Cabanga faz balanço e divulga resultados da REFENO

O Cabanga Iate Clube de Pernambuco apresentou, na manhã da última quarta-feira (04), no Cine Mabya, em Fernando de Noronha, o balanço da 29ª edição da Regata Internacional Recife – Fernando de Noronha.

Ao todo, 47 embarcações participaram da edição 2017 da Regata. A Refeno reuniu 353 tripulantes de 11 estados do Brasil e dois países – Argentina e Reino Unido. Pernambuco foi o estado com o maior número de participantes este ano, com 14 barcos inscritos. O Rio de Janeiro ficou logo atrás, com 10, seguido pela Bahia, com 7 barcos. Completam a lista São Paulo (4), Argentina (2), Alagoas (2), Rio Grande do Sul (2), Distrito Federal (1), Sergipe (1), Paraná (1), Rio Grande do Norte (1), Santa Catarina (1) e Reino Unido (1).

“Tivemos uma regata excelente. Um mar tranquilo. Tivemos um fato extremamente positivo que todas as embarcações que saíram do Recife chegaram a Fernando de Noronha. Tivemos só três problemas durante o percurso. Mas foram problemas solucionados no próprio barco, pela tripulação, e todos chegaram a Ilha. Então, este é um fato extremamente positivo nesta 29ª Refeno”, comemorou Sérgio Avellar, diretor de Vela do Cabanga.

Administrador da Ilha de Fernando de Noronha, Luís Eduardo Antunes não escondeu a alegria em receber a Refeno no arquipélago. “Para Noronha é uma enorme satisfação receber a Refeno e participar como apoiadora deste evento internacional. Temos o maior prazer em estar ajudando e patrocinando o Cabanga na realização deste evento”, disse.

O Comodoro do clube, Jaime Monteiro Jr., destacou a importância da festa ser realizada de velejador para velejador e agradeceu o apoio da Marinha e da Administração da Ilha na realização de mais uma edição da maior regata oceânica do Brasil. “É uma alegria saber que estamos trazendo mais gente à Ilha, o que é bastante positivo para Noronha. Ano passado tivemos algo em torno de 300 tripulantes, e este ano chegamos próximo dos 370 velejadores na regata”, complementou.

Este ano, a embarcação Camiranga, do Rio Grande do Sul, escreveu, mais uma vez, o seu nome na história da Regata Internacional Recife- Fernando de Noronha (Refeno). No último domingo (1º de outubro), o veleiro conquistou o Troféu Fita Azul pelo quarto ano consecutivo, com direito a quebra do próprio recorde entre os barcos monocascos. Do Marco Zero do Recife até a praia do Boldró, o barco comandado por Samuel Albrecht completou a travessia de 292 milhas náuticas (545 quilômetros) em 19h03min18s.

Para ver os resultados completos, por categoria, clique aqui.

Troféu Cayru começa neste final de semana

O tradicional Troféu Cayru chega a 27ª edição neste final de semana (7 e 8), em Porto Alegre. A competição foi criada para homenagear o barco Cayru, de Leopoldo Gayer, patrono fundador do CDJ (Clube dos Jangadeiros) . Em 1935, quando ainda era chamado de Cayruzinho, foi lançado ao mar para celebrar os 100 anos da Revolução Farroupilha.

O campeonato, que conta pontos para o Estadual de Vela de Oceano, reúne as classes BRA-RGS, ORC-INT, Microtoner 19, Bico de Proa e J24. A competição inicia às 11h com a tradicional volta na Ilha das Pombas. Ainda no sábado, acontece a Regata Solitário com percurso reduzido. No domingo, às 13h, ocorre a largada do Velejaço e, às 14h, tem início as regatas barla-sota. À noite, por volta das 20h, ocorrerá a entrega dos prêmios.

Vencedor da última edição do troféu no comando do San Chico 3,  Xico Freitas não vê favoritos na disputa. “É como em Grenal, embora a gangorra possa estar pendendo um pouco para um lado, tudo pode acontecer. Estamos bem preparados, entrosados e vamos com tudo”, afirma.

Outra embarcação de muita competitividade que habitualmente corre o Cayru é o Kamikaze, do comandante Hilton Piccolo. “É uma regata marcante, tradicional e divertida pelo percurso longo que possui”, ressalta.

Da mesma forma, o barco Hobart, de Airton Schneider, terceiro melhor colocado no último Cayru, tem presença garantida. “Estamos entusiasmados para disputar a ponta novamente. Será uma grande festa”, destaca.