Parceria Notícias Náuticas e Vela Master Brasil: Manfred Kauffmann Jr é nosso novo colunista

13501785_10202015511786599_3207090041226791134_n.jpg

Seguindo o objetivo do Notícias Náuticas, que visa divulgar a vela brasileira, fechamos uma parceria com a Vela Master Brasil, um grupo com ideia original de Manfred Kaufmann Jr., o Fips, velejador de Laser da Guarapiranga, que também será nosso colunista, claro, falando sobre o esporte para os mais experientes. A cada quinze dias ele trará as novidades, dicas, calendário e muito mais para quem já passou dos 35 anos mas que, assim como nós, ama velejar.

Confira abaixo a primeira coluna:

“Observa-se que os eventos Master em diversas modalidades multiplicam-se e ocupam atualmente um lugar de destaque no cenário esportivo.

A categoria Master veio para prolongar a vida esportiva de atletas competitivos, possibilitando a participação em disputas de alto nível entre atletas que gostam do desafio competitivo, tendo o benefício da prática esportiva, bem como da camaradagem e convívio social.

Pude testemunhar recentemente como o esporte Master e a vela Master em particular estão sendo desenvolvidos no exterior. Participei dos World Masters Games 2017 (WMG) realizados em Auckland, Nova Zelândia em abril passado. Trata-se de uma Olimpíada Master que teve, nesta edição, a participação de 25.000 atletas em 28 modalidades. A título de comparação, a Rio 2016 teve aproximadamente 12.000 atletas. O World Masters Games acontecem a cada quatro anos e a próxima edição será no Japão em 2021. Em 2020 acontecerão os Panamerican Masters Games no Rio.

A vela nos WMG 2017 foi disputada em três classes: Laser STD, Laser Radial e Weta. A classe Weta é um trimarã com 4,5 m, mestra+buja+assimétrico e mastreação de carbono (http://www.wetamarine.com/the-boat/ ). Havia mais de 200 velejadores(as) na classe Laser, divididos em 4 flotilhas, duas de STD (AM+M e GM+GGM) e duas de Radial (AM+M, masc. e fem. e GM+GGM+75+, masc. e fem.). Tive a oportunidade de reencontrar diversos concorrentes da época em que inicialmente me dediquei à classe Laser e constatei que levam a disputa Master muito a sério! Muitos não pararam de velejar de Laser desde aquela época.

Existem atualmente duas associações Master regularmente constituídas em nível nacional: natação e atletismo. Há também o Comitê Brasileiro de Esporte Master (CBEM). Acreditamos que a vela Master no Brasil é expressiva e crescerá ainda mais se concentrarmos os esforços para atender os anseios dos velejadores Master no âmbito de um grupo/associação nacional. Divulgamos a iniciativa junto aos velejadores Master das classes Laser, Snipe, Finn e Star, que têm uma boa representatividade dentro da vela no Brasil e que contemplam categorias Master nos respectivos regulamentos. A receptividade da ideia foi excelente!

O objetivo do grupo será fomentar e desenvolver a vela Master no Brasil, cadastrando os participantes, organizando eventos com características próprias, buscando apoio das respectivas associações de classe, da CBVela, das federações estaduais e dos clubes, bem como reconhecendo as atividades de seus membros. O grupo está planejando criar um circuito brasileiro de eventos Master em 2018.

Já foram criados grupos no FB (https://www.facebook.com/groups/velamasterbrasil/ ), no WhatsApp (https://chat.whatsapp.com/BEoKnvk9BYlDAXgmTXM7vL ) e no Google Groups (https://groups.google.com/d/forum/velamasterbrasil ). Participe!

Abraço,

Manfred Kaufmann Jr.”

Foto: Luhan Grolla

Indicações para melhor velejador do ano já estão abertas

x201608181804556558.jpg.pagespeed.ic.pSz37QHbt6.jpg

A World Sailing anunciou esta semana que já está recebendo as indicações para o prêmio de Melhor Velejador do Ano. Qualquer pessoa pode se inscrever ou indicar alguém (ou equipe), desde que tenha tido uma performance excelente entre 19 de setembro de 2016 e 31 de agosto de 2017. As indicações podem ser feitas até o dia 1º de setembro. Os vencedores serão anunciados na conferência anual da entidade em 7 de novembro, em Puerto Vallarta, no México.

Lembrando que o Brasil já ganhou o prêmio com Martine Grael e Kahena Kunze (2014), Torben Grael (2009) e Robert Scheidt (2004/2001).

Clique aqui para indicar alguém

 

Site dá informações sobre o vento nas duas pontas do canal de São Sebastião

anemometro ikha

Quem veleja em Ilhabela agora tem mais um ponto de marcação do vento em tempo real. Foi instalado na laje dos Moleques um anemômetro que passar as mesmas informações do equipamento já existente na BL3/Iso. Agora é possível conferir o vento nas duas pontas do canal de São Sebastião.

O site para acompanhamento das informações é o http://bit.ly/2vSNoSs

 

 

Está aberta a temporada dos Mundiais de Vela

Gabriella Kidd.jpg

Está aberta a temporada de Campeonatos Mundiais de classes olímpicas para a Equipe Brasileira de Vela. A primeira velejadora a entrar na água será Gabriella Kidd, na disputa do Mundial de Laser Radial, que tem as primeiras regatas previstas para segunda-feira, dia 21, em Medemblik, na Holanda. A competição vai até o próximo dia 26.

Nas próximas seis semanas, o calendário de competições será intenso. Haverá disputa de Mundiais em sete classes olímpicas com participação de velejadores do Brasil. Confira a programação na tabela abaixo:

Mundial de Classe Olímpica

Data

Local

Laser Radial

19 a 26/08

Medemblik (Holanda)

49er

28/08 a 02/09

Porto (Portugal)

49erFX

28/08 a 02/09

Porto (Portugal)

Finn

01 a 10/09

Balatonfoldvar (Hungria)

Laser

02 a 19/09

Split (Croácia)

Nacra 17

05 a 10/09

La Grande Motte (França)

RS:X feminino

16 a 23/09

Enoshima (Japão)

Nessas competições, o Brasil terá na água atletas como Carlos Robles e Marco Grael (49er), Robert Scheidt e Gabriel Borges (49er), Martine Grael e Kahena Kunze (49erFX), Jorge Zarif (Finn), João Pedro Souto Oliveira (Laser), João Bulhões e Gabriela Nicolino (Nacra 17) e Patrícia Freitas (RS:X feminino).

Na Laser Radial, Gabriella é uma das caras novas da Equipe Brasileira de Vela em 2017. Atleta da categoria sub-21, a velejadora disputará o Mundial pela primeira vez, em busca de uma experiência valiosa no começo do ciclo olímpico de Tóquio 2020.

“Sem dúvida será um Mundial de altíssimo nível. Vou dar o meu 100% e tentar o melhor resultado possível. São muitas velejadoras com experiências olímpicas, algumas bem mais velhas do que eu. Vou ter a oportunidade de colocar em prática o que venho treinando, melhorar meu desempenho e minha técnica, além de observar as adversárias e ganhar experiência”, afirmou.

da assessoria

CBVela anuncia comissão de atletas eleitos por velejadores federados

Mais uma demonstração de democracia na Confederação Brasileira de Vela (CBVela). Nesta segunda-feira, dia 14, foi anunciado o resultado da eleição para a nova Comissão de Atletas da entidade. Por meio do voto direto, mais de 250 velejadores escolheram seus representantes na Confederação, que terão mandato até o fim de 2020. Foram eleitos: Bruno Prada (94 votos), Isabel Swan (71), Samuel Albrecht (67), Bruno Bethlem (62) e Bruno Fontes (60). Veja abaixo um perfil de cada um deles. Continuar lendo “CBVela anuncia comissão de atletas eleitos por velejadores federados”

Medal Race do Nacra 17 é cancelada no Evento Teste do Mundial de Vela após fabricante anunciar recall

Hoje em dia é muito comum vermos na TV as grandes montadoras anunciando recall em determinados modelos de carros por diferentes motivos. O que não estamos acostumados é ver recall de barco. Pois isto está acontecendo com os novos barcos da classe Nacra 17. Neste final de semana a World Sailing anunciou que a medal race da classe no Evento Teste do Mundial de Classes Olímpicas, que foi disputado em Aarhus, na Dinamarca, até este sábado, foi cancelada por conta de problemas na placa inferior que suporta a nova bolina.

Os barcos que serão usados em Tóquio 2020 possuem fólios e são uma versão atualizada dos barcos usados no Rio 2016. Conversamos com Gabi Nicolino, que faz parte da Equipe Olímpica Brasileira, e acaba de retornar da Itália, onde passou cinco semanas treinando para o Mundial de Nacra, que será disputado a partir do dia 5/9 em La Grand Mote, na França.

“Nós fomos para a Europa na intenção de disputar o Campeonato Europeu, porém, o kit que deveria chegar no final de junho só chegou dia 12 de julho e optamos, então por ficar treinando em Torbole, na Itália, ao invés de competir. Neste kit vem os cascos novos e os foils novos (leme e bolina) todo o resto (mastro, trampolim, velas, etc) nós já tínhamos. Continuar lendo “Medal Race do Nacra 17 é cancelada no Evento Teste do Mundial de Vela após fabricante anunciar recall”

RS:X: Patricia Freitas é 5ª no Evento Teste do Mundial de Classes Olímpicas

Patrícia Freitas_Crédito Jesus Renedo_Sailing Energy_Aarhus Sailing Week

O ano de 2017 tem sido de resultados muito consistentes para a velejadora Patrícia Freitas da classe RS:X Feminina. E o mais recente veio neste sábado, dia 12, com a quarta colocação na Semana de Aarhus, na Dinamarca, que serviu como evento-teste para o Campeonato Mundial de Classes Olímpicas de 2018. Em três competições do circuito da World Sailing (Federação Internacional de Vela) nesta temporada, a brasileira obteve três resultados de top 5.

“Foi uma semana de condições variadas. Esse campeonato foi um teste para o Mundial que acontecerá aqui no ano que vem, até lá eu subo mais um pouco”, afirmou Patrícia.

A velejadora brasileira terminou a Semana de Aarhus com 53 pontos perdidos, empatada com a italiana Flavia Tartaglini, que conquistou o bronze por ter vencido neste sábado a regata de medalha, que era critério de desempate. Patrícia acabou na quarta posição na regata decisiva e ficou apenas um ponto atrás de outra italiana, Marta Maggetti, que levou a prata (52 p.p.). O ouro foi para a holandesa Lilian de Geus (19 pontos perdidos).

Este ano, Patrícia Freitas competiu três vezes em competições da World Sailing, sempre ficando no top 5:

  1. Copa do Mundo de Hyères (França): 5° lugar
  2. Final da Copa do Mundo em Santander (Espanha): medalha de ouro
  3. Evento-Teste do Mundial de Aarhus: 4° lugar

O próximo compromisso na agenda é o Campeonato Mundial de RS:X, marcado para começar no dia 16 de setembro. A competição vai ter um sabor de prévia dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, já que será realizada em Enoshima, a sede das regatas olímpicas daqui a três anos.

Na classe Finn, Jorge Zarif encerrou sua participação neste sábado, ficando em 19° lugar, com 149 pontos perdidos. Jorginho agora volta o foco para o Campeonato Mundial de Finn, que tem início previsto para 1° de setembro, em Balatonfoldvar, na Hungria.

Na RS:X masculina, o brasileiro Gabriel Bastos acabou na 42ª colocação, com 273 pontos perdidos.

Para ver os resultados completos, clique aqui.

Snipe: Paradeda/Mazin perdem o vice-mundial em protesto; Camaradinha/Leleko são os melhores brasileiros

20690241_1012918725512191_2274496981965975328_o.jpg

 

Terminou nesta sexta-feira em La Coruña, na Espanha o Mundial da classe Snipe. O Brasil esteve na frente da competição até o penúltimo dia com Mario Tinoco (Camaradinha) e Leleko Muto, quando o vento apertou e os porto-riquenhos Raul Rios e Mac Agnese assumiram a ponta. Neste último dia, no entanto, Xandi Paradeda e Lucas Mazim foram os melhores, encerrando a competição na segunda colocação geral, com os porto-riquenos em primeiro, porém um protesto tirou a dupla brasileira do pódio. Raul/Mac mantiveram o título, com Gustavo e Rafael del Castillo em segundo e Rayco Alvarez e Gonzalo Quintana em terceiro.

Os melhores brasileiros foram Camaradinha/Leleko em quinto, Alexandre Tinoco (Amiguinho)/Victor Perez em sexto e Bruno Bethlem (Bebum)/Leandro Lins em nono. Xandi/Lucas acabaram na 11ª colocação.

“Hoje tivemos duas regatas com vento de 12 a 18 (mais para 18!), com muita onda, condição bem difícil. Os brasileiros foram muito bem, conseguimos colocar todos as 17 duplas na flotilha ouro e o resultado final foi muito bom. Representamos muito bem o Brasil. Felizmente fui o melhor brasileiro e fiquei muito feliz com isso. O campeonato foi muito difícil, nível técnico altíssimo. Liderei por dois dias, mas no final cometi erros que a flotilha não perdoa. Foi um dos campeonatos mais difíceis da história, com muita gente boa, muitos campeões mundiais e fiquei com gostinho de quero mais. No próximo estaremos lá com um time muito bom!”

Resultado parte 1
Resultado parte 2

Atualizado em 11/8 às 16h15

 

Mundial de Snipe: Paradeda/Mazin são os melhores brasileiros no vento forte

O segundo dia da fase final do Mundial de Snipe foi de vento muito forte em La Coruña, na Espanha. Duas regatas foram realizadas com percurso triangular e vento rondado. Xandi Paradeda e Lucas Mazim terminaram o dia como a melhor dupla brasileira. Os gaúchos venceram a primeira regata e com isso subiram para a terceira colocação geral. Mario Tinoco, o Camaradinha, e Leleko Muto caíram para a quarta colocação geral, a apenas um ponto de Xandi/Lucas. Os porto-riquenhos Raul Rios e Mac Agnese assumiram a liderança, com os espanhóis Gustavo e Rafael del Castillo em segundo. O campeonato termina nesta sexta com a previsão de mais duas regatas.

O resultado completo pode ser visto  aqui

Mundial de Snipe: Camaradinha e Leleco lideram fase classificatória

20645198_1011856918951705_3170341893785771055_o.jpg

A fase final do Mundial de Snipe começou com Brasileiros na liderança. Mario Tinoco, o Camaradinha, e Leleco Muto venceram a primeira das três regatas disputadas nesta quarta-feira em La Coruña, na Espanha, e seguem na primeira colocação, com apenas um ponto de vantagem sobre os espanhóis Gustavo e Rafael del Castillo. Xandi Paradeda e Lucas Mazim também venceram e subiram para a quinta colocação geral. As dezessete duplas brasileiras disputam a flotilha ouro, que terá ainda mais seis regatas nos dois próximos dias.

Para ver o resultado completo, clique aqui.