Brasileiros levam ouro e prata no Europeu de Star

Terminou neste domingo em Flensburger, na Alemanha, o Europeu da classe Star. E mais uma vez o Brasil fez bonito, levando a medalha de ouro com Bruno Prada, que velejou na proa do americano Augie Diaz, e a medalha de prata com Lars Grael e Samuel Gonçalves.

Além de ser uma competição muito acirrada e que contou com cinco campeões mundiais na raia dentre as 71 duplas de 17 países, o clima deixou tudo ainda mais difícil. Na segunda noite de competição uma forte ventania causou um fenômeno climático que fez com que a água do ‘fiorde’ onde fica o clube recuasse, deixando muitos barcos atolados na lama. No sábado, penúltimo dia de regatas, o vento entrou com tanta força, com quase 40 nós, e a CR não cancelou a regata, causando quebras de mastro e deixando muitas velas destruídas.

“O título foi decidido numa disputa acirrada com a dupla Augie Diaz / Bruno Pradaaté a linha de chegada da última regata. Por bico de proa, eles passaram a dupla do atual campeão mundial Eivind Melleby e Guilherme Almeida cruzando em 5º. Nós viemos do outro lado e tivemos que dar água para ambos. Perdemos no critério de desempate. Faz parte e o Vice-título foi um ótimo resultado”, disse Lars.

Os resultados podem ser vistos aqui: http://bit.ly/2ARXJT5

Brasileiros lideram Europeu de Star

O Europeu de Star, que começou nesta quinta-feira em Flensburger, na Alemanha, tem dobradinha brasileira na liderança. Bruno Prada, que corre na proa de Augie Diaz, é o líder, enquanto Lars Grael e Samuel Gonçalves aparecem em segundo.

O dia começou sem vento, com todas as tripulações esperando em terra por mais de 1h. Quando o vento entrou, veio fraco, muito rondado vindo de leste

“Parecia Brasília”, disse Samuel. “Foi muito difícil, cada hora dava uma situação diferente e sabemos que vencer um campeonato desse precisa de média”.

O nível do campeonato está muito alto, com seis campeões mundiais. Até o momento duas regatas foram disputadas e a previsão é que as 71 duplas ainda disputem mais duas por dia até sábado e apenas uma no domingo, último dia do campeonato.

Para acompanhar o evento, clique em: http://bit.ly/2ARXJT5

Europeu de Star começa nesta quinta com brasileiros na disputa

Com 71 duplas de 15 países, começa nesta quinta-feira em Flensburg, na Alemanha, o Campeonato Europeu de Star. Lars Grael e Samuel Gonçalves são a única dupla 100% brasileira. Bruno Prada e Guilherme Almeida reforçam a proa de Augie Diaz e Eivind Melleby respectivamente. Estão programadas duas regatas por dia até sábado e apenas uma no domingo, último dia de competição. É possível acompanhar os resultados em: http://bit.ly/2ARXJT5

 

Disputas acirradas marcam o Mundial de Vela Offshore

37401931_645269209163112_4795278694757171200_o.jpg

Terminou nesta sexta-feira em The Hague, na Holanda, o Mundial de Vela Offshore. O evento contou com a participação de 86 barcos, de 15 países, medidos nas classes ORC e IRC e foi um marco na vela mundial ao juntar os dois sistemas de rating em um só. A disputa pelo título nas três categorias (A, B e C) teve regatas barla-sota e de percurso e ficou em aberto até a última regata do último dia. Na classe B, a CR teve que dar quatro largadas, até que finalmente, com a bandeira preta, nenhum barco largasse escapado. O campeão da classe A foi o Team Beau Geste, de Hong Kong. Na B, quem levou a melhor foi o Santa, da Noruega. Na C o vencedor foi o holandês de bandeira francesa J Lance 12.

“Faz muitos anos que estamos trabalhando com os amigos da RORC para combinar as regras e esse foi um importante primeiro passo. Gostaríamos de convidar a todos para o Mundial do ano que vem, em Sibernik, na primeira semana de junho”, disse Bruno Finzi, presidente da ORC.

Equipe brasileira estreia em oitavo no Mundial de TP52

Começou nesta segunda-feira em Cascais, Portugal, o Mundial de TP52. Os nove times inscritos disputaram duas regatas com um swell que foi crescendo ao longo do dia e permitiu belas planadas nas pernas de popa.

A disputa está acirrada entre o italiano Azzurra e o americano Quantum, cada um com uma vitória e um segundo lugar. Os brasileiros do Onda, comandados por Eduardo Souza Ramos e com Robert Scheidt na tática, aparecem na oitava colocação, com um sétimo e um oitavo lugares.

A competição segue até o dia 21 de julho e pode ser acompanha ao vivo no site da classe: http://www.52superseries.com/

Brasil coloca cinco velejadores no TOP 20 do Norte Americano de Optimist

36281909_226741861268089_3890786602586210304_n

Puerto Vallarta, no México, foi o palco do Norte Americano de Optimist 2018, que reuniu nada menos que 149 velejadores, de 14 países. O Brasil levou uma deleção de 17 jovens velejadores e conseguiu bons resultados. A equipe BRA1 levou a medalha de prata na Nations Cup Team Racing com Luiza More (RS), Antonio da Fonte (PE), Mario de Carvalho Jr (SP), Pedro Muricy (RJ) e Pedro Henrique Wiegrand (RJ).

Na classificação geral, cinco atletas terminaram entre os 20 melhores. Antonio da Fonte foi o melhor, em sexto lugar; Mario Otavio Jr ficou em 13º, João Pedro Cardoso em 15º, Marcelo Souza em 16º e Pedro Muricy em 19º.

Os outros resultados da flotilha ouro foram os seguintes: Miguel Machado (32), Pedro Henrique Cardoso (35), Gabriela Vassel (49), Theo Chao (62), Pedro Henrique Wiegrand (63). Na flotilha prata, os resultados foram: Julia Ollivier (3), Luiza More (7), Newton Passos (8), Clara Mateus (10), Leonardo Didier (30), Eduardo Guimarães (36) e Manuela da Cunha (47).

Os resultados completos podem ser vistos aqui.

 

 

 

 

Espanhois lideram o Mundial Master da classe Snipe

36283314_237358373520899_6853449502859198464_o.jpg

Está rolando em Vilamoura, Portugal, o Mundial Master da classe Snipe. E, apesar da grande tradição de títulos internacionais na classe, o time brasileiro ainda não se acertou na água. Após dois dias e quatro regatas, os melhores brasileiros na competição são Ralph Rosa e Daniel Claro, na quinta colocação. Os líderes são os espanhóis Damian Camps e Jordi Pons.

A equipe verde e amarela conta ainda com Adriano Santos/Cristian Franzen (9), Alexandre Paradeda/Pedro Caldas (22), Paulo Santos/Tiago Sangineto (34), Carlos Menezes/Augusto Gomes (44), Carlos Traversa/Alberto Hackerott (45), Mario Eugênio Tavares/Rebeca Santos (50), Roberto Camps/Maria Laura Varela (53) e Enio Lineburger/Eric Lineburger (66).

Esta quinta-feira é dia reserva e as regatas voltam na sexta-feira. Com a entrada do descarte a partir da sexta regata, muita coisa vai mudar. Confira os resultados completos:

http://snipeworlds.org/files/6815/3012/0709/SWM_D2_R4.pdf

Brasil é campeão mundial militar de Match Race

35645586_10160610670675654_4110451390680137728_o

A equipe brasileira conquistou nesta quarta-feira em Helsinki, na Finlândia, a medalha de ouro no Mundial Militar de Vela na categoria Match Race. O time formado por Geison Mendez, Gustavo Thiesen, Mario Tinoco, Gabriel Borges e Gabriela Nicolino venceu a equipe russa na final do Match Race por 2×0 com ventos que chagaram na casa dos 25 nós. Participaram da competição equipes de 15 países.

Jorge Zarif é ouro na final da Copa do Mundo de Vela

2018 WORLD CUP SERIES MARSEILLE

Mais um domingo e mais um show de Jorge Zarif nas águas da França. Com uma atuação brilhante neste dia 10, em Marselha, o brasileiro venceu a regata da medalha da classe Finn e conquistou o ouro na Final da Copa do Mundo da World Sailing (Federação Internacional de Vela). O velejador terminou com apenas 34 pontos perdidos e deixou para trás o segundo colocado, o neozelandês Josh Junior (51 p.p.). A performance decisiva foi muito semelhante à que lhe valeu o título da etapa francesa de Hyères da Copa do Mundo, no fim de abril.

“Foi muito bom. Em Hyères, a única regata que eu venci foi a da medalha. Aqui eu fiquei com o colete amarelo do líder por quatro ou cinco dias. É como se tivesse um alvo nas costas, com todo mundo mirando em você. Mas estou feliz por ter ganhado a regata e o campeonato”, afirmou Jorginho. Continuar lendo “Jorge Zarif é ouro na final da Copa do Mundo de Vela”

João Pedro Souto de Oliveira é ouro nos Jogos Sul-Americanos

Joao Pedro Souto de Oliveira_Crédito Walter Böddener_CBVela.jpeg

A vela brasileira encerrou da melhor forma possível sua participação nos Jogos Sul-Americanos Cochabamba 2018. Nesta quinta-feira, dia 31, João Pedro Souto de Oliveira venceu a disputa da classe Laser, na Represa Corani-La Barca, no município de Colomi. Desta forma, o Brasil encerrou sua participação na modalidade com 100% de aproveitamento: foram duas medalhas de ouro conquistadas nas duas classes com presença verde-amarela.

João Pedro liderou a competição do começo ao fim, com uma performance incontestável. O brasileiro ganhou cinco das nove regatas disputadas, fechando o campeonato com 14 pontos perdidos.

“O campeonato aqui, por incrível que pareça, foi de vento forte. Foram sete regatas de 15 nós ou mais, e eu estava bem rápido, me sentindo bem (nos dois primeiros dias). Consegui fazer logo uma boa vantagem para administrar no final, no vento fraco”, afirmou o velejador brasileiro.

Na segunda-feira, o Brasil já tinha garantido lugar no topo do pódio da classe Snipe, com Juliana Duque e Rafael Rizzato. As cerimônias de premiação da vela foram realizadas nesta quinta-feira. Na Laser, a medalha de prata ficou com Francisco Guaragna, da Argentina (22 p.p.). O bronze foi para Ignacio Rodriguez, do Uruguai (também com 22 p.p., superado pelo argentino no desempate).

“É uma missão do COB (Comitê Olímpico do Brasil), um grande evento. Ganhar o ouro aqui a gente sente que está contribuindo para o Brasil ganhar no quadro de medalhas. É uma felicidade enorme”, disse João Pedro.

Os Jogos Sul-Americanos Cochambamba 2018 reuniram 35 atletas de nove países na disputa da vela: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.