Etapa lisboeta do Extreme Sailing Series terá pela primeira vez equipe 100% feminina

160921_essmadeira_lloydimages_033-jme

Pela primeira vez na história do Extreme Sailing Series uma equipe 100% feminina estará competindo. A etapa será em Lisboa e começa no próximo dia 6. O Thalassa Magenta Racing, comandado pela velejadora olímpica neozelandesa Sharon Ferris-Choat correrá com seis integrantes, ao invés de cinco como os homens, e poderão estar a bordo Dee Caffari (GBR), Elodie Mettraux (SUI) e Abby Ehler (GBR), acostumadas com regatas oceânicas; Sally Barkow (USA), Annie Lush (GBR) e Gemma Jones (NZL), velejadoras olímpicas; Annemieke Bes (NED), medalha olímpica de prata, Hannah Diamond (GBR), medalha de prata no Mundial de Nacra 17 e  Annabel Vose (GBR) campeã mundial e europeia de 420. O time correrá sob a bandeira do Canadá.

O Thalassa Magenta Racing é parte do Magenta Project, que tem como objetivo dar oportunidade para que velejadoras compitam no mais alto nível. A competição em Lisboa é apenas um pequeno pedaço do projeto de longo prazo, que visa ter um time competitivo em todas as etapas do ESS.

Quem também vai fazer sua estreia na competição é o Norauto Powered by Groupama Team France. O time será comandado pelo neozelandês Adam Minoprio, campeão mundial de Match Race e com experiência prévia no ESS.

Os dois times entraram na competição com wild cards, ou seja, convite dos organizadores. Lisboa será a penúltima etapa do ESS 2016, que tem o Oman Air como líder após seis etapas.

Zarif lidera o ranking mundial da classe Finn

14435403_10153957654102634_4640819357719992191_o.jpg

A Federação Internacional de Vela – World Sailing – divulgou no último dia 26 um novo ranking mundial das classes olímpicas e tem brasileiro em primeiro. Jorginho Zarif, que hoje completa 24 anos, é o líder da classe Finn, com apenas dois pontos de vantagem sobre o australiano Jake Lilley. Quem também está muito bem é a dupla Martine Grael e Kahena Kunze, medalha de ouro no Rio 2016. As duas estão em segundo lugar na 49er FX. As gaúchas Fernanda Oliveira e Ana Barbachan, seguem bem colocadas, em 3º lugar na classe 470. Robert Scheidt, que anunciou o encerramento da sua carreira após as Olimpíadas, está em 7º na Laser Standard. Com um resultado tão bom, será que ele não volta a competir? Para ver o ranking completo e o resultado dos outros brasileiros, clique aqui.

 

Cabanga divulga resultado final da REFENO

O Cabanga Iate Clube de Pernambuco divulgou, nesta quarta-feira (28), o resultado final das 14 classes participantes da edição 2016 da Regata Internacional Recife/Fernando de Noronha. “A Refeno, mais uma vez, cumpriu com o seu objetivo”. Foram essas as palavras que o comodoro do Cabanga Iate Clube de Pernambuco, Jaime Monteiro Jr., avaliou como positiva a 28ª edição da Regata Internacional Recife/Fernando de Noronha, realizada de 24 a 28 de setembro. Durante a coletiva de Imprensa, no Museu do Tubarão, o comodoro do Cabanga elogiou a integração dos participantes.

“Uma festa da vela brasileira. Uma confraternização dos velejadores. É com esse propósito que organizamos todos os anos da Refeno, considerada hoje uma das cinco maiores regatas oceânicas do Brasil e da América do Sul. Mais do que uma simples Regata, a Refeno é a grande vitrine do nosso clube”, disse o comodoro.

O Capitão dos Portos de Pernambuco, Petrile, afirmou que não foi contabilizado nenhum incidente grave na Refeno deste ano. “Não tivemos alteração e ocorrência. A Marinha do Brasil aproveita essas oportunidades para mostrar a todos a importância do mar e da salvaguarda da vida humana”, explicou o capitão de mar e guerra da Marinha do Brasil.

 Para Sérgio Avellar, diretor de Vela do Cabanga, a edição 2016 foi bastante tranquila, sem nenhuma alteração e ocorrência e que o próximo passo é iniciar as discussões para a e Refeno 2017 “A partir de agora iniciaremos os preparativos para a organização da Refeno 2017, que será realizada dia 30 de setembro de 2017. Agradecemos a todos a acolhida dos velejadores aqui na Ilha”, disse Avellar.
O Superintendente de Finanças e Tecnologia da Ilha de Fernando de Noronha, Rodrigo Valença, que representou Luis Eduardo Antunes, administrador do Arquipélago, informou que durante o período da Refeno houve um aumento de 30% de visitantes na Ilha. Atrelado à isso, temos que ressaltar o incremento financeiro que a Regata proporciona para o comércio da Ilha”, disse Rodrigo Valença. “Não podemos deixar de agradecer ao Cabanga por toda ajuda social à nossa escola, o Centro de Integração de Educação Infantil Bem-Me-Quer. Somos muito gratos ao Cabanga e a Refeno”, complementou o superintendente.
A embarcação Camiranga, do Rio Grande do Sul, conquistou o Troféu Fita Azul da edição 2016. O veleiro garantiu o título geral pelo terceiro ano consecutivo. A embarcação pernambucana Jahú 2 e o Parati 2, do Rio de Janeiro, ficaram na segunda e terceira colocação geral respectivamente.

ICRJ promove o Mini Circuito Rio em outubro para barcos de até 29,9 pés

Que o Mini Circuito Rio é um sucesso, ninguém duvida, mas a cada ano a organização do evento tenta se aprimorar ainda mais. Este ano as regatas serão disputadas entre os dias 21 e 23 de outubro e serão abertas para barcos das classes BRA-RGS e IRC de até 29,9 pés, J/24, J/70, HPE 25, Ranger 22, Soling e Star. Vale ressaltar que todos os participantes devem ser associados ABVO. As inscrições podem ser feitas na secretaria no ICRJ e custam R$ 20,00 por tripulante. Estão programadas até cinco regatas, sendo no máximo duas por dia. Para ver o AR completo, clique aqui.

 

Nicolas Bernal é bi-campeão paulista de Optimist; YCSA domina o pódio

14481863_1761597467429360_6182629631923937585_o.jpg

Terminou neste domingo em Ilhabela o Campeonato Paulista de Optimist. Foram disputadas oito regatas, em dois finais de semana e o velejador do YCSA Nicolas Bernal garantiu o bi-campeonato, com cinco vitórias e 12 pontos a menos que Theo Garcia, do mesmo clube, segundo colocado.

O tempo feio e frio não espantou os 46 inscritos na competição. No sábado o vento sul obrigou a CR a montar a raia no baixio, do lado de São Sebastião, porém, com intensidade muito fraca, a segunda regata do dia teve que ser cancelada. Já no domingo, o vento soprou na casa dos 15 nós e a correnteza amanheceu forte, permitindo a realização das duas últimas regatas da série.

Para ver o resultado completo, clique aqui. Continuar lendo “Nicolas Bernal é bi-campeão paulista de Optimist; YCSA domina o pódio”

Alexandre ‘Amiguinho’ Tinoco é terceiro colocado no Europeu de Snipe

trofeo_armada_espanola_2014_51-720x380

Entre os dias 19 e 24 o Real Club de Regatas de Santiago de la Ribera, em Murcia, na Espanha, sediou o Europeu de Snipe. Com 109 inscritos de 13 países, a competição se tornou a maior da história da classe. E o Brasil esteve muito bem representado com uma tripulação e meia. Alexandre ‘Amiguinho’ Tinoco, que correu com o espanhol Victor Perez Campos na proa, foi o melhor colocado, na terceira colocação. Rodrigo Almeida e Luciano Secchin ficaram em 49º na flotilha ouro. Os campeões foram os irmãos Gustavo e Rafael del Castillo.

A competição contou com ventos que variaram de 5 a 13 nós em uma raia de águas lisas dentro da baía de Mar Menor. Onze regatas foram disputadas, sendo seis na fase classificatória e cinco na fase final, com os grupos já divididos em ouro e prata. Amiguinho e Victor encerraram a participação com apenas cinco pontos a menos que os campeões.

Para ver o resultado completo clique aquiclique aqui.

Itajaí Sailing Team vence a REFENO na RGS

IMG_2555.jpg

Para a equipe do Itajaí Sailing Team – time de vela que representa a cidade em competições oficiais – a Regata Internacional Recife-Noronha (Rereno) 2016, não poderia ter melhor resultado. A equipe comandada pelo velejador Marcelo Gusmão e pelo coordenador do projeto, Gastão Furlin Filho, foi a primeira a cruzar a linha de chegada na classe RGS na madrugada do dia 26 de setembro e vencedor no tempo corrigido, cumprindo o percurso de 292 milhas náuticas em 33h23min31s. A equipe também distribuirá nesta terça, dia 29, kits escolares em uma ação social em escola pública de Fernando de Noronha.

Para Marcelo Gusmão, a regata foi muito boa, com ventos constantes entre 15 e 18 nós e mar em boas condições, o que favoreceu o desempenho do veleiro Moleque. “Quero agradecer a organização da prova e o empenho da tripulação que foi incansável”, acrescenta Gusmão. Criada em 1986, a Refeno é considerada a primeira regata oceânica do País.

Cinquenta e duas embarcações de 11 estados do Brasil e de três países partiram no último sábado do Marco Zero do Recife, em Pernambuco, com destino a Fernando de Noronha. O percurso total é de 292 milhas náuticas, o equivalente a 545 quilômetros de distância. O atual recorde geral da Refeno é do veleiro Adrenalina Pura, da Bahia, com a marca de 14h34min54, em 2007. O Itajaí Sailing Team tem o patrocínio da APM Terminals Itajaí, Multilog, JBS, Brasfrigo, e Poly Terminais, e apoio da Anasol,  Molim e Clindex.

Copa Brasil de Vela será disputada em março de 2017

Henrique e Bruno (1).jpg

A IV Copa Brasil de Vela, campeonato que definirá a Equipe Brasileira de Vela para o início do ciclo dos Jogos de Tóquio-2020, será disputada em março de 2017, na cidade de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul. Inicialmente prevista para dezembro de 2016, a competição mudou de data pela necessidade de adequação ao calendário da Federação Internacional de Vela (World Sailing). A entidade que rege a modalidade no mundo marcou para o mês de fevereiro a definição das classes que farão parte do programa olímpico de Tóquio-2020.

“Não faria sentido iniciar o trabalho com a Equipe Brasileira de Vela antes da definição das classes que estarão em Tóquio”, explicou o diretor executivo da CBVela, Daniel Santiago. “O momento é de planejar e ter ações mais assertivas para iniciar o ciclo de forma consistente”.

Outra razão para a decisão foi a alteração de data do Campeonato Mundial da Juventude 2016, que passou para dezembro, coincidindo com a II Copa Brasil de Vela Jovem. O evento voltado para as futuras gerações da modalidade no Brasil também será realizado em março, paralelamente à IV Copa Brasil de Vela.

As duas competições nacionais serão organizadas pela Confederação Brasileira de Vela (CBVela) em parceria com a Federação Estadual de Vela do Estado do Rio Grande do Sul (Fevers), Veleiros do Sul Associação Náutica Desportiva (VDS) e Clube dos Jangadeiros (CDJ).

Da assessoria

Depois de quebra de mastro, Alinghi se recupera e vence 6ª etapa do Extreme Sailing Series

 

Os suíços do Alinghi foram a sensação da primeira etapa portuguesa do Extreme Sailing Series, disputada entre os dias 22 e 25 de setembro na ilha da Madeira. E não foi só pela vitória, mas sim como esta vitória foi conquistada.

O time de Arnaud Psarofaghis colidiu com o Red Bull Sailing Team no sábado e teve seu mastro quebrado, o que os impossibilitaria de seguir na competição. No entanto, o time de terra trabalhou duro, conseguiu consertar os estragos e, com o pedido de reparação em cinco das 14 regatas, os suíços conseguiram se recuperar e vencer a competição. Com este resultado, apenas três pontos os separam do Oman Air, líderes no acumulado. A próxima competição será em Lisboa, em dez dias.

Com novo recorde, Camiranga é fita-azul da REFENO mais uma vez

Camiranga - Xirumba.JPG

Deu, mais uma vez, o Camiranga. A embarcação do Rio Grande do Sul conquistou, neste domingo (25), o Troféu Fita Azul da 28ª edição da Regata Recife/Fernando de Noronha. O veleiro cruzou a boia de chegada, na praia do Boldró, no Arquipélago, com o tempo de 19h56min40, quebrando o recorde entre os barcos monocasco da regata, que já era seu desde 2015, quando completou a travessia entre Recife/Noronha, 545 quilômetros, com o tempo de 20h26min37.

“Foi uma boa regata, a tripulação velejou forte sempre buscando melhorar nosso tempo. Fizemos manobras boas e o barco sempre esteve trabalhando perto do seu máximo”, comemorou o comandante do Camiranga, Samuel Albrecht.

O desempenho da embarcação pertencente ao Veleiros do Sul/RS, vem chamando atenção nos últimos três anos. Em 2014, o barco, um Soto 65, com 20 metros de cumprimento, completou a travessia em 22h40min43. No ano seguinte, baixou o tempo em duas horas, fechando em 20h26min37. Agora, em 2016, diminuiu para 19h56min40.

Agora, após a premiação em Fernando de Noronha, marcada para a próxima quarta-feira (28), no Museu do Tubarão, o Camiranga retorna para o Rio de Janeiro onde disputará no final de outubro a regata Santos/Rio.“Desde o início nosso objetivo era melhorar o tempo. As condições da regata não foi a melhor para se fazer um tempo ideal. A cada ano que passa a gente vai aprendendo a velejar um pouco mais com o barco. Essa regata mostrou que a gente teve uma pequena evolução em relação aos últimos dois anos”, complementou Samuel Albrecht, que acredita no título da categoria, ORC, no tempo corrigido.

PERNAMBUCO

A boa notícia para Pernambuco foi a chegada, em segundo lugar, da embarcação Jahú 2, do comandante Luis Moriel. O barco realizou a travessia das 292 milhas náuticas em 24h52min13. O veleiro conseguiu diminuir seu tempo em relação a sua primeira participação na Refeno, em 2014, em quase dez horas.

O Jahú 2, catamarã Manelis de 40 pés, com 12 metros de cumprimento que compete na classe Mocra, contou com oito tripulantes. “Viemos com o intuito de chegar a Ilha. Não tínhamos e não viemos com a intenção de ganhar do Camiranga. Para o Jahú 2 foi uma conquista muito grande ter terminado a Refeno 2016 na segunda colocação geral com o tempo na casa das 24 horas”, comemorou Moriel.

Em 2014, na primeira participação do Jahú 2, a embarcação concluiu o trejeto entre Recife e Fernando de Noronha em 35h22min36. “Baixamos o nosso tempo em mais de dez horas. Isso é uma grande conquista”, lembrou o comandante.

“A conquista superou nossas expectativas. A regata foi muito boa, ventos constantes, entre 15 e 18 nós, mar relativamente tranquilo, ondas pequenas e para o barco isso favoreceu muito. Conseguimos ganhar altura para chegar a Noronha andando bem. A tripulação está de parabéns. Todos amigos e família”, finalizou Moriel.

PROBLEMAS

Segundo a Comissão de Regata da Refeno 2016, até o momento duas embarcações tiveram problemas e tiveram que abandonar a competição. O trimarã Travessia, da Paraíba, quebrou o mastro e teve que ser rebocado para Natal. O veleiro Avoador, de Pernambuco, quebrou o leme e retornou para o Cabanga Iate Clube de Pernambuco.

REFENO 2016

Cinquenta e duas embarcações de 11 estados do Brasil e de três países partiram no último sábado (25) do Marco Zero do Recife com destino a Fernando de Noronha. O percurso total é de 292 milhas náuticas, o equivalente a 545 quilômetros de distância. O atual recorde geral da Refeno é do veleiro Adrenalina Pura, da Bahia, com a marca de 14h34min54 em 2007.