Pajero é fita-azul da regata de abertura do Circuito de Floripa

unnamed (21).jpg

Como previsto o 28º Circuito Oceânico da Ilha de Santa Catarina foi inaugurado nessa quarta-feira com a regata de percurso longo. O vento sul, de 5 a 6 nós, deu início a disputa e ao longo do dia foi virando para sueste variando entre 6-8 nós até perder força no final da tarde. Adaptando-se melhor as condições na raia de Jurerê, o Pajero foi o primeiro a cruzar a linha de chegada no percurso com saída de Jurerê, passando pela ponta do Forte, Ilha do Francês, Cachoeira do Bom Jesus e Ilha das Aranhas antes de retornar a Sede Oceânica do Iate Clube de Santa Catarina, local da chegada.

“A tripulação velejou muito bem. Nós viemos de um campeonato no Uruguai com três regatas de percurso então o barco estava bem preparado para esse tipo de disputa. A regata foi muito difícil, pois o vento ficou mais fraco no final da tarde, mas para nós foi um grande dia”, explica André Fonseca, o Bochecha, que possui em seu currículo três participações em Jogos Olímpicos e três em Volvo Ocean Race.

Bem mais novo, apenas 15 anos, mas com o mesmo empenho dos demais velejadores estava o novato José Irineu. Prata da casa, o atleta do Iate Clube de Santa Catarina estava empolgado com a oportunidade de velejar ao lado do ídolo. “Foi muito legal. O barco exige muito e sempre dá um nervoso estar com tantos caras bons, mas aprendi muito. Estar no mesmo barco que o Bochecha é um aprendizado enorme”, comenta o catarinense, que esse ano foi quarto colocado no Campeonato Brasileiro de Optimist, que é a classe de base da vela.

Inclusive, o velejador mirim ganhou elogios do ídolo. “Ele foi muito bem. Com certeza está sendo uma grande oportunidade e o que ele vai coletar de conhecimento nessa semana com a tripulação é muito importante”, ressalta André Fonseca.

Katana abre o Brasileiro de C30 na liderança:
Um dos “pegas” mais aguardados do dia era o da classe C30. O Circuito Oceânico vale como primeira etapa do Campeonato Brasileiro e as equipes se reforçaram bem para a competição em Florianópolis. Apontado como favorito ao título devido aos últimos resultados, o Zeus Team velejava na ponta da flotilha, mas no trecho entre as Praias Brava e Ingleses o Katana assumiu a ponta.

O embate foi parelho até o fim, com vitória para o Katana com diferença de menos de um minuto. Por se tratar de uma classe One Design, ou seja, com todos os barcos do mesmo modelo, vale aquele que chega na frente, sem correção de tempo como em outras classes. Representante do Brasil na Olimpíada de Pequim, na classe 470, o velejador Fábio Pillar, reforço do Katana para a competição, reforçou justamente esse fato na disputa.

“Eu velejo de C30 desde o começo da classe. Essa questão de não ter rating, de ganhar quem chega na frente, é algo que dá muito prazer. E é exatamente por isso, por essa questão de não poder errar, é que as tripulações são tão bem formadas e investem tanto em treinamento e velejadores de renome”, comenta Fabio Pillar. “O nível do Circuito Oceânico é fantástico, as tripulações se reforçam, como é possível ver a galera olímpica, que está em contato diário com os barcos faz diferença”, completa.

Cherne, Argonauta, Carino e Tereza na liderança nas respectivas classes:
Com as difíceis condições em Jurerê a regata de percurso longo tornou-se um desafio ainda maior para os veleiros nessa quarta-feira, em Jurerê. Boas disputas marcaram a classe HPE-25, que contou com uma série de mudanças de posições ao longo do dia. Ao final, o gaúcho Tereza levou a melhor sobre os catarinenses Força 12 e Arretado, abrindo a competição na liderança.

Já na RGS, o atual campeão brasileiro Zephyrus viu o Cherne levar a melhor. Após a correção de tempo, a embarcação da Marinha do Brasil conquistou a primeira vitória sobre os donos da casa e saiu na frente na corrida pelo título. Argonauta (IRC) e Carino (Cruzeiro) foram os vencedores em suas respectivas classes.
A partir dessa quinta-feira, segundo dia de competições, acontecem as primeiras regatas em barla-sota, que seguem os padrões de percursos utilizados nos Jogos Olímpicos.

Classificação – 28º Circuito Oceânico da Ilha de Santa Catarina
C30:
1º Katana – 1pp
2º Zeus Team – 2pp
3º Corta Vento – 3pp

ORC:
1º Pajero – 1pp
2º Itajaí Sailing Team – 2pp
3º Catuana Kim – 3pp

IRC:
1º Argonauta – 1pp

RGS:
1º Cherne – 1pp
2º Zephyrus – 2pp
3º Ursa  Maior – 3pp

HPE-25:
1º Tereza – 1pp
2º Força 12 – 2pp
3º Arretado – 3pp

Cruzeiro:
1º Carino – 1pp
2º Xamego – 2pp
3º Quival – 3pp

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s