Xandi Paradeda e Lucas Mazim são campeões brasileiros de Snipe

Depois de cinco dias e nove regatas chegou ao fim em Ilhabela o Campeonato Brasileiro da classe Snipe 2017. Com o nível mais alto dos últimos tempos, era previsível que a disputa seria acirradíssima. O vencedor só foi conhecido na linha de chegada e o gaúcho Alexandre Paradeda, que velejou ao lado de Lucas Mazim, levou mais uma medalha de ouro para casa, a 11ª, com apenas um ponto de vantagem sobre Bruno Bethlem e Dante Bianchi, segundos maiores campeões brasileiros da história da classe com nove títulos.

“Cada campeonato tem sua dificuldade. Começamos muito mal, em 10º, e quando tudo parecia que ia se ajeitar, com um dia quase perfeito com dois segundos e um primeiro lugares, fomos penalizados e um dos segundos acabou virando um 30º. Foram muitas dificuldades que tivemos que superar durante a semana, que deram um gostinho especial a este título”, disse Xandi.

“É muito bom velejar com o Xandi, aprendi muito e a ideia é continuar velejando junto o máximo possível para continuar aprendendo cada vez mais”, disse Lucas, que tem no currículo o título brasileiro jr de Snipe e o brasileiro de Laser 4.7. Continuar lendo “Xandi Paradeda e Lucas Mazim são campeões brasileiros de Snipe”

Volvo Ocean Race anuncia parada na Austrália

m42773_alv-150402-ross-0236.jpg

Volvo Ocean Race anunciou, na madrugada desta sexta-feira (27), a participação de Melbourne na edição 2017-18 da volta. O stop-over australiano será na etapa que liga a Cidade do Cabo a Hong Kong. Segundo a organização, os barcos devem chegar a Melbourne no dia 25 de dezembro, ou seja, no Natal.

John Eren, Ministro do Turismo, comentou: “A Volvo Ocean Race é mais uma grande oportunidade para os habitantes de Melbourne, Victoria, verem algumas das melhores equipas de vela do mundo em ação. Os grandes eventos internacionais têm grande impacto na nossa economia – trazem muitas pessoas que nos enchem os hotéis e os restaurantes, e muito animam as nossas zonas comerciais.”

A etapa entre a Cidade do Cabo e Melbourne terá 6.300 milhas náuticas. Os barcos vão ficar uma semana na Austrália e não haverá In-port Race – regata local – em Melbourne.  A largada para Hong Kong, será no dia 2 de janeiro do próximo ano. Ao todo, a Volvo Ocean Race terá 45 mil milhas náuticas. Em comparação com a edição anterior, a regata terá três vezes mais navegação nos mares do sul.

A mudança da rota de 2017-18 colocará a Austrália pela oitava vez no radar da Volvo Ocean Race. No entanto, será a primeira participação do país dos cangurus, em mais de uma década. Continuar lendo “Volvo Ocean Race anuncia parada na Austrália”

Scheidt e Coveiro seguem evoluindo em nova classe olímpica

304200_676271_robert5_web_

Robert Scheidt continua em processo de franca evolução na classe 49er. Nesta quinta-feira (26), terceiro dia de competições da etapa de Miami da Copa do Mundo de Vela, no City of Miami Regatta Park, nos Estados Unidos, ele saltou da 18a. para a 16a. posição na classificação geral. Nesta sexta-feira (27), o bicampeão olímpico volta ao mar para mais três regatas ao lado do proeiro Gabriel Borges, e vai em busca de um lugar na medal race, neste sábado (28), com as 10 duplas mais bem posicionadas.

Aos 43 anos, Robert está em busca experiência nessa nova etapa da carreira, em que decidiu encarar o desafio de velejar em um barco maior, mais veloz e com estratégias diferentes das classes Star e Laser, que o consagraram no iatismo. E está fazendo um bom trabalho. Nas disputas desta quinta-feira, voltou a velejar bem e conseguiu terminar em 6º, 18º e 9º lugares.

Curiosamente, as posições da dupla brasileira repetiram os resultados das três regatas na terça-feira e agora a dupla Scheidt/Borges ocupa a 16a. posição, com 103 pontos perdidos, considerando um descarte. A liderança continua com os britânico Dylan Fletcher-Scott e Stuart Bithell, com 14 pontos perdidos. No total, a classe 49er conta com 26 barcos na disputa de 12 regatas em Miami, mais a medal race.

Scheidt segue cada dia mais satisfeito com a evolução do desempenho na classe 49er. “Velejamos bem novamente e perceber que estamos ganhando mais entrosamento e desenvolvendo melhor a velejada é muito gratificante. Mas sabemos que este é o primeiro passo de uma longa caminhada e seguimos tranquilos dentro do nosso objetivo, que é ganhar experiência. Porém, estamos na briga e vamos lutar pela medal race até as últimas forças”, afirmou o bicampeão olímpico, que é patrocinado pelo Banco do Brasil e Rolex, com os apoios de COB e CBVela.

A etapa de Miami da Copa do Mundo da World Sailing (Federação Internacional de Vela) é a primeira grande competição do ano, mas a temporada 2017 começou há duas semanas para Scheidt e seu novo parceiro. A dupla disputou a Miami Mid Winters e terminou em 11º lugar na disputa que envolveu 17 barcos. Após a World Cup, a dupla pretende participar da Copa Brasil, em Porto Alegre e, a partir de abril, investir mais tempo em treinamento, desta vez na Europa.

Além da dupla Robert Scheidt/Gabriel Borges, o Brasil tem mais velejadores da etapa de Miami da Copa do Mundo. São eles: Martine Grael e Kahena Kunze (49erFX); Jorge Zarif (Finn); Bruno Fontes (Laser); Henrique Haddad e Breno Abdulklech (470 masculina); Gabriella Kidd (Laser Radial); e Bruna Martinelli (RS:X feminina).