Brasileiros levam ouro e prata no Europeu de Star

Terminou neste domingo em Flensburger, na Alemanha, o Europeu da classe Star. E mais uma vez o Brasil fez bonito, levando a medalha de ouro com Bruno Prada, que velejou na proa do americano Augie Diaz, e a medalha de prata com Lars Grael e Samuel Gonçalves.

Além de ser uma competição muito acirrada e que contou com cinco campeões mundiais na raia dentre as 71 duplas de 17 países, o clima deixou tudo ainda mais difícil. Na segunda noite de competição uma forte ventania causou um fenômeno climático que fez com que a água do ‘fiorde’ onde fica o clube recuasse, deixando muitos barcos atolados na lama. No sábado, penúltimo dia de regatas, o vento entrou com tanta força, com quase 40 nós, e a CR não cancelou a regata, causando quebras de mastro e deixando muitas velas destruídas.

“O título foi decidido numa disputa acirrada com a dupla Augie Diaz / Bruno Pradaaté a linha de chegada da última regata. Por bico de proa, eles passaram a dupla do atual campeão mundial Eivind Melleby e Guilherme Almeida cruzando em 5º. Nós viemos do outro lado e tivemos que dar água para ambos. Perdemos no critério de desempate. Faz parte e o Vice-título foi um ótimo resultado”, disse Lars.

Os resultados podem ser vistos aqui: http://bit.ly/2ARXJT5

No Mundial de Classes Olímpicas, Brasil garante três vagas para Tóquio 2020

Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino_Jesus Renedo_Sailing Energy.jpg

O Mundial de Classes Olímpicas chegou ao fim neste domingo, dia 12, em Aarhus, e a Equipe Brasileira de Vela agora começa a voltar o foco para os Jogos Olímpicos. Com o resultado da última semana na Dinamarca, o país já carimbou passaporte de três classes rumo a Tóquio 2020: Laser, 49er FX e Nacra 17. O próximo compromisso importante do ano é o primeiro evento-teste em Enoshima, no Japão, em setembro.

O desfecho do Mundial teve uma pontinha de frustração para o Brasil. Após garantirem a vaga olímpica do país na sexta-feira, Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino ainda tinham esperanças de pódio na Nacra 17. Mas a regata da medalha deste domingo foi cancelada por falta de vento. Assim, a dupla brasileira encerrou a participação em quinto lugar, com 81 pontos perdidos. O ouro foi para os italianos Ruggero Tita e Caterina Banti (69 p.p.).

Além da Nacra, o Brasil obteve classificação na 49er FX, com o quarto lugar de Martine Grael e Kahena Kunze; e na Laser, com João Pedro Souto de Oliveira em 19º lugar no Mundial. Continuar lendo “No Mundial de Classes Olímpicas, Brasil garante três vagas para Tóquio 2020”