Sodebo é o novo recordista da Transat Jacques Vabre

Thomas Coville quebrou mais um recorde no seu tri de 100 pés, desta feita em dupla com o compatriota Jean-Luc Nelias. Os caras vieram de Le Havre, às bordas da Mancha, até a Bahia em 7d22h07m27s na disputa da Transat Jacques Vabre..

Pouco menos de duas horas depois, chegou o Edmond de Rotschild, com Seb Josse e Thomas Rouxel.  Os trimarãs voadores Sodebo e Edmond de Rotschild reduziram em quase três dias a melhor marca obtida. Em 2007, na mesma Salvador, o Groupama 2 fez o regata desde Le Havre em 10 dias e 38 minutos.

Na vela, como você sabe, o primeiro barco entre todas as classes a cruzar a linha de chegada é chamado de Fita-Azul. E ter essa chancela é especial! Nas edições passadas – 2013 e 2015 – os primeiros no Brasil, mais precisamente em Itajaí (SC), foram Edmond de Rothschild e Macif.

Os veleiros das outras classes devem cruzar a linha de chegada nas próximas semanas. A Vila da Regata, que está ao lado do Terminal Turístico, ficará aberta ao público de 12 a 24 de novembro.

A Transat Jacques Vabre largou de Le Havre, na França, e passou por pontos de difícil navegação, como o Canal da Mancha, a Baía de Biscaia, a calmaria dos Doldrums e a chegada ao Brasil. A prova é disputada em duplas e chega sempre num país produtor de café, por isso é chamada também de Rota do Café. São quatro classes em disputa: duas multicascos – Ultime e Multi50 – e duas monocascos: IMOCA e Class40

As outras classes

A regata tem outras três classes competindo a todo pano em busca de mais recordes. Na Multi50, o FenétreA Mix Buffet segue liderando a flotilha. São cinco multicascos rumo ao Brasil e apenas um saiu da prova. O Drekan Groupe capotou na semana passada e ficou de fora.

Na IMOCA, o St Michel – VIRBAC já percorreu mais de 65% do caminho entre Le Havre e Salvador e é perseguido de perto por outros veleiros.

Barco brasileiro

A Transat Jacques Vabre tem mais uma vez um barco brasileiro. O Mussulo 40 Team Angola Cables compete na categoria Class40, a mais lenta de todas entre as super máquinas, mesmo assim singradouros de 300 milhas são comuns… . A dupla Leonardo Chicourel e José Guilherme Caldas está em 13º lugar após ficar, na semana passada, mais de 24 horas parada pra arrumar problemas no veleiro.

Do site murillonovaes.com

Jangadeiros recebe 1º Campeonato Brasileiro da Juventude

23215419_10208836011212159_6544106476530170216_o

Um novo capítulo na história das categorias de base da vela no Brasil começa a ser escrito a partir desta terça-feira, dia 14, em Porto Alegre. O 1º Campeonato Brasileiro da Juventude terá início no tradicional Clube dos Jangadeiros, com regatas a partir das 14h, nas raias do Guaíba. A competição reunirá meninos e meninas de até 19 anos, com disputa nas seguintes classes: RS:X (Masc. e Fem.), Laser Radial (Masc. e Fem.), 420 (Masc. e Fem.), 29er (Masc. e Fem.), Nacra 15 (Aberto), Optimist (Masc. e Fem.) e Hobie Cat.

O Brasileiro Interclubes da Juventude entra em 2017 na programação anual da modalidade neste ciclo olímpico dos Jogos Tóquio-2020. O campeonato serve como preparação para os velejadores que vão disputar o Mundial da Juventude, em Sanya, na China, em dezembro.

Em sua edição 2017, o Brasileiro Interclubes será organizado em conjunto pela Confederação Brasileira de Vela (CBVela); o Comitê Brasileiro de Clubes (CBC); e o Clube dos Jangadeiros, que será sede do evento.