Vendée Globe: Safran é o terceiro a desistir da regata após quebra no leme

SAF2016_0209018_0.jpg

O velejador francês Morgan Lagravière abandonou a Vendée Globe nesta quinta-feira após problemas com o leme do Safran, enquanto ocupava a quarta colocação. “Tive uma noite muito dura, com problemas no piloto automático. Velejava em cerca de 20 a 25 nós de vento, mas o barco estava incontrolável. Fui jogado de um lado ao outro umas quatro ou cinco vezes. Enquanto estava tirando uma soneca durante a tarde, senti o barco aproar. Quando fui colocá-lo de novo no rumo, percebi que o leme de sotavento havia saído da base e que 2/3 dele estavam quebrados. Acho que foi por que bati em um OFNI. Infelizmente não tenho ferramentas suficientes para consertá-lo, então este é o fim para mim. Quero manter a mente positiva nesta aventura: foram 18 dias de uma regata incrível, com um barco muito bom, que sempre me colocou na briga. A regata em solitário foi uma oportunidade para que eu pudesse me conhecer um pouco melhor e sobre o que é importante na vida. Quero agradecer meu time e os fãs que me apoiaram”, disse ele.

Lagravière está seguindo para a Cidade do Cabo, onde deverá chegar em três dias.

Enquanto isso, Alex Thomson, que também teve problemas a bordo, segue velejando cada vez mais rápido. Ele baixou em 5 dias o tempo de Armel Le Cleac’h até o Cabo da Boa Esperança. Em 2012 o francês havia chegado a este ponto com 22 dias e 23 horas de regata. Thomson foi o mais rápido em 27 anos de Vendée Globe, com o tempo de 17 dias, 22 horas e 58 minutos.

Para acompanhar a regata em tempo real, clique aqui;

Aleixo Belov parte para nova expedição no Alasca

Foto - Erick Salles.jpg

O navegador ucraniano, Aleixo Belov, está preparando o veleiro ‘Escola Fraternidade’ para mais uma aventura em alto mar. Radicado na Bahia e homenageado recentemente com o Prêmio Cabral 2016, o comandante está com a rota traçada para o Alasca. O barco vai desatracar do Segundo Distrito Naval, em Salvador, no dia 3 de dezembro, às 10h. A Marinha do Brasil já confirmou que amigos, familiares e público em geral vão poder presenciar o momento da partida.

Conhecido como navegador solitário e primeiro brasileiro que deu a volta ao mundo, Belov vai seguir viagem acompanhado de outros tripulantes, tanto da capital baiana quanto de Natal, onde haverá a primeira e única parada no Brasil. Na sequência, o veleiro passará pelas Ilhas Granadinas e Martinica, no Mar do Caribe; depois Panamá, atravessando o Canal, e passando para o Oceano Pacífico. Também faz parte da rota Ilha de Galápagos, Polinésia Francesa, Hawaii, Ilhas Aleutas e vários portos do Alasca.

“É bem provável que a viagem se transforme numa quinta volta ao mundo. Na realidade, não se deseja engessar o roteiro nem o prazo, deixando que o destino vá escolhendo o caminho e os momentos de parar e seguir. A viagem não tem duração e nem volta prevista, só tem data de saída. A ideia é seguir para onde o vento levar”, explica Aleixo Belov.

O comandante

Nascido na cidade de Merefa, Ucrânia, Aleixo Belov é empresário, engenheiro, navegador e escritor, que adotou a Bahia como estado para viver e representar. Na década de 80, ele recebeu da Marinha do Brasil o diploma de primeiro navegador a completar, sozinho, a volta ao mundo, a bordo do veleiro Três Marias (construído por ele), portando a bandeira do país. Mais tarde, criou o Escola Fraternidade para dar oportunidade a jovens que amam o mar, mas não podem ter um barco.