Brasil vence Hemisfério de Star na Croácia

14199483_1097461336970417_7038007856645383216_n

Terminou neste domingo na Croácia o Hemisfério da classe Star. E o Brasil mais uma vez provou que é bom de proeiro e o gaúcho-carioca Henry Boening Maguila ficou com a medalha dourada ao lado do americano Augie Diaz. Os dois venceram duas das sete regatas disputadas e abriram 11 pontos sobre os croatas Tonci Stipanovic e Kujundzic. Augie é o atual campeão mundial, ao lado do proeiro brasileiro Bruno Prada.

Falta de vento adia estreia do Brasileiro de Dingue

14231208_1238325552852791_1648535182294157144_o

A falta de vendo terminou adiando o início do primeiro dia de regatas da 31ª edição do Campeonato Brasileiro da Classe Dingue. A comissão de regatas tomou essa decisão porque a região de Jurerê, Santa Catarina, local onde o campeonato será disputado, encontrava-se com ventos fracos e instáveis neste domingo (4). Diante disso, o início das regatas do Campeonato foi remarcado para esta segunda-feira (5). Para ser validado, o torneio precisa ter a realização de, no mínimo, três regatas. Caso aconteçam cinco ou mais, começará a ser contabilizada uma nota de descarte. As disputas acontecem até a terça-feira (6).

Sul-brasileiro de Optimist começa com liderança de argentino e paulista

29379627041_26406f204c_o.jpg
O domingo de céu fechado marcou o início do 38º Campeonato Sul- brasileiro da classe Optimist, no Veleiros do Sul. Os 139 velejadores participantes – 82 veteranos e 57 Estreantes – enfrentaram garoa e temperatura e vento mais forte no início da tarde deste domingo em Porto Alegre.

O dia terminou com três regatas para a classe veteranos e a liderança está com o argentino Máximo Videla, seguido pelo uruguaio Juan Pedro Coll e em terceiro o brasileiro Gabriel Rimoli, do Veleiros do Sul. Na classe Estreante, com duas regatas disputadas, os paulistas foram os melhores da flotilha. Mário Carvalho está em primeiro lugar, com Felipe Montag em segundo e Mariana Heike em terceiro.

A comissão de regatas teve trabalho neste primeiro dia de competição. A bandeira preta teve que ir para o mastro para conter o ânimo dos jovens velejadores. Mesmo assim, na primeira regata, 23 timoneiros da classe veteranos foram desclassificados na terceira tentativa de largada por “queimarem” a linha.

A competição da classe Optimist – inicial da vela de competição com crianças entre 8 e 15 anos – iniciou com vento de 13 nós de direção sul e uma garoa que depois cessou no rio Guaíba. Nas demais regatas a intensidade diminuiu para 8 nós. O Campeonato Sul-brasileiro da classe Optimist conta com a participação de velejadores de cinco estados: RS, SC, PR, SP, RJ e BA, e da Argentina e Uruguai. A competição conta com o apoio de Jimo e Confederação Brasileira de Vela e segue até quarta-feira (07).

Resultados parciais aqui.

Classe MOCRA divulga o segundo AR o Campeonato Brasileiro

Nos dias 25, 26 e 27 de Novembro o Cabanga vai sediar o Campeonato Brasileiro da classe MOCRA. O evento será disputado em paralelo com o Circuito Recifense de Vela Oceânica.

Estão previstas quatro regatas:

25/11: Regata noturna, envolvendo as boias de aproximação do Porto do Recife – Triangular
26/11:  V Regata Rosa dos Ventos (Recife –> Porto de Galinhas) – Percurso
27/11: Regata em frente à praia de Porto de Galinhas – Triangular
27/11: Regata de retorno (Porto de Galinhas -> Recife) – Percurso

Estão convidados para o Brasileiro os multicascos de Oceano com certificados MOCRA (Multihull Offshore Cruising and Racing Association) 2016 válidos que tenham sido emitidos pela MOCRA Brasil e também sejam associados ABVO. Quem não cumprir com estas regras, poderá disputar apenas o CRVO. Os monocascos com certificados BRA RGS também poderão participar do CRVO. Os veleiros (monos e multis) cujos Comandantes forem associados à FREVO terão estas três regatas do Circuito válidas para o Campeonato Pernambucano de Veleiros de Oceano 2016.

As inscrições devem ser feitas com o Capitão de Flotilha Álvaro da Fonte, no Cabanga. Para os barcos de fora, poderá ser feito depósito em conta. Quem se inscrever até o dia 30/9 paga R$ 60,00 por tripulante. Após esta data e até 31/10 o valor sobe para R$ 80,00 por tripulante e após esta data até o início da competição, R$ 100,00 por tripulante. Exclusivamente para o campeonato brasileiro da classe MOCRA, caso haja no mínimo quatro barcos de outros estados, não será cobrada a taxa de inscrição. Para isto, entretanto, os veleiros deverão se inscrever e pagar numa das opções acima e, na data da regata, se o número for confirmado, os valores pagos das inscrições serão totalmente devolvidos!

O AR completo pode ser visto aqui.