Vento rondado marca segundo dia da Copa del Rey em Palma de Maiorca

https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fregatacopadelrey%2Fvideos%2F1577588578965787%2F&show_text=0&width=560

O segundo dia da Copa del Rey, que está sendo disputada em Palma de Maiorca, na Espanha, foi marcado por ventos rondados e nuvens de tempestade que deixaram tudo muito instável. A classe IRC disputou apenas uma regata e os gaúchos do Crioula conquistaram um 7o lugar e mantiveram a 7a colocação geral. Eles estão velejando em um TP52 alugado, barco com o qual não estão acostumados.

“Ainda ano pegamos muito bem a mão do barco. Alguns erros têm feito perdermos posições ao longa das regatas. Estamos conseguindo fazer boas largadas, mas ao decorrer da regata estamos perdendo posições, ontem por problemas mecânicos e hoje por erro tático…O barco anda bem e nós estamos evoluindo. Esperamos seguir assim”, disse Samuel Albrecht, skipper do time.

Os resultados podem ser vistos aqui: http://bit.ly/2uWa9mA

Falta de vento adia regatas do Mundial Sub21 de Laser

WhatsApp Image 2017-08-01 at 11.34.26.jpeg

Depois de dias de vento muito forte, agora foi a falta de vento que adiou as regatas do Mundial Sub21 de Laser que está rolando em Kiel, na Alemanha. Com isso, as colocações permanecem as mesmas:

Gabriela Kidd- 22 RADIAL
Ricardo Luz – 28 STANDARD
Stephan Kunath – 44 STANDARD
Marcelo Gallicchio – 87 STANDARD

“Ficamos em terra por uma hora e depois fomos para a água, onde ficamos por cerca de 4 horas até cancelarem a regata. Tentaram fazer uma largada, mas não deu, pois o vento acabou. Acabamos tendo que esperar a maré subir para poder entrar na rampa. Acho que não precisava ter forçado ir para a água sabendo que o vento estava ruim. Oito regatas de doze já foram realizadas, então não tinha por que cansar todo mundo para nada”, disse Gabriela Kidd.

Para ver os resultados até agora, acesse:
STANDARD

RADIAL

Brasil participa do Campeonato Britânico de Optimist

Os pequenos velejadores do Clube de Campo São Paulo e do YCSA estão em Weymouth disputando o Campeonato Inglês de Optmist. Apesar do frio, os brasileiros estão bastante animados e velejando muito bem. A melhor atleta na flotilha Junior é Gabriela Vessel, que aparece na 13ª colocação. Henrique Lowy está em 41º e André Vasconcellos em 126 sem disputar nenhuma regata. Entre os Seniores, Gabriela Bartijotto é a 110ª colocada. O evento vai até o dia 4 de agosto na mesma raia onde foi disputada a Olimpíada de Londres 2012.

Confira os resultados:

JUNIOR

SENIOR

 

Agora é oficial: Martine Grael disputa a Volvo Ocean Race

unnamed (40)

A campeã olímpica de vela Martine Grael está confirmada na temporada 2017/2018 da Volvo Ocean Race, regata que dá a volta ao mundo. A brasileira fará parte da equipe holandesa AkzoNobel na competição que começa no dia 22 de outubro e termina em junho de 2018.

“Já estou há um bom tempo fora de casa me preparando para esse desafio e agora finalmente vai acontecer. Eu estou muito animada e esperto contar com a torcida de todo mundo e encontrar vocês em Itajaí”, contou Martine.

A velejadora de 26 anos, natural de Niterói, é uma das mais promissoras atletas de sua geração e agora se une a um time sênior para o maior desafio da sua carreira. “Será uma grande campanha para mim. Espero aproveitar a experiência e aprender muito com isso. Sobretudo, quero provar que pertenço a este time e não posso esperar para começar a velejar contra outros barcos”, disse a campeã olímpica.

A equipe AkzoNobel conta ainda com mais nove velejadores liderados pelo bicampeão da America’s Cup Simeon Tienpont. Na tripulação também está o brasileiro Joca Signorini, que integrou a equipe campeã da regata em 2008/2009, liderada por Torben Grael, pai de Martine. ”Foi um dos principais motivos de eu ter escolhido esse time. A maior parte dos homens aqui já velejaram juntos antes em outros barcos e confiam um nos outros. Existem muitos riscos nessa regata e para mim o Joca, além de ser uma pessoa que me traz confiança como velejador, me traz confiança de caráter”, explicou Martine.

Antes de partir para o maior desafio da sua carreira, a velejadora compete ao lado de Kahena Kunze no Mundial de 49erFX no Porto, entre 28 de agosto e 2 de setembro. As brasileiras, que venceram todas as regatas que disputaram em 2017, são as favoritas ao título.

“Eu estou muito feliz pela Martine, ela sempre sonhou em fazer a Volvo Ocean Race. Eu tenho uma grande admiração por ela, como amiga e agora mais ainda como uma velejadora da Volvo. Desejo muita sorte, vou acompanhá-la pela internet e estarei aqui, dando a maior força, para o que ela precisar”, contou Kahena Kunze.

A parceria da dupla será mantida enquanto Martine estiver na Volvo Ocean Race. “Nas etapas com paradas maiores estamos pensando em aproveitar meu tempo livre para treinar”, disse Grael. “É o timing perfeito para isso porque depois da regata ainda teremos um bom tempo para nos prepararmos para Tóquio. Ela tem que ir com tudo, tenho certeza de que essa jornada será um sucesso”, completou Kahena.

Martine Grael está treinando com a equipe holandesa há algumas semanas, no Volvo Ocean 65, e o primeiro desafio já começa nesta quarta-feira, 2 de agosto. Ela participará da Leg Zero, uma série obrigatória de quatro regatas preliminares para as sete equipes concorrentes da Volvo Ocean Race antes do início da aventura em 22 de outubro, em Alicante, na Espanha.

A regata de volta ao mundo é considerada a competição de vela mais difícil, sendo o principal teste de resistência para um atleta. A edição 2017-18 terá um percurso de 45 mil milhas náuticas pelos mares. Serão quatro oceanos, seis continentes visitados e 12 cidades-sede, incluindo Itajaí, no Brasil. A prova termina em junho de 2018 em Haia, na Holanda.

Da assessoria

Volvo Ocean Race: Leg Zero começa nesta quarta-feira

m45291_13-00-170726-azn-jsb-00122.jpg

A Volvo Ocean Race só começa oficialmente em outubro, mas os times terão uma primeira oportunidade de se encontrarem na Leg Zero (ou perna zero), que começa nesta quarta-feira, mas que não conta ponto para a competição. Serão quatro regatas separadas, que terão a participação dos sete times inscritos: AkzoNobel, Dongfeng Race Team, MAPFRE, Vestas 11th Hour Racing, Sun Hung Kai/Scallywag, Turn the Tide on Plastic e Team Brunel.

Confira o calendário:

Dia 2: 50 milhas contornando a Ilha de Wight

Dia 6: Largada da Fastnet Race, uma das mais duras competições de oceano do mundo, com 608 milhas de distância, e que contará com a participação dos melhores barcos e velejadores do mundo. Tradicionalmente esta regata é muito dura e desafiadora, exigindo muito dos navegadores das equipes.

Dia 10: A flotilha da Volvo segue sozinha de Plymouth, na Inglaterra, para St Malo, na França

Dia 13: Os sete barcos partem de St. Malo rumo a Lisboa, em Portugal

E conforme vamos nos aproximando da largada, os times vão sendo revelados. Nesta segunda-feira foi a vez de Dee Caffari, do Turn The Tide on Plastic revelar sua primeira tripulante: Liz Wardley. A australiana é experiente na Volvo Ocean Race e irá para a sua terceira participação. Sua estreia se deu em 2001-02 a bordo do Amer Sports Too e a segunda mais recentemente, no Team SCA, em 2014-15. Ela também foi a primeira mulher a vencer a Sydney Hobart, em 1999.

“Estou muito contente de me juntar ao Turn The Tide on Plastic para esta edição da VOR. Nunca fiz segredo do meu desejo de competir pela terceira vez e fazer isso em uma equipe mista vai ser muito divertido. Passei muito tempo no Volvo Ocean 65 desde o fim da edição 2014-15 e aprendi muito e poderei colocar isso em prática durante mais uma volta ao mundo”, disse Liz.