Em entrevista, Scheidt cofirma que poderá mudar de classe para Olimpíada de Tóquio. Gabriel Borges deverá ser seu proeiro na classe 49er

14721757_592180794300496_7804051296684622584_n
O Notícias Náuticas foi o primeiro a divulgar o treino de Scheidt e Gabriel na Guanabara no dia 23 de outubro

Em uma recente entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o multimedalhista Robert Scheidt confirmou o que o Notícias Náuticas já havia sugerido há algumas semanas: a mudança para a classe 49er.

Robert, que foi visto treinando na Guanabara ao lado de Gabriel Borges, também conhecido como Coveiro, deverá disputar a primeira etapa da Copa do Mundo de Vela, em Miami, EUA, em Janeiro, já na nova classe. “[o 49er] é um barco que tem muita velocidade, mas para isso virar uma campanha olímpica dependo de algumas coisas. Tenho acordos com parceiros que terminam no fim do ano e em janeiro. Preciso conversar com eles para ver se sigo em frente para mais um ciclo olímpico. Se virar campanha olímpica, vou sentar na mesa e conversar com ele sobre muitas coisas. O Gabriel seria o nome para ser meu parceiro”, disse Scheidt ao jornalista Paulo Favero.

O velejador de 43 anos possui em seu currículo nada menos que cinco medalhas olímpicas (duas de ouro na Laser em 1996 e 2004; duas de prata na Laser em 2000 e na Star em 2008; e uma de bronze  naStar em 2012), enquanto Gabriel, de apenas 24 anos, acaba de participar da sua primeira Olimpíada, ao lado de Marco Grael, tendo terminado na 11ª colocação na classe 49er.

“O lado da idade eu sempre tenho de cuidar, de lesões e recuperação. Tenho chance de velejar bem na 49er. Claro que tem uma montanha para aprender e evoluir. Acredito que em quatro anos dá para fazer um bom papel. Eu tenho uma família de esportistas, sempre me cuidei na parte de alimentação e nesses últimos anos dosei os treinamentos, fazendo com mais qualidade do que com quantidade. A vela é um esporte que depende da experiência, pois é necessário saber ler o vento e tomar decisões. O lado físico é importante, mas é só um dos aspectos”, disse Scheidt.

A matéria completa do jornal O Estado de S. Paulo pode ser vista aqui.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s