Brasil estreia em quinto no Mundial de Snipe

Começou nesta segunda-feira em La Coruña, na Espanha, o Mundial Sênior da classe Snipe. O Brasil é o país com o maior número de inscritos, 17 no total, sendo esta a maior delegação nacional na história dos mundiais. E se ontem o Brasil conquistou o título Junior com Tiago Brito e Antonio Rosa, hoje a nossa delegação descobriu que vai ser difícil, mas não impossível trazer mais um título para casa. Depois de três regatas, os melhores brasileiros são Mario Tinoco e Leleco Muto, na 5ª colocação geral. Os líderes são os espanhóis Alvaro Martinez e Gabriel Utrera. Com 85 inscritos, a flotilha está dividida em duas, por isso os resultados duplicados na súmula.

“Está muito difícil, muitos barcos, muita gente boa. O comentário que rola por aqui é que este é o Mundial mais difícil dos últimos anos. Tivemos três regatas, que começaram com vento mais forte, na casa dos 18 nós, e depois foi diminuindo, até uns 12 nós. Estávamos nervosos na primeira regata e acabamos virando, mas conseguimos nos recuperar para chegar em 17º. Na segunda fomos segundos, perdendo para o primeiro na linha, e na terceira fomos terceiro. Estamos bem felizes com a performance de hoje! A previsão de amanhã é diferente, com vento bem mais fraco e estamos confiantes!”, disse Mario Tinoco, o Camaradinha, que é tricampeão mundial Jr.

 

 

Rolex Fastnet Race larga em Cowes, na Inglaterra, com brasileiros na disputa

Trezentos e sessenta e oito. Esta é a quantidade de veleiros de oceano que largou neste domingo de Cowes, na Inglaterra, rumo ao farol de Fastnet e de lá até Plymouth, na tradicional – e temida – Rolex Fastnet Race, com 600 milhas náuticas. Dentre os barcos de 29 nacionalidades, a bordo de um com bandeira holandesa, estão dois brasileiros: Martine Grael e Joca Signorini, que disputarão a Volvo Ocean Race no Team AkzoNobel. A Rolex Fastnet Race faz parte da Leg Zero da VOR, uma série de quatro regatas que não contam ponto para a volta ao mundo, mas que são de suma importância na preparação dos sete inscritos.

A organização espera que os maxitrimarãs, barcos mais rápidos da flotilha, cruzem a linha de chegada nesta terça-feira.

Vela oceânica: Brasileiros ficam em 7 na Copa del Rey

CrioulaTeam (4).jpg

O Crioula Team do Veleiros do Sul ficou em sétimo lugar na classe IRC na 36ª Copa del Rey que encerrou neste sábado em Palma de Mallorca. O time terminou a participação com duas boas classificações: 5º e 4º. O tático do barco Samuel Albrecht falou após as regatas sobre a participação da equipe neste famoso evento da vela internacional. 

“Fomos de pouco a pouca aprendendo sobre o barco e a raia. O TP 52 é fantástico, um barco em constante evolução, há 12 anos vem sofrendo ajustes. Possui sistemas incríveis para velejar, uma estabilidade imensa e muita aérea velica. Regatas radicais, com largadas muito apertadas e navegada com sintonia fina, qualquer comprimento de barco pode te pôr no final da fila. Para nós foi uma excelente experiência, poder estar aqui no meio de tanta gente de alto nível e com os melhores barcos do mundo. Sucesso total”!
O time comandado por Eduardo Plass era formado por 15 velejadores no total; do Veleiros do Sul fizeram parte: Eduardo e Renato Plass, Samuel Albrecht, Alexandre Rimoli, Alexandre Rosa, Augusto e Fabrício Streppel e Gustavo Thiesen. 

Súmula final

Da assessoria

Tiago Brito e Antonio Rosa são campeões mundiais juniores de Snipe

20638930_10213541000379826_2928275936961321483_n.jpg

Terminou neste domingo em A Coruña, na Espanha, o Mundial Jr da classe Snipe. E mais uma vez o título veio para o Brasil. Os gaúchos Tiago Brito e Antonio Rosa desbancaram outros 22 concorrentes para subir no lugar mais alto do pódio após nove regatas. Daniel Platt e Michel Cheffer acabaram na quinta colocação, empatados com o quarto lugar e a um ponto da medalha de bronze. Em sexto ficaram Felipe Rondina e João Pedro Barreto, seguidos por Nick Grael e João Pedro Moreira em sétimo, e Leo Lombardi e Fabio Kohler em oitavo.

Confira a súmula completa aqui.