Guarapiranga é sede do 1º Sudeste Brasileiro de Snipe neste final de semana

310693_699700__w2a6984_copy_copy_web_ (1)

A Guarapiranga está preparada para receber cerca de 50 embarcações neste fim de semana prolongado (29/4 a 1º/5) na primeira edição do Campeonato Sudeste Brasileiro da Classe Snipe. Além da flotilha dos clubes náuticos da Represa, a competição reunirá barcos de Ilhabela, Santos e Rio de Janeiro. Estão previstas duas regatas por dia, com largadas às 13h00 e um descarte a partir da quinta prova.
A classe Snipe, ao lado da Laser, tem sido regularmente a mais numerosa na Copa Paulista,  com cerca de 20 duplas inscritas a cada etapa. O último Campeonato Paulista da classe na Guarapiranga, contou com 40 barcos em 2015. Ano passado em Ilhabela, foram 30 inscritos, enquanto o Brasileiro deste ano, em janeiro também na Ilha, reuniu 68 tripulações.

O Sudeste Brasileiro foi criado para suprir a necessidade dos “snipistas” desta região do País, em ter seu próprio campeonato, afirma o coordenador da Snipe São Paulo, Alonso Lopez. “Há alguns anos São Paulo participava de um outro regional, o Sul-Brasileiro, destinado mais especificamente aos três estados do Sul. A intenção da classe agora, é ter uma competição que envolva São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo”.

Nos últimos anos a classe tem crescido muito em São Paulo, graças ao esforço dos capitães de flotilha em organizarem eventos e ranking regularmente. “O momento é muito importante para nós da Snipe, devido à intensa movimentação que a classe adquiriu nos últimos três anos. Há quatro ou cinco anos, tínhamos meia-dúzia de barcos nas regatas da represa. A criação da  hoje Copa Paulista promoveu a classe, elevando o número de barcos e o nível técnico das regatas, o que nos levou a idealizar o Sudeste Brasileiro”, concluiu Alonso.

Confira o Aviso de Regata (AR): http://SudesteBrasileiro.ar.RaceFinder.net

Troféu transitório Bibi Juetz – A lendária velejadora de Snipe, Bibi Juetz, pioneira da classe no país autorizou a Classe Snipe São Paulo a estampar seu nome no troféu transitório do Campeonato Sudeste Brasileiro, que adotará rodízio entre as cidades-sede: São Paulo, Santos, Ilhabela e Vitória (ES).

Campeã Mundial Masters em 1998 com Felipe Vasconcellos, Bibi começou a velejar aos sete anos com seu pai, em um 20 Metros. Em 1948 no Rio de Janeiro, velejou pela primeira vez de Snipe. Aos 83 anos, além de dar nome ao troféu, Bibi contemplará os participantes do inédito Sudeste Brasileiro com sua presença na sede do evento.

A consagrada história da vela no Brasil passa pela classe Snipe. A dupla Axel e Erik Schmidt conquistou o tricampeonato mundial em 1961, 63 e 65, respectivamente nos Estados Unidos, França e Ilhas Canárias. Em 1983 Torben Grael venceu o Mundial no Porto (POR) com seu irmão Lars e repetiu a proeza em 1987 em La Rochelle (FRA).

Fonte: assessoria de imprensa
Foto: Douglas Moreira / Fisheye

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s