Edval Junior é eleito melhor técnico do Optimist na Semana de Buenos Aires

junior.jpg

O pernambucano Edval Junior, o Juninho, foi eleito melhor técnico da classe Optimist durante a Semana de Vela de Buenos Aires. A competição é considerada uma das mais importantes do calendário da jovem vela latino americana e Juninho esteve à frente da equipe de seis velejadores do Cabanga Iate Clube.

“Você vê que tudo aquilo que planejou e idealizou durante todos esses anos teve resultado. Você percebe que o planejamento deu certo, e que toda a proposta que fizemos de uma evolução de trabalho em cima da equipe, de fortalecimento e nível técnico deu certo. Então essa é a satisfação de ter na cabeça que o trabalho está sendo bem realizado”, comemorou.

Esta não é a primeira vez que ele se destaca como treinador. Durante o mês de junho, no Norte-Americano de Optimist, no Canadá, Edival viajou como técnico da Seleção Brasileira. O mesmo aconteceu durante o Mundial da Classe, em julho, quando fez história sendo o primeiro treinador pernambucano a liderar uma equipe de vela.

Confira os resultados da classe Optimist na Semana de Buenos Aires:

Timoneles

Principantes

 

BL3 tem vagas para quem deseja correr a Santos – Rio

SONY DSC

Oportunidade para quem quer participar da Regata Santos – Rio. A BL3, uma das melhores escolas de iatismo do Brasil, ainda possui vagas para a tradicional regata da vela oceânica brasileira. A largada será dada no dia 27 de outubro na baía de Santos e quem quiser participar, poderá trocar experiências a bordo com os comandantes Pedro Rodrigues e Clauberto Andrade. Para informações sobre valores e  quantidade de vagas, entre em contato com a BL3 no (12) 3896-1271/ (12)3896-5885 / (12) 99126-7649  ou pelo e-mail oceano@bl3.com.br.

 

Volvo Ocean Race: Neozelandês Brad Jackson é confirmado como novo skipper do AkzoNobel

m46052_13-00-170722-azn-jsb-00012.jpg

Três vezes vencedor da Volvo Ocean Race, Brad Jackson foi confirmado nesta segunda-feira como o novo skipper da equipe holandesa AkzoNobel. Aos quarenta e nove anos, natural de Auckland na Nova Zelândia, Brad Jackson irá participar pela sétima vez na Volvo Ocean Race, depois de, na edição 2015-16, ter sido o treinador da equipe feminina sueca Team SCA.

Jackson vai assumir a posição de skipper, mantendo também o seu papel de watch captain em conjunto com o brasileiro Joca Signorini, que vai participar pela terceira vez na prova, tendo vencido a edição de 2008-09. Brad Jackson foi anunciado depois da recente saída do skipper Simeon Tienpont. Continuar lendo “Volvo Ocean Race: Neozelandês Brad Jackson é confirmado como novo skipper do AkzoNobel”

22496244_10155130341282773_4484420425183622830_o

Lenda da vela, Scheidt decide não mais fazer campanha olímpica

O velejador Robert Scheidt anunciou neste final de semana que não mais fará campanha olímpica para Tóquio 2020. O paulista havia mudado para a classe 49er, em que velejava ao lado de Gabriel Borges, o Coveiro. Em 2016 ele anunciou que as Olimpíadas do Rio de Janeiro seriam as últimas na qual participaria, porém, sem a medalha na Laser, classe que o consagrou, ele acabou voltando e fazendo mais um ano de campanha na nova classe.

“O volume de treinamento que eu teria que fazer nos próximos dois anos seria muito grande. Então, acabei optando por não dar sequência neste projeto, já que pequenas lesões vão minando sua capacidade de ter um volume muito grande de treinamento”, disse ele.

Sua esposa, a velejadora olímpica Gintare Scheidt Volungeviciute, que representou a Lituania também na classe Laser, também anunciou que não fará campanha para Tóquio 2020.

Robert Scheidt tem duas medalhas de ouro olímpicas (Atlanta/96 e Atenas/2004)e uma prata (Sidney/2000) na classe Laser, mais uma prata e um bronze na Star (Pequim/2008 e Londres/2012). Ao todo, são 11 títulos mundial na Laser e três na Star. Na Rio/2106, terminou na quarta colocação.

 

Mapfre vence prólogo da Volvo Ocean Race

38f8f27c-433e-4812-938c-7ff411a7a0fb.jpg

Falta pouco para o início da Volvo Ocean Race. A flotilha disputou até esta quarta-feira o prólogo da competição, que tinha como objetivo levar os barcos de Lisboa até Alicante, de onde eles largarão no próximo dia 22, mas que ainda não conta pontos para a volta ao mundo. A falta de vento no Mar Mediterrâneo obrigou a organização a encurtar o percurso, terminando em Cabo de Gata. Dois dias e 18 horas depois, o Mapfre cruzou a linha, seguido do Team Brunel. As demais equipes ainda estão sendo esperadas.

Organização divulga o AR da Santos – Rio

No dia 27 de outubro vai ser dada a largada da 67ª Regata Santos Rio. Estão convidadas as classes ORC, BRA-RGS e IRC com certificado de medição válido. As inscrições custam R$ 80,00 por tripulante, com 20% de desconto para os sócios da ABVO. Este ano a passagem por Ilhabela poderá ser feita tanto por dentro do canal de São Sebastião, quanto por fora. Confira o AR aqui.

Patrícia Freitas relata experiência na raia olímpica de 2020

Patricia Freitas foi a primeira velejadora do Brasil a competir na raia olímpica de 2020. Ela esteve no Japão onde disputou o Mundial de RS:X entre os dias 16 e 23 deste mês. Depois de dez regatas em meio a muita onda por conta de um terremoto, ela ficou com a 22ª colocação e fez um relato da experiência em seu blog pessoal. A campeã foi a chinesa Peina Chen. Confira os resultados aqui: http://bit.ly/2xwkskS

Confira o relato da Patricia que foi postado no blog dela: http://bit.ly/2yHuSMj

O Japão é um país pequeno. Deve servir de pré-requisito para tudo que nele existe.

As pessoas, os quartos, os banheiros, as porções de comida são pequenas. As mesas, cadeiras e degraus são baixos. O espaço designado para cada passageiro nos bancos longitudinais do bonde são microscópicos. Claro que no caso do bonde há uma grande vantagem pois no ombro do estranho encontra-se o aconchego de uma breve cochilada. Os gestos são reservados, o contato humano é restrito. Deve ser o único lugar do mundo onde o pudor do olhar vence a curiosidade. Existe um embaraço da parte das mulheres no que diz respeito à quantidade de pele à mostra. Não estou em Tóquio, pode ser que lá seja diferente. Por trás desse embaraço porém o desejo da provocação sobrevive, derivando soluções estranhas como blusinhas decotadas usadas sobre camisetas de manga comprida. Parece que o monstro da padronização fashion europeia se adaptou para sobreviver no Japão, trocou o sex-appeal escancarado por um faz de conta que não ofende a ninguém. Continuar lendo “Patrícia Freitas relata experiência na raia olímpica de 2020”

Após dois dias sem vento, Mundial Master de Laser começa na Croácia

21951094_706562876205873_6100641825328363234_o.jpg

Depois de dois dias de muita espera, finalmente o vento entrou em Split, na Croácia, e os velejadores puderam disputar as duas primeiras regatas do Mundial Master de Laser.

Na classe Standard Aprendiz Guilherme Roth estreou na quarta colocação, com Alexis Kneip em 11º e Alvaro Bastos em 14º. O líder é o polonês Maciej Grabowski.

Na Standard Grand Master, Alcir Cachapuz aparece em 59º. O líder é o canadense Alan Clark.

Na Radial Master, Luiz Evangelista é o melhor brasileiro, na 5ª colocação. Fabio Ramos aparece em 9º. O líder é o italiano Alessio Marinelli.

Os resultados completos podem ser vistos aqui: http://bit.ly/2xxwM4g

Tira-Teima: Mundial de J/70

Esta é nova coluna Tira-Teima realizada em conjunto com o site regras.com.br e noticiasnauticas.com.br. O objetivo é esclarecer situação reais de eventos recentes ou casos históricos.Para estrear iremos analisar a largada da 4ª regata do Mundial de J/70, realizado ente mês em Porto Cervo, Itália. O campeonato foi marcado pela exclusão do campeonato de sete barcos que alteraram o bulbo da quilha original do barco. As equipes brasileiras foram muito bem, com destaque para o barco “Arriverdeci”, sétimo geral e “Tô Nessa”, décimo segundo.

Toda a análise foi realizada com base nas imagens ao vivo de um drone, disponibilizadas pela organização da regata. Elas mostram o barco ITA buscando um espaço para partir próximo a extremidade de sotavento da linha de partida. A cada instante, é feita uma análise dos direitos e deveres de cada barco.
Ficou alguma dúvida sobre esta situação? Existe outro caso que gostaria de entender melhor? Entre em contato!
Regras.com.br e Noticias Náuticas