Equipe da Sardenha explica mal entendido sobre a America´s Cup

adelasia di torres

O porta-voz da equipe Sardinia Challenge Adelasia di Torres explicou o mal entendido sobre a confirmação da participação da equipe na próxima America´s Cup. Segundo ele, Colin Squire, editor da revista Superyacht, interpretou erroneamente a fala da equipe, o que fez com que ele entendesse que o time já estava confirmado na competição.

O que acontece, no entanto, é que, se o time aplicar a sua participação na Copa até o dia 30 de junho, prazo final da inscrição, o que provavelmente vai acontecer, ela será aceita.

“Tive a impressão, quando escrevi o texto para a imprensa, de que o desafio havia sido aceito, mas aparentemente eu interpretei errado a conversa [com o líder da equipe Renato Azara]. É terrível, eu nunca enviaria algo para a imprensa se eu soubesse que estava incorreto, mas pareceu que Renato disse com segurança que, quando ele submetesse o desafio no final do mês, o que ele quer fazer, eles [o Royal New Zealand Yacht Squadron] aceitaria. Foi um erro de interpretação meu que veio por conta de um problema de linguagem. Ele está tentando armar o desafio há quatro ou cinco meses e o que podemos fazer agora é sentar e esperar”, disse Squire.

 

Volvo Ocean Race: MAPFRE lidera ao norte da Escócia

A penúltima etapa da Volvo Ocean Race se aproxima de sua conclusão em Gotemburgo (Suécia). Os barcos já navegam pelo norte da Escócia e farão a aproximação aos países da Escandinávia ainda nesta quarta-feira (13).

Desde a saída de Cardiff (País de Gales), as equipes sofreram com ventos fracos. Mas a intensidade aumentou nas últimas horas. O mais favorecido foi o espanhol MAPFRE, que abriu pequena vantagem na liderança da perna.

”Atravessar a cordilheira a oeste da Irlanda foi fundamental”, disse o timoneiro do MAPFRE, Rob Greenhalgh. ”Passamos as 24 horas anteriores indo para mais ao norte possivel para tornar a travessia o mais confortável”.

Com tanto em jogo, as equipes estão se esforçando mais do que nunca, sabendo que o que acontece agora acabará afetando sua posição geral no final.

O líder geral do campeonato, o Dongfeng Race Team, ocupava o segundo lugar no placar do fim da manhã desta quarta. Turn the Tide on Plastic vinha em terceiro lugar. O Akzonobel, da brasileira Martine Grael, perdeu contato na ponta.

”Agora temos que ser rápidos para alcançar o MAPFRE”, disse Kevin Escoffier do Dongfeng Race Team.

A brasileira Martine Grael também comentou sobre as dificuldades da etapa entre o País de Gales e a Suécia.

“Tivemos três paradas de vento, e estamos praticamente sem vento nenhum neste momento. Neste ponto, acredito que todos os barcos já estiveram em algum momento na liderança, e estamos com previsão de muito vento a partir de hoje a noite, e que deve durar por aproximadamente 24 horas. Por isso, acredito que quem conseguir sair deste vento fraco vai se dar bem. Agora, vamos ver como saímos daqui.”

Já exausta depois de oito meses de regata ao redor do planeta, a perna 10 está cobrando seu preço.

Pode ser etapa mais curta até hoje, mas também está se tornando uma das mais difíceis.

“Nós não dormimos muito nessa perna”, disse a atleta olímpica australiana Nina Curtis, tripulante do quarto colocado Team Brunel.

“Mesmo quando tinha vento fraco, nós estávamos constantemente movendo. Acho que o máximo de sono que eu peguei foi uma hora. Os caras me disseram que seria intenso, mas esse é um novo nível de intensidade”.

As tripulações terão que lutar contra a tempestade de ventos fortes perto de 45 nós, chuva forte e pouca visibilidade enquanto cruzam o Mar do Norte e seguem para o sul ao longo da costa da Noruega.

Embora permaneçam mais de 960 km do fim da etapa de 1.300 milhas de Cardiff, no País de Gales, até Gotemburgo, na Suécia, a pressão continua.

Se o MAPFRE ganhar a perna com Dongfeng em segundo lugar, a equipe espanhola ficaria empatada em pontos (se Dongfeng, como esperado, receber um bônus para o tempo total mais rápido).

A previsão de chegada em Gotemburgo é nesta quinta-feira (14).

Classificação geral da  Volvo Ocean Race

1. Dongfeng Race Team – 60 pontos

2. MAPFRE – 59 pontos

3. Team Brunel – 57 pontos

4. team AkzoNobel – 48 pontos

5. Vestas 11 horas de corrida – 36 pontos

6. SHK / Scallywag – 29 pontos

7. Turn the Tide on Plastic – 26 pontos

** Se houver igualdade na classificação geral, a tabela da In-Port Race Series será usada para desempate.

Classificação geral das In-Port Race Series

1. MAPFRE – 56 pontos

2. Dongfeng Race Team – 49 pontos

4. Team Brunel – 41 pontos

3. team AkzoNobel – 39 pontos

5. Vestas 11 horas de corrida – 26 pontos

6. Sun Hung Kai / Scallywag – 21 pontos

7. Turn the Tide on Plastic – 17 pontos

Primeiro final de semana do Warm Up reúne 40 barcos em Ilhabela

irc-9-6-014.jpg

Os velejadores estão começando a entrar no clima da Semana de Vela de Ilhabela. Isto por que neste sábado e domingo foram disputadas as primeiras regatas do Warm Up. No sábado o vento na casa dos 15 nós de leste permitiu que a CR utilizasse uma raia diferente para as classes HPE 25 e C30, com largada próxima a praia da Siriúba e boia no farol da ponta das canas. Ali foram disputadas três regatas, com boas disputas, anunciando o que virá por aí na maior competição da vela oceânica da América Latina. As demais classes fizeram um percurso longo, com 18 milhas, com boia entre a praia do Jabaquara e o baixio.

No domingo as classes mais ligeiras fizeram mais duas regatas barla-sota, enquanto as demais fizeram outro percurso longo com o vento de leste, para fora do canal.

Os resultados podem ser vistos abaixo:

RGS e Bico de Proa
IRC
ORC
C30
HPE25