Circuito Conesul termina no feriadão com regatas longas

O 28º Circuito Conesul de Vela de Oceano continua na sexta-feira, dia 20, com a realização de duas regatas de barlasota e no sábado (21) as provas de longa distância que têm maior peso na competição: 49° Troféu Seival para as classes IRC e Bico de Proa Monocascos, cujo percurso é feito pelo rio Guaíba e Lagoa dos Patos na distância de 90 milhas, e ainda a 30ª Regata Farroupilha (classes BRA-RGS e Microtoner 19), de percurso menor, cerca de 40 milhas, e o 22º Velejaço Farroupilha (barcos de cruzeiro).

O Troféu Seival nasceu com a proposta de ser um evento da vela ligado à nossa cultura. O nome veio do local onde se deu uma importante batalha da Guerra dos Farrapos e do mítico barco dos heróis gaúchos comandados pelo italiano Giusepe Garibaldi que atacou Laguna. Por isso a escolha da sua data foi determinada para setembro. Se a regata traz uma carga de tradição cultural, no campo da competição também deixou sua marca, pois a partir dela a classe Oceano gaúcha evoluiu tecnicamente. O Troféu Seival é uma das regatas mais longas em água doce do Brasil.

As largadas serão entre 10h30min e 11 horas em frente a orla Moacyr Scliar, próximo a Usina do Gasômetro. Haverá um desfile náutico dos barcos competidores e uma cerimônia cívica com hasteamento de bandeiras na abertura do evento. O público poderá acompanhar as largadas e o começo das regatas na Orla do Guaíba.
O encerramento com a entrega de prêmios será numa festa no domingo (22) às 17 horas no salão social do Veleiros do Sul.

O primeiro fim de semana de disputa do Circuito Conesul

Com a realização de três regatas no sábado (14) e domingo (15) a classificação está assim: Na classe IRC, a mais numerosa, o barco Kamikaze XI (VDS), do comandante Augusto Moreira, está na liderança.

“Estou satisfeito com o desempenho da equipe pelos resultados alcançados nesta primeira etapa”. O Kamikaze foi o campeão do Circuito Conesul do ano passado, com o comandante Hilton Piccolo. Agora o veleiro está comigo, montei uma tripulação competitiva que conta com velejadores experientes e também gente jovem”, comentou Augusto Moreira. Em segundo lugar na classificação da IRC está o Spin, de Kadu Bergenthal. A diferença entre eles é de um ponto.      

Na classe BRA RGS, com duas regatas, o Calafate, de Gustavo Bohrer (VDS), se mantém em primeiro lugar, seguido pelo Five Star, de Luís Fernando da Silveira (ICG). E na Microtonner 19 o Batucada, de José Eduardo Araújo assumiu o primeiro lugar na classificação e o Iris 1, de Bruno dos Santos, passou para o segundo, ambos do Sava.

Da assessoria / foto: Fabiano Benedetti/Veleiros do Sul

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s