Copa de Aniversário reúne número recorde de Dingues em Pernambuco

IMG_7323.JPG
Um aniversário comemorado em grande estilo. Assim pode ser classificado a Copa de Aniversário Dingue Pernambuco 2016, realizada pelo Cabanga Iate Clube de Pernambuco, no último sábado (27), no Rio Timbó, em Maria Farinha, Litoral Norte de Pernambuco. A competição reuniu um número recorde de inscritos – 20 embarcações. Foi a primeira vez na história da classe no Estado que um evento local congregou tantos veleiros em uma única prova.
Com todos esses ingredientes, não tinha como a regata ser diferente. A competitividade dentro d’água começou após a partida. A embarcação Kamikaze, com Leonardo Almeida e Miguel Andrade, largou em quinto, mas logo assumiu a liderança e liderou a prova até o final. A disputa ficou acirrada entre as embarcações Black, de Renê Hutzler e Cleide Holanda; a de Paulo e Francisco Andrade, ainda sem nome; e a Fort Álamo, com Amadeu e Renata Palha, que brigavam pela segunda, terceira e quarta colocação respectivamente.
Anteriormente conhecida como Flotilha Dingue de Pernambuco (Flodinpe), a classe foi fundada em Pernambuco no dia 26 de agosto de 2000 e teve origem nas escolas de vela para adultos realizadas pelo Cabanga Iate Clube na sub-sede de Maria Farinha, em meados de 2000 e 2001. Marcada pelo caráter de diversão e alegria, logo se consolidou como uma das principais equipes do clube e, posteriormente, de outras agremiações, atraindo velejadores de diversas outras classes consagradas.
“Gostaria de agradecer a presença de todos e parabenizar a cada um de vocês que fizeram dessa regata especial a maior já realizada por nossa classe até então. Nesse período que supera uma década e meia, o grupo se modificou, renovou, modernizou e passou a alcançar resultados cada vez mais expressivos no âmbito regional e nacional. Este é o momento de celebrarmos nossas conquistas e estreitarmos os laços de amizade, companheirismo e festejarmos a saudável competitividade que nosso esporte nos proporciona”, finalizou o capitão da Flotilha Leonardo Almeida.
Além do apoio do Cabanga, a competição contou com patrocínio das empresas Prosail, Schaefer Yachts, Marinas Windshop, Holos BRasil, Empório Karla e B Luna, que custearam o novo padrão da classe.
BRASILEIRO
A Copa de Aniversário Dingue Pernambuco 2016 também serviu para que os velejadores da classe realizassem os últimos ajustes nas embarcações e acertos nos treinamentos antes da disputa do XXXI Campeonato Brasileiro da Classe Dingue, que será realizado entre os dias 3 e 6 de setembro, no clube Veleiros da Ilha, em Jurerê/SC. Cinco embarcações locais disputarão a competição.

Catuana Kim é fita-azul da Regata Baía Sul

unnamed (48)

O retorno da Copa Veleiros de Oceano, com a realização da Regata Baía Sul, não poderia ter um cenário mais adequado. O sábado amanheceu com condições de vento nordeste, com intensidade variando de 15-25 nós, em um lindo dia de sol para o deleite das tripulações. Com largada na Baía Sul, próximo a Ponte Pedro Ivo Campos, as embarcações cumpriram o percurso entre Coqueiros, São José e a Sede Central do Iate Clube em um dia perfeito para o velejo.

Atual campeão brasileiro de ORC, o Catuana Kim, liderado pelo comandante Paulo Cocchi, aproveitou o sábado para fechar a regata como Fita Azul (primeira embarcação a cruzar a linha de chegada). Após uma boa largada, a tripulação campeã conseguiu contornar a primeira boia já na liderança. Sempre próximo aparecia o C30 Corta Vento, comandando por Daniel Mattos. As duas embarcações fizeram quase toda a regata bem perto, contornando a boa na Ponta de Coqueiros e na baía de São José juntos. Com percurso barla-sota de três pernas, os dois veleiros seguiam na ponta, até o Catuana abrir pequena vantagem antes da boia final em frente ao Iate Clube de Santa Catarina.

Segundo a cruzar a linha de chegada, pouco mais de um minuto atrás do Fita Azul, o Corta Vento assegurou a vitória na classe C30, enquanto o Arretado, do comandante Paulo Cesar, foi o vencedor na classe HPE25.

A competição desse sábado foi marcada também por ótimas disputas, especialmente na classe RGS A. Após a correção de tempo, o veleiro Bruxo, comandando por Luis Carlos Schaeffer, conquistou o título da etapa com vantagem de apenas 37s sobre o vice-campeão Plâncton. Completou o pódio a embarcação Açores III. Fechando a Regata Baía Sul, o Quival, de comandante Edio Luz, venceu a disputa com Carino (2º) e Klympp (3º).

Com a conclusão da Regata Baía Sul seis etapas já foram realizadas até o momento na Copa Veleiros de Oceano: Regata Centro-Jurerê (fevereiro), Regata Cidade de Florianópolis (março), Regata Fortalezas (abril), Regata Tripulação (junho) e Regata Lineares (junho). Até o final da temporada estão programadas a Regata Arquipélago (setembro), Regata Mormaii (outubro), Regata Marejada (novembro) e a Volta à Ilha de Santa Catarina, que encerra o calendário náutico do ICSC no mês de dezembro.