Vencedor da etapa brasileira da Volvo Ocean Race vai ser conhecido nesta terça

Os vencedores de sétima etapa da Volvo Ocean Race 2017-18 serão definidos nesta terça-feira (3) em chegada emocionante na cidade de Itajaí (SC), destino final da perna de 7.600 milhas náuticas de regata. A previsão – pode variar de acordo com o vento – é de termino nas primeiras horas da manhã.

Dois barcos brigam pela vitória e pela chance de levar pontuação dobrada pra casa. Team Brunel e Dongfeng Race Team protagonizam uma disputa equilibrada desde a subida pelo Atlântico Sul.

As milhas finais prometem muita adrenalina, principalmente pela previsão de ventos fracos na aproximação à costa catarinense.

Na tarde desta segunda-feira (2), a diferença entre holandeses e chineses era de apenas 4 milhas náuticas. Brunel e Dongfeng navegam na altura de Pelotas (RS) ainda com ventos de média intensidade.

”A boa notícia é que estamos ganhando milhas até a chegada rapidamente”, disse o holandês Bouwe Bekking, comandante do Team Brunel.

”Nas últimas horas andamos a 24 nós, mas o Dongfeng está na nossa cola. Não existe mais vantagem e teremos uma batalha até a chegada”.

Com as temperatura aumentando – as equipes ficaram semanas sofrendo com o frio dos mares do sul –  o clima fica melhor a bordo. ”A temperatura da água subiu de 9 para 20 graus e do ar de 3 para 18 graus em menos de 48 horas. Saímos da pressão e agora podemos relaxar, mas temos que tentar passar o Brunel”, disse Charles Caudrelier, do Dongfeng.

”Todas as equipes tiveram seus problemas e agora todos querem apenas chegar”.

Já o team AkzoNobel, da brasileira Martine Grael, conserva a terceira colocação, só que mais de 230 milhas náuticas atrás dos dois primeiros. O barco está na linha de Buenos Aires, Argentina, e deve chegar até o início da quarta-feira (4).

”Essa etapa foi uma das mais difíceis. Passamos por momentos difícieis e de muita pressão para não dar nada errado. Foi uma etapa incrível, bonita, mas ao mesmo tempo triste”, disse a brasileira Martine Grael.

”Estou sentindo falta de um arroz e feijão, de um churrasco também”.

Em quarto lugar está o Turn the Tide on Plastic, seguido de perto pelo MAPFRE. As duas equipes devem cruzar a linha de chegada apenas no dia 6 de abril

Scheidt e Lopes são campeões paulistas de Star

334386_778144_img_0030_web_

Robert Scheidt é campeão paulista da Classe Star 2018. Ao lado de Arthur Lopes, o bicampeão olímpico ganhou as três regatas disputadas neste domingo de Páscoa (1), no Yacht Club Santo Amaro, em São Paulo, e conquistou o título da competição estadual. O segundo lugar ficou com Torben Grael, seguido por Dino Pascolato. “É bom voltar a vencer depois de dois vices seguidos”, disse o iatista, lembrando das medalhas de prata na SSL Finals, em dezembro de 2017, e da Bacardi Cup, no início de março.

Scheidt conhece bom a represa de Guarapiranga. Formado no Yacht Club Santo Amaro, o bicampeão olímpico voltou a disputar regatas em sua cidade natal após cinco anos. “Competir no YCSA novamente é uma alegria muito grande. Em função do ciclo olímpico da Rio 2016, treinei muito no Rio de Janeiro nos últimos anos. Por tudo isso, essa volta, e com título, é realmente um momento muito especial”, afirmou o maior medalhista do Brasil, com cinco pódios. Continuar lendo “Scheidt e Lopes são campeões paulistas de Star”

Felipe Frey e Geisa Frey vencem o SulCat em Porto Alegre

IMG_5076.JPG

O Campeonato Sul-brasileiro da classe Hobie Cat 16 encerrou neste domingo no Veleiros do Sul sem a disputa das regatas finais devido à falta de vento em Porto Alegre. O título do SulCat ficou com Felipe Frey e Geisa Frey e em segundo lugar José Jesus e Marina Silva, as duas tripulações de São Paulo. Na terceira colocação ficaram os gaúchos João Kraemer e Lawson Beltrame.

No penúltimo dia houve a polarização entre as duplas paulistas pela liderança do campeonato. Felipe e Geisa terminaram com apenas um ponto de vantagem sobre os vice-campeões. Felipe Frey é o atual campeão brasileiro de HC 16, título conquistado também Porto Alegre em novembro do ano passado.

O Sul-brasileiro teve seis regatas das nove previstas. No sábado apesar da chuva forte teve condições de vento para a realização das provas. Já neste domingo a primeira largada estava prevista para às 11 horas, mas a instabilidade do tempo com garoa intermitente e falta de vento não partiu a disputa final. Participaram 19 tripulações do Rio Grande do Sul e São Paulo. O capitão da flotilha de Hobie Cat, Guilherme Borges disse que o campeonato foi bom em todos os sentidos e algumas duplas confirmaram o favoritismo na disputa pelo título. “Nós competimos, mas também confraternizamos bastante, algo que faz parte do espírito da classe”.

A premiação foi realizada no final da tarde de domingo com a presença da Comodoria, associados e velejadores da flotilha de HC.  O Comodoro Eduardo Ribas abriu a cerimônia e falou sobre o campeonato e agradeceu a “família Hobie Cat” e equipe de funcionários do Clube pela realização do SulCat 2018. Antes da entrega de prêmios, as crianças dos pais catistas ganharam ovos de Páscoa e diplomas de membros da flotilha Gaúcha de Hobie Cat, pois algumas já velejam na classe.

Prêmio especial Fair Play – por ter prestado socorro a outra dupla durante a regata

André Huyer e Paula Letícia (VDS

Estreante – Timoneiro que nuca disputou o SulCat

Cleiton Fronckowiak e Carolina Gralt (SAVA)

Duplo Gran-Master 100 – Timoneiro com 55 anos ou mais e idade mínima do proeiro que some 100 anos

Marcelo Vera e Maria Inês Vera (VDS)

Gran-Master – Timoneiro com 55 anos ou mais, proeiro idade livre

Cláudio Roberto (Mika) e Daniele Capiotti (CDJ)

Master – Timoneiro com 45 anos ou mais, proeiro idade livre

José Roberto Jesus e Marina Silva (GVI)

Resultados completos

Da assessoria

 

Flotilha da Volvo Ocean Race se aproxima do Brasil; Mapfre volta à regata e Vestas perde o mastro

A imagem pode conter: 8 pessoas, pessoas sorrindo, atividades ao ar livre

O Team Brunel se defende nas milhas finais da sétima etapa da VolvoOcean Race 2017-18 contra o ataque do Dongfeng Race Team. As duas equipes se aproximam rapidamente da chegada em Itajaí (SC) e pelos últimos relatórios da organização, o vencedor será definido na chegada à cidade. Faltam menos de 1.000 milhas náuticas para o fim da prova de 7.600.

“Todo mundo está realmente disposto a terminar a prova, especialmente depois de ouvir sobre alguns dos danos que os outros barcos sofreram”, disse Abby Ehler, do Team Brunel.

“Tivemos um pequeno problema com o nosso leme, que já consertamos, mas ainda há um longo caminho pela frente. Seria incrível ganhar esta perna. Ainda não tivemos uma performance excelente na competição, então ganhar seria excepcional. Dedos cruzados nada pode dar errado com o barco agora”.

A disputa entre holandeses e chineses segue intensa no través da Argentina. A previsão de chegada varia agora entre 3 e 4 de abril. Já o team AkzoNobel, da brasileira Martine Grael, segue em terceiro lugar, 70 milhas náuticas atrás dos líderes. Continuar lendo “Flotilha da Volvo Ocean Race se aproxima do Brasil; Mapfre volta à regata e Vestas perde o mastro”