Tira-Teima: Copa Suzuki Rudá x Inaê. Por Ricardo Lobato

Neste final de semana terminou em Ilhabela a terceira etapa da Copa Suzuki. Durante uma regata de percurso, uma situação de montagem de boia entre o Rudá (Mário Martinez) e Inaê (Bayard Umbuzeiro) tem rendido bons comentários na internet. Ricardo Blu Lobato tem a resposta, como juiz, para acabar de vez com a discussão em mais um Tira-Teima.

“Engraçado o poder das mídias sociais. Hoje pela manhã recebi de pelo menos dez pessoas diferentes o incidente entre o Rudá (barco branco) e Inaê (barco escuro) na Copa Suzuki.

Apesar de muita gritaria, não houve protestos, mas muita discussão no WhatsApp. Resolvi então fazer um Tira-teima expresso para esclarecer as principais questões.

A situação é de vento moderado, com muita corrente contra. A baliza verde é uma marca da regata a ser deixada por boreste, ao contrário do que estamos acostumados. Um ponto de atenção é que a regra 18.3 (Cambando na Zona), desde a revisão 2017, não se aplica mais as montagens por boreste. Para saber mais sobre esta e outras alterações, confira meu artigo http://www.regras.com.br/site/index.php/entendendo-as-regras/3-mas-afinal-o-que-mudou-nas-regras-2017-2020. A figura 4 deste artigo, mostra a força que tem o barco que vem amurado a boreste e camba na zona.

Confira passo a passo as regras aplicáveis e os direitos e deveres de cada barco em cada instante. Inaê é o barco azul do diagrama e Rudá é o amarelo.

 
Digrama do incidente

Nas posições 1 e 2, Inaê vem amurado a boreste e Rudá amurado a bombordo bem no layline da marca, considerando a forte corrente. Nesta situação, a regra 18 (Espaço na Marca) não se aplica (ver regra 18.1(a)). Portanto, Inaê tem direito de passagem sobre Rudá pela regra 10 (Amuras Opostas). Rudá se mantem afastado, dando inclusive uma ligeira arribada.


Posição 1 e 2: Inaê tem direito de passagem

Na posição 3, Inaê passa a linha do vento. A partir deste momento a regra 18 é ligada, mas os barcos não estão em compromisso, portanto, só a regra 13 (Cambando) é relevante. Inaê deve se mater afastado entre as posição 3 e 4, quando ele completa a cambada.

Posição 3: Inaê passa da linha do vento (11s do vídeo)

Posição 4 – Inaê completa a cambada safo de pra (13s do vídeo)

 A posição 5 mostra Rudá, mais veloz, estabelecendo o compromisso interno e a sotavento de Inaê. Rudá adquire espaço na marca pela regra 18.2(a) e tem direito de passagem pela regra 11 (Mesmas Amuras Em Compromisso). Note que apesar do Rudá ter adquirido direito de passagem por sua ação, ele seria isentado pela regra 21(a) de uma possível infração à regra 15 (Adquirindo Direito de Passagem). A única limitação do Rudá seria a regra 18.2(f)

Para complicar a situação, entre as posições 4 e 5 Inaê tenta arribar para montar a marca, convergindo com Rudá.

Posição 5 – Inaê não se mantem afastado (regra 11) e não dá espaço na marca para Rudá (regra 18.2) (16s do vídeo)

Na posição 6, Inaê orça novamente para evitar Rudá. Mas há colisão entre os barcos e entre a buja do Rudá e a marca.

Posição 6 – Inaê tenta evitar Ruda, mas infringe as regras 11 e 18.2(a) (17s do vídeo)”

Leia a conclusão clicando aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s