Scheidt vence medal race e termina Rio 2016 em quarto lugar

scheidt_final

Robert Scheidt venceu a medal race da classe Laser nesta terça-feira (16) e terminou na quarta colocação na Rio 2016. Apesar de fazer a sua parte em uma grande apresentação, a combinação de resultados necessária para a conquista da sexta medalha olímpica não ocorreu. Isso porque o neozelandês Sam Meech, com quem disputava um lugar no pódio, terminou em quarto lugar. Para conquistar a medalha de bronze, o bicampeão olímpico precisaria que ele ficasse em sexto na prova, além de chegar à frente do francês Jean Bernaz e do britânico Nick Thompson. O ouro ficou com o australiano Tom Burton e a prata com o croata Tonci Stipanovic.

“Foi um dia de sensações bem diversas. Vamos começar pelo lado positivo, ganhei a medal race em um dia maravilhoso, com a energia dessa torcida toda. Foi minha última regata olímpica na Laser e terminar com vitória é muito especial. Por outro lado, não cheguei ao meu objetivo final, que era a medalha olímpica. Sabia que eu ainda tinha uma chance pequena, lutei com todas as armas, quase deu, mas o neozelandês teve muito sangue frio para segurar a posição. Fiz o que deu para fazer e a verdade é que tive uma semana de altos e baixos e eles foram um pouco mais consistentes. Não foi uma semana ruim. Mas vendo pelo lado positivo, o reconhecimento da torcida foi demais. Estou um pouco triste e nas próximas semanas vou melhorar, analisar tudo com calma e pensar no futuro”, disse Scheidt, que é patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex, Deloitte e Audi, com os apoios de COB e CBVela.

Scheidt assumiu à liderança logo no início da medal race, mas o neozelandês também fez uma boa prova. Perdeu a terceira posição nos momentos finais da regata, mas foi o suficiente para garantir o bronze. O bicampeão olímpico confessou que, apesar da vitória de ponta a ponta, ficou o tempo todo olhando para trás. “Minha preocupação era o que fazer para conquistar a medalha e vencer apenas não bastava. Até pensei em frear um pouco o barco para tentar criar uma situação que gerasse alguma punição para o neozelandês, mas o francês me passaria e não adiantaria nada. A verdade é que muita gente duvidava que eu poderia ser competitivo aos 43 anos e eu provei o contrário”, acrescentou.

Robert revelou ter se superado para a medal race. “Superei a tristeza do sábado, quando entrei na água a três pontos do ouro e tive um dia ruim, terminando a dez do bronze. Mas entrei de alma lavada na regata da medalha, preparado para velejar bem em minha última regata olímpica na Laser”, completou o maior medalhista olímpico da história do Brasil. Sobre o futuro, ele ainda quer dar tempo ao tempo. “Vou analisar tudo com calma. Está na hora de surgir uma nova geração para dar continuidade ao legado do Brasil na Laser. Sobre competir em outra classe, ainda não sei”.

Gintare termina em sétimo – A lituana Gintare Scheidt, esposa de Robert e uma das favoritas ao ouro na Laser Radial, completou a medal race em 4º lugar nesta terça-feira e encerrou sua participação na Rio 2016 com a 7º posição na classificação geral.

Classificação final
1) Tom Burton(AUS) – 73 pontos perdidos
2) Tonci Stipanovic (CRO) – 75pp
3) Sam Meech (NZL) – 85pp
4) Robert Scheidt (BRA) – 89pp
5) Jean Baptiste Bernaz (FRA) – 90pp
6) Nick Thompson (GBR) – 103pp
7) Pavlos Kontides (CYP) – 104pp
8) Juan Ignacio Maegli (GUA) – 117pp
9) Rutger Van Schaardenburg (HOL) – 118pp
10) Julio Alsogaray (ARG) – 129pp

Informações Assessoria de Imprensa / Foto World Sailing

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s