Medal Race do Nacra 17 é cancelada no Evento Teste do Mundial de Vela após fabricante anunciar recall

Hoje em dia é muito comum vermos na TV as grandes montadoras anunciando recall em determinados modelos de carros por diferentes motivos. O que não estamos acostumados é ver recall de barco. Pois isto está acontecendo com os novos barcos da classe Nacra 17. Neste final de semana a World Sailing anunciou que a medal race da classe no Evento Teste do Mundial de Classes Olímpicas, que foi disputado em Aarhus, na Dinamarca, até este sábado, foi cancelada por conta de problemas na placa inferior que suporta a nova bolina.

Os barcos que serão usados em Tóquio 2020 possuem fólios e são uma versão atualizada dos barcos usados no Rio 2016. Conversamos com Gabi Nicolino, que faz parte da Equipe Olímpica Brasileira, e acaba de retornar da Itália, onde passou cinco semanas treinando para o Mundial de Nacra, que será disputado a partir do dia 5/9 em La Grand Mote, na França.

“Nós fomos para a Europa na intenção de disputar o Campeonato Europeu, porém, o kit que deveria chegar no final de junho só chegou dia 12 de julho e optamos, então por ficar treinando em Torbole, na Itália, ao invés de competir. Neste kit vem os cascos novos e os foils novos (leme e bolina) todo o resto (mastro, trampolim, velas, etc) nós já tínhamos.

O problema dessa nova configuração é uma placa preta, que tem uns 40×15 cm, e encaixa uma em cima e uma embaixo do casco na caixa de bolina. A placa de baixo tem um design especial, que permite que, mesmo a bolina tendo o formato de L, você consiga encaixar ela ali e possa tirar quando chegar no clube, por exemplo, sem precisar de um guindaste.

Essa placa é mais fina de um lado, tem alguns milímetros, e mais grossa do outro, com uns 2cm. O que foi percebido com o tempo é que a bolina de barla fazia muita pressão e a parte mais fina acabava quebrando. E é aí que entra o recall. Hoje recebemos uma mensagem do fabricante dizendo que estão fazendo testes nesta segunda e terça-feira e que logo mandarão a peça nova. Os primeiros a receberem a peça serão aqueles que vão para o Mundial. A troca é relativamente simples, pois ela é aparafusada, então nós mesmos podemos fazer. Só que ainda não sabemos quando vamos receber a nossa.

O absurdo da história toda é não fazerem os testes antes de começarmos a usar, a competir. Todos os testes até agora foram feitos em lugares sem onda e os eventos da World Sailing, Mundial, etc, são todos em lugares com onda. Nós mesmos quebramos a bolina em um dia de treino na Itália. Com certeza os fabricantes deveriam ter feito mais testes antes de definirem que este seria o material olímpico. Eles tiveram a chance no começo do ano de impor o novo material só em 2018, mas não o fizeram. Vamos descobrindo os defeitos conforme vamos gastando dinheiro nos campeonatos. Acaba que eles passaram todos os custos dos testes para nós velejadores.

E esta nova configuração não vale tanto. No contravento para sair da água é preciso velejar muito arribado, então todos acabam velejando como se fosse com a bolina antiga. No popa já está dando para voar mais, mas ainda está muito instável, o que vamos resolver com mais treinos”

Leia a nota do fabricante (em inglês) sobre os próximos passos do recall. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s