O que é um proeiro?

20045358_775349189311623_8838559554842789254_o

“Proeiro”, s.m. – Marinheiro que vigia a proa do navio, (Pequeno Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa 2 Edição, 1939).

Sujeito que tem de combinar a agilidade de um macaco com a força de um elefante, a vista de um gavião, o ouvido de um rato, a resistência de um bambu cortado em noite de luar; deve possuir o pescoço de uma girafa – Camelo Pardalis – (para enxergar envolta da buja os barcos que navegam a sotavento) e a capacidade de respirar até debaixo d’água.

São preferidos os que possuem costas largas para fazerem as vezes de bode expiatório e que tenham quatro ou mais braços com as respectivas mãos, estas delicadas – tipo parteira – para desatar nós criminosamente atados por comandantes e imediatos de meia tigela.

Deve saber torcer o pescoço horas a fio, sem descansar, para cantar a buja; deve possuir um peso certo, com tolerância apenas de gramas, uma carne insensível que lhe permita deitar em cima de olhais e escotas, em bolinas cochadas que nunca mais terminam.

Eremita que vive na proa de um barco a vela sem que possa, eremiticamente, dedicar-se a ideias próprias, tendo que estar prestes para executar cegamente qualquer comando que soe do cockpit – mesmo que se trate de mudar uma “Asa de Pombo” seis vezes em cinco minutos. Somente pode beber e se alimentar havendo vento de popa, pois de outra forma, a água o arrancaria do convés com o seu sanduíche molhado e suco quente em dois tempos.

É o sacrificado das regatas vitoriosas, pois, por motivo de uma economia incompreensível, não recebe medalhas, desaparecendo do palco depois de obtida vitória, com o esqueleto doído, os olhos inchados pela água do mar, a boca amarga, as mãos rijas de tanto se agarrar, mas com o coração entornando porque ganhamos!

Autor desconhecido

4 comentários sobre “O que é um proeiro?

  1. A primeira vez que eu vi esse artigo foi numa revista “A Jangada” (revista interna do Clube dos Jangadeiros – Porto Alegre), no final da década de 1970 e continha o seguinte adendo: “(Este artigo foi recolhido por Jorge Alberto Aydos no “Yachting Brasileiro”, janeiro de 1948. Muita coisa melhorou na vida do proeiro mas, de vez em quando acontecem algumas “desgraças”; perguntem ao Luiz Alberto Aydos como foi que ele fez desaparecer do convés a bússola, no Mundial de 470, realizado recentemente no Japão…)”. O Luiz Alberto Aydos era proeiro do Marco Aurélio Paradeda e o mundial a que se refere foi o de 1977, 40 anos passados, direto do túnel do tempo.

    Curtir

    1. Continuando nessa linha, tenho uma camiseta, que comprei dos USA, com os seguintes dizeres nas costas:

      “FOREDECK UNION
      Good day and thank you for calling the foredeck. Right now, all our friendly foredeck staff are busy packing chutes or helping other crewmembers. Please press one for a headsail change…two for a spinnaker peel…three for a windward douse…four for leeward douse…five for a hoist…six for a gybe or leave us a message and one of our courteous bow-people will get back to you as soon as possible. In a hurry? No problem. Simply email your request to foredeckgods@thebow.com and we’ll respond within twenty-four boat-lengths. For answers to frequently asked questions, please visit http://www.shutthefuckupbackthere.com. Thanks again and have a great race!”

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s