Tiago Monteiro é medalha de prata na Semana de Buenos Aires

12961381_1094474933958329_4008316298761341170_o.jpg

Terminou nesta segunda-feira a tradicional Semana de Vela de Buenos Aires. Tiago Monteiro, do Cabanga Iate Clube, foi o melhor brasileiro, ficando com a medalha de prata na categoria Optimist Timoneles. Na mesma classe, Nicolas Bernal, do YCSA, e Marina Fonte, também do Cabanga, ficaram em 11º e 12º. Ludimila Lira (26), Diogo Petersen (29), Mathias Reimer (49), Ricardo Coutinho (53), Erick Carpes (59), Lars Kunath (61), Lucas Stolf (65), Letícia Lira (71), Leonardo Caminha (76), Germano Santos (79), Gabriel Carvalho (80), Antonio Fonte (124), Pedro Amine (127), João Salles (143), Bernardo Bulcao (153), Anita Zirpoli (178), Pedro Madureira (186), Pedro Onias (194), Lucas Silveira (209) e Laercio Pachelli (221), completaram a delegação brasileira. Leticia Santos, do VD, em 75º, foi a representante brasileira na classe Optimist Principiantes.  Na classe Laser 4.7, Felipe Fonseca, do YCSA, ficou com a 11ª colocação, enquanto Cristine Reimer ficou em 20º.

Para ver o resultado completo, clique aqui.

 

 

VOR terá maior integração das equipes com fãs através de mídias sociais

m43831_dfg-150429-greenfield-28331.jpg

A segunda mudança nas regras da Volvo Ocean Race visa permitir maior integração dos velejadores com seus fãs através das redes sociais. Historicamente não é permitido o acesso à internet a bordo para garantir que não haja ajuda externa, porém para a edição 2017-18 a coisa vai mudar. A organização está desenvolvendo uma plataforma que permitirá a comunicação da tripulação com seus canais nas mídias sociais (páginas pessoais ou dos times), mas sem receber informação externa.

“Esta notícia é boa para os fãs da competição, que terão mais informações e comunicação mais direta do que nunca. A VOR é única com o bloqueio da internet e os times só têm acesso a determinados e-mails e informações enviadas pelo QG da regata. Com isso levantamos o nível da competição em relação ao esporte, porém, no passado, este bloqueio negava aos velejadores a oportunidade de contar a sua história”, disse Mike Turner, CEO da competição.

“As histórias que acontecem nestas regatas são incríveis e até agora não pudemos ver muito do que acontece a bordo. O ‘crew communicator’ será uma ferramenta fantástica para que os fãs sigam alguém específico ou aprendam mais sobre as características da competição, não apenas do ponto de vista do skipper, mas também de cada membro da tripulação”, completou Richard Mason, que disputou a competição quatro vezes e que agora atua como diretor de operação da regata.

 

Barcolana 2016 reúne mais de 1700 barcos em Trieste, na Itália

barcolana

Há 48 anos, no início de outubro, a cidade de Trieste, na Itália sedia a Barcolana, regata com maior número de inscritos do mundo. E em 2016 não poderia ser diferente: 1758 barcos inscritos com mais de 15 mil velejadores. O evento dura uma semana, com exposições em terra e muita diversão em água com a disputa da regata no último dia.

O vento conhecido como Bora, um nordeste forte, apareceu com cerca de 20 nós e permitiu que 1074 barcos completassem a prova. Depois de 59 minutos e 59 segundos, o primeiro barco a cruzar a linha foi o Alfa Romeo, com os locais Gabriele and Furio Benussi como team manager e skipper.

Os vencedores por categoria foram:
Classe/Barco/Modelo/Skipper

Classe S Alfa Romeo, R/P 72, Benussi G e F
Classe N Maxi Jena Tempus Fugit, K80 Open, Kosmina
Classe M Adriatic Europa, Vallicelli 60, Puh (Slo)
Classe 0 Unipol SAI, Tp52, Micalli
Classe 1 Generali, Fastwave 40R, Podunovac (Slo)
Classe 2 Rotgipfler, ElanS5, Bayer
Classe 3 Eclisse LB10, Pne Off, Bovolato
Classe 4 Mataran MK3, Ice 33, Nordera
Classe 5 Mummy One, Farr 30 mod., Querin
Classe 6 Vipera, Delta 84, Spangaro
Classe 7 Fab, Vertue, Allegretto
Classe 8 Comincio da Zero, Zero, Faggiani
Meteor Amarcord, Carloia
Passere, Santa Rita, Cecconi