Gaúchos são vice-campeões mundiais de Soling

14292457_10154049444129895_2537845545976660663_n

O Mundial da classe Soling encerrou neste sábado em Kingston com a equipe Equilibrium do Veleiros do Sul formada Nelson Ilha, Manfredo Flöricke e Gustavo Ilha em segundo lugar. O título ficou com os velejadores locais, os canadenses William Abbott, Joanne Abbott e Scott McNeill. Esse foi o melhor resultado alcançado pelo comandante Nelson Ilha na sua décima participação em Mundiais da classe Soling.

A outra equipe brasileira presente no Canadá composta pelos irmãos Henrique, Fernando e Pedro Horn Ilha do Rio Grande Yacht Club, terminaram em 12º lugar na geral. A organização conseguiu terminar o campeonato com a disputa de nove regatas conforme o programa, depois de um dia sem vento. Veja a súmula final.

O Mundial de Soling foi realizado no Kingston Yacht Club no Canadá com a participação de 24 equipes de cinco países.

Dobradinha Grael no pódio do Brasileiro de Star

IMG_0995.JPG

Enquanto a baía de Guanabara estava fechada por conta das Paralimpíadas, os velejadores de Star correram para a sede do ICRJ de Cabo Frio para a disputa do Campeonato Brasileiro. Foram seis regatas entre os dias 15 e 18, com um descarte, e a dupla Torben Grael e Arthur Lopes nem precisou correr a última ao somar quatro vitórias e um segundo lugar. Lars Grael e Samuel Gonçalves ficaram com a segunda colocação, seguidos por Marcelo Bellotti e Maurício Bueno. O resultado completo pode ser visto aqui.

CIR e ICS sediam a última etapa do Paulista de Oceano

Nos dias 1 e 8 de outubro o Clube Internacional de Regatas em parceria com o Iate Clube de Santos vai sediar em Santos a última etapa do Campeonato Paulista de Oceano. Estão programadas até três regatas, incluindo a tradicional Volta a Ilha dos Arvoredos, no dia 8 com largada às 12h. Estão convidadas as classes ORC e BRA-RGS A, B, C e Silver.

Assim como era no passado, quando a vela oceânica paulista tinha etapas o ano todo, o Campeonato Paulista de 2016 tentou levar os velejadores para as três principais cidades da vela paulista. O primeiro evento válido foi o Ubatuba Sailing Festival, em Ubatuba, o segundo foi a 3ª etapa da Copa Suzuki, em Ilhabela, e agora estes dois dias de regatas em Santos. A premiação da etapa e do campeonato será feita no ICS no domingo, 9. Confira o resultado acumulado aqui e o AR qui.

C’est la vie é o hexacampeão do 25º Circuito Conesul

IMG_3352.JPG

Os jovens comandantes foram os destaques neste ano nas classes medidas da competição. Henrique Dias, 28 anos, do barco C’est la vie, do Veleiros do Sul, venceu na ORC Internacional e agora ostenta o título de hexacampeão do Circuito Conesul de Vela de Oceano (2004, 2011, 2012, 2014, 2015 e 2016). Ele chegou em primeiro em três regatas e duas em segundo. E a vitória foi mais significativa ainda por ter ganho o 45º Troféu Seival e se tornado pentacampeão da regata longa de 68.5 milhas de distância.

Há 12 anos quando Henrique estreou com o barco C’est la vie no Circuito Conesul não imaginava de uma trajetória tão bem-sucedida. Apesar de jovem já começa a fazer história na classe Oceano gaúcha. Comemorou a sua sexta vitória e apontou alguns fatores do seu bom desempenho, assinalando a sua tripulação composta por Vilnei Goldmeier, Marília Bassoa, Alexis Knebel, Frederico Sidou e Isaak Radin.

– Estava muito motivado para disputar o Circuito, e para isso fiz algumas mudanças no barco, ajustes para facilitar as manobras. Não ficaram como eu desejava, porque foi uma corrida contra o tempo, mas sem dúvida melhorou, tanto que andamos mais próximos de barcos que antes eram mais velozes do que o meu. Dedico o título ao meu pai que faleceu esse ano e foi meu grande incentivador, ele meu deu o C’est la vie – um Fast 30 pés – quando eu tinha apenas 15 anos. Isso não é comum de se ver. Na segunda colocação ficou o San Chico, de Francisco Freitas, do Clube dos Jangadeiros.

Na classe Bra RGS o título também ficou com um jovem comandante, Lucas Mazim de 23 anos, do Clube dos Jangadeiros, que estreou no leme do Abaquar no Circuito. Ele também foi o vencedor da Regata Farroupilha, de percurso longo da classe, na distância de 50 milhas. Acostumado mais a velejar nas classes Laser e Snipe, Lucas gostou muito da motivação da tripulação.

– Foi muito bacana ver todos empenhados em fazer o melhor a bordo. A integração da gurizada. Nós procuramos deixar o barco bem ajustado para as regatas, a experiência do Paulo Ribeiro e do Rene Garrafielo, foi importante neste trabalho. Este é meu primeiro título no Circuito Conesul e estou muito satisfeito com o resultado. No Abaquar também fizeram parte da tripulação Júlio Borela, Guilherme Suarez, Iam Paim, Luiz Eduardo Solkonik e Fábio Ribas. Em segundo lugar na BRA –RGS ficou o barco Taz de Augusto Moreira, do Veleiros do Sul. E na classe Microtoner 19 o campeão do Circuito Conesul foi o Batucada, de José Eduardo Araújo (SAVA) e em vice o 14 Bis, de Humberto Blattner (SAVA). Confira aqui aqui os resultados finais.

O 25º Circuito Conesul terminou neste feriado de terça-feira (20), comemoração da Revolução Farroupilha, com apenas uma regata barlasota, devido a entrada do vento quase no fim tarde. A competição teve a organização do Veleiros do Sul e apoio Delta Yachts e Equinautic contou com a participação de 25 barcos dos clubes de Porto Alegre: Veleiros do Sul, Clube dos Jangadeiros, Iate Clube Guaíba e SAVA e do Iate Clube Saldanha da Gama, Pelotas.

Itajaí Sailing Team confirma presença na Refeno 2016 a bordo do veleiro Moleque

9

O time do Itajaí Sailing Team  –  time de vela que representa a cidade em competições oficiais – confirmou a participação na 28ª edição da Regata Internacional Recife Fernando de Noronha (Refeno) 2106,  no dia 24 de setembro, a bordo do veleiro Moleque, tendo no comando o velejador catarinense Marcelo Gusmão. Até o momento, mais de 40 barcos já confirmaram presença na competição e dois deles são internacionais: a embarcação argentina Wisdon, do comandante Carlos Blanco Fernández, e o barco norte-americano Cora Mãe, do comandante Santiago Triñanes Schaffnee. Em 2010, o Moleque venceu a competição na categoria RGS B.

Além da prova, os velejadores  do Itajai Sailing Team farão uma ação educativa no Recife e Fernando de Noronha . A partida da Refeno terá início ao meio-dia do dia 24 de setembro, no Marco Zero do Recife, em Pernambuco, e a travessia deve durar entre 32 e 38 horas. Esta é a segunda vez que a equipe participa da competição, que está em sua 28ª edição. A diferença é que para esta competição foi montado um time especial.

Criada há 28 anos, a Refeno é considerada a primeira regata oceânica do Brasil. A edição deste ano terá partida no dia 24 de setembro, em frente ao Marco Zero do Recife. São 300 milhas náuticas entre a partida e a chegada, o que equivale a 545 quilômetros. O Itajaí Sailing Team tem o patrocínio da APM Terminals Itajaí, Multilog, JBS, Brasfrigo ,e Poly Terminais, e apoio da Anasol,  Molim e Clindex.