Transat Jacques Vabre: Mussulo faz parada emergencial na Bretanha 

A dupla Leonardo Chicourel e Zé Guilherme Caldas teve que fazer uma parada emergencial no porto de Camaret,  na Bretanha, após a partida da Transat Jacques Vabre no último domingo a bordo do Classe 40 Mussulo. 

Leonardo explica o motivo: “Na saída do Canal da Mancha estávamos com um problema já no trilho da vela grande e devido ao mar picado acabamos danificando os instrumentos de navegação, nossa pilha de energia e alguns equipamentos . Resolvemos então arribar para o Porto de Camaret, encomendamos as peças, que chegaram agora a noite. Depois de 35 horas praticamente sem dormir conseguimos resolver quase tudo, ficando um pequeno saldo para daqui a 3 horas. Depois de esse pouco tempo de descanso devemos terminar os reparos e seguir viagem. Obrigado a todos pela torcida!!”

Asim que tivermos mais notícias da dupla, postaremos por aqui. Fique ligado!

Definidos os campeões do Circuito Rio

23231277_1717906634917312_4212102749924942678_n

Entre os dias 2 e 6 de novembro o ICRJ promoveu o Circuito Rio, que reuniu as classes ORC, IRC e BRA-RGS, além da Mini Transat. IRC e BRA-RGS disputaram seis regatas, enquanto a ORC fez uma a mais. As três classes tiveram provas de percurso e barla-sota.

O primeiro dia teve regata para Maricás para as classes ORC e IRC, com 32 milhas, e ilhas Rasa, Pai e Mãe com chegada na Laje para a BRA-RGS. O vento estava forte, soprando de leste-sueste com rajadas de 20 nós, permitindo que o primeiro barco completasse a regata em pouco mais de 4 horas. No segundo dia, o vento estava da mesma direção e duas regatas barla-sota foram realizadas para a ORC dentro da baía de Guanabara. IRC e BRA-RGS fizeram regata de percurso para as ilhas do Pai e da Mãe, chegando na Laje. O terceiro dia de regatas teve um vento bastante rondado que demorou a entrar e a CR acabou conseguindo fazer uma regata com percurso único para todas as classes montando uma boia no rumo norte e depois as ilhas do Pai e da Mãe. No último dia, já com a entrada da frente-fria, com muita corrente e vento de sudoeste, duas regatas barla-sota foram realizadas pelas três classes dentro da baía de Guanabara.

“Este foi o primeiro campeonato do Inaê na ORC e conseguimos ganhar de barcos que estão na classe há muitos anos. Por ser um barco de cruzeiro totalmente adaptado para regatas , creio que tivemos um ótimo desempenho neste campeonato , mesmo porque também estamos reciclando a equipe e nos acostumando com novas regulagens. Foi um grande desafio medir o barco na ORC e enfrentar grandes barcos e nomes da vela nacional , mas o resultado esta ai e tende a melhorar!”, disse Bayard Umbuzeiro Filho, do Inaê.

Confira os resultados:
ORC
IRC
BRA-RGS