Santiago Lange (ARG) e Hanna Mills e Saskia Clark (GBR) são eleitos melhores velejadores do mundo

15039622_1466518930032160_983835121553844077_o.jpg
Os indicados antes da premiação na foto de Alex Saldanha

No dia em que o mundo espera o resultado das eleições americanas, a comunidade náutica aguardou ansiosa o resultado de melhor velejador do mundo de 2016. O Brasil mais uma vez esteve concorrendo com as meninas de ouro Martine Grael e Kahena Kunze, porém, este ano o título feminino ficou com a dupla britânica Hanna Mills e Saskia Clark, da classe 470. As duas foram prata no Mundial de 2015, venceram a etapa final da Copa do Mundo de Vela e, após um amargo 16º lugar no Mundial de 2016, conquistaram o ouro olímpico no Rio 2016.

Entre os homens, o vencedor foi Santiago Lange. Argentino, medalha de ouro na Rio 2016 na classe Nacra 17 ao lado de Cecília Carranza (que também concorreu ao prêmio de melhor do mundo), Lange mostrou ao mundo que a vela não tem idade e não tem limitações. Em 2015 ele tirou um pulmão por conta de um câncer e aos 54 anos provou que está em melhor forma que muito garoto ao disputar a sua sexta olimpíada e conquistar sua terceira medalha (ele tem dois bronzes na Tornado em 2004 e 2008).

O Brasil já conquistou o prêmio quatro vezes com Martine e Kahena em 2014, Torben Grael em 2009 e Robert Scheidt em 2004 e 2001.

 

Organização do Brasileiro de Laser 2017 inova e faz concurso para criação do logo do evento

SailStation2016_-8861.jpg

A organização do Campeonato Brasileiro de Laser, que vai ser disputado no Yacht Club Santo Amaro entre os dias 9 e 21 de janeiro de 2017, resolveu inovar e incentivar jovens talentos ao fazer um concurso para a criação do logo da competição. Este concurso é aberto a qualquer pessoa, designer ou não, que queira ver a sua marca estampada em todo o material de comunicação do evento.

“A ideia do concurso é incentivar que jovens talentos do desgin descubram a vela como um nicho de mercado”, disse Nicolas Garcia, responsável pela Classe Laser SP, um dos organizadores do Brasileiro.

Para escolher o vencedor, foi montado um júri de peso, com Jorge Zarif, velejador olímpico da classe Finn e que deverá participar da competição, Pierre Schurmann, filho do casal de aventureiros Vilfredo e Heloisa Schurmann, dono do fundo de investimentos Bossa Nova e Gustavo Gelli, da Tátil Design.

O material pode ser enviado até o dia 5 de dezembro e o vencedor será conhecido no dia 7, na página oficial e na Fanpage do evento no Facebook. Além disso, o site Notícias Náuticas fará uma matéria especial sobre o vencedor.

Para saber como participar, acesse o regulamento: http://bit.ly/logolaser

 

Gerenciamento de equipe é a chave do sucesso da equipe Crioula

whatsapp-image-2016-10-31-at-19-59-35

Os gaúchos do Crioula dominaram o cenário da vela oceânica brasileira neste segundo semestre de 2016. Venceram a Refeno, a Santos – Rio e o Circuito Rio. E tanto sucesso pode ser definido em uma palavra: organização. Segundo o gerente da equipe Samuel Albrecht, com um calendário para 2017 já pronto, fica mais fácil programar as viagens e selecionar quais tripulantes estarão em cada prova. “Organizar com antecedência é fundamental. Todos os tripulantes já sabem o que vamos fazer ano que vem e, por isso, já podem se programar.”

O time foi criado no final de 2010 com o propósito de reunir em um mesmo barco os sócios do Veleiros do Sul que estavam distribuídos em várias tripulações. Renato e Eduardo Plass, Diego Garai, Alexandre Rímoli, Fabrício Streppel, Geison Mendes, Gustavo Thiessen e o próprio Samuel formam a base da equipe, que se adapta ao barco e à competição. Dodão, Jorge Nehm, José Távora, André Gick e Guilherme Roth uma vez ao ano também sobem a bordo para reforçar o time, ao lado dos marinheiros Gilsimar e Rodrigo, que têm participado cada vez mais das regatas, e do skipper Pedro Cruz

Hoje o time possui quatro veleiros, que vão desde o pequeno J/24, para cinco tripulantes e que não tem sido muito usado, passando pelos dois S40 (Crioula 29 e Crioula 03), até chegar no Soto 65 Camiranga, que precisa de ao menos 12 pessoas para ser velejado. Sempre que a competição exige, eles não hesitam em contratar velejadores profissionais, mas sem perder a essência que é a velejada entre amigos.

Continuar lendo “Gerenciamento de equipe é a chave do sucesso da equipe Crioula”

Day Sailer de Pernambuco promove regata Volta do Avião para todas as classes

A classe Day Sailer de Pernambuco convida os velejadores de todas as classes a participarem no próximo dia 13 às 13h da Regata Volta do Avião. Não haverá taxa de inscrição. O percurso será o seguinte:

– Partida às 13h na frente da Sub-sede do Cabanga Iate Clube, no Rio Timbó – Maria Farinha
– Segue em percurso livre para deixar face Oeste da Coroa do Avião por boreste;
– Deixa uma boia amarela acima do Canal de Orange por boreste;
– Segue em percurso livre para o canal do rio Timbó, onde haverá a linha de chegada no alinhamento dos mastros de bandeiras do Cabanga com uma boia a ser posta no canal.

Para ver o AR completo, clique aqui

Líder da Vendée Globe, Thomson opta por rota mais próxima da costa portuguesa

Se nas primeiras 24 horas menos de três milhas separavam os líderes da Vendée Globe, neste segundo dia de competições a coisa mudou. Alex Thomson, que aparecia em primeiro, optou por uma rota mais próxima da costa portuguesa, enquanto o resto da flotilha veleja um pouco mais afastado. A manobra custou a ele, por alguns instantes, a liderança, mas nesta terça-feira pela manhã ele já aparece em primeiro novamente. A briga segue acirrada, com apenas 7.5 milhas separando os dois primeiros. O resto da flotilha, no entanto, já está separado por 230 milhas. O próximo desafio agora será cruzar os Doldrums, região do Equador conhecida pela calmaria.

Acompanhe o tracking dos barcos em: