Indicações para melhor velejador do ano já estão abertas

x201608181804556558.jpg.pagespeed.ic.pSz37QHbt6.jpg

A World Sailing anunciou esta semana que já está recebendo as indicações para o prêmio de Melhor Velejador do Ano. Qualquer pessoa pode se inscrever ou indicar alguém (ou equipe), desde que tenha tido uma performance excelente entre 19 de setembro de 2016 e 31 de agosto de 2017. As indicações podem ser feitas até o dia 1º de setembro. Os vencedores serão anunciados na conferência anual da entidade em 7 de novembro, em Puerto Vallarta, no México.

Lembrando que o Brasil já ganhou o prêmio com Martine Grael e Kahena Kunze (2014), Torben Grael (2009) e Robert Scheidt (2004/2001).

Clique aqui para indicar alguém

 

Protocolo da America´s Cup deverá ser apresentado até o final de setembro

19466591_1792796990746726_6292397431559211623_o.jpg

O chefe do Team New Zealand Grant Dalton confirmou a um jornal neozelandês que as regras da próxima America´s Cup estão quase prontas e deverão ser divulgadas até o final de setembro. A discussão sobre qual tipo de barco será usado – se mono ou multicascos – segue nas rodinhas de velejadores, porém Dalton sinalizou que deverá voltar um pouco às origens da Copa, um desejo do time neozelandês e do Luna Rossa, desafiante da próxima edição. Dalton também quer focar na regra de nacionalidade dos velejadores e país de origem dos barcos. Continuar lendo “Protocolo da America´s Cup deverá ser apresentado até o final de setembro”

CBVela anuncia comissão de atletas eleitos por velejadores federados

Mais uma demonstração de democracia na Confederação Brasileira de Vela (CBVela). Nesta segunda-feira, dia 14, foi anunciado o resultado da eleição para a nova Comissão de Atletas da entidade. Por meio do voto direto, mais de 250 velejadores escolheram seus representantes na Confederação, que terão mandato até o fim de 2020. Foram eleitos: Bruno Prada (94 votos), Isabel Swan (71), Samuel Albrecht (67), Bruno Bethlem (62) e Bruno Fontes (60). Veja abaixo um perfil de cada um deles. Continuar lendo “CBVela anuncia comissão de atletas eleitos por velejadores federados”

Volvo Ocean Race: skipper do Team New Zealand é confirmado no Team Brunel

m45427_13-00-170802-asv-3344-07612-edit--1-.jpg

O neozelandês Peter Burling acaba de ser confirmado como tripulante do Team Brunel na próxima Volvo. Burling foi campeão olímpico na Rio 2016 na classe 49er ao lado de Blair Tuke com quem também dividiu a vitória da America´s Cup a bordo do Team New Zealand. Porém, os dois velejarão separados, já que Tuke está a bordo do Mapfre e apenas um terá chance de conquistar a tríplice coroa das competições de vela mais importantes do mundo.

“Sempre quis correr esta regata, apesar de não ter feito muitas provas offshore. Sempre quis me envolver, porém nunca achei tempo. Parece uma ótima oportunidade para aprender com um time que já tem experiência”, disse ele em Plymouth, após a chegada da Fastnet Race, que contou como segunda etapa da Leg Zero da Volvo Ocean Race.

“Peter é um dos mais talentosos velejadores do mundo, conquistando a medalha de ouro na Rio 2016 e na America´s Cup. Ele é uma grande soma no nosso time. É um excelente skipper – um dos mais rápidos – e tenho certeza que vai se adaptar muito rápido”, disse o skipper do Team Brunel Bouwe Bekking.

 

Ganriela Kidd é a melhor brasileira no Mundial Jr de Laser

20451846_1717140358582496_8996802301122499975_o

Terminou nesta quarta-feira na Bélgica o Mundial Jr de Laser. Com dez das doze regatas programadas disputadas, Gabriela Kidd, do ICRJ, foi a melhor da equipe brasileira, terminando na 23ª colocação entre as meninas do Laser Radial. Ricardo Luz, também do ICRJ, ficou em 32º na Laser Standard, enquanto Stephan Kunath, do YCSA, ficou em 47º geral e 9º no sub19, ambos na flotilha ouro. Marcelo Gallicchio terminou sua participação em 22º na Flotilha Prata.

Para ver o resultado completo, clique nos links abaixo:

STANDARD
RADIAL

Agora é oficial: Martine Grael disputa a Volvo Ocean Race

unnamed (40)

A campeã olímpica de vela Martine Grael está confirmada na temporada 2017/2018 da Volvo Ocean Race, regata que dá a volta ao mundo. A brasileira fará parte da equipe holandesa AkzoNobel na competição que começa no dia 22 de outubro e termina em junho de 2018.

“Já estou há um bom tempo fora de casa me preparando para esse desafio e agora finalmente vai acontecer. Eu estou muito animada e esperto contar com a torcida de todo mundo e encontrar vocês em Itajaí”, contou Martine.

A velejadora de 26 anos, natural de Niterói, é uma das mais promissoras atletas de sua geração e agora se une a um time sênior para o maior desafio da sua carreira. “Será uma grande campanha para mim. Espero aproveitar a experiência e aprender muito com isso. Sobretudo, quero provar que pertenço a este time e não posso esperar para começar a velejar contra outros barcos”, disse a campeã olímpica.

A equipe AkzoNobel conta ainda com mais nove velejadores liderados pelo bicampeão da America’s Cup Simeon Tienpont. Na tripulação também está o brasileiro Joca Signorini, que integrou a equipe campeã da regata em 2008/2009, liderada por Torben Grael, pai de Martine. ”Foi um dos principais motivos de eu ter escolhido esse time. A maior parte dos homens aqui já velejaram juntos antes em outros barcos e confiam um nos outros. Existem muitos riscos nessa regata e para mim o Joca, além de ser uma pessoa que me traz confiança como velejador, me traz confiança de caráter”, explicou Martine.

Antes de partir para o maior desafio da sua carreira, a velejadora compete ao lado de Kahena Kunze no Mundial de 49erFX no Porto, entre 28 de agosto e 2 de setembro. As brasileiras, que venceram todas as regatas que disputaram em 2017, são as favoritas ao título.

“Eu estou muito feliz pela Martine, ela sempre sonhou em fazer a Volvo Ocean Race. Eu tenho uma grande admiração por ela, como amiga e agora mais ainda como uma velejadora da Volvo. Desejo muita sorte, vou acompanhá-la pela internet e estarei aqui, dando a maior força, para o que ela precisar”, contou Kahena Kunze.

A parceria da dupla será mantida enquanto Martine estiver na Volvo Ocean Race. “Nas etapas com paradas maiores estamos pensando em aproveitar meu tempo livre para treinar”, disse Grael. “É o timing perfeito para isso porque depois da regata ainda teremos um bom tempo para nos prepararmos para Tóquio. Ela tem que ir com tudo, tenho certeza de que essa jornada será um sucesso”, completou Kahena.

Martine Grael está treinando com a equipe holandesa há algumas semanas, no Volvo Ocean 65, e o primeiro desafio já começa nesta quarta-feira, 2 de agosto. Ela participará da Leg Zero, uma série obrigatória de quatro regatas preliminares para as sete equipes concorrentes da Volvo Ocean Race antes do início da aventura em 22 de outubro, em Alicante, na Espanha.

A regata de volta ao mundo é considerada a competição de vela mais difícil, sendo o principal teste de resistência para um atleta. A edição 2017-18 terá um percurso de 45 mil milhas náuticas pelos mares. Serão quatro oceanos, seis continentes visitados e 12 cidades-sede, incluindo Itajaí, no Brasil. A prova termina em junho de 2018 em Haia, na Holanda.

Da assessoria

Francis Joyon quebra o recorde de travessia do Atlântico em solitário

joyon

O francês Francis Joyon acaba de quebrar mais um recorde. Desta vez ele partiu a bordo do seu maxitrimarã Idec Sports de Nova Iorque para cruzar a longitude de Lizard Point, na Inglaterra, cinco dias, duas horas e sete minutos depois. O recorde anterior já pertencia a ele, de 5 dias 2 horas e 56 minutos, e fora batido em 2013 a bordo do antigo Idec.

ABCL promove clínica em parceria com YCSA e ICRJ

clinica laser

A Associação Brasileira da Classe Laser (ABCL) promoveu durante o feriado de Corpus Christi uma clínica para velejadores do Rio de Janeiro e de São Paulo no Iate Clube do Rio de Janeiro. O evento contou com a presença de mais de 20 atletas e um excelente nível técnico.

 

“Para mim foi uma das iniciativas mais legais da ABCL até agora. Gostaria de parabenizar a Diretoria da Associação e os clubes que apoiaram o treino. Foi um prazer fazer parte disso e passar um pouco do meu conhecimento para velejadores de diversos estados. A classe tem muito a crescer com isso,” disse Fabio Pillar, técnico da clínica, e ex-integrante da equipe olímpica e campeão mundial de Laser Radial em 2006.

“Assumi a diretoria da casse em fevereiro e este é um trabalho de longo prazo, que visa um aumento do nível técnico combinado com uma elevação do numero de velejadores. Temos vários projetos que estaremos colocando em pratica no decorrer dos próximos meses. Já estamos programando a próxima edição da clínica. Essa foi uma primeira para testarmos e vermos o que da certo e como devemos nos organizar para as próximas. Costumo manter contato com outros países sul americanos e temos planos para enviar convites a velejadores de fora do país”, disse Nicolas Garcia, Diretor Presidente da Associação Brasileira da Classe Laser.

O treino contou com apoio do Yacht Clube Santo Amaro e do Iate Clube Rio de Janeiro.

Volvo Ocean Race passa a ser disputada de dois em dois anos

m45022_20141119volvooceanrace-ws-gb-449-edit.jpg

As próximas edições da Volta ao Mundo já estão com datas marcadas: 2019-20, 2021-22 e 2023-24.  A organização anunciou a mudança na periodicidade da competição, que passa a ser de dois em dois anos e não três em três como era até hoje. Esta mudança terá um impacto positivo no valor comercial do evento, bem como nas equipes profissionais de vela e nas cidades-sede. Nas últimas edições, Portugal e o Brasil fizeram parte do maior evento de vela oceânica do planeta. 

“Um ciclo mais curto significa que podemos encurtar cada edição por alguns meses. O atual formato é de até nove meses. No entanto, vamos chegar a  mais mercados agora”, disse Mark Turner, CEO da Volvo Ocean Race. “Ao mesmo tempo, fortaleceremos o ADN da regata, que está sempre em todo o mundo e em todos os oceanos, principalmente na Antártida que é seu coração”. Continuar lendo “Volvo Ocean Race passa a ser disputada de dois em dois anos”

Dee Caffari será comandante do Turn The Tide On Plastic, sexto confirmado na VOR

m45053_sca-141206-halloran-dsc02384-20141207-023742.jpg

A Volvo Ocean Race anunciou nesta terça-feira que a britânica Dee Caffari será a comandante do sexto barco inscrito na edição 2017-18 da competição. Caffari é veterana da VOR (competiu na última edição a bordo do Team SCA, tripulação 100% feminina) e de regatas de volta ao mundo (foi a primeira mulher a dar a volta ao mundo de oeste para leste sem paradas e sem assistência, em 2006, e a primeira mulher a completar a Vendée Globe em 2009, se tornando a primeira mulher a dar a volta ao mundo em solitário e sem paradas nas duas direções) e estará no comando do Turn The Tide On Plastic, que contará com o apoio da Mirpuri Foundation e da Ocean Family Foundation, entidades que buscam a saúde dos oceanos.

A ideia de Caffari é que o time seja metade feminino e metade masculino, com velejadores na casa dos 30 anos. Como a Mirpuri Foundation é portuguesa, dois dos velejadores serão de Portugal.

O Turn The Tide On Plastic se junta aos já confirmados AkzoNobel (Simeon Tienpont, Holanda), Dongfeng Race Team (Charles Caudrelier, França), MAPFRE (Xabi Fernández, Espanha), Vestas 11th Hour Racing (Charlie Enright, EUA) e Team Sun Hung Kai/Scallywag (David Witt, Austrália) na regatta que largará em outubro.