Definidos os representantes brasileiros para o Pan

O encerramento da Copa Brasil 2018, neste sábado, dia 24, na Sede Oceânica Jurerê do Iate Clube de Santa Catarina, em Florianópolis, marcou a virada do calendário da vela brasileira. Os campeões da principal competição do país, disputada ao longo da última semana, garantiram vaga na equipe principal do Brasil para 2019. Nas classes olímpicas, os vencedores foram: Fernanda Oliveira/Ana Barbachan (470 feminina), Patrícia Freitas (RS:X feminina), Gabriella Kidd (Laser Radial), Samuel Albrecht/ Gabriela Nicolino (Nacra 17), Jorge Zarif (Finn), Geison Mendes/Gustavo Thiesen (470 masculino), Marco Grael/Gabriel Borges (49er), Brenno Francioli (RS:X masculina) e Bruno Fontes (Laser Standard).

Além disso, a dupla Juliana Duque/Rafael Martins foi a vencedora da Snipe, e Bruno Lobo foi o campeão na Fórmula Kite. Eles farão parte da Equipe Brasileira Pan-Americana para os Jogos de Lima 2019, junto com os ganhadores da RS:X (masculina e feminina), Laser Standard e Nacra 17.

“O nível da Copa Brasil foi muito bom, com várias classes bem disputadas e decididas só no último dia. A presença de estrangeiros também foi positiva para o evento. O ano de 2019 vai ser importante, com a disputa dos Jogos Pan-Americanos de Lima num lugar diferente, Paracas, de vento forte. E, como também servirá de classificatória para as vagas regionais dos Jogos Olímpicos, é um campeonato que tem uma importância adicional”, afirmou Torben Grael, técnico chefe da Equipe Brasileira.

Na classe Laser, o catarinense Bruno Fontes comemorou emocionado a vitória numa disputa regata a regata com o bicampeão olímpico Robert Scheidt.

“É a coroação de uma carreira. Um campeão ganha nas pequenas coisas. Estava tudo conspirando, hoje estava a condição que eu gosto. Não poderia ser um pacote melhor. Estou feliz, bem feliz”, disse Bruno.

Na RS:X feminina, Patrícia Freitas subiu no topo do pódio, já de olho na temporada 2019 e na possibilidade de lutar por uma terceira medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos.

“O Pan é sempre uma competição difícil, com menos gente. Conquistar o tricampeonato seria muito legal e é o meu objetivo. Vai ser desafiador até pelos eventos importantes que virão na sequência: o evento-teste dos Jogos Olímpicos, a Copa do Mundo do Japão e o Campeonato Mundial”, afirmou Patrícia.

Também foram realizados junto com a Copa Brasil os Campeonatos Sul-Americanos de Fórmula Kite, Nacra 17 e 49er. E os brasileiros  Bruno Lobo, Samuel Albrecht/Gabriela Nicolino, e Marco Grael/Gabriel Borges foram os campeões.

Atletas da Juventude têm momento especial com ídolos

Para 41 atletas, a Copa Brasil de Vela 2018 tem um sabor especial. São as promessas da Vela Jovem, que disputam a competição lado a lado com ídolos do esporte e medalhistas olímpicos como Robert Scheidt, Fernanda Oliveira, Isabel Swan, além de Torben Grael, coordenador técnico da equipe brasileira, que acompanha as regatas na água. Neste sábado, dia 24, a competição chega ao fim na sede Oceânica Jurerê do Iate Clube de Santa Catarina.

“Essa oportunidade está sendo muito boa. São velejadoras com muito mais experiência do que eu. Além de poder me comparar com elas, ganho muita experiência de tática de regata, de regras. A Copa Brasil está sendo um momento de pura evolução para mim”, afirmou Larissa Schenker, sexta colocada no Mundial da Juventude 2018 na classe RS:X feminina, que em Florianópolis está competindo boia a boia com Patrícia Freitas, bicampeã pan-americana; e Bruna Martinelli.

Na classe Laser, o gaúcho Tiago Quevedo, representante do país nas duas últimas edições do Mundial da Juventude, aproveita uma oportunidade rara em Florianópolis. Na Copa Brasil, ele está na mesma raia do bicampeão olímpico Robert Scheidt.

“Eu aprendi muito sobre o barco, sobre as técnicas. Simplesmente velejando perto do Robert, por exemplo, você consegue absorver detalhes. A gente aprende até fora d’água: o cuidado com o material, o perfil de um atleta profissional”, disse Tiago, de 18 anos.

Na classe 420, a pernambucana Marina da Fonte, sétima colocada no Mundial da Juventude 2018, divide a raia com a medalhista olímpica Fernanda Oliveira, que sacramentou neste sábado a vitória na 470 feminina, ao lado de Ana Barbachan.

“É muito importante. Esses campeonatos fazem a gente evoluir, com esses profissionais da vela. Eles apoiam a gente, dá para ver o preparo antes de ir para água, a concentração”, afirmou Marina, de apenas 15 anos.

CAMPEÕES DA VI COPA BRASIL DE VELA 2018

470 masculino – Geison Mendes e Gustavo Thiesen, 20 pontos perdidos

470 feminino – Fernanda Oliveira e Ana Barbachan, 23 pontos perdidos

Finn – Jorge Zarif, 11 pontos perdidos

49er – Marco Grael e Gabriel Borges, 15 pontos perdidos

Laser Radial feminino – Gabriella Kidd, 30 pontos perdidos

Laser Standard* – Bruno Fontes, 17 pontos perdidos

Nacra 17* – Samuel Albrecht/Gabriela Nicolino, 19 pontos perdidos

RS:X masculina* – Brenno Francioli, 12 pontos perdidos

RS:X feminina* – Patrícia Freitas, 19 pontos perdidos

Fórmula Kite* – Bruno Lobo, 12 pontos perdidos

Snipe* – Juliana Duque/Rafael Martins, 24 pontos perdidos

Lightning – Claudio Biekarck/Gunnar Ficker/Isabel Ficker, 9 pontos perdidos

*Classes em que o Brasil já está classificado para os Jogos Pan-Americanos Lima 2019

Resultados completos, incluindo a Copa Brasil de Vela Jovem:

http://copabrasildevela.cbvela.org.br/

Da assessoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s