Jorge Zarif é campeão brasileiro de Finn

O Iate Clube do Rio de Janeiro recebeu entre os dias 15 e 18 deste mês o Brasileiro da classe Finn. O evento contou com 25 velejadores e teve oito regatas disputadas. Jorge Zarif, representante brasileiro nas Olimpíadas do Rio de Janeiro e em Londres, levou a medalha de ouro com seis vitórias. André Mirsky, que homenageou a filha recém nascida com o nome do barco, ficou com a prata, enquanto João Pedro de Oliveira, campeão brasileiro de Laser, ficou com o bronze.

Confira os resultados

fotos: Fred Hoffmann

 

Búzios Sailing Week é cancelada por falta de patrocínio

BSW.JPG

A tradicional Búzios Sailing Week foi cancelada este ano por falta de patrocínio, segundo nota divulgada pelo Iate Clube Armação de Búzios. Nos últimos anos o clube tem enfrentado dificuldades para conseguir captar o dinheiro necessário para manter o evento com boas disputas na água e muita festa em terra e, por isso, decidiu não realizar o evento em 2018. Confira a nota do clube:

“É com muito pesar que o Iate Clube Armação de Búzios se vê obrigado a cancelar a edição deste ano da Búzios Sailing Week por falta total de patrocínios e/ou apoio.

A Búzios Sailing Week vem sendo disputada nas águas de Búzios há mais de 20 anos com grande sucesso entre os velejadores de Oceano, tendo sido considerado um dos principais certames desta categoria a nível nacional.

Porém, a dificuldade em se identificar parceiros que apoiassem os esforços na manutenção do evento nos moldes técnicos adequados a competições deste vulto nos últimos anos tem apresentado um fardo por demais pesado para ser arcado pelos 70 associados do ICAB.

Desta forma, não restam alternativas além de cancelar esta edição, oferecendo nossas escusas aos que se sintam prejudicados por esta indesejada, mas necessária decisão e reiterando a disposição desta agremiação em buscar alternativas que viabilizem o retorno da Búzios Sailing Week ao calendário da Vela em 2019”

Calmaria agrupa flotilha da Volvo Ocean Race rumo à Auckland

m113388_13-06-180219-azn-rce-53.jpg

“Ainda estamos passando por muitas nuvens”, disse Martine Grael, brasileira do team AkzoNobel. A afirmação da campeã olímpica se traduz em menos velocidade para sua equipe, que nesta segunda-feira (19) ocupa a segunda colocação da sexta etapa da Volvo Ocean Race 2017-18.

A tendência para as próximas 24 horas da perna entre Hong Kong e Auckland (Nova Zelândia) é que os barcos voltem a ficar próximos uns dos outros.

A flotilha atravessa ainda as calmarias próximas à Linha do Equador. A vantagem dos líderes, que era maior do que 180 milhas náuticas, caiu mais da metade. Antes era só Scallywag e AkzoNobel, mas os Doldrums trouxeram o Team Brunel pro pelotão da frente!

“Nós ainda podemos ter uma parada e todos podem nos pegar… Precisamos lidar com isso. Faz parte da regata”, completou Martine Grael. Continuar lendo “Calmaria agrupa flotilha da Volvo Ocean Race rumo à Auckland”

BL3 terá dois barcos com alunos na Copa Suzuki

copa suzuki 1ªetapa.jpg

Nos dias 10, 11, 17 e 18 de março o Yacht Club de Ilhabela vai sediar mais uma vez a tradicional Copa Suzuki. E para quem tem vontade de participar, mas não sabe como, a BL3 terá dois barcos na competição. Para informações sobre valores e como se inscrever, basta entrar em contato com a escola pelo e-mail oceano@bl3.com.br ou pelo telefone 12 991267649.

AkzoNobel e Scallywag sofrem menos nos Doldrums

m113220_13-06-180216-shk-jrl-03034.jpg

O time da brasileira Martine Grael segue firme na liderança da sexta etapa da Volvo Ocean Race 2017-18, caminho entre Hong Kong e Auckland (Nova Zelândia). O team AkzoNobel já abriu mais de 50 milhas náuticas de diferença para o segundo colocado, o Team Sun Hung Kai / Scallywag. Os dois barcos citados conseguiram navegar rápido nas últimas 24 horas na passagem pelas calmarias dos Doldrums. Para se ter uma ideia, a vantagem do team AkzoNobel para o restante da flotilha aumentou em mais de 50% neste sábado (17). A diferença para o terceiro colocado, que é o Team Brunel, já supera 120 milhas náuticas. Para o MAPFRE – o sexto e último na etapa – é de 230 milhas náuticas.

Dongfeng Race Team e MAPFRE tiveram uma navegação bem lenta pelas calmarias. As próximas 24 horas parecem estar um pouco mais fáceis de entender com a flotilha pegando ventos médios. Já no dia seguinte a tendência é de diminuição. Continuar lendo “AkzoNobel e Scallywag sofrem menos nos Doldrums”