Martine Grael e Kahena Kunze assumem terceira posição na 49erFX da Rio 2016

kunze

Martine Grael e Kahena Kunze estão entre as 5 melhores da 49erFX desta Olimpíada desde o início das regatas da classe e ontem, segunda-feira, as velejadoras conquistaram outros ótimos resultados. Foram dois terceiros lugares e um 11º, pior resultado até o momento, e 46 pontos perdidos. Com isso a dupla assume a terceira colocação no quadro geral e empatadas com as segundas colocadas Alex Maloney e Molly Meech, da Nova Zelândia. A dupla espanhola Tamara Echegoyen e Berta Betanzos lidera a corrida pelo ouro com 43 pontos. A classe 49erFX tem mais três regatas programadas para hoje, último dia da regatas classificatórias. Ontem o vento fraco da raia de Niterói deixou inviável a realização de uma quarta regata para as velejadoras. 

Já na 49er masculina, a dupla brasileira Marco Grael e Gabriel Borges estão na 10ª posição geral com 99 pontos perdidos. A dupla vem conquistando bons resultados nas regatas, mas não está conseguindo manter a regularidade. Os neozelandeses Peter Burling e Blair Tuke são líderes absolutos com apenas 28 pontos perdidos. A classe 49er também tem três regatas programadas para hoje. 

Foto World Sailing

Emoção e consagração marcaram medal races da RS:X na Rio 2016

podio_rsx

Ontem, um domingo ensolarado na Cidade Maravilhosa, foi o dia das medal races (regatas da medalha) para a classe RS:X Masculina e Feminina. Com vento fraco na raia, as pranchas a vela tiveram que esperar para realizar a tão esperada regata final. Foram 12 disputas que classificaram os 10 melhores velejadores de cada classe para grande final.

Na masculina as medalhas de ouro e prata já haviam sido definidas mesmo antes da regata final. O holandês Dorian Van Rijsselberghe consagrou-se bicampeão olímpico e não fez feio na regata da medalha chegando em primeiro lugar mesmo após a conquista antecipada. Ele “passeou” na Baía de Guanabara, raia que conhece bem após muito tempo de treinamento por aqui. Nick Dempsey, da Grã-Bretanha, que começou dominando as regatas do começo da competição, ficou com a prata também antes da final. O bronze, única medalha em disputa na medal race, ficou com o francês Pierre Le Coq. Uma conquista muito comemorada por ele e pela equipe francesa, já que o favorito à medalha era o polonês Vyron Kokkalanis que não foi bem na medal race. Bimba, do Brasil, ficou em 7º na medal race.

Já na classe feminina, nada estava definido e seis velejadoras tinham chances de conquistar a medalha de ouro. Charline Picon, da França, fez uma regata emocionante e conquistou a medalha de ouro nas últimas pernas da regata. Quando chegou desembarcou na praia do Flamengo, nem ela acreditava na conquista. Em entrevista para a World Sailing, Picon falou que estava muito ansiosa e precisou da psicóloga da equipe para conseguir se manter calma para a final. Ela também disse que contou todos os pontos que perdeu durante a competição, já que as coisas não correram como ela esperava. “Aqui (no Rio) eu sabia que poderia ser o meu momento, eu acreditava desde o início, mas esta manhã eu estava absolutamente estressada. Foi uma semana muito difícil. Ganhar a medalha de ouro na Medal Race é… me faltam palavras”.

A foto abaixo capta o momento em que Picon percebe, ainda incrédula, que a medalha de ouro é sua.

picon_incr

Outra que teve um resultado inacreditável foi a russa Stefaniya Elfutina, de apenas 19 anos. Ela começou a medal race pagando duas penalidades e escolheu o lado oposto da raia em que corriam todas as outras velejadoras. Deu certo. Elfutina conquistou a medalha de bronze em uma regata intensa, muito disputada e com final emocionante para as velejadoras. A brasileira Patricia Freitas terminou a medal race em 8º, este foi o melhor resultado dela que correu sua primeira final em Olimpíadas. Patricia tem 26 anos e pensa em continuar lutando para defender o Brasil em Tóquio.

Confira os pódios das classes:

RS:X Masculina

Ouro – Dorian Van Rijsselberghe (Holanda)
Prata – Nick Dempsey (Grã-Bretanha)
Bronze – Pierre Le Coq (França)

RS:X Feminina

Ouro – Charline Picon (França)
Prata – Peina Chen (China)
Bronze – Stefaniya Elfutina (Rússia)

Fotos World Sailing

Giles Scott garante medalha de ouro da Finn antes da medal race na Rio 2016

giles

O velejador britânico Giles Scott garantiu a medalha de ouro da classe Finn na Rio 2016 no fim das regatas classificatórias, que terminaram ontem, e vai para a medal race desta terça-feira (16) sem o compromisso de vencer. O velejador garantiu ótimos resultados na série de 10 regatas acumulando apenas 49 pontos perdidos e assim ninguém mais pode alcançá-lo.

As medalhas de prata e bronze da classe ainda estão em disputa. O brasileiro Jorginho Zarif está classificado para a medal race, mas as chances de alcançar a medalha de bronze são mínimas. Jorginho tem apenas 23 anos e esta é sua segunda Olimpíada. A Finn é uma das classes mais tradicionais do programa olímpico e é dominada por velejadores mais velhos, Giles Scott tem 29 anos e esta é sua primeira olimpíada. Assim como Giles teve que velejar muito na classe para superar o absolutismo de Ben Ainslie, Jorginho ainda tem um longo caminho na classe e ainda pode conquistar muitos títulos para o Brasil.

Confira os classificados para a Medal Race:

1º Giles Scott – Grã-Bretanhda – medalha de ouro garantida
2º Vasilij Zbogar – Eslovênia
3º Ian Kljakovic – Croácia
4º Caleb Paine – Estados Unidos
5º Max Salminem – Suécia
6º Jorge Zarif – Brasil
7º Josh Junior – Nova Zelândia
8º Facundo Bazan – Argentina
9º Pieter-Jan Postma – Holanda
10º Jake Lilley – Austrália

Foto World Sailing

Samuel Albrecht e Isabel Swan classificados para a medal race da Nacra 17 na Rio 2016

nacramedal

Neste domingo (14) a dupla brasileira Samuel Albrecht e Isabel Swan conquistou a vaga para a medal race, a regata que decidirá os medalhistas na classe Nacra 17. Samuca e Bel se classificaram ao somarem 101 pontos perdidos.

As três regatas finais da fase classificatória foram disputadas na raia da Escola Naval após atraso por falta de vento. A dupla teve um dia positivo, conseguindo reverter os resultados do sábado. Na primeira regata fez o sétimo lugar, na segunda chegaram em oitavo lugar, resultado que se repetiu na terceira e última disputa.

Este é um ótimo resultado para a dupla formada há pouco mais de um ano.

Os argentinos Santiago Lange e Cecília Carranza foram os vencedores da série classificatória com 65 pontos perdidos. Santiago é o velejador mais velho da raia com 54 anos, Cecília tem 29.

A medal race da Nacra 17 ocorre na terça-feira (16) a partir das 14h05 na raia olímpica do Pão de Açúcar. Hoje (15) as tripulações classificadas para a medal race descansam e não haverá regatas para a classe.

Foto World Sailing

Scheidt vai lutar pela medalha de bronze na Rio 2016

scheidt3

Maior medalhista olímpico da história do Brasil, Robert Scheidt vai lutar pelo pódio na medal race, a última regata da Rio 2016, na próxima segunda-feira (15). Neste sábado (13), os ventos não foram favoráveis ao brasileiro, que fez um 26º e um 11º e caiu da vice-liderança para o 5º lugar na classificação geral da classe Laser, com 87 pontos perdidos. Com isso, as chances agora são de medalha de bronze. Isso porque está a dez pontos do terceiro colocado, o neozelandês Sam Meech (77 pontos perdidos). Matematicamente, não pode mais alcançar os líderes Tonci Stipanovic, da Croácia, e Tom Burton, da Austrália, que têm 57 e 67 pontos perdidos, respectivamente.

A disputa promete ser acirrada para Scheidt. Além de bater Meech, ele precisará superar também o francês Jean Baptiste Bernaz, que ocupa a quarta posição na classificação geral, com 86 pontos perdidos, apenas 1 ponto a menos que o brasileiro. A flotilha da medal race terá apenas 10 barcos, com pontuação dobrada. Para conquistar sua sexta medalha olímpica, Robert precisa ficar pelo menos 6 posições à frente de Meech e à frente de Bernaz e do britânico Nick Thompson (sexto colocado, com os mesmos 87 pontos perdidos que Scheidt).

“Hoje não fui bem. Estava um dia lindo, com vento, velejei abaixo do que eu sei, principalmente na primeira prova. Não larguei tão bem e o princípio da regata me custou muito. Insisti muito pelo lado esquerdo e não deu certo. Com isso a pontuação embaralhou muito e agora preciso de uma combinação de resultados na medal race. Não é impossível, mas é uma situação bem mais difícil. Mas vamos lutar para recuperar esses pontos, vou entrar na regata da medalha para tentar ganhar, sendo mais agressivo”, afirmou Scheidt.

A lituana Gintare Scheidt, esposa de Robert e uma das favoritas ao ouro na Laser Radial, somou um 4º e um 11º lugares nas regatas deste sábado. Com isso, subiu da 8º para a 6º colocação na classificação geral, com 82 pontos perdidos. Fernanda Decnop, representante brasileira da Laser Radial, terminou a fase classificatória na 24ª posição e está fora da medal race.

Foto World Sailing

Brasileiros da Nacra 17 estão na 11ª colocação geral na Rio 2016

The Rio 2016 Olympic Sailing Competition features 380 athletes from 66 nations, in 274 boats racing across ten Olympic disciplines. Racing runs from Monday 8 August through to Thursday 18 August 2016 with 217 male and 163 female sailors racing out of Marina da Gloria in Rio de Janeiro, Brazil. Sailing made its Olympic debut in 1900 and has been a mainstay at every Olympic Games since 1908. For more information or requests please contact Daniel Smith at World Sailing on marketing@sailing.org or phone +44 (0) 7771 542 131.

Isabel Swan e Samuel Albrecht, da Nacra 17, terminam o dia na 11º posição geral e ainda tem chances de entrar na medal race da classe que acontece na terça-feira (16). Os resultados de hoje (12º, 4º e 19º) complicaram um pouco a rota para a medal race da dupla brasileira.

França, Alemanha e Espanha lideram a classe que corre mais três regatas neste domingo (14).

Foto World Sailing

Jorginho Zarif, da Finn, termina o dia na sexta posição geral

160811_RIO2016_pm_20856

Com os resultados de hoje, Jorginho Zarif assume a 6ª colocação geral da classe. Ele correu duas regatas hoje, na raia da Ponte, e terminou as regatas nas 2ª e 13ª posições. Amanhã, dia 14, a classe tem mais duas regatas programadas e Jorginho deve lutar para se manter no top 10 da classe e correr a medal race com chances de medalha.

Foto World Sailing

Brasileiros da Nacra 17 e Finn voltam para a raia em dia decisivo na Rio 2016

160811_RIO2016_jr_113902

A vela tem dia agitado neste sábado (13) com 17 regatas programadas. 49er e 49erFX voltam a raia depois da estreia desta sexta-feira. Quem vai para a raia em busca de decisão são os veleiros da Laser. Robert Scheidt, segundo colocado no geral, deve buscar a regularidade para chegar com vantagem na regata da medalha que acontece na segunda-feira (15).

As classes Nacra 17 e Finn estarão na raia após a sexta-feira de descanso. A dupla brasileira da Nacre, Samuel Albrecht e Isabel Swan, estão na 8ª colocação. Jorginho Zarif, da Finn, está em 9º. Ambos buscam o tal segredo do sucesso na vela: a regularidade. Este sábado será decisivo para eles.

Foto World Sailing

Falta de vento prejudica regatas da 470, mas Fernanda e Ana voltam a brilhar

470fem

Com apenas uma regata realizada hoje (12), a classe 470 está atrasada no cronograma e espera que o vento permita que mais regatas sejam realizadas para não prejudicar os resultados dos velejadores que precisam recuperar maus resultados como Fernanda Oliveira e Ana Barbachan, do Brasil. Elas tiveram problemas no barcos e terminaram as regatas da quinta-feira na 13ª e 10ª, resultado nada comum para as velejadoras que costumam figurar no top 5 das maiores competições da classe. Mas hoje, mesmo com a raia bastante instável, as meninas voltaram a brilhar e terminaram a única regata do dia na 2ª posição. O bom resultado colocou Fernanda e Ana na 7ª colocação geral.

Henrique Haddad e Bruno Bethlem, da 470 masculina, terminaram o dia na 24ª colocação.

A classe 470 não tem regatas programadas para este sábado (13) e volta à raia no domingo.

Foto World Sailing

Scheidt confirma regularidade e assume a vice-liderança na Rio 2016

160812_RIO2016_jr_116104

Ao sabor do vento e da torcida brasileira, Robert Scheidt segue sua escalada rumo ao pódio da Rio 2016. A regularidade do bicampeão olímpico foi a marca de sua atuação nesta sexta-feira (12) na classe Laser, nas duas regatas disputadas na raia Copacabana. Com um 4º e um 5º lugares, o brasileiro subiu da quarta para a segunda posição, com 50 pontos perdidos. Ele está apenas 3 pontos atrás do líder, o croata Toni Stipanovic, e tem 2 de vantagem para o terceiro colocado, o australiano Tom Burton. Neste sábado (13) serão realizadas as duas últimas provas da fase classificatória. Os 10 melhores disputam a decisiva medal race na segunda-feira (15).

Nos três primeiros dias de regatas nas águas cariocas, Robert teve problemas nas regatas de abertura das sessões (23º, 27º e 11º lugares). Nesta sexta, parecia que a história se repetiria. O brasileiro passou pela primeira boia na 24º posição, porém, com uma recuperação digna de campeão olímpico, foi ultrapassando os adversários para cruzar a linha de chegada em 4º lugar. Na segunda disputa, Scheidt saiu em 10º e logo subiu para 4º na segunda perna, mantendo-se na briga pela ponta até finalizar em quinto.

“Tenho conseguido me manter entre os ponteiros e subir para o segundo lugar me deixa confiante para chegar bem na disputa da medal race na segunda-feira. O foco é sempre o pódio”, afirmou Scheidt.

A lituana Gintare Scheidt, esposa de Robert e uma das favoritas ao ouro na Laser Radial, somou um 13º e um 21º lugares nas regatas desta sexta-feira. Com isso, está na 8º colocação na classificação geral, com 68 pontos perdidos. A brasileira Fernanda Decnop fechou o dia na 24ª posição.

Foto World Sailing