletivo, na Casa de Moraes. No sábado (3), a Farra do Contra Bordo, no Bar da Velha, dará sequência ao clima de confraternização. E à noite acontecerá o Jantar da Regata e a entrega de premiação do ano passado, na Casa de João Batista.
A curiosidade da Regata João Batista de Queiroz – Atapuz/Recife é que a premiação dos vencedores é realizada apenas no ano seguinte. Desta forma, o idealizador da regata encontrou para manter a grande participação de velejadores na prova. Em 2017, o barco Patoruzu completou o percurso de Recife até Atapuz em 3h53min39s e receberá a premiação neste ano.
 
Antes da partida, no domingo, dia 4 de novembro, haverá o café da manhã, na Casa de João Batista. E a partir das 11h30, as embarcações iniciam a Regata Atapuz/Recife. As inscrições estão abertas ao valor de R$ 80 e dão direito a camisa, jantar e café da manhã do evento.

Sul-Brasileiro de Laser começa nesta sexta em Porto Alegre

IMG_8877.JPG

O Clube dos Jangadeiros, de Porto Alegre, vai receber, de 2 a 4 de novembro (sexta-feira a domingo), o 40º Sul-Brasileiro da Classe Laser. A competição vai reunir nas águas do Guaíba cerca de 50 atletas das classes Standard, Radial e 4.7, dos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo. As regatas começam na sexta-feira (2), a partir das 13h e estão previstas oito até o final das disputas. No domingo, a largada será às 12h.

Vento leste de 15 nós marca o segundo dia do BRASCAT em Ilhabela

A agenda de regatas em Ilhabela segue agitada. Nesta semana está rolando na Escola de Vela Lars Grael o Brasileiro de Hobie Cat 14 e 16. As regatas começaram para valer nesta segunda e até o momento cinco foram disputadas por ambas as classes. Nesta terça-feira foram feitas três regatas com vento leste de 15 nós. No Hobie Cat 14 o líder é Eduardo Silva, de Santa Catarina, com cinco pontos perdidos já contando um descarte. Na Hobie Cat 16 Beto e Marina de Jesus, de Ilhabela, lideram com seis pontos perdidos, também já contando um descarte.

Confira os resultados completos:

HC14

HC16

 

Sorsa é fita-azul da Santos – Rio

44991652_10157890790860558_4773006261375467520_n

Neste final de semana foi disputada a tradicional regata Santos – Rio. A largada foi dada no sábado, no Iate Clube de Santos, pouco antes da entrada de uma frente-fria e, por isso, a previsão era de ventos fortes de sul e mar grosso. O vento acompanhou os velejadores durante boa parte do percurso, fazendo com que o Sorsa fizesse o terceiro melhor tempo da história da regata, de 21 horas, 14 minutos e 53 segundos, garantindo a fita-azul desta edição. Dos 24 barcos que largaram, apenas o Maestrale não completou por problemas no mastro.

Garantiram a vitória nas classes: Rudá na IRC, Felciuno na ORC, Grug na RGS e Daddy-O na Mini.

A competição também foi válida como primeira regata do Brasileiro de ORC e IRC, que segue nesta semana com a disputa do Circuito Rio.

Confira o resultado completo:
ORC
IRC
RGS
MINI

Foto: André Mirsky / arquivo pessoal

Juliana Duque e Rafael Martins são vice-campeões do Hemisfério de Snipe

unnamed (39).jpg

A classe Snipe brasileira segue fazendo bonito nos eventos internacionais. Desta vez a medalha veio com o casal baiano Juliana Duque e Rafael Martins, que, após liderar os três primeiros dias de regatas na Argentina, acabou a competição na segunda colocação, atrás apenas dois pontos dos americanos Ernesto Rodriguez e Kathleen Tocke, primeiros colocados.  Completaram o pódio os argentinos Lucho Pesci e Barbara “Barbie” Brotons. Juliana, que é campeã mundial feminina, tem conquistado excelentes resultados na classe ao lado do marido e os dois buscam agora a vaga para os Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru.

Além dos dois, o Brasil também foi representado por Tiago Brito e Antonio Rosa (7), Bruno Bethlem e Rodrigo Lins (9), Juninho e Binho (10), Rafael Gagliotti e Henrique Winsniewski (11), Rodrigo de Almeida e Flavio Castro (14), Alex Juk e Piero Furlan (21), Gabriel Kielling e Giovanni Pistorello (24), Ralph Rosa e Alexandre (26), Adriano Santos e Cristian Franzen (29).

Os resultados completos podem ser vistos aqui

Foto: Matias Capizzano

Spindrift pronto para mais uma tentativa de recorde de volta ao mundo

Os tripulantes do maxitrimarã Spindrift estão se preparando mais uma tentativa de conquista do Troféu Julio Verne de barco mais rápido a dar a volta ao mundo. O início da espera oficial está marcado para dia 5 de novembro, só dependendo das condições perfeitas do tempo para a partida de Brest, na França. O tempo a ser batido é de 40 dias, 23 horas, 30 minutos e 30 segundos e foi estabelecido por Francis Joyon em 2017.

Fazem parte da tripulação do Spindrift: Dona Bertarelli, Yann Guichard (skipper), Christophe Espagnon, François Morvan, Xavier Revil, Jacques Guichard, Erwan Israël, Thierry Chabagny, Sam Goodchild, Erwan Le Roux, Benjamin Schwartz, Jackson Bouttell e Duncan Späth, além de Thierry Duprey Du Vorsent e Morgan Lagravière, que estarão na reserva.

Santos – Rio larga neste sábado

349217_837068_qw2a9187_web_

Neste sábado, 27 de outubro, o Iate Clube de Santos e o Iate Clube do Rio de Janeiro promovem a 68ª Regata Santos-Rio que continua palco de emocionantes velejadas, sempre envolvendo grandes nomes da vela oceânica. Com largada às 12h da Baía de Santos, a disputa está entre as mais importantes do calendário de vela do país e reunirá barcos das classes ORC, IRC e BRA-RGS que terão um limite de 96 horas para cruzar a linha de chegada.

No píer do ICS a movimentação é intensa, até o momento, vinte tripulações estão confirmadas para o percurso de 200 milhas náuticas que neste ano valerá como a primeira regata do Campeonato Brasileiro de ORC e IRC que começa no dia 1 de novembro. O evento organizado pela Associação Brasileira de Veleiros de Oceano (ABVO), Confederação Brasileira de Vela (CBVela) e Iate Clube do Rio de Janeiro será uma continuação de disputas para aqueles que concluírem a Santos-Rio, seguido de cerimônia de premiação para todas as classes na sexta-feira, dia 2.

Para a largada em Santos, a previsão é de tempo instável, com mar navegável, sol entre nuvens e ventos sudoeste de até 14 nós. As inscrições na secretaria náutica do ICS se encerram às 10h deste sábado.

Para acompanhar ao vivo, clique aqui.

Da assessoria