Regata Marina Bracuhy chega ao segundo ano como segunda maior regata do país

Entre os dias 9 e 11 de março 89 veleiros e mais de 400 tripulantes se reuniram em Angra dos Reis para a disputa da 2ª Regata Marina Bracuhy. O evento, que faz parte do campeonato da Flotilha Angra dos Reis de Vela Oceânica – Farvo – foi marcado por boas disputas dentro d’água e muita festa em terra, conforme conta no texto abaixo o comandante Helio Viana, do Maracatu:

“Em 2017 um pequeno grupo de velejadores e moradores do Bracuhy, não à toa autodenominado Velejadores do Bracuhy, se juntou para organizar, de forma voluntária, uma regata. A ideia era trazer o Bracuhy – um complexo náutico com condomínios, casas nas margens de um canal navegável, hotel, restaurantes e todas as facilidades pra quem está de barco em Angra dos Reis – de volta ao cenário da vela de competição.

A Marina JL Bracuhy, na figura de Fernando Fontoura, foi um parceiro de primeira hora e além da cota de patrocinador máster, franqueou vagas para os veleiros de fora e disponibilizou sua infraestrutura. Logo de cara os Velejadores do Bracuhy conseguiram juntar 70 veleiros e 300 tripulantes na 1ª Regata JL Marina Bracuhy, que nasceu já fazendo parte do Campeonato de Vela Oceânica organizado pela FARVO – Flotilha Angra dos Reis de Vela Oceânica. Este ano a turma estourou a valuma do balão: no último fim de semana (9, 10 e 11 de março), em sua 2ª edição, a regata reuniu 89 veleiros e mais de 400 tripulantes.

A raia da regata foi montada no través da Ilha das Palmeiras. Na primeira bateria largaram, pontualmente às 11:58 (o relógio do juiz Henrique “Magrão”, da Comissão de Regata, estava adiantado), as classes RGS, APS, Cruzeiro e os veleiros Clássicos, estes competindo, também, na 1ª etapa da 2ª Copa Vintage Boats Fernando Pimentel Duarte. No segundo grupo, largaram para um percurso de seis milhas as classes Multicascos e Bico de Proa. O vento Sueste, de parcos 10 nós, favoreceu a boia, mas o grosso da flotilha ficou na comissão e teve gente enroscando os bigodes antes da linha de largada. O que é compreensível, já que alguns são estreantes em regatas e a maior parte estava ali pela festa.

A primeira perna foi um contravento de pouco mais de duas milhas em um mar sem ondas até uma boia próxima à laje do Fundo. A segunda marca foi contornar a ilha das Flechas por bombordo. Esta perna foi especialmente cênica, a flotilha ocupava toda a Baia da Ribeira e ao fundo a imponência da Serra do Mar. Próximo à ilha, nuvens carregadas se formaram no alto da serra e deu uma rondada no vento para Nordeste, ainda durante a perna de popa. Isto criou uma situação inusitada: havia veleiros de balão se cruzando em direções opostas. Mas alguns tripulantes não foram surpreendidos, pois tinham informação meteorológica em tempo real da estação do ESEC Tamoios/ICMBio na ilha de Sabacu (tranship.voxcomm.com.br). A próxima marca foi a ilha do Sabacu, também por bombordo. A flotilha de 89 barcos, com balão ou asa de pombo, novamente encheu de cores a Baia da Ribeira, desta vez com as ilhas da Gipóia e do Brandão no visual dos competidores. Para a chegada foi mais um contravento de duas milhas para fechar o percurso de 12 milhas.

A Regata JL Marina Bracuhy é muito mais do que uma competição, é quase como uma confraternização entre amigos. As festas já começaram na sexta (9) à noite, com o coquetel de boas vindas oferecido pelo co-patrocinador Star Clippers – empresa especializada em cruzeiros em enormes veleiros clássicos, os Tall Ships, com base na Indonésia, Mediterrâneo e Caribe. No sábado (10), após a regata, no deck na orla da marina, os regateiros aplacaram a sede na “canoa de cerveja” oferecida pelo Mercado da Praia, em seguida emendaram com o jantar da cerimônia de entrega de troféus para os três primeiros de cada classe convidada, além de um especial oferecido pela IMS-Náutica e Delta Yatch para os fitas-azuis da Beneteau e Delta.

Subiram no pódio na classe APS1 o Silene 2, Galileu e Avatar. Na APS2 deu o Asbar, Super Pimpo V e Vizcaya, que há muito não aparecia nas raias de Angra. Na classe RGS o Sinergia foi o 1º, seguido pelo Nativo e o Silene 2. Na Cruzeiro 1 deu o Seachegue, seguido do Slipper e do Aruanã. Na Cruzeiro 2 o Tha-rado foi o 1º, seguido do Azougue  e do Patuá. A classe Bico de Proa 1 ficou assim: Our Dream, Sudestada 2 e Desgarrado. Já a Bico de Proa 2 deu o Lechaim, mais o Acaso e o Guga Buy, que veio lá de Floripa e ficou em 3º. Nos Multicascos o Teimosia ficou em 1º, com o Aurora e o Dose Dupla fechando o pódio. O Fita-Azul Delta do Grupo 1 foi o Super Pimpo e no G2 o Strega. O Fita-Azul Benteteau do G1 foi o Caramarujo e do G2 o Lechaim.

Já nos Clássicos, que parecem não velejar e sim desfilar, deu o Kamaiurá (um Fers FC 43), o Helen (um S&S Glory de madeira com 43 pés) e o Aventura (também S&S Finisterre de 38 pés). A 1ª etapa da Copa Vintage Boats Fernando Pimentel Duarte ficou assim: o Staccato ficou em 1° lugar, o Tharado em 2º e o Helen em 3º.

Entre a entrega de um troféu e outro, regado com Devassa bem gelada à vontade, todos os participantes da 2ª Regata JL Marina Bracuhy concorreram a brindes valiosos. Além da bolsa exclusiva da Tlaloc, confeccionada com velas recicladas, que todo comandante recebeu, o campeão de cada classe ganhava outra recheada de brindes da Nautos, Cordoaria São Leopoldo, Nautispecial, North Sail e protetor solar. Houve sorteio especial para as mulheres com mimos da Trousseau, Cuidados com a Pele da Andrezza Facci, produtos da Opus e bolsas da Bailly. Entre os itens náuticos, os sortudos velejadores ganharam tinta antiincrustante da Internacional, cadeiras da Bailly, guias Santos-Rio do Hélio Magalhães, painel solar de 150W oferecido pela Solaris, um voucher da Roca Ankora de uma âncora com peso adequado ao barco ganhador. A Solução Náutica ofereceu um par de luzes subaquáticas Seablaze e a Keise um serviço de revisão de gerador, a Bropc trouxe uma prancha Stand-up, a Renew Boats ofertou conjuntos de taças em prime acrylic e o Coqueiro Verde ofereceu um jantar para seis pessoas no Saco do Céu. Já a Delta Yacht Charter ofereceu três dias bareboat em um Delta 36´ e a Latitude Charters um day charter para quatro pessoas em um catamarã, all inclusive! Os que se cadastraram na Star Clippers concorreram, também, a uma cabine dupla por uma semana em Bali.

O domingo começou com um colírio para os olhos, o desfile dos veleiros clássicos no canal de entrada da marina, com a luxuosa narração de Murillo Novaes, “a voz” nas regatas das Olimpíadas e da Volvo Ocean Race. Em seguida todos se deliciaram com o Churrascuhy no Bowteco, onde foram assados mais de 50 kg de carnes, entre picanhas, maminhas e cordeiro, importados diretamente de Porto Alegre, uma cortesia dos tripulantes do Aventura, com a turma dos veleiros Acauã, Guga Buy e Caboges no comando da churrasqueira. Um churrasco pra gaúcho nenhum botar defeito.”

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s