Mapfre faz pausa na Volvo Ocean Race, enquanto outros barcos cruzam o Horn

m115651_13-07-180329-dfg-mtk-300.jpg

A flotilha da Volvo Ocean Race já está passando pelo temido Cabo Horn. O Mapfre, porém, optou por pausar a regata seis milhas antes por conta de danos na calha e na vela grande. A equipe comandada por Xabi Fernández estava conseguindo controlar as quebras com alguns procedimentos de segurança, mas, antes de fazer a curva e começar a subir a costa americana rumo a Itajaí, optou por parar e três membros da equipe de água estão por perto para ajudar no que for preciso.

Segundo as regras da regata, quando a equipe opta por pausar a competição, ela deve ficar parada por pelo menos 12 horas e deve retomar do mesmo ponto de onde parou. Mas, de acordo com a previsão do tempo, os cinco barcos que já cruzaram o Horn deverão diminuir a velocidade, o que permitirá uma aproximação do Mapfre. Ao cruzarem o mítico cabo, as cinco equipes prestaram uma homenagem ao velejador John Fisher, que desapareceu no mar no início da semana.

“Teremos uma relargada após as ilhas Falklands”, disse Bowe Bekking, comandante do Team Brunel, que lidera a etapa. O Akzo Nobel, time de Martine Grael foi o quarto a cruzar o cabo, 4h21 atrás dos líderes.

 

FelciUno lidera primeiro dia da Búzios Sailing Week

O primeiro dia de regatas da Búzios Sailing Week foi do jeito que todo velejador gosta: com muito sol, água limpa e vento entre 10 e 12 nós. Perfeito para a equipe do veleiro FelciUno, comandada por Francisco Freitas, que venceu as duas regatas do dia e lidera a competição na classe ORC. Estreando a bordo do veleiro modelo Felci 315, de construção nacional, os gaúchos do Clube dos Jangadeiros voltam para as raias de Búzios em busca do tetracampeonato. Eles foram campeões em 2010, 2011 e 2012 a bordo do San Chico.

“Tivemos um dia muito divertido, com a disputa das duas primeiras regatas barla-sota. O nível do campeonato está muito alto, com equipes como o Miragem, atual campeão do Circuito Rio, Santa Fé e Máximus, que são maiores do que o FelciUno. Conseguimos velejar bem e o barco é muito fácil de tocar. Só sentimos a falta do Regis Fernando da Silva, que teve um problema médico e não conseguiu vir, mas o Emílio Strassburger o substituiu bem no mastro”, disse o comandante.

A Búzios Sailing Week é uma das mais tradicionais competições da vela oceânica no Brasil e este ano reúne barcos das classes ORC e IRC. O evento começou oficialmente nesta quarta-feira com a recepção dos velejadores em um coquetel no Iate Clube Armação de Búzios. Para esta sexta-feira está programada uma regata de percurso, mas, se o tempo e vento permitirem, também será realizada uma regata barla-sota.

Resultado da classe ORC:

1. FelciUno, Francisco Freitas, CDJ, 2 pontos perdidos
2. Bravíssimo, Luciano Secchin, ICRJ, 4 pp
3. Santa Fé, N. Thomé, CNC, 6 pp
4. Maestrale, Adalberto Casaes, ICRJ, 8 pp
5. Maximus, Ralph Rosa, CNC, 10 pp

SOBRE O FELCIUNO (FELCI 315):

Desenho: Umberto Felci
Construção: Delta Yachts
Comprimento: 31,5 pés (9,5m)
Linha d’água: 8,5 m
Boca máxima: 3,25m
Deslocamento: 2.950 kg
Calado: 1,95m
Tanque de diesel: 45l
Tanque de água: 110l
Motor: Yanmar 15hp rabeta
Área vélica: 34m² (mestra) + 25m² (genoa) + 94m² (gennaker)

Para mais informações sobre o barco, acesse: http://www.deltayachts.com.br/felci315/

Foto: Gonzalo Arseli

Barcos se aproximam do Cabo Horn; Scallywag vai para o Chile

m115587_13-07-180328-bnl-ynr-08076.jpg

A Volvo Ocean Race 2017-18 segue sendo disputada rumo a Itajaí, no Brasil. Os barcos ainda navegam pelos mares do sul e se aproximam do Cabo Horn. O primeiro a contornar o local ganha um ponto de bônus. A previsão é que isso ocorra nesta quinta-feira (28) pela manhã.

O time do Sun Hung Kai / Scallywag não confirmou seus planos para a sequência do campeonato, mas deve utilizar algum porto na costa oeste do Chile para parar. O local é mais próximo nesse momento e conta com uma zona relativamente segura para as condições muito duras que ainda enfrentam. A equipe tenta se recuperar da devastadora perda do britânico John Fisher, na última segunda-feira (26).

As outras seis equipes continuam a avançar em direção ao Cabo Horn, com o Team Brunel de Bouwe Bekking na frente por quatro dias seguidos. A tripulação holandesa tem vantagem de 65 milhas náuticas. Continuar lendo “Barcos se aproximam do Cabo Horn; Scallywag vai para o Chile”