Velejador Aleixo Belov chega a Salvador após expedição ao Alasca

Foto - Erick Salles (1)

Os bons ventos estão trazendo o Fraternidade de volta a Salvador. O veleiro, comandado pelo navegador ucraniano, radicado na Bahia, Aleixo Belov, atraca no Segundo Distrito Naval (Comércio), no dia 4 de agosto, às 10h, após passar cerca de 600 dias em mais um desafio em alto mar. A embarcação, que tem estrutura de aço e mais de 20 metros de comprimento, saiu da capital baiana no dia 3 de dezembro de 2016 com destino ao Alasca, gélido estado norte-americano. Essa é a quinta volta ao mundo de Belov, que ficou conhecido em 1980 como navegador solitário, por se lançar sozinho ao mar, a bordo do barco Três Marias.

Na mais recente aventura, o comandante de 75 anos, que também é engenheiro, empresário e escritor, seguiu viagem acompanhado de outros tripulantes. A primeira e única parada no Brasil foi em Natal-RN. Na sequência, o Fraternidade passou pelo Caribe, Panamá, Galápagos, Ilhas Marquesas, Havaí e, finalmente, ao Alasca. Seguindo o trajeto de volta, regressando à capital baiana, o veleiro navegou pelas Ilhas Marshall, Micronésia, Bali, Durban e Cidade do Cabo, na África do Sul. Foram dias intensos desbravando o mar, o vento, as tempestades, conhecendo culturas exóticas e cenários paradisíacos. Agora, a próxima parada será em Salvador.

No Segundo Distrito Naval, Aleixo Belov deseja encontrar amigos e familiares. “Meu sonho é levar o Fraternidade de volta a Salvador, ao seu porto de origem, e abraçar todo mundo. Depois, quero deitar e só acordar três dias depois”, brinca o navegador, revelando que a sua próxima missão é escrever mais um livro para relatar a aventura. “Tenho 15 cadernos de 200 páginas totalmente preenchidos e muito mais de 10 horas de registro em vídeos”, conclui.

Da assessoria / Foto: Erick Salles

No Mundial de Classes Olímpicas, Scheidt estreia como técnico

IMG_4961 (1).jpg

A Equipe Brasileira de Vela terá um reforço de peso no Mundial de Classes Olímpicas que começa esta semana, na Dinamarca. Robert Scheidt, dono de cinco medalhas em Jogos Olímpicos como atleta, vai atuar como técnico pela primeira vez, acompanhando o velejador Jorge Zarif, na classe Finn. As primeiras regatas da competição estão marcadas para a próxima quinta-feira, dia 2. Esta segunda-feira, dia 30, foi dia de medição dos barcos.

“Espero ser um facilitador desse processo, mais uma pessoa com experiência para ajudar o Jorge. Estou muito animado com essa primeira experiência como técnico em uma competição oficial e ainda por cima desse nível. Espero contribuir”, afirmou Robert Scheidt.

Os dois já trabalharam em alguns treinamentos da Finn antes de chegarem à Dinamarca. Robert é um dos maiores vencedores da história da vela, com 11 títulos mundiais na classe Laser (incluindo um de Vela Jovem), três na Star, duas medalhas olímpicas de ouro (Atlanta-1996 e Atenas-2004, na Laser), duas de prata (Sydney-2000, na Laser; e Pequim-2008, na Star) e uma de bronze (Londres-2012, na Star). Mesmo sem experiência prévia como treinador, tem conhecimento de sobra no esporte. Continuar lendo “No Mundial de Classes Olímpicas, Scheidt estreia como técnico”