Camiranga tem problemas e desiste da RORC Caribbean 600 em Antígua

A regata RORC Caribbean 600 largou nesta segunda-feira em Antígua, no Caribe, com a maior flotilha já vista nos 10 anos da competição. O Brasil está sendo representado pelos gaúchos do Camiranga, porém a equipe de Samuel Albrecht teve problemas na vela e acabou abandonando a regata e voltando para Antígua.

O começo da regata não foi fácil, com rajadas de mais de 20 nós na largada e mar bastante mexido. Na manhã desta terça-feira 16 barcos já haviam desistido da regata.

Para acompanhar o tracking da regata, clique aqui.

Velejador holandês corta a perna e é operado após incidente de Nacra 17

O holandês Christian Peter Stephensen Lubeck foi mais uma vítima do Nacra 17. O velejador teve que passar por uma cirurgia após cortar a perna no leme do barco. O trapézio de Lubeck quebrou, arremessando-o contra o leme, enquanto ele disputava a Oceanbridge NZL Sailing Regatta, em Auckland, Nova Zelândia, ao lado da parceira Lin Ea Christiansen.

Este foi o segundo incidente sério com um velejador de Nacra 17. Em agosto de 2017 o velejador americano Bora Goulari perdeu parte de três dedos enquanto velejava na França.

A classe Nacra 17 é faz parte do programa olímpico de Tóquio 2020 e está nos holofotes da mídia por conta dos incidentes e também por conta de um recall feito em uma peça da bolina.

foto: Yachting New Zealand

Mundial Master de Finn tem mais de 100 inscritos

A imagem pode conter: atividades ao ar livre

Entre os dias 18 e 25 de maio, o clube El Balis, na Espanha, vai sediar o Mundial Master da classe Finn. As inscrições seguem abertas mas, até o momento, mais de 100 velejadores de 19 países já confirmaram a participação. O Brasil terá, por enquanto, seis representantes: Luis Mosquera, Cristiano Rushmann, Pedro Lodovici, Paulo Pichetti, Fabiano Vivacqua e Ricardo Santos. Oito regatas estão programadas, incluindo uma medal race ou regata final.

Em Miami,Jorge Zarif é o melhor brasileiro na Copa do Mundo

Jorge Zarif 01_Crédito Jesus Renedo_Sailing Energy.jpg

Com um bom desempenho na regata da medalha disputada neste domingo (28), Jorge Zarif conseguiu mais uma vez ficar no top 5 da etapa de Miami da Copa do Mundo da World Sailing (Federação Internacional de Vela). O brasileiro ficou em segundo lugar na prova decisiva e terminou na quarta posição na classificação geral da classe Finn, com 61 pontos perdidos. Em seis participações na competição americana, esta foi a quinta vez que Jorginho ficou entre os cinco melhores: foi ouro em 2016 e 2017 e bronze em 2013 e 2014.

“O objetivo era o pódio, mas não foi um mau resultado. Em relação ao ano passado, eu melhorei muito nas largadas, mas perdi pontos no popa aqui. Agora é continuar treinando e tentar ajustar a parte tática”, afirmou o brasileiro, que pela terceira vez consecutiva terminou no top 5 em etapas da Copa do Mundo de vela (ouro em Miami-2017 e 5° lugar em Hyères-2017, na França).

A semana foi relativamente atípica em termos de condições de vento na Flórida, com rajadas mais fortes do que o normal para esta época do ano. O vencedor da classe Finn foi o inglês Giles Scott, atual campeão olímpico da classe, com apenas 19 pontos perdidos. O velejador britânico dominou a última regata de ponta a ponta, mas sempre com Jorge Zarif logo atrás, na cola. A prata foi para o americano Caleb Paine (51 p.p.) e o bronze ficou com o turco Alican Kaynar (54 p.p.).  Continuar lendo “Em Miami,Jorge Zarif é o melhor brasileiro na Copa do Mundo”

Em Miami, Brasil avança para a medal race na Copa do Mundo

Carlos Robles e Marco Grael 02_Credito Jesus Renedo_Sailing Energy.jpg

A etapa de Miami da Copa do Mundo da World Sailing (Federação Internacional de Vela) chega ao primeiro dia de regatas da medalha e o Brasil estará presente na disputa na classe 49er. Carlos Robles e Marco Grael deixaram para trás o barco da Itália por uma vantagem de apenas 0,1 ponto perdido (103,9 a 104,0), avançando em décimo lugar. A prova final será neste sábado (27), mesmo dia em que velejadores brasileiros irão em busca de melhores posições nas classes 470 e Finn, na luta por pódios no campeonato.

Nesta sexta-feira (26), as regatas foram canceladas pelas más condições de vento no City of Miami Regatta Park. Além da 49er, a fase de classificação chegou ao fim na classe Nacra 17, com o Brasil terminando com Samuel Albrecht e Bruna Martinelli em 13º lugar (85 pontos perdidos), e João Bulhões e Gabriela Nicolino logo atrás em 14º (86 p.p.). Continuar lendo “Em Miami, Brasil avança para a medal race na Copa do Mundo”

Crioula é campeão do Circuito Atlántico Sur

crioula.jpg

O Crioula Team, do Veleiros do Sul, foi o grande campeão do Circuito Rolex Atlântico Sul que encerrou neste sábado em Punta del Este na categoria ORC. A equipe do barco Soto40 comandada Renato Plass e  que conta com Samuel Albrecht como tático terminou a sua participação com vitória nas duas últimas regatas da série. Na classe IRC o Brasil foi representado pelo o barco Madrugada, de Niels Rump, do mesmo clube, que ficou em quarto lugar na classificação geral. Súmula Final  

Com informações do VDS

Spindrift perde o mastro antes da largada do Troféu Julio Verne

SPINDRIFT 2 DISMASTS ON WAY TO START OF ROUND THE WORLD RECORD

É, não deu. O Spindrift, iria partir nesta segunda-feira do farol de Créac’h, para tentar conquistar o troféu Julio Verne, mas antes mesmo de chegar na linha de largada o time de Yann Guichard teve que desistir, pois o mastro do barco quebrou. No momento do incidente o vento estava na casa dos 30 nós e o mar bem agitado.

“Tudo aconteceu muito rápido. Em alguns segundos o mastro estava embaixo. Esperamos dois meses por esta partida: esta janela no tempo era nossa última chance. É uma grande decepção para todo o time, tanto de terra quanto de água, já que estávamos prontos. Passamos muito tempo otimizando o barco e tudo acaba em alguns momentos”, disse Guichard.

Esta seria a segunda tentativa de partida do time, que, na semana passada acabou desistindo por conta da previsão do tempo. Esta semana a previsão havia melhorado e, segundo os cálculos da equipe, eles deveriam chegar no Equador com algumas horas de vantagem sobre o atual recorde.

Confira a entrevista completa do velejador francês:

Foto: Chris Schmid / Spindrift racing

 

Spindrift pronto para tentar conquistar o Troféu Julio Verne

spindrift

Yann Guichard e sua tripulação deverão partir nesta segunda-feira (15/1) de Brest, na França, para tentar conquistar o Troféu Julio Verne de barco mais rápido a dar a volta ao mundo. A equipe estava há dois meses esperando a janela de tempo perfeita e espera chegar no Equador com pouco mais de cinco dias (5d 5h – 5d 10), o que dá a eles uma vantagem de pouco mais de 8 horas em relação ao atual recorde (5d 18h ​​59), estabelecido por Francis Joyon a bordo do IDEC em 2007. O tempo a ser batido é de 40 dias, 23 horas e 30 minutos.

Acompanhe a aventura em: http://bit.ly/2EIu1Nx

Circuito Atlántico Sur começa neste sábado com brasileiros na disputa

16112531_883133721824026_108530672396849167_o

Neste sábado começa em Buenos Aires o Circuito Atlántico Sur Rolex Cup, tradicional evento para veleiros de Oceano. O Brasil, que costuma fazer bonito na competição, este ano terá apenas dois representantes: o Crioula, de Renato Plass, na ORC Internacional, e o Madrugada, de Niels Rump, na IRC.

Estão programadas sete regatas para todas as classes de rating. A primeira regata será a Olivos/Buenos Aires – Buceo – Punta del Este. As outras seis serão realizadas em raia próxima à Punta del Este, no Uruguai.

Com vento fraco, 102 barcos largam de Sydney rumo a Hobart

2017-rolex-sydney-hobart-yacht-race-start-credit-rolex-carlo-borlenghi

O céu cinza não tirou o entusiasmo dos 102 barcos que largaram neste dia 26 em Sydney, na Austrália, rumo à Hobart, em uma das regatas oceânicas mais tradicionais do mundo. O vento estava bastante fraco, entre 5 e 8 nós, bem diferente dos últimos anos quando ele aparecia bastante forte. Na disputa entre os maxis, o Wild Oats XI, de vela a direita, cambrou bem próximo ao LDV Comanche, que estava de vela a esquerda, quase causando uma colisão e deixando claro que a disputa seria acirrada nas próximas 628 milhas da regata.

Confira o vídeo do momento do incidente aqui.

Foto de Carlo Borlenghi