Classe HPE 25 terá maior premiação da vela brasileira em 2017

309734_695994_2t7a9048.jpg

“A Classe HPE 25 está em um ótimo momento. Estamos no começo da temporada e já podemos ver como as regatas serão em 2017”. A frase do capitão Carlos Wanderley, do veleiro Bond Girl, resume a expectativa das tripulações da Classe HPE 25 para este ano. As disputas na água ganharam um novo ingrediente: o Ranking Gil de Souza Ramos, que dará a equipe que participar de mais competições ao longo do ano um novo veleiro, prêmio inédito na vela brasileira.

“Por ser um barco projetado para quatro tripulantes, o entrosamento que se obtém através da participação em várias competições ajuda muito a agilizar as manobras. Como o barco é muito rápido, isso se traduz em distância e, consequentemente, na maioria das vezes, as equipes treinadas ficam mais bem classificadas”, comenta Eduardo Souza Ramos, comandante do veleiro Phoenix.

Durante o ano, os três barcos de cada uma das principais flotilhas do País – São Paulo, Ilhabela e Rio de Janeiro – que tiverem mais participações em campeonatos da classe se classificarão para uma prova especial, que definirá o ganhador do Prêmio Gil de Souza Ramos. A flotilha mais ativa da temporada ganhará uma vaga bônus para a decisão.

Como um modo de homenagear a história da Classe HPE 25, o fator de desempate do ranking Gil de Souza Ramos será a idade do veleiro. Quanto menor o número do barco, mais chance ele terá de participar das regatas finais.

“Os barcos são absolutamente iguais, pois existe só uma forma em sua fabricação. Na maioria das regatas, não se percebe a diferença entre os barcos mais novos e mais antigos. O prazer de velejar no HPE é muito grande, pois o barco é extremamente rápido no vento em popa, e a sensação que se tem, quando entra em planeio, é maravilhosa.”, explica Souza Ramos.

Classe HPE 25
A Classe HPE conta com 35 barcos competindo em São Paulo, Ilhabela e Rio de Janeiro. Todos eles foram construídos sob regras rigorosas para que fossem totalmente iguais, o que tornam as disputadas na água ainda mais acirradas.

“Os barcos são iguais e o que leva em conta é a expertise da tripulação. Tem que velejar enxergando as rajadas de vento e prestar muita atenção para conseguir vencer”, explica Fabio Bocciarelli, comandante do veleiro Atrevido.

Os veleiros já se reuniram para a primeira competição do ano, o Campeonato Paulista da Classe HPE, que reuniu 60 velejadores de todo o Brasil nas águas da Guarapiranga. Para os competidores foi também uma ótima oportunidade para se preparar para as próximas competições do ano, como o Brasileiro e também a Semana de Vela de Ilhabela.

“O Paulista reuniu muita gente boa e tripulações experientes. É um ótimo parâmetro para vermos como está o nosso desempenho com relação aos outros veleiros que encontraremos novamente em outras competições durante o ano”, comenta Breno Chvaicer, do veleiro Ginga, que se sagrou campeão paulista.

Os próximos desafios da flotilha da Classe HPE 25 são:
– 3ª Etapa Ranking Paulista HPE 25, Star e Lightning – 29 de abril a 1 de maio
– Taça Comodoro – 29 de abril a 1 de maio
– 2ª Etapa Copa Suzuki – Warm Up – 27/28 de maio e 3/4 de junho
– Campeonato Brasileiro de HPE-25 – Ilhabela (SP) – 15 a 18 de junho
– Semana de Vela de Ilhabela – 12 a 15 de julho

Ranking Gil de Souza Ramos
São Paulo

1) Vento 001 – 1,5 pontos perdidos
2) Bond Girl 007 – 1,5 pp
3) Ubuntu 012- 1,5 pp

Rio de Janeiro
1) Tarja Preta 006 – 2 pp
2) Motu 011- 2 pp
3) Piaba 015- 2 pp

Ilhabela
1) Conquest 010 – 2 pp
2) Ginga 022 – 2 pp
3) Repeteco 024 – 2 pp

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s