Scheidt se prepara para o Europeu de Star

Após os dois desafios iniciais em seu retorno a Classe Laser para a campanha visando a classificação aos Jogos de Tóquio/2020, Robert Scheidt volta suas atenções para a Classe Star. Ao lado do proeiro Henry Boening, o Maguila, vai disputar o Campeonato Europeu. E vai competir em casa. A disputa será em Riva Del Garda, na Itália, cidade vizinha e que fica a menos de 5 km de Torbole, onde o bicampeão olímpico mora com a família, às margens do famoso Lago Di Garda. As regatas serão de 13 a 19 de maio.

O Europeu de Star será uma oportunidade de recarregar as baterias ao lado da família, enquanto mantém o ritmo de treinos e competição. Isso porque, a partir de 3 de julho, Scheidt vai disputar o Campeonato Mundial na Classe Laser, na mesma raia das regatas da Olimpíada do Japão, evento que serve como uma das seletivas para a definição da equipe brasileira para Tóquio/2020. Ele ainda deve voltar ao país asiático em agosto, para participar do evento teste dos Jogos.

Robert voltará a competir pouco mais de uma semana após uma intensa disputa na Semana Olímpica de Vela da França. Em Hyères, o bicampeão olímpico mostrou evolução, terminando na 11ª colocação, a apenas uma posição da medal race. Antes, no início de abril, participou do Troféu Princesa Sofia, em Palma de Mallorca, na Espanha. Foi o retorno a grandes eventos na Classe Laser após mais de dois anos fora do circuito. Mesmo assim, ficou em 12º lugar, a apenas 12 pontos da regata da medalha.

Mais que os resultados, a forma como tem velejado deixa Scheidt confiante para seguir na luta pela sétima participação olímpica. “Minha avaliação após as duas competições é que, claro, preciso melhorar. Contudo, acredito que dei um passinho adiante em Hyères, evento com um nível mais elevado em relação a Palma por conta da participação dos velejadores da Austrália e Nova Zelândia, muito velozes. Melhorei minhas largadas, um ponto importante, e vou seguir trabalhando”, explica o atleta.

Aos 46 anos, Robert enfrenta adversários mais jovens, alguns com 20 anos a menos. Ele sabe da importância em se manter bem fisicamente. E esse é outro ponto positivo, segundo o bicampeão olímpico, nesse início de campanha visando Tóquio/2020. “Consegui velejar bem e sem nenhuma lesão. Terminei as duas semanas de regatas, tanto na Espanha como na França, bem fisicamente e isso é bem importante. Sei que preciso dosar o nível de treinos e fazer isso com inteligência para não correr o risco de me machucar e ficar fora do mundial”, completa.

Retorno à classe olímpica – O Troféu Princesa Sofia e a Semana de Vela de Hyères foram os primeiros grandes testes para Scheidt após decidir fazer campanha para a Olimpíada de Tóquio, em 2020, há pouco mais de três meses. O bicampeão olímpico busca a sexta medalha, a quarta na Classe Laser, na qual acumula os ouros em Atlanta/1996 e Atenas/2004 e uma prata (Sidney/2000). Se conseguir a classificação, Scheidt será o recordista brasileiro em participações em Olimpíadas, com sete no currículo.

Da assessoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s